Segunda-feira, 03.08.15

Tarte de queijo quark com maçã

tarte quark maça.jpg

Há fartura de fruta e, entre compotas e conservas, fazem-se sobremesas para aproveitar o máximo da estação :)

 

Massa quebrada:

220 g de farinha sem glúten

1/2 colher (chá) de psilio

60 g de açúcar

1 pitada de sal

90 g de manteiga

1 ovo, 1 gema de ovo

 

Recheio:

500 g de queijo quark

5 colheres (sopa) de açúcar

1 pitada de sal

2 ovos

sumo e casca ralada de 1 limão

1 colher (sopa) de amido de milho

6-7 maçãs

 

Preparação:

- Para a massa quebrada, deite e misture numa tigela a farinha, o psílio, açúcar e sal. Adicione a manteiga cortada aos cubinhos, o ovo e a gema e amasse. Forme uma bola, envolva-a em película aderente e leve ao frigorífico durante 1 hora.

- Estenda a massa entre duas camadas de película aderente. Forre uma forma redonda de base amovível com papel vegetal. Deite a massa na forma, cobrindo o fundo e os bordos. Leve a forma novamente ao frio.

- Para o recheio, mexa bem o queijo com o açúcar, sal, amido, a casca e sumo de limão. Separe os ovos e incorpore as gemas na massa. Bata as claras em castelo e incorpore também.

Pré-aqueça o forno a 200ºc. Descasque as maçãs e retire o caroço. Corte-as em fatias e distribua sobre a massa. Verta a mistura de queijo por cima. Leve a cozer durante 50-55 minutos. Deixe arrefecer na forma.

 

publicado por Ameixinha às 10:40 | link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar
Domingo, 01.09.13

Galette de pêssegos




Sou movida pela simpatia e empatia que tenho pelos outros. Quando a Maria me convidou a fazer uma galette, eu só aceitei porque foi a Maria a convidar-me. Aceitei o desafio por conveniência também. Convinha-me comer uma galette, porque sou amiga da fruta e porque a minha dieta sem glúten teve que ser interrompida, e fui obrigada a comer todo o glúten que pude no último mês. Comi até hoje. A dieta começa, portanto, amanhã :) A sorte é que também é possível fazer-se uma base sem glúten e, isso, ficará para a próxima oportunidade, talvez com uma fruta de Outono.

Convinha-me ingerir glúten e convinha-me fazer um lanche para receber a minha amiga Mónica que veio de férias ao seu país de origem. É amiga de liceu mas encontrou a sua metade no estrangeiro. Lembro-me de levantá-la do chão na viagem de finalistas e de a ter a chorar nos meus ombros. Nunca mo disse, mas acho que me ficou agradecida por aquele momento de aconchego. Sempre soube que amigos são aqueles que, embora mais fracos que nós, estendem-nos a sua mão para nos levantar do chão :) Hei-de tentar sempre levantar os meus amigos, acarinhá-los com abraços e dar-lhes o meu ombro, já que há muito pouco mais que eu posso dar. Tenho também sempre algo para adoçar o bico.

A Mónica e o Henrique vieram visitar-me, e trouxeram um presente que eu não vi com quatro olhos e que a minha mãe, cegueta mas muito sabida, viu só com um olho. Um presente aconchegadinho a ela e quando discerni a coisa, desfiz-me em felicidade, abraços e lágrimas. Meu Deus, eu chorei tanto que a grávida parecia eu!

À medida que os anos passam eu estou a ficar cada vez mais lamechas, mas amizade é isso mesmo, é viver a alegria dos outros de forma transparente, genuína e emocionada. Eu sou movida a simpatia, ela é a minha gasolina mas daquela que não polui ;)

 



 

 

Ingredientes:

2 1/2 chávena de farinha

14 colheres (sopa) de manteiga em cubos, gelada (cerca de 115 gramas)

3 colheres (sopa) de banha gelada

1/4 chávena de açúcar

copo pequeno de água gelada

 

2-3 pêssegos firmes

sumo de 1/2 limão

1/4 chávena de açúcar baunilhado

1 colher (sopa) de maisena

canela moída

1 ovo

amêndoas 

açúcar em pó

 

Preparação:

Coloque a manteiga, farinha, banha e açúcar no processador de alimentos e pulse algumas vezes até que a manteiga fique do tamanho de pequenas ervilhas. Adicione a água, uma colher de cada vez e pulse até que a massa fique com aspecto areado.

Transfira a massa para a mesa e amasse-a um pouco só até formar uma bola (pedaços de manteiga ainda devem ficar visíveis). Corte a massa ao meio e embrulhe em película aderente. Refrigere por 1 hora ou durante a noite.

 

Corte os pêssegos em fatias, coloque numa tigela e junte o sumo de limão, açúcar, canela e maisena. Misture e reserve.

Estenda a massa e forme um disco com ela. No centro, disponha a fruta juntamente com os sucos obtidos. Enrole as bordas da massa, bata o ovo e passe-o na massa, coloque algumas amêndoas por cima e leva a forno-médio até dourar.

Sirva à temperatura ambiente, polvilhado com açúcar em pó.

 


Receita baseada no blog The clever carrot.

Com esta galette participo no desafio Dia um... na cozinha!

publicado por Ameixinha às 23:43 | link do post | comentar | ver comentários (27) | partilhar
Segunda-feira, 06.08.12

Tarte de limão e coco

 

Quando vi o título desta tarte num blog italiano, decidi guardá-la imediatamente. A blogueira que a testou, apelidou-a de "La Stupendissima" e eu confirmo. É fresca, fácil, doce e rápida. Além disso, fica bastante húmida e isso permite que possamos apreciá-la nos dias posteriores com a mesma frescura do primeiro dia. Limão e coco, dois dos meus sabores favoritos reunidos ao lanche :)

Ingredientes:

1 receita de massa quebrada

 

180 g de manteiga à temperatura ambiente

200 g de açúcar

4 ovos

casca ralada de um limão

sumo de 1/2 limão

90 g de coco

1 iogurte natural

1 colher (chá) de extracto de baunilha

 

Preparação:

Bata a manteiga com o açúcar até ficar cremoso. Adicione os ovos, um a um, e depois o iogurte, sumo, raspa e coco. Verta o creme para a tarteira já com a massa estendida e leve ao forno a 180ºC por cerca de 30 min-1 hora; a superfície não deve ficar muito dourada. O recheio endurece em contacto com o ar. Deixe arrefecer completamente, salpique açúcar em pó e sirva.

 

Fonte:

Menu Turistico

tags: ,
publicado por Ameixinha às 23:30 | link do post | comentar | ver comentários (42) | partilhar
Segunda-feira, 02.07.12

Tarte de abacaxi


Mark Bittman tem sido uma das mais agradáveis companhias dos últimos tempos. Esta tarte é completamente despretensiosa mas, como em quase tudo, a simplicidade ganhou. A base caseira - receita do Bittman também - é rápida de fazer e resulta na perfeição. Pra quê complicar quando podemos obter uma sobremesa fantástica com o minímo de ingredientes e de trabalho?

Podem usar a fruta, ou combinação de frutas, que mais gostarem. Fruta da época parece-me a escolha perfeita :) 

 

Ingredientes:

1 abacaxi, descascado e descaroçado

1 chávena de açúcar amarelo

1 receita de base para tarte doce*

 

Preparação:

Corte o abacaxi ao meio e depois parta-o em pedaços de 1,5 cm. Coloque a fruta juntamente com o açúcar, mexa para envolver e deixe macerar à temperatura ambiente por 1 hora, no minímo, ou cubra e refrigere por 4 horas.

Estenda a base da massa na tarteira, coloque papel de alumínio por cima com feijões (ou pesos próprios), e leve ao forno até que a base esteja assente mas não dourada. Deixe a base arrefecer.

Coe o abacaxi por 10 minutos, reservando o sumo. Coloque os pedaços de fruta na base e pressione gentilmente. Leve ao forno a 180ºC até que a base fique firme e a fruta tenha caramelizado e amolecido, cerca de uma hora e meia.

Enquanto a tarte assa, coloque o sumo numa caçarola, leve-o a lume médio e deixe ferver, mexendo ocasionalmente, até que fique reduzido a um xarope espesso, cerca de 15 minutos. Deixe arrefecer e sirva com a tarte.

 

 

*Receita:

1 1/4 de farinha

1/2 colher (chá) de sal

2 colheres (sopa) de açúcar

150 g de manteiga fria, cortada aos pedaços

1 gema de ovo

3 colheres (sopa) de água gelada ou mais, se necessário

 

Combine a farinha, sal e açúcar num processador e pulse uma ou duas vezes. Adicione a manteiga e processe até obter uma mistura uniforme, cerca de 10 segundos. Adicione a gema e processe novamente por mais alguns segundos.

Coloque a mistura numa tigela e adicione a água, mexa com as mãos até conseguir formar uma bola. Embrulhe em película aderente e congele por 10 minutos ou refrigere por, pelo menos, 30 minutos.

Salpique a bancada com farinha e estenda a massa com o rolo, adicionando farinha se achar necessário. Transfira a massa para a tarteira e pressione-a ligeiramente. Use uma faca para cortar o excesso. Refrigere por cerca de 1 hora antes de rechear.

 

Notas:

Receita retirada do livro "How to cook everything vegetarian".

Embora tenha feito o xarope, acabei por não acompanhar a tarte com ele, achei desnecessário porque iria ficar demasiado doce para o nosso gosto.

 

Boa semana a todos!

tags: ,
publicado por Ameixinha às 22:35 | link do post | comentar | ver comentários (24) | partilhar
Segunda-feira, 25.06.12

Tarte francesa de cebola

 

Estes dias quentes pedem receitas mornas ou frias. Tartes e quiches, sandes e saladas, iogurtes e gelados, muita fruta e muita água.

Não gostei do aspeto da tarte, embora o sabor seja muito bom. Usei fatias de bacon mas não as parti em tiras, cozinhei-as inteiras e acho que isso prejudicou um bocadinho em relação à imagem. De resto... oh là là :)

 

 

Ingredientes:

1 base de massa quebrada*

2 cebolas, finamente fatiadas

3 ovos

1/2 chávena de leite

180 g de bacon fumado, cortado em tiras

40 g de queijo gruyère, ralado

sal e pimenta q.b.

 

 

Preparação:

Salteie o bacon numa frigideira em lume médio-alto até que o bacon esteja cozinhado, cerca de 7 minutos. Reserve. Na mesma frigideira adicione as cebolas e deixe-as cozinhar por 10 minutos até que esteja cozinhada mas não as deixe ganhar cor.

Numa tigela, bata os ovos com o leite. Tempere com sal e pimenta.

Pré-aqueça p forno a 200ºC, unte uma tarteira e coloque nela a massa quebrada, pique-a com um garfo. Verta as cebolas e o bacon na base da tarteira e salpique o queijo. Coloque a mistura de ovos por cima e leve ao forno por 25-30 minutos.


 

*Faço a massa quebrada na máquina do pão. Coloco 250 g de farinha, 100 g de manteiga amolecida aos pedacinhos e 1/2 colher de chá de sal na cuba. Ligo no programa básico e vou juntando cerca de 125 ml de água fria, mexendo com a colher de pau nos cantos. Deixo amassar por 15 minutos e levo mais 15 minutos ao frigorífico. Está pronta a estender.

 

Receita no blog Chicho's Kitchen.

publicado por Ameixinha às 22:45 | link do post | comentar | ver comentários (27) | partilhar
Sábado, 28.08.10

Tarte de figos

Este ano tive a grande sorte de poder colher figos do quintal de uns tios que estão emigrados. Duas figueiras enormes, quilos de figos para colher, fazer malabarismo em cima das árvores com a minha mãe a gritar para eu subir mais um bocadinho. Mas subir para onde se já não tenho mais degraus na escada? Para cima da árvore, pois claro! E lá ando eu, em cima das figueiras a tentar não me partir toda, porque tenho que usar as mãos para apanhar os figos. Depois há todo um ritual de apanha para ver se o leite dos figos não nos cai nas mãos, porque aquilo dá umas comichões e, se tiverem cortes nas mãos causados pelos papel, pica e arde como tudo. Mas a minha mãe, firme debaixo da figueira, grita: "O que arde cura e o que aperta segura!", anda lá e apanha esses aí :)
Colhi figos na base da ameaça - porque a minha mãe dizia: "Desce que subo eu!" - subi e agarrei-me aos galhos, puxava pelas folhas da figueira para tentar alcançar os figos mais maduros, alguns já debicados pelos passarinhos, ao descer prendia-se a t-shirt e eu com medo de ficar pendurada ali à espera de amadurecer he he
Seja como for, figos pingo de mel, para mim, são uma delícia ao natural mas com tanta quantidade em casa, atrevi-me a fazer esta tarte e correu muito bem.


Ingredientes da massa:
250 g de farinha
uma pitada de sal
70 g de açúcar
1 gema
125 g de manteiga
papel vegetal e feijão seco para a forma

Preparação da massa:
Numa tigela, junte a farinha com o sal, açúcar, a gema e a manteiga e misture muito bem. Faça uma bola com a massa, coloque-a dentro de um saco plástico e leve ao frigorífico durante uma hora.
Passado o tempo de repouso, estenda a massa com o rolo e com ela forre uma forma de tarte. Pique-lhe o fundo com um garfo, cubra com papel vegetal e encha com feijão seco.
Leve ao forno a 200ºC durante 15 minutos. Retire o papel vegetal e o feijão e deixe no forno mais 5 minutos a cozer.

Ingredientes do recheio:
1 ovo
1 colher (sopa) de natas (usei iogurte natural)
100 g de amêndoa moída (usei a amêndoa que veio no Cabaz do Paladares do Sul)
1 kg de figos (usei menos porque depende do tamanho da tarteira)
150 g de manteiga (acho desnecessário)
80 g de açúcar branco (usei metade)
80 g de açúcar amarelo ou mascavado (usei metade)

Preparação:
Bata o ovo com as natas (ou iogurte) e a amêndoa, deite a mistura dentro da tarte e alise.
Corte os figos em cruz e, em cada um, coloque um pedacinho de manteiga (acho desnecessário). Disponha-os dentro da tarte e polvilhe-os com o açúcar branco.
Leve de novo ao forno durante 15 minutos, depois retire e polvilhe com o açúcar amarelo ou mascavado. Sirva morna ou fria.

Retirei a receita da Teleculinária nº1176 de Setembro de 2001.
Gostei mais da tarte morna. O recheio de amêndoa faz lembrar os doces algarvios, achei-o delicioso.

Bom fim de semana.



publicado por Ameixinha às 12:15 | link do post | comentar | ver comentários (57) | partilhar
Sábado, 09.01.10

Tarte de coco coberta

Uma tarte bastante húmida e leve. Muito básica e muito fácil de fazer. Até a massa é bastante rápida de fazer, nem precisa de ir ao frigorífico descansar, nem de ir ao forno cozer antes de levar com o recheio. Não se deixem enganar pelas indicações dadas pela revista, que diz que é de grau difícil e que o custo é médio. Não concordo nada!

É daquelas que cresce no forno mas depois não baixa e isso é bastante agradável, pelo menos para mim :)
Tinha esta receita marcada para fazer já há muitos meses, aproveitei que tinha coco ralado quase a terminar o prazo e fiz para a mesa de passagem de ano. Mantém-se húmida e fresca por bastantes dias, acho que em parte é devido à maçã que leva no recheio. Isto de fazer muitos doces só para 4 pessoas é óptimo para testar a frescura e validade das coisas :) Esta aguenta-se super bem. Aliás, todos os doces que fiz ficaram bastante bons e não perderam qualidade.
Esta receita foi retirada da Teleculinária nº 1218, Agosto do ano 2002. Vale a pena testar!


Ingredientes massa:
200 g de farinha
125 g de açúcar
150 g de manteiga
farinha para polvilhar
manteiga para untar
Gema de ovo para pincelar (não usei)
Açúcar para polvilhar (usei açúcar e canela)

Recheio:
300 g de maçãs golden ou starken
125 de açúcar
100 g de coco ralado
Sumo e raspa de 1 limão
3 ovos

Preparação:
Amasse a farinha com o açúcar e a manteiga, junte um pouco de água e envolva tudo até obter uma massa homogénea.
Estenda 2/3 da massa, polvilhando-a com farinha para não pegar, e forre com ela uma forma de tarte, previamente untada com manteiga.
Entretanto, prepare o recheio. Descasque as maçãs, retire-lhes as sementes e rale-as. Misture-as com o açúcar, o coco ralado, o sumo e a raspa da casca do limão e os ovos. Deite na forma sobre a massa.
Estenda a restante massa e cubra com ela o recheio da forma.
Pincele a superfície da massa com gema de ovo, pique-a aqui e ali com um garfo e polvilhe com açúcar.
Leve a cozer, cerca de 35 minutos, em forno a 160 ºC. Quando a tarte estiver cozida, retire-a do forno e desenforme-a (Não a desenformei).

.........................................................

Em relação ao Matias, ele foi ontem fazer análises. Ainda não sei os resultados. A veterinária diz que poderá ser Narcolepsia, mas só com uma ressonância poderá ter certeza disso. Não havendo dinheiro para uma ressonância, resta-nos esperar os resultados das análises e ver que outros exames poderão ser feitos.
Há mais de um ano criei um blog chamado "Só possuídos" dedicado aos meus bichinhos mas não está actualizado. Vou dar agora seguimento devido à condição do Matias. Preciso manter um diário e, como ainda não tenho agenda de 2010 porque a entidade que ma costuma enviar deve ter-se esquecido de mim, vou lá anotar tudo o que se passa com ele.
O blog é privado e, para já, vai continuar, porque é algo que me é muito íntimo e que envolve emoções que estão à flor da pele. Não é assunto que interesse toda a gente mas, os interessados (desde que eu já conheça há algum tempo e que saiba que gostam de animais) podem enviar-me mail se quiserem receber convite para o blog.
Mesmo assim, vou dando notícias através do Twitter e Facebook, que só os amigos têm acesso e assim vai continuar. Aproveito para dizer que não aceito ninguém que eu não conheça! Quando enviarem "pedido de amizade" digam quem são, porque muitos nem conheço pelo nome verdadeiro, ok? Desculpem mas temos que nos precaver nos tempos que correm e só me vê a fronha quem eu quero :) E acreditem que não é nada bonito de se ver he he
tags: ,
publicado por Ameixinha às 16:30 | link do post | comentar | ver comentários (67) | partilhar
Quarta-feira, 23.12.09

Tarte de maçã da Normandia

Este Natal não vou fazer tarte de maçã. Contava passá-lo em casa mas, à última da hora, surgiu um convite e aceitamos. Então, não vou fazer grande coisa, as tartes vão ficar para outra altura de menos fartura enquanto, amanhã, vou comer à pala he he
No entanto, esta é uma boa sugestão para quem, como eu, adora tartes de fruta, especialmente de maçã :) Ainda dá tempo de fazer uma para amanhã à noite!
Encontrei a receita no livrinho dedicado à Cozinha Regional Francesa da colecção "Receitas Caseiras" do Le Cordon Bleu.

Quero deixar o meu desejo de que todos os bons sentimentos deste dia, sejam projectados para todos os 365 dias de 2010, ok? E obrigada por tudo a todos quantos passam aqui ou que, de uma forma ou outra, adoçam a minha vida ;)

Massa (usei uma base de massa folhada):
250 g de farinha
150 g de manteiga sem sal cortada em cubos
1 ovo
50 g de açúcar granulado fino
1-2 gotas de extracto ou essência de baunilha

3 maçãs médias
sumo de 1 limão
2 ovos
1 gema de ovo
60 g de açúcar granulado fino
1 colher (chá) de canela em pó
200 ml de natas
açúcar em pó para polvilhar

1- Pré-aqueça o forno a 170ºC (Gás 3). Unte uma forma de tarte alta, de 22 cm de diâmetro e com o fundo amovível e guarde no frigorífico para a manteiga endurecer.
2- Para a massa, peneire a farinha para dentro de uma tigela grande e incorpore os cubos de manteiga, esfregando rapidamente com os dedos, até obter uma mistura semelhante a migalhas de pão. Faça uma cova no centro da mistura. Bata o ovo com 1 colher de sopa de água e deite na cova, juntamente com o açúcar, baunilha e uma pitada de sal. Incorpore gradualmente a farinha até se formar uma massa grosseira. Empurre com a base da mão e vire com as pontas dos dedos até estar lisa. Junte numa bola achatada, embrulhe em película de plástico e refrigere por 20 minutos.
3- Descasque as maçãs e retire os centros. Corte cada maçã em oitavos, misture as fatias com o sumo de limão e mantenha no frigorífico até usar.
4- Bata levemente os ovos e a gema com o açúcar. Acrescente a canela e as natas.
5- Estenda a massa num círculo com uma espessura de 2-3 mm e forre a tarteira, procurando eliminar todas as bolas de ar que possam estar entre a massa e a forma, para evitar que a caixa de massa encolha. Refrigere 30 minutos. Disponha as fatias de maçã de forma decorativa no fundo da massa, enchendo-a bem, e cubra com a mistura de ovos e natas. Leve 45-60 minutos ao forno ou até o recheio estar firme. Sirva morna, polvilhada com açúcar em pó.

Notas:
Usar massa já pronta diminui o tempo da receita, foi o que eu fiz. Mas esta massa deve ficar muito melhor que a massa folhada, uma vez que o recheio é mais pesado.
Não untei a tarteira, uso sempre o papel vegetal que vem com a massa folhada.

Divirtam-se e aproveitam a quadra para tirar a barriga de misérias! Está frio... alimentem a "faixa de gaija" ou acham que os ursos polares e as focas são gordas porque querem? É que tem mesmo que se ter uma camada adiposa rica para enfrentar as correntes geladas :) Ho, ho, ho!

Feliz Natal!
tags: ,
publicado por Ameixinha às 21:30 | link do post | comentar | ver comentários (54) | partilhar
Quinta-feira, 26.11.09

Tarte de abóbora


A famosa Pumpkin Pie que nos entra pela casa através das séries de Tv e dos filmes.
Tinha muita curiosidade em provar e, tendo uma abóbora enorme para usar, resolvi testar a receita que vi aqui. Pedia leite de soja, mas usei o que tenho sempre em casa... leite magro e resultou muito bem. Acho que esta é a sobremesa mais comida na última quinta feira do mês de Novembro :)

Se há feriado que deveria ser assimilado por todas as culturas é o do Dia de Acção de Graças.
Pode parecer que não tenho muito para agradecer, estou numa situação complicada, com os meus dois pais de baixa médica, com o meu gato doente (tive que ir outra vez ao veterinário com ele), partilhas que não se resolvem, amigos e familiares longe, etc e tal! Mas, bem lá no fundo, não me faltam agradecimentos a fazer. Tenho comida, roupa, cama, mantenho os velhos e fiz novos amigos, apesar de tudo temos conseguido ultrapassar as más vibrações, tenho encontrado muita gente má mas também tenho encontrado gente muito boa e, mais importante que tudo, estou viva :)
Aproveito também para agradecer a todas as meninas que votaram no Colchão de noiva. Fiquei em segundo lugar e acho que ganhei um livro. Ainda não sei qual mas, como gosto muito de livros, fiquei contente ;)

Então, celebremos com tarte de abóbora que, apesar de eu não ter colocado muita fé nela, saiu uma bela surpresa. Achei que ninguém ia apreciar e, no fim, todos comeram e repetiram :)

Ingredientes:
3/4 chávena de açúcar
1 1 /4 colher (chá) de canela moída
1/2 colher (chá) de sal
1/4 colher (chá) de gengibre
1/8 colher (chá) de noz moscada
1/8 colher (chá) de cravinho
1 lata de abóbora (usei 400 g de puré de abóbora que fiz em casa)
1 1/4 chávena de leite de soja (usei leite magro)
2 ovos grandes
Massa quebrada* (fiz a minha na MFP)

Preparação:
Numa tigela, misture o açúcar, canela, sal, cravinho, gengibre e a noz-moscada. Adicione a abóbora, leite e ovos. Mexa até estar homogéneo. Ponha a mistura dentro da tarteira forrada de massa quebrada. Coloque no forno a 200ºC por 15 minutos, depois reduza a temperatura para 180ºC e retire quando o centro da tarte estiver cozido (insira uma faca para verificar, se sair limpa, está pronto), cerca de 45 minutos no forno. Coloque numa grade para arrefecer e sirva fria.


*Massa quebrada doce na MFP:
330 g de farinha tipo 55
125 g de manteiga amolecida em cubinhos
100 g de açúcar
50 ml de água

Coloque a farinha, manteiga e o açúcar na máquina e seleccione o programa "massa". Vá adicionando a água e mexa com uma colher de pau nos cantos. Deixe amassar por 15 minutos e retire. Está pronta a usar :) Simples, maleável e muito boa!

Notas:
Retirei a receita da massa quebrada do fórum da amizade.
Esta massa quebrada dá para fazer duas tartes. Assim, aconselho a fazer só metade da receita.
Usei uma forma de tarte de 23 cm de diâmetro mas acho que fica melhor numa forma mais pequena, porque fica mais altinha.
Esta tarte fica bem mole e húmida, mesmo ao meu gosto (esta frase não soa lá muito bem, mas levem-na pró sentido culinário do termo, ok? Não sejam perversas!).

Yellow Pumpkin, estás a ver como eu te dou bom uso? he he
publicado por Ameixinha às 10:33 | link do post | comentar | ver comentários (73) | partilhar
Quinta-feira, 12.11.09

Tarte fine aux pommes

Um nome pomposo para uma tarte super simples :)
Mais uma da Nigella e mais uma que fiz para o dia do meu aniversário! Comeu-se todinha porque, nesta casa, somos fãs incondicionais de tartes de maçã, sobremesas com maçã, maçanadas, maçãs cozidas, assadas e ao natural.
Dizem que uma maçã por dia mantém o médico longe. Não tem resultado muito mas, pode piorar se deixarmos de comer, então insistimos :)

Há algo que me agrada na Nigella, a praticidade das receitas. Conheço-a apenas do livro que tenho e não da Tv. Não sei se faz caras feias e estranhas ao cozinhar, sinceramente, pouco me interessa. O importante é que eu compre o livro, consiga fazer as receitas que lá estão e que me agradem.
A minha foto é uma vergonha ao pé da do livro... mas o sabor foi excelente!
Ora aí vai :)

Ingredientes:
2 maçãs Granny Smith grandes (ou 3 pequenas)
sumo de 1 limão
1 folha de aprox. 375 g (40x23 cm) de massa folhada comprada pronta, descongelada (usei refrigerada)
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de manteiga
créme fraîche para servir, se desejar

1. Pré-aqueça o forno a 220 ºC /gás 7.

2. Retire o caroço às maçãs e corte-as ao meio. Deite o sumo de limão num prato grande e raso e acrescente um pouco de água fria. Mergulhe as metades de maçã na água com limão; isto impede-as de escurecerem.

3. Estenda a folha de massa folhada num tabuleiro de ir ao forno forrado e, com as costas de uma faca ou com uma régua de metal, marque um rebordo de 1 cm a toda do rectângulo. Deve marcar esta linha na massa folhada e não cortá-la. Isto permite que este rebordo suba acima do nível de recheio.

4. Retire as metades de maçã da água com limão e seque-as. Corte cada metade em quartos e fatie cada quarto o mais fino possível: imagine bolachas finas.

5. Polvilhe a base com uma colher de açúcar. Trabalhando a partir da margem interior, coloque as fatias de maçã, sobrepondo-as, dentro dos limites do rebordo. Forme linhas direitas de maçã até a massa estar coberta.

6. Aqueça a manteiga com a restante colher de açúcar numa pequena caçarola e deixe-a ferver alguns minutos, até ficar cor de caramelo-claro. Regue as maçãs com este xarope e coloque a tarte no forno.

7. Coza durante 20-25 minutos, altura em que um rebordo de massa folhada deve ter crescido à volta das maçãs e a fruta deve estar macia e levemente alourada. Corte em quadrados ou fatias.

É algo que agrada a toda a gente, não enjoa, fica bonito na mesa, não pesa muito na balança, logo não pesa na consciência, é impossível correr mal, ou seja, tem tudo para dar certo e ser apreciado :)
Não servi com créme fraîche, porque o Outono já está fresco o suficiente. Quem quis, comeu assim e ainda lambeu os dedos. É que a tarte tem um nome fino e pomposo mas sabe bem é comer à mão, lamber os dedos e os beiços no fim... mesmo à lambão, sem frescurices à mistura ;)

tags: ,
publicado por Ameixinha às 09:30 | link do post | comentar | ver comentários (91) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...