Sábado, 30.11.13

Deu para a torta

 

 

À terceira pareço ter conseguido uma torta razoável. Cheguei à conclusão que não, não sou pessoa de tortas. Sigo regras, gosto de tudo direitinho, torto dá-me cabo dos nervos. Com o tempo e a maturidade própria dos anos que carrego, tenho-me apercebido que sou uma pessoa antiquada. Para mim, a amizade tem que ser antiga. Num mundo em que todos são, aparentemente, amigos e em que todos se amam; em que 1 milhão de seguidores no facebook são o suficiente para que a pessoa possa dizer que tem um grupo de amigos, então eu não sou ninguém. Qualidade há-de sempre ser superior à quantidade. Cumprimentar alguém não faz dessa pessoa minha amiga, a amizade está para além do óbvio, é uma partilha altruísta e abnegada. Há quem diga que verdadeiros amigos podem passar anos sem se falar, mas sabem sempre que podem contar um com o outro. Não concordo. Sou mais do ditado: "longe da vista, longe do coração". A amizade precisa de lenha na fogueira para se manter, podemos estar longe, porque as condições assim o exigem, mas quem é amigo e quem se interessa arranja sempre tempo para um sms, um e-mail, um telefonema, um café, um livro inesperado nas mãos vindo da capital. Não devemos, nunca, tomar os amigos como garantidos, é uma relação que tem que ser trabalhada, é uma comunicação especial que deve ser valorizada. O verdadeiro amigo respeita, mesmo as nossas mais estapafúrdias e tortas escolhas. É livre de não concordar, mas ele respeita o facto de sermos tão imperfeitos quanto ele, e espera que o respeitemos quando for ele a precisar de consolo. O amigo faz sentir a sua presença, mesmo que não esteja fisicamente ao nosso lado. Se os vossos amigos não vos respeitarem, não chegaram a ser verdadeiramente vossos. Não receiem deixá-los ir, vão à procura de si mesmos mas vocês, se souberem que são amigos, então já se encontraram. A amizade quer-se simples, sem cobranças, ou cobrando apenas o mais importante: respect!

 

Para a minha Moira encantada,

Que conheci há uns anos atrás,

Vai esta torta alaranjada

Já que as duas primeiras ficaram más.

 

 Com amizade

 Maria Ameixa Sapoila

 


 

 

Torta de laranja

(Cozinha Tradicional Portuguesa)

 

6 ovos

250 g de açúcar

1 colher (sopa) de maisena

2 dl de sumo de laranja

1 laranja

açúcar 

 

Preparação:

Abrem-se os ovos inteiros para uma tigela e misturam-se, sem bater, com o açúcar. Adiciona-se em seguida a raspa da casca de laranja e o sumo onde previamente se desfez a maisena. Deita-se o preparado num tabuleiro rectangular, previamente untado com margarina e polvilhado com açúcar. Leva-se a cozer em forno brando durante cerca de 20 minutos. Desenforma-se sobre um pano húmido polvilhado com açúcar. Enrola-se a torta com a ajuda do pano. Serve-se fria polvilhada com açúcar pilé.

 

 

Bom fim de semana!

publicado por Ameixinha às 12:01 | link do post | comentar | ver comentários (20) | partilhar
Terça-feira, 08.10.13

Devilish passionfruit chocolate roulade



A vida vai dando tudo aquilo que nós necessitamos. A única coisa que precisamos é estar atentos, ou ter alguém atento a acompanhar-nos.

Foi assim há uns tempos atrás, em que numa das nossas caminhadas semanais, maracujás vieram ter connosco. Abençoada gravidade que, a maioria das vezes, faz cair coisas boas e doces do alto das árvores e arbustos. Começou com a maçã, que levou Newton à fantástica teoria que tudo o que sobe tem que descer, e que evoluiu para os maracujás que me levaram a colocar em prática um rolo delicioso, para apreciar nos últimos dias de Verão. Oh, se tão somente começassem a cair tantas outras coisas dos céus... sem glúten, de preferência ;)

 


Rolo de chocolate:

(The chocolate and coffee bible)

 

175 g de chocolate semi-amargo

4 ovos, separados

115 g de açúcar

cacau em pó

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º C. Unte uma forma rectangular e forre-a com papel vegetal.

Parta o chocolate aos pedaços e derreta-o em banho-maria

Bata as gemas com o açúcar numa tigela até que obtenha uma mistura pálida e espessa, adicione-lhe o chocolate derretido.

Bata as claras em castelo e envolva delicadamente à mistura anterior. Passe a mistura para a forma e nivele. Leve ao forno por cerca de 15-20 minutos, até que esteja firme ao toque.

Salpique cacau em pó numa folha de papel vegetal e vire a torta para lá. Cubra e deixe arrefecer.

 

Recheio:

(retirado do blog Delicieux)

 

2 gemas

polpa de 2 maracujás

90 g de açúcar

40 g de manteiga

2/3 chávena de natas batidas

 

Coe as sementes de maracujá e reserve o sumo.

Coloque o sumo, gemas, açúcar e manteiga numa panela, leve ao lume e mexa bem até engrossar, cerca de 5 - 10 minutos. Retire e refrigere.

Envolva 2 colheres (sopa) do creme com as natas batidas. Envolva bem e espalhe sobre o rolo. Enrole, decore a gosto e refrigere.

 

Boa semana a todos!

publicado por Ameixinha às 14:50 | link do post | comentar | ver comentários (14) | partilhar
Segunda-feira, 28.12.09

Torta de cenoura

Esta receita tem corrido a blogosfera e não precisa que lhe façam mais publicidade mas, eu não posso deixar de dar a minha opinião. A foto não é representativa do resultado porque foi tirada à pressa quando já estava quase a sair de casa.
Como tinha dito na postagem anterior, não passei o Natal em casa mas não deixei de fazer a doçura. Uma das coisinhas que fiz para levar para casa dos meus tios foi esta torta de cenoura e também as rabanadas recheadas. Não sei qual delas foi a mais apreciada mas foram as duas que tiveram mais saída! Isso é sempre bom :)
Foi um Natal diferente, comi muita coisa que não teria comido se tivesse ficado em casa. Para entrada havia pão, camarão, frutos secos, caracóis (sim, eu como e adoro caracóis. Só não gosto de uvas passas he he), queijo e enchidos. Depois o maravilhoso bacalhau, daquele altíssimo que se desfaz em lascas, acompanhado de couve, cenoura e batatas. O polvo cozido e os grelos ao lado. Mas, para mim, o melhor de tudo é o molho cozido e a roupa velha :) Não tirei foto de nada porque não estava em minha casa e ia ficar muito estranho!
Também fiz a tradicional aletria e fiz o que acho ser o melhor bolo de noz do mundo. Uma receita mexicana com o nome pan de nuez, que ficou melhor que a encomenda e será uma das próximas receitas a ser publicada. Estas coisinhas ficaram cá em casa, Natal é um exagero de comida e algumas coisas não levei!
Depois da ceia há que esperar pela meia-noite e, enquanto se jogava Uno, comia-se a torta de cenoura que foi a única a ficar na mesa, adivinhem lá porquê?! É, sem dúvida, receita vencedora :)
Ingredientes:
600 g de cenoura
1 pau de canela
300 g de açúcar
4 ovos
4 colheres (sopa) de farinha
1 colher (chá) de fermento
sumo e raspa de 1/2 laranja
canela em pó para polvilhar
Preparação:
Cozer as cenouras com o pau de canela e reduzi-las a puré (retirar o pau de canela antes). Juntar o açúcar, a raspa e o sumo de laranja, os ovos inteiros e bater bem. Envolver a farinha com o fermento e juntar ao preparado. Misturar bem. Deitar o preparado num tabuleiro forrado de papel vegetal e untado com manteiga. Cozer em forno pré-aquecido a 170º, durante cerca de 20 minutos. Desenformar a torta ainda quente sobre um pano polvilhado de bastante açúcar. Retirar o papel vegetal, polvilhar com canela em pó e enrolar delicadamente com a ajuda do pano.
publicado por Ameixinha às 13:30 | link do post | comentar | ver comentários (55) | partilhar
Domingo, 06.07.08

Uma torta direitinha!



Eu e a minha saga de enrolar tortas. Não tenho qualquer afeição pela arte do enrolanço. Embora às vezes me enrole toda em certas coisas ;)
Não querendo enrolar ninguém, passo já para a receita desta torta que ficou direitinha... yes!!!
Aproveitei algumas cerejas que me foram oferecidas (não enrolar ninguém tem as suas vantagens, quanto mais não seja, receber coisinhas boas dos vizinhos eh eh) e não resisti à tentação de tentar fazer uma torta de cerejas :) Baseei-me numa receita que encontrei na revista "Mulher Moderna na Cozinha" nº 106 (2005) mas fiz algumas alterações.

Ingredientes da massa:
3 ovos
4 gemas (usei 3)
250 g de açúcar (usei 230)
4 colheres (sopa) de leite morno
125 g de farinha
1 colher (sobremesa) de farinha maisena
1 colher (sopa) de manteiga amolecida
manteiga e aroma de baunilha q.b. (ainda não encontrei aroma de baunilha, está esgotado ou ninguém compra por cá)

Ingredientes do recheio e cobertura:
1 chávena de creme de pasteleiro (fiz o meu na hora)
2 dl de natas (não usei)
15 cerejas
50 g de chocolate (tablete)
cacau em pó (usei açúcar em pó)

Untei um tabuleiro (usei o do forno) com manteiga e forrei com papel vegetal também untado.
Bati os ovos com as gemas até ficar fofo. Juntei o açúcar e bati mais um bocadinho. Adicionei o leite e quem tiver e quiser adicione a essência de baunilha também.
À parte peneirei as farinhas e envolvi no preparado de ovos, alternado com a manteiga amolecida. Verti a massa no tabuleiro e levei ao forno por 15 minutos. Retirei e polvilhei com açúcar. Desenformei e deixei arrefecer.
Entretanto preparei o creme de pasteleiro: fervi 1,5 dl de leite com uma casca de limão. Retirei a casca do limão. À parte, misturei 45g de açúcar, duas gemas e 15g de farinha. Verti o leite em fio, mexendo sempre. Levei ao lume até engrossar.
Barrei o bolo com o creme de pasteleiro e polvilhei com cinco cerejas picadas (acho que mais ficava melhor). Enrolei a torta com a ajuda do papel vegetal (não foi preciso o pano para ajudar) e aparei as pontas. Não usei, mas pode cobrir-se com as natas batidas com 2 colheres de açúcar. Eu polvilhei com açúcar em pó. Derreti o chocolate com um pouco de leite no microondas. Como ainda não tenho saco de pasteleiro (aiiiiii, que tristeza! Comprei um rafeiro que se desfez na primeira utilização, a culpa não foi minha ok?) pus o chocolate numa saca plástica e cortei a ponta. Fiz risquinhas por cima da torta e depois pus as cerejas em fila. Pus chocolate em cima das cerejas. E prontinho :)



Gostei muito do creme de pasteleiro... muito fácil! Só acho que gastei muitos ovos e a torta ficou "piquena" (a nível de altura da massa), gosto quando cresce muito (lá vem a malandrice eh eh).
tags: ,
publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (45) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...