Domingo, 08.06.14

Sobremesa gelada de morangos

 

 




Dizem por aí os entendidos que, muito em breve, vamos ter tanto calor que vamos desejar - eu sei que vou - dias de inverno rigoroso. 

Em jeito de preparação, deixo-vos uma receita fresquinha com uma cobertura extraordinária, apropriada para enfrentar dias abafados. 

É época de morangos e tenho visto muita gente a colher os pequenos frutos sumarentos dos seus canteiros. Infelizmente, os morangos aqui de casa não são em grande quantidade e tamanho, por isso usei morangos de compra.

Imagino esta sobremesa com outras bagas e até, loucura, com uma mistura de frutos do bosque. Um bosque fresco e acolhedor.

Já estou a stressar com o calor que ainda nem chegou. Já me sinto asfixiada pelo bafo morno, pelos pólens no ar, pelos insectos malucos a esvoaçar à minha frente e por gente que desconhece o uso de desodorizante. Humm, pelo menos vou poder dar uso à cambada de vestidos e saias que repousam no armário. Stressada, mal humorada mas bem vestida, ou despida... já nem sei :)

 

Boa semana!




 

 

Ingredientes:

1 chávena de farinha de arroz

1/4 chávena de açúcar amarelo

1/4 chávena de nozes partidas

1/2 chávena de manteiga derretida

 

2 claras de ovo

1/2 chávena de açúcar

1 1/4 chávena de natas

2 colheres (sopa) de sumo de limão

2 chávenas de morangos cortados e esmagados

 

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Junte a farinha, açúcar, nozes e manteiga e espalhe bem numa forma. Leve ao forno para dourar, cerca de 20 minutos. Mexa algumas vezes. Deixe arrefecer.

Bata as claras com o açúcar até ficar merengue.

Bata as natas até formar picos suaves.

Combine as natas com as claras, sumo de limão e os morangos.

Prepare uma forma e espalhe 2/3 da cobertura na base. Coloque a mistura de natas por cima e salpique a superfície com a restante cobertura. Leve a congelar por cerca de 3 a 6 horas. Retire 15 minutos antes de servir.

 

Receita adaptada do blog She wears many hats.

publicado por Ameixinha às 23:32 | link do post | comentar | ver comentários (10) | partilhar
Quarta-feira, 07.08.13

Manjar de avelã



Prepare o seu coração, para as coisas que eu vou contar, vem-me tudo do coração e pode não lhe agradar :)

Pois é, o blog está meio morto há 2 meses e não, não aconteceu nada de grave. Apenas tivemos uma onda de calor que me matou o Tico e o Teco, os únicos neurónios que ainda iam funcionando em condições; o meu gato desapareceu durante uma semana e veio meio desgraçado; entretanto tive que adaptar a minha dieta sem lactose e sem glúten, e nem todas as receitas ficam "blogáveis"; por isso, fui adiando a actualização do blog.

Mas eis que, do nada, as palavras começaram a viajar-me na cabeça, que está inane, - sim, descobri esta palavra nova e apaixonei-me por ela - despolotada por situações quotidianas que me tiram do sério, e senti necessidade de partilhar as minhas mágoas, angústias e intolerâncias. Agosto é o mês adequado para isso porque, como já disse, não sou fã de sol, nem de praia, nem de estupidezes que é o que mais se vê neste mês tão lindo. Despertou a revolucionária que há em mim e comecei a sentir como que um fogo aceso encerrado nos meus ossos e, nas próximas postagens, pretendo libertá-lo ao mundo. Já escrevi tanta coisa e ainda não "disse" nada. Isto vai ser como as séries que nos prendem a atenção no fim e ficamos ansiosos à espera do próximo capítulo, ou não.

No entanto, eu não me sinto na obrigação de actualizar o blog, até porque cada vez mais há blogs com muita qualidade e eu não sinto que o meu venha acrescentar grande coisa à blogosfera, mas cá estarei, nas minhas verborreias escritas, sempre que uma coisinha má me passar de um hemisfério cerebral para o outro. E não, as minhas estórias não têm importância nenhuma, são tão inanes quanto o cérebro que as cria, mas podem ser divertidas e é isso que as pessoas inanes querem, não é?

Já foram ver que palavra é esta ao dicionário? Inane é aquilo que este manjar não é, garanto ;) Porque para amarga basta a vida, vamos lá adoçar o bico!





Ingredientes:

 

4 folhas de gelatina

120 g de açúcar

50 g de farinha maisena

2 dl de leite de coco

5 dl de leite de soja

100 g de avelã triturada grosseiramente

1 tablete de chocolate

 

 

Preparação:

Salpique a forma com água fria e guarde-a no congelador.

Mergulhe as folhas de gelatina em água fria.

Misture ao açúcar com a farinha maisena e junte o leite de coco, envolvendo bem.

Misture o leite.

Adicione as avelãs trituradas e leve ao lume para espessar. Retire e dissolva as folhas de gelatina escorridas.

Verta a massa na forma e deixe arrefecer antes de colocá-la no frigorífico.

Retire quando estiver firme. Decore com o chocolate derretido em banho-maria, com a ajuda de um cartucho de papel ou saco plástico cortado na

ponta.

 

Notas:

Receita adaptada da revista Segredos de Cozinha nº864

Usei leite de soja e avelãs mas podem substituir por leite de vaca e amêndoa.

 

sinto-me:
música: Disparada - Zizi Possi
publicado por Ameixinha às 21:26 | link do post | comentar | ver comentários (24) | partilhar
Segunda-feira, 25.04.11

Tiramisu


No livro "The Chocolate and Coffee Bible", de onde eu retirei esta receita, vem a descrição do nome Tiramisu. Diz que o nome desta sobremesa clássica é traduzido para algo como "pick me up" que em português do norte é como quem diz: "Alevanta-me filho que eu a modos que me sinto a desmaiar e estou a ver-me a bater com a testa na bancada da cozinha" :) E continua por dizer que, o nome deriva do facto de a sobremesa ser tão boa, tão boa que faz, literalmente, alguém sentir-se a desmaiar quando a prova.
Não querendo exagerar, até porque nunca desmaiei e ainda não cheguei ao ponto de bater com a testa na bancada, Tiramisu é mesmo um clássico que sabe bem em qualquer altura e que, não levando ovos, fez com que me levasse a prepará-la mais prontamente.

Ingredientes:
225 g de queijo mascarpone
25 g de açúcar em pó
150 ml de café forte, frio
300 ml de natas
45 ml/ 3 colheres (sopa) de licor de café
115 g de palitos la reine
50 g de chocolate negro
cacau em pó, q.b.

Preparação:
Unte uma forma de bolo inglês e forre-a com película aderente.
Coloque o mascarpone e o açúcar numa bacia grande e bata por 1 minuto. Adicione 2 colheres (sopa) do café frio e mexa bem.
Bata as natas com 1 colher (sopa) do licor até obter picos suaves. Adicione uma colher à mistura do mascarpone, envolva e depois vá adicionando o resto.
Deite metade da mistura na forma e alise a superfície.
Coloque o resto do café juntamente com o licor num prato sopeiro e "demolhe" aí metade dos biscoitos (apenas de um lado). Coloque-os por cima da mistura de mascarpone apenas numa camada. Coloque o resto da mistura por cima dos biscoitos e alise a superfície.
Demolhe os restantes biscoitos na mistura de café e arranje-os no topo da forma. Se sobrar algum café, espalhe-o por cima dos últimos biscoitos na forma (não aconselho porque vai ficar demasiado líquido). Cubra o topo da forma com película aderente e leve ao frigorífico por, pelo menos, 4 horas.
Cuidadosamente, vire o tiramisu para uma travessa de servir, retirando a película aderente, e salpique-o com o chocolate raspado e o cacau em pó. Sirva cortando em fatias.

Com esta sugestão participo no passatempo "Alquimia de Ingredientes" da minha amiga Ana do blog Eu Mulher. Se bem se lembram, fez agora dois anos em Abril que algumas blogueiras se encontraram pela primeira vez no Porto, para nos conhecermos e para conhecer o casal brasileiro que estava de visita :)

Fez também um ano em Abril que me deram a conhecer o Algarve pela primeira vez, e que consolidei amizades já feitas e outras que se fizeram a sul e que, por incrível que pareça, permanecem até hoje. A todas, o meu carinho e agradecimento por tão bons momentos ;)
publicado por Ameixinha às 21:40 | link do post | comentar | ver comentários (63) | partilhar
Domingo, 19.09.10

Cheesecake de frutos do bosque

Receita vinda directamente de um pacote de gelatina de origem vegetal Gelly-Já - biba a alfarroba!!!- de frutos do bosque.
Aqui há uns tempos decidi que não ia deixar aquelas amoras silvestres serem comidas pelas cabritas. Todos os dias passava pelo caminho e via as amoras penduradas, ninguém as colhia e as cabras, se comiam os limões ali perto, em breve chegariam às amoras.
Envergonhada, pedi à minha mãe que me acompanhasse, caso aparecesse alguém e me quisesse correr à paulada. Na minha mãe sei que posso confiar, porque a mulher grita ao ponto de levantar um morto :)
Ora porra, num portão ao lado estavam uns senhores trabalhadores e eu já sem saber por onde começar. A minha mãe mete conversa, os senhores dizem que as amoras não prestam. Para comer assim não - diz Amélia com voz decidida - mas em bolinhos ficam muito boas!
Sou pequenina e a minha mãe ainda mais do que eu, os senhores, simpáticos e prestáveis, apanharam algumas das amoras que estavam mais altas. São amoras que nascem das silvas, piquei-me umas quantas vezes mas valeu a pena. Obrigada aos senhores pela amabilidade. Aqui fica o uso dado a algumas das amoras ;)

Triture 150 g de bolachas digestivas. Misture com 30 g de manteiga e espalhe a massa sobre o fundo de uma forma pequena, de mola. Triture 250 g de queijo fresco (usei queijo-creme) batido em creme e adicione 1 pacote de Gelly-Já de Frutos do Bosque diluído em 3 dl de água a ferver. Deite na forma, coloque no frigorífico e deixe solidificar. Enfeite com framboesas, amoras ou morangos e sirva cortado em fatias.

Esta cor remete-me para as centrais nucleares... comida azul é muito esquisita, lembra radioactividade, mas o sabor ficou muito bom. O problema é para aqueles que também comem com os olhos :) Se assim for, sugiro uma gelatina mais "normalzinha", tipo morango ou pêssego.
E para a outra saqueta que vem na embalagem de Gelly-já, sugiro a nuvem que continua a ser a minha favorita para usar gelatina.

Bom Domingo e bom início de semana!
publicado por Ameixinha às 12:50 | link do post | comentar | ver comentários (60) | partilhar
Sexta-feira, 20.08.10

Manjar branco com calda de ameixas


Juro pela minha saúde - e sei que deveria deixar de o fazer, porque a coisa anda complicada e tudo que é bactéria, fungo e manhosice, aproveita-se de mim - que tinha uma fotografia da fatia do manjar, mas não faço ideia onde foi parar. Ou o computador comeu-a ou, com a bela memória com que ando, apaguei-a antes de a passar para o computador.
Seja como for, o manjar é igual por dentro e por fora, basicamente branco :)
Nunca tinha provado, não tinha leite de coco em casa mas, quando me dá a teimosia, a coisa ou vai ou vai mesmo! Fiz leite de coco caseiro com coco ralado e água e pus mãos à obra. De facto, este manjar tem o nome mais apropriado que poderia porque é, sem dúvida alguma, um manjar. Uma maravilhosa especialidade brasileira que passou a fazer parte da lista de sobremesas cá de casa.
Uma delícia gelada que sabe muito bem neste Verão intenso de 2010. Segui a receita que vi numa revista "Delícias da Culinária" nº11 de 2009.

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
2 e 1/2 lata de leite (use a lata de leite condensado vazia para medir)
1 lata de leite de coco (200 ml)
1/2 chávena de farinha maisena

Calda (fiz só meia receita):
1 chávena de açúcar
1/2 chávena de água
200 g de ameixas secas sem caroço

Preparação:
Numa tigela, misture o leite condensado, o leite, o leite de coco e a farinha maisena. Leve a lume brando, mexendo sempre, até engrossar. Retire, despeje numa forma molhada e leve ao frigorífico por 4 horas.
Prepare a calda dissolvendo o açúcar na água. Leve a lume brando, sem mexer, por 5 minutos. Despeje as ameixas e cozinhe por mais 10 minutos ou até a calda engrossar ligeiramente e as ameixas incharem. Deixe arrefecer e leve ao frigorífico (não fiz isto porque queria a calda mais fluída). Desenforme o manjar e sirva em fatias acompanhado da calda.

Onde raio foi parar a fatia é que eu não sei!

Falando de outro assunto, queria avisar que tinha mais de uma centena de pedidos de amizade no Facebook que recusei/ignorei, simplesmente porque não conheço as pessoas/nomes. Peço desculpa, mas não dá para aceitar gratuitamente amizade de pessoas que não conheço. Por isso, queria pedir que, ao enviarem o pedido de amizade, deixem uma pequena mensagem a dizer quem são e se me conhecem do blog ou de outro lado. Eu agradecia, até porque me custa recusar amizades sabendo que podem ser de leitores do blog.

Obrigada e bom fim de semana a todos!
publicado por Ameixinha às 17:25 | link do post | comentar | ver comentários (62) | partilhar
Domingo, 11.07.10

Mango fool com cardamomo

Aproveitando o calor antes dele se ir embora de vez! Felizmente as temperaturas baixaram mas andamos na casa dos 30ºC e as sobremesas frescas são as que melhor sabem.
Não consegui perceber se o Mango Fool é uma bebida ou se é um doce de colher, mas sei que é bom e no calor sabe muito bem!
Baseei-me numa receita que vi aqui e apeteceu-me testá-la logo, já que tinha polpa de manga para usar, o cardamomo também me despertou uma certa curiosidade.
O único problema (há sempre um) é que eu bem tentei bater as natas, mesmo depois de terem estado no congelador junto com a tigela e as pás da batedeira, mas as gajas não se queriam pôr de pé. Pelos vistos não são só as pessoas que sofrem com o calor, a comida também faz greve nestes dias :)
Não ficaram batidas e eu acabei por juntar uma colher de chá de agar-agar. Ficou bem cremoso, achei que a gelatina ia deixar a sobremesa mais presa, acabou por não acontecer. Supostamente é mesmo para ficar cremosa, não é?
Então cá está... mango fool. Pelas fotos dá para perceber que ainda não acertei bem com a maquineta :) A primeira está um bocadito "exógerada" na cor, a última assemelha-se mais à realidade!

Ingredientes:
4 mangas médias (ou puré) - usei cerca de 2 chávenas de puré de manga
3 colheres (sopa) de açúcar granulado
4 bagos de cardamomo
1 colher (sopa) de sumo de limão
200 ml de natas
1/2 colher (chá) de chai masala (opcional)

Preparação:
Triture/moa o açúcar com o cardamomo (usei a 1,2,3). Junte a mistura ao puré de manga e ao sumo de limão até ficar uma mistura suave.
Bata as natas com o chai masala na batedeira até estarem firmes. Envolva no puré de manga cuidadosamente até estar bem misturado.
Divida o creme por copinhos e leve ao frigorífico por, pelo menos, 5-6 horas.

A frescura do cardamomo com a doçura da manga resultam bastante bem, fica uma delícia especialmente se estiver bem fresquinho. Não tenho chai masala ou masala chai mas, pelos vistos, é possível fazer a mistura de especiarias em casa. Preferi testar só com o cardamomo, quem quiser poderá "enlouquecer" um bocadinho mais o mango fool :)

Bom Domingo e bom início de semana!
publicado por Ameixinha às 11:00 | link do post | comentar | ver comentários (47) | partilhar
Quarta-feira, 16.06.10

Nuvem de amoras

Amoras nem vê-las mas a nuvem está lá... em forma de pudim!

E tal como disse Baudelaire:

"Amo as nuvens... as nuvens que passam... as maravilhosas nuvens!"

Garanto que este tipo de nuvem passa demasiado depressa, num piscar de olhos o prato fica limpinho :) Fiz duas vezes, com um dia de intervalo, e ainda não enjoei. Acho que qualquer sabor de gelatina fica bom, é ao gosto de cada um. Estou tentada a experimentar novos sabores.
Esta receita foi baseada numa sugestão que acompanhava a embalagem de gelatina Royal. Sugerem que se juntem amoras à mistura mas eu não tinha as frutinhas. Foi mesmo simples e, nem por isso, deixou de ficar bom.


Ingredientes:
1 carteira de gelatina de Frutos Silvestres
2 colheres (sopa) de farinha maizena
1/2 litro de leite
5 ovos
5 colheres (sopa) de açúcar

Preparação:
Dissolva a farinha maizena num pouco de leite frio e misture no restante. Bata as gemas com o açúcar e acrescente à mistura de leite. Leve a engrossar em lume brando, mexendo sempre, sem deixar ferver. Retire do lume e dissolva neste preparado a carteira de gelatina. Deixe arrefecer. Misture depois as claras batidas em castelo, envolvendo suavemente. Deite o preparado numa forma passada previamente por água e leve ao frigorífico. Desenforme e decore a gosto.

Nuvens destas podiam cair do céu todos os dias :) Boa semana a todos!
publicado por Ameixinha às 11:15 | link do post | comentar | ver comentários (68) | partilhar
Terça-feira, 07.07.09

Charlotte de Tiramisu

Preciso urgentemente de dizer "Tiramisu daqui, que estou farta de desgraças! Tira-me-isso-como-quiseres: faz defumadouro, fala com os santinhos, desfaz esta má onda, desampara-me a loja, faz trinta por uma linha, mas faz alguma coisinha por esta luz que me ilumina!".
E no fim, só no fim, é que podes comer uma fatia desta charlotte. Sim, agora só na base da chantagem para ver se resulta. Estou cansada de ser boazinha, afinal os maus safam-se sempre, nada lhes pega, por isso não custa tentar :)
Ó Deus, ahhh pois é, agora se quiseres vir aqui comer, só em troca de favores, está na hora de começar a usar as minhas cunhas e, como só te tenho a ti, toma que lá vai disto ;) Só não vendas a alma ao Diabo senão está tudo lixado e só vamos conseguir comer o pão que o Satanás amassou!
Vi esta receita aqui e decidi que tinha que ser feita o mais breve possível, dado o encantamento que estou a passar com o queijo mascarpone. Depois do bolo, a charlotte e veremos o que se seguirá :)
Ingredientes:

Xarope de Café:
1 colher de sopa de café em pó
0,5 colher de sopa de açúcar
125ml de água a ferver
1 colher de sopa de licor de café (usei brandy)
Recheio:
250 g de queijo mascarpone
1,5 colher de chá de extracto de baunilha
3 colheres de sopa de açúcar em pó
2 colheres de sopa de licor de café (usei brandy)
250 ml de natas
Palitos de champanhe q.b.
Chocolate preto q.b.
1. Misture o café em pó com o açúcar e dissolva ambos na água a ferver. Deixe arrefecer. Adicione, depois, o licor de café e reserve.
2. Numa tigela misture o queijo mascarpone, o açúcar em pó, a baunilha, o licor de café e 3 colheres de sopa do xarope de café.
3. Bata as natas e misture-as ao preparado do mascarpone.
4. Forre, lateralmente, uma forma de fundo amovível com palitos de champanhe. Para tal é necessário que corte uma das pontas do palito, com alguma inclinação para que se mantenham em pé. Reserve as pontas cortadas.
5. Mergulhe, sem encharcar, mais alguns palitos de champanhe no xarope de café, um de cada vez, e forre o fundo da forma. Vai ter de cortar alguns de forma a que a base fique bem forrada. Com os pedaços pequenos reservados preencha as falhas.
6. Encha a forma com mais de metade do recheio e espalhe uniformemente. Distribua uma camada de raspas de chocolate preto e logo de seguida uma camada de palitos de champanhe cortados a meio no sentido do comprimento (aqui pode aproveitar as pontas reservadas). Encha o resto com o recheio, suavemente.
7. Leve ao frigorífico pelo menos 4 horas. O ideal é ficar no frigorífico durante a noite.
8. Imediatamente antes de servir decore com raspas de chocolate preto.
Aprovadíssimo, uma sobremesa leve e irresístivel para saborear lentamente - se conseguirem!
Quero agradecer a todos que deixaram comentário no post anterior a desejar que tudo corra bem e a dar força para esta fase passar. Essencialmente prende-se com pessoas doentes cá em casa e, para piorar, o Matias é epileptico. Tive que ir com ele ao veterinário e está medicado. Não voltou a ter ataques desde sexta-feira passada. Creio que é uma boa notícia, agora vamos ver se ele se aguenta bem. É muito raro epilepsia nos gatos mas, como sou uma gaja cheia de sorte, ele veio parar-me às mãos :) Só mesmo a mim!
Obrigada a todos e continuação de boa semana :)
publicado por Ameixinha às 20:00 | link do post | comentar | ver comentários (71) | partilhar
Quarta-feira, 24.06.09

Bolo de Tiramisu

Hoje, a receita é daquelas compridas, com muitos passos e ingredientes. Mas, não se assustem porque vale bem o tempo perdido para fazer este bolo, um dos melhores que já comi e o mais elogiado até hoje pelos provadores oficiais! Depois de verem o que eu vi aqui, será que vão resistir ou deixam-se levar como eu me deixei?

Quanto ao encontro no Porto, estou a dar os últimos retoques no meu relato! Podem ler aqui, aqui e aqui o que as meninas acharam e ver também algumas fotos da Invicta! Eu sou sempre a mesma atrasada mas sairá na próxima postagem, ainda esta semana :)

Agora, aproveitam que ainda está calor, e apreciam este tiramisu-daqui-da-minha-frente-senão-eu-como-tudo he he


Para o bolo:
2 chávenas de farinha
2 colheres de chá de fermento em pó
1/8 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/4 colher de chá de sal
1 1/4 (10 colheres de sopa) de manteiga sem sal à temperatura ambiente (fiz com manteiga com sal e eliminei a quantidade de sal acima indicada)
1 chávena de açúcar
3 ovos grandes
1 gema grande
1 1/2 colher de chá de extracto de baunilha
3/4 chávena de buttermilk

Coloque a placa centrada no forno pré-aquecido a 180ºC. Unte duas formas de 22cm diâmetro redondas com manteiga e farinha, sacudindo o excesso e coloque papel vegetal a revestir o fundo (o meu forno não dá para ter duas formas redondas ao mesmo tempo, por isso levei a massa a cozer toda de uma só vez, mas não fica igual. Se puderem façam como a receita pede).

Misture a farinha, o fermento, bicarbonato e o sal. Com a batedeira, bata a manteiga a velocidade média até estar suave e cremosa. Junte o açúcar e bata por 3 minutos. Adicione os ovos, um a um e depois a gema, batendo por 1 minuto entre cada adição. Agregue a baunilha, não se preocupe se a mistura parecer estar coalhada. Reduza a velocidade da batedeira e junte os ingredientes secos alternando com o buttermilk, junte os ingredientes secos em três partes e o buttermilk em duas (comece e termine com os ingredientes secos); raspe os lados da bacia/tigela para baixo e misture até que os ingredientes desapareçam na massa.
Divida a massa pelas formas em quantidades iguais e alise a superfície com uma espátula. Leve ao forno por 28-30 minutos, quando estiver pronto estarão dourados e ocos ao toque. Inserindo uma faca dos lados ela sairá limpa.
Transfira os bolos para uma rede e deixe arrefecer por 5 minutos. Depois desenforme e deixe arrefecer à temperatura ambiente.

Para o extracto de café:
2 colheres de sopa de café solúvel
2 colheres de sopa de água a ferver

Misture o pó com a água e reserve.

Para a calda de café:
1/2 chávena de água
1/3 chávena de açúcar
1 colher de sopa de amaretto, kahlua ou brandy (usei brandy)

Numa tigela pequena, misture a água e o açúcar e leve a ferver. Coloque a calda numa tigela à prova de calor e misture nela uma colher de sopa do extracto de café e o álcool, reserve.

Para o recheio e cobertura:
1 pacote de mascarpone (250 gramas)
1/2 chávena de açúcar em pó, peneirado
1 1/2 colher de chá de extracto de baunilha
1 colher de amaretto, kahlua ou brandy (usei brandy)
1 chávena de natas
75 gr de chocolate em pepitas (podem usar granulado de chocolate ou chocolate cortado em pedaços pequeninos)

Coloque o mascarpone, o açúcar, a baunilha e o álcool numa tigela e misture até estar suave. Com a betedeira ou fouet, bata as natas até formar picos firmes. Com uma espátula de borracha (eu não tenho, foi mesmo de colher), junte 1/4 das natas ao mascarpone. Vá juntando o resto das natas ao mascarpone com toques suaves.


Montagem:

Caso faça o bolo numa forma só ao mesmo tempo, corte a meio.
Com um pincel, ensope a parte de baixo do bolo com 1/3 da calda de café. Por cima coloque algum creme de mascarpone - cerca de 1 1/4 de chávena - e pressione as pepitas de chocolate no creme. Na outra parte do bolo coloque metade da calda de café. Depois vire o lado ensopado por cima do recheio de mascarpone. Ensope o topo do bolo com o resto da calda de café.

Para a cobertura, junte o resto do extracto de café no restante mascarpone. Prove até decidir quanto extracto quer usar. Se a mistura parecer demasiado mole, leve ao frigorífico coberta com película aderente por 15 min. Refrigere o bolo também.
Com uma espátula de metal, vá colocando a cobertura nas laterais do bolo e no topo. Refrigere por 3 horas ou até 1 dia antes de servir.
Antes de servir polvilhe o topo com cacau.

No blog de onde tirei a receita existe um passo a passo. Podem lá ir ver que é mais fácil de entender.

Nota: O Creme de mascarpone fica tão bom que a minha mãe me pediu para não o usar todo na cobertura, aproveitando para comer o resto às colheradas :) Usei também um resto de amêndoas laminadas que tinha para "forrar" as laterais.
É uma sobremesa trabalhosa mas pode ser feita por etapas e pode ser feita até 1 dia antes de ser comida, o que ajuda bastante! Foi o que eu fiz :)
Desde que o fiz, que me perguntam todos os fins de semana se há daquele bolo que leva aquele queijo :)


A tradução é minha e é livre. Caso existam dúvidas, não hesitem em enviar um mail que eu terei todo o gosto em esclarecer!
publicado por Ameixinha às 17:00 | link do post | comentar | ver comentários (70) | partilhar
Sexta-feira, 12.12.08

Charlotte de Chocolate


Tenho esta charlotte programada para fazer desde 2001. Foram muitos anos de espera porque, nessa altura, não tinha uma forma de abrir e fui adiando a receita. Depois surgiram outras revistas, livros e fui fazendo outras coisas. Só este ano comprei uma forma de abrir e, agora que o Natal está à porta, retornei às revistas que têm receitinhas desta época e encontrei esta Charlotte à minha espera.

Nas informações dizia que era uma receita difícil e dispendiosa e isso seria o suficiente para me levar a não fazer nada. Mas reli a receita e não encontrei dificuldade nenhuma nem achei que fosse muito dispendiosa. Para mim não foi, porque o chocolate que usei foi oferecido e omiti os frutos cristalizados que eu não gosto nada.

Achei-a super fácil de fazer e fica com um visual bastante bonito. É uma Charlotte de Natal porque são inseridos os frutos cristalizados mas podem ser omitidos e, vira uma Charlotte para um aniversário ou uma sobremesa de fim de semana. Enquanto preparava os ingredientes pensei em juntar frutos secos e ficaria uma Charlotte de Natal perfeita para mim. Mas como era a primeira vez que a fazia, queria ver se ficava saborosa e bonita para não desperdiçar os frutos que, nesta altura do ano, são bastante caros.


Ingredientes:
400g de palitos La Reine (usei 250g mas acho que depende da forma de bolo que se usa)

125 de tablete de chocolate (a minha tinha 52% mínimo e é especial para mousses e trufas)

4 ovos

1 colher (sopa) de gelatina em pó (pode ser substituída por 3-4 folhas de gelatina)

150g de açúcar

75g de frutas cristalizadas muito picadinhas (não usei)

Açúcar em pó para polvilhar

Chocolate granulado, chantilly, frutas para decorar (opcional)

Papel vegetal


Preparação:

1. Forre com uma rodela de papel vegetal o fundo de uma forma de charlotte ou uma redonda lisa, de preferência de fundo amovível. Sobre o papel, forre o fundo da forma com palitos la reine cortados à medida e em diagonal, encostando-os bem. Forre depois a parede vertical com palitos só aparados na altura, se necessário. Se for preciso, reforce o centro do fundo com os restos picados.

2. Leve o chocolate a amolecer em banho-maria. Se estiver muito rijo, pode adicionar-lhe 2 ou 3 colheres de leite (eu não precisei). Junte-lhe depois as gemas e a gelatina, previamente bem dissolvida com metade do açúcar num pouco de água quente, e bata muito bem.

3. Bata depois as claras em castelo bem firme e adicione-lhes o açúcar restante aos poucos e batendo continuamente. Misture-as cuidadosamente no chocolate e, se as houver, junte as aparas dos palitos e as frutas cristalizadas.

4. Deite o preparado na forma, apare os palitos em volta em altura adequada e deite essas aparas sobre o creme da charlotte. Guarde a charlotte no frigorífico durante algumas horas até prender (minimo 4 horas).
5. Depois de "presa", retire, desenforme e polvilhe com açúcar em pó. Se quiser, pode decorar com chantilly e frutas, ou com chocolate granulado.



Sem dúvida alguma que vai estar presente na mesa de Natal! Da próxima vez vou usar uma forma de bolo mais pequena para que a Charlotte fique maior em altura. Também vou juntar frutos secos e ver se fica tão bom quanto eu estou a imaginar :)


Tenho mais uma sugestão literária aqui no blog da Academia dos Livros. Depois de Boris Vian, Vinicius de Moraes com muita poesia!


Bom fim de semana a todos!


Receita retirada da revista "Tele Culinária, nº 1185"
publicado por Ameixinha às 21:31 | link do post | comentar | ver comentários (58) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...