Quarta-feira, 16.10.13

Pão com sementes de papoila sem glúten



O homem não vive somente de pão, graças a Deus :) Por isso, todos os dias, tenho feito os possíveis por agradecer todo o alimento que me vem parar ao prato. Todos os dias me lembro que o pão que temos, não chega a todos. Todos os dias sei que há pão que vai parar ao lixo, quando poderia alimentar nações. Todos os dias muitos de nós comem o pão que o iníquo amassou. O pão que nós amassamos é mais pão, é mais nosso.

Hoje eu tenho pão para comer, amanhã não sei. Por estas e mais razões, eu sou grata pelo pouco que tenho e pelo muito que esse pouco me faz feliz. É certo que ontem comia qualquer pão, tinha mil variedades para escolher; hoje, entre as variações possíveis, ele é sem glúten. Embora não seja melhor, ele faz melhor. O que faz melhor, só pode ser bom para nós. A minha esperança é que, um dia, em breve, seja feito o milagre da multiplicação, elevado à escala mundial. O mundo há-de ser um lugar melhor, se vivermos numa aldeia global com forno comunitário e se nos alimentarmos todos do mesmo pão, seja sem glúten ou não ;)

É uma luta imensa e dolorosa esta de viver num mundo que oferece de tudo, em que tudo está disponível à distância de uma prateleira e que, aqueles que são celíacos e intolerantes, quase são obrigados a recusar o que queriam poder saborear. A eles estendo este pão e deixo o meu mais sincero respeito. Ir ás compras e tentar encontrar produtos sem glúten, é uma verdadeira batalha. Já experimentaram ler os rótulos daquilo que comem? Experimentem e vão ficar alarmados com as quantidades de farinha que nos impingem, em produtos que nunca imaginaríamos ;)

 

 

Poppy seeds gluten free bread

(adaptado de Kitchen fun)

 

400 g de farinha sem glúten (usei Schar Mix B)

50 g de farinha de milho

50 g de farinha de grão de bico

2 colheres (chá) de fermento para pão

1 colher (chá) de sal

40 g de sementes de papoila

300 ml de leite morno sem lactose

200 ml de água morna

 

Preparação na máquina de pão:

Coloque primeiro os líquidos, depois os sólidos e ligue no programa "massa".

Depois de terminar, retire para uma forma de bolo inglês e deixe levedar novamente num sítio aquecido.

Leve a cozer com o forno no máximo, durante os primeiros 5 minutos, depois reduza para forno-médio e coza durante cerca de 30-45 minutos. 

Retire e desenforme.

 

Preparação manual:

Coloque o sal no fundo de uma tigela, junte a farinha, as sementes e o fermento (cuidado para que o fermento não entre em contacto com o sal). Misture, adicione os líquidos um pouco de cada vez e vá misturando. Use a batedeira elétrica para bater a massa durante cerca de 5 minutos. Coloque a massa numa forma untada, cubra com um pano limpo ou película aderente e deixe levedar novamente. Leve ao forno tal como indicado acima.

 

Notas:

A receita original pedia sementes de linhaça e de girassol.

Podem fazer o pão com farinha normal, mas diminuam a quantidade de líquidos.

O pão sem glúten não se aguenta bem à temperatura ambiente, eu corto-o em fatias e congelo, torrando-o quando quero consumir.

Com este pão participo na 8ª edição do World Bread Day.

Quarta-feira, 01.06.11

Bastonetes de mostarda


Aqui está uma receita fácil, bonita e rápida, na minha mais modesta opinião. A minha vontade de fazer nadinha, continua, muito devido ao calor. Compilei forças para o encontro de Sábado passado, do qual não vou falar agora porque quem não foi que fosse, pois ficava logo a saber o que se tinha passado :)
Esta receita fica na categoria das entradas e, mal eu saí de casa para trabalhar... nunca mais vi nenhum. Cheguei ao fim do dia e ainda me perguntei pelos bastonetes de mostarda mas, os dois manhosos que ficaram em casa, acabaram com eles em três tempos. Ou seja, é uma entrada que teve saída ;)

Ingredientes:
1 rolo de massa folhada
Mostarda Dijon q.b.
1 ovo
sal marinho ou sementes (usei sementes de gergelim pretas)

Preparação:
Estenda a massa folhada e passe a mostarda apenas numa metade, deixando as margens sem mostarda. Dobre a massa ao meio e fatie, cortando tiras da largura de um dedo, usando um cortador de pizza ou de massas. Bata o ovo com um pouco de água e pincele sobre os bastonetes, salpique sal ou sementes. Leve ao forno pré-aquecido a 200º C por cerca de 15 minutos, ou até que a massa esteja dourada.


A receita vi-a no French Made Easy da Dorie e, com ela, participo no desafio Alquimia de Ingredientes que aceita sugestões com mel ou massa folhada.

Notas:
Podem usar a quantidade de massa folhada que entenderem. Eu usei uma já pronta a desenrolar, mas redonda. As rectangulares são mais apropriadas para esta receita. Usei o papel vegetal em que elas estão enroladas para levar ao forno, não precisando de untar o tabuleiro.

Miúdas de Lisboa e arredores, aproxima-se muito rapidamente encontro na capital. Precisava de saber quem está interessado em comparecer para combinar melhor as coisas. Por favor, enviem-me e-mail, ok?

Continuação de boa semana!
Domingo, 13.03.11

Pão de leite com sementes de sésamo pretas


Numa das minhas últimas visitas à capital, chegando bem tarde e sem ter jantado no comboio, fui recebida com um "Já jantaste? Tens fome? Que queres comer? Tenho isto, isto e isto. Escolhe, anda lá que ainda temos muito que preparar!"; ao que respondi: "Ah e tal, eu até nem tenho muita fome, qualquer coisa serve."
Em cima da bancada estava um pão integral biológico revestido de sementes de papoila e havia queijo. Só poderia querer uma fatia disto combinada com uma fatia daquilo :) Mas foi uma espécie de fatia puxa fatia e, entre palavras puxam palavras, fui enfardando pão e queijo até ser chamada à atenção: "Maria Ameixa, pára de comer e ajuda-me a 'desencarquilhar' o manjericão que está a entupir o funil!"
Na manhã seguinte, rumamos à loja de produtos biológicos e viemos de pão fresco debaixo do braço. Um acompanhou-me na viagem de volta ao Norte. 
Há pães que não se esquecem, acolhidas que permanecem e amizades que se transcendem :) Carlota, este é para ti, mudam as sementes mas o essencial está lá!

Ingredientes:
3 chávenas de farinha tipo 65
3 chávenas de farinha tipo 55
1/4 chávena de açúcar
1/4 chávena de manteiga
2 + 1/4 colher (chá) de fermento instantâneo (usei fermento de padeiro fresco)
1 colher (chá) de sal
1 ovo, batido
2 1/2 chávena de leite
1/4 chávena de sementes de sésamo pretas

Para cobrir:
1 clara
sementes de sésamo q.b.

Preparação:
Aqueça o leite sem ferver e adicione-lhe o açúcar e a manteiga. Permita que a manteiga derreta. Deixe arrefecer e misture-lhe o ovo batido, mexendo com uma colher de pau. Junte a farinha tipo 55, sal e o fermento. Mexa até ficar suave e deixe descansar por 10 minutos. Junte as sementes. Comece a adicionar a farinha tipo 65 e, à medida que for engrossando, passe-a para uma superfície enfarinhada, amasse por 10 minutos e continue a adicionar o resto da farinha aos poucos. A massa começará a ficar suave e elástica. Unte uma tigela com azeite, coloque a massa lá dentro revestindo-a com o azeite, cubra com película aderente e deixe levedar por 1 hora ou até dobrar de volume.
Remova a massa e divida ao meio. Dê a forma que quiser. Bata a clara só até que fique espumosa. Passe a clara pelo pão e role-o em mais sementes de sésamo. Coloque a massa numa forma de pão, cubra e deixe levedar até dobrar novamente de volume, cerca de 1 hora.
Corte o topo dos pães com uma faca afiada. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC por cerca de 30-35 minutos. Retire e deixe arrefecer numa grelha.

Notas:
Como é comum, a capacidade que a farinha tem de absorver os líquidos, muda de país para país. Neste caso, eu tive que adicionar mais cerca de 2 chávenas de farinha até conseguir que a massa ficasse maleável. A minha sugestão é que usem apenas metade do leite e, depois de adicionar toda a farinha e caso seja necessário, adicionem mais leite aos poucos até obter a consistência desejada. 
Também optei por fazer um pão semi-integral, usando 2 das 6 chávenas de farinha integral.
Para facilitar a preparação do pão, fiz tudo na máquina do pão usando o programa "massa" e deixando levedar, omitindo a parte de revestir a tigela com azeite. Depois segui a receita do modo tradicional.
Podem ser usadas quaisquer sementes da vossa preferência. O pão ficou bem mais apetitoso que as fotos mostram e mantém-se fresco e fofo por, pelo menos, dois dias.
Retirei a receita no blog The Knead for Bread.

Bom Domingo e bom início de semana ;)
Domingo, 31.10.10

Pão de sementes integral

Os dias andam negros, pesados, intensos... mesmo a combinar com este pão que vi no blog No Soup For You e que usa o método Bertinet. É um pão diferente na cor e no sabor, muito saudável à conta da utilização das sementes e que, para mim, combina muito bem com compota mas não com manteiga, porque achei que ficava demasiado forte. Para forte basta o vento e a chuva, é preciso amenizar a intensidade das coisas, até mesmo do pão :)

Ingredientes:
200 g de farinha de trigo integral
125 g de farinha multi-grãos: 20 g de sementes de linhaça + 30 g de sementes de sésamo pretas + 20 g de carolo de milho + 55 g de farelo de trigo
175 g de farinha tipo 65
10 g de fermento fresco
10 g de sal fino
340 g de água

Preparação na MFP:
Triture os ingredientes para a farinha multi-grãos numa picadora, repetindo o número de vezes necessárias para obter uma mistura o mais fina possível.
Coloque na cuba as farinhas, desfaça o fermento fresco por cima, junte o sal e a água: seleccione o programa "massa". Quando o programa terminar, retire a massa.

Unte uma forma de pão de 30 cm.
Tombe a massa levedada da tigela para a bancada levemente enfarinhada, suavemente, servindo-se de um rapa-tachos.
Abra levemente a massa num rectângulo, com as mãos. Dobre o lado mais comprido do rectângulo até ao centro e pressione a junção com a base da palma da mão. Dobre o outro lado da massa até ao centro e pressione novamente. Dobre ao meio no mesmo sentido e pressione novamente com firmeza com a ponta dos dedos para selar a junção. Esta operação é que permite concentrar a força da massa numa linha dorsal imaginária. Vire a massa de modo a que a costura fique para baixo.
Pincele a massa com água e polvilhe com sementes. Coloque a massa na forma de pão untada e deixe levedar por mais uma hora (até que dobre de tamanho) coberto por um pano.
Pré-aqueça o forno a 250ºC com um tabuleiro vazio lá dentro. Quando colocar o pão a cozer, deite no tabuleiro uma chávena de água a ferver para criar vapor e obter umas crosta estaladiça. Reduza o forno para 220ºC e coza 10 minutos e depois 30-35 minutos a 200ºC.


Bom Domingo e bom início de semana a todos que por aqui passam!



tags: , ,
Sábado, 22.05.10

Noodles com sementes de sésamo

Porque continua calor, publico esta receita já feita a algum tempo, mas que estava à espera de ser repetida para tirar nova foto!
É uma refeição servida fria, óptima para levar para pic-nics, viagens, praia, campo, para onde quiserem. É também rápida e simples.
Como rende bastante e foi feita numa altura em que estávamos só duas pessoas em casa, eu aqueci-a à hora do jantar mas com queijo ralado por cima e gostei ainda mais do resultado!
Uma sugestão que vi no site da Nigella, só não usei o cebolinho porque não tinha em casa.

Ingredientes:
75 g de sementes de sésamo (usei apenas 50g)
sal q.b.
250 g de noodles
2 colheres (chá) de vinagre de arroz
2 colheres (chá) de molho de soja
2 colheres (chá) de mel
2 colheres (chá) de óleo de sésamo
5 ramos de cebolinho

Preparação:
Toste as sementes de sésamo numa panela limpa sob lume forte, até ficarem douradas e coloque-as numa tigela.
Ponha uma panela de água a ferver e junte algum sal. Coloque a massa e cozinhe por 6 minutos (ou o tempo que sugerir no pacote) até estarem tenros mas não moles. Depois de escorrer passe-os por água fria.
Na tigela que vai servir a massa, junte o vinagre, o molho de soja, o mel e o óleo. Corte o cebolinho e coloque-o com a massa e o molho, juntando tudo para envolver, antes de juntar as sementes de sésamo. Mexa bem.
Deixe a massa repousar por 30 minutos para que os sabores assentem, embora não seja necessário.

Estou tão mole com este calor, que nem consigo escrever mais nada a não ser: bom fim de semana a todos os que por aqui vão passando :)
Sexta-feira, 20.11.09

Pão cacto - Kaktusbrot



Felicitações e muitos anos de vida ao Tertúlia de Sabores!!!
Moira, não te piques. Este pão é em tua homenagem :)
É certo que parece que me pico ás vezes, mas juro que não meto prá veia!
Por este pão até atravesso o deserto (estou a delirar, a ter alucinações, mas juro que não snifei nada. Além do mais, não sou eu que ando a fazer tráfico de pó branco!!!), levo com os espinhos e como tudo como se não houvesse amanhã.

O Tertúlia é "como pão para a boca", é o "pão nosso de cada dia", impossível deixar de lá ir! Caso aconteça, até fico de ressaca. É viciante, porque há blogs que são como droga pahhh! Depois não querem que eu diga coisas manhosas! Portanto, quando conheci o blog, tratei de o ver de cima a baixo e, este pão (cliquem para ver como é lindo), bateu-me forte e guardei a receita para fazer. O tempo foi passando e surgiu esta oportunidade para testá-lo. Está feito, provado e aprovado :)
Neste pão, pico-me com muito gosto!



Ingredientes (fiz meia receita, a receita completa está no Tertúlia):
450 g de farinha tipo 65
1,25 dl de leite morno
1,87 dl de água morna
1/2 pacote de fermento para pão
1/2 colher (sopa) de açúcar
1 pitada de sal

leite para pincelar
2 colheres de sopa de pevides de abóbora
2 vasinhos de barro (ainda tive que andar a esfregar o verdete dos meus he he Depois de os lavar em água corrente sem líquido da loiça, mergulhei-os em água a ferver para matar qualquer tipo de germes)

Preparação:
Numa taça, pôr a farinha, fazer um buraco no meio e pôr o fermento, adicionar os líquidos mornos e amassar cerca de 5/10 minutos. Deixe levedar 30 minutos num local aquecido.
Forre 2 vasos de barro com papel vegetal e coloque uma bola de massa grande e depois uma bola de massa pequena por cima. Pincele com leite e espete as sementes/pevides a imitar um cacto.
Leve ao forno por 25 minutos a 220º C.

Se não gostar de meter a mão na massa e tiver a MFP ao pé ou à mão, use-a. É só meter tudo lá dentro, seleccionar o programa "massa"e deixar até ao fim. Depois retire e molde as bolinhas, colocando-as nos vasos.

A massa fica bem aberta e o pão muito fofinho! Feito em forminhas de queques/muffins também deve ficar muito giro a decorar a mesa. Um pãozinho em cima de cada prato e vão achar que estamos em pleno Sahara :)

Só aparece um vaso na foto, porque o outro foi atacado por outro tipo de germes, nós mesmos, habitantes desta casa.
Desculpem as fotos, foi o melhor que consegui!

Bom fim de semana a todos e não se esqueçam que ainda vão a tempo de homenagear o Tertúlia ;)
Terça-feira, 17.11.09

Pão três cereais

Quando vi este pão no Figo Lampo, tive que o fazer. A primeira tentativa não correu muito bem, culpa da padeira! Mas, se não vai à primeira, vai à segunda e cá está ele com todos os benefícios das sementes e a recomendação da Margarida :)
O gajo até ficou de crista ao alto, sinal que o pão dá uma certa energia he he
Tal como a Margarida me tinha dito, este pão torrado, fica da ponta da orelha... magnífico :)

Ingredientes:
310 ml de água
1 1/2 colher (chá) sal
450 g de farinha 65 (usei 350 de farinha 65 e 100 de farinha integral)
1 1/2 colher (chá) de fermento seco (podem usar fermento fresco)
30 gr de sementes de linhaça
20 gr de sementes de sésamo
20 gr de sementes de papoila

Coloque pela ordem na MFP, seleccione Programa Pão Branco, tostagem média e ligue a máquina.
Deliciem-se!!!

Notas: Poderá ser necessário ajustar a quantidade de líquido ou farinha. Eu diminuí um pouco a quantidade de água.
Diminuí também a quantidade de sementes.
Tal como a Margarida sugere, podem ser usadas outras sementes.

Não há nada como pão quente em dias frios :)
Bom resto de semana e até dia 20, com uma receita para homenagear o Tertúlia de Sabores!
tags: , ,
Sexta-feira, 06.03.09

Challah

Alguém se esqueceu de fechar a porta do céu ou do inferno, não? Está uma ventania que não se pode sair de casa! Eu nem ponho o pé lá fora com medo de ir pelos ares. Ontem achei que tinha que enfiar uns calhaus no casaco para os meus pés continuarem colados ao chão. Abrir o guarda-chuva é um sério risco, sim porque eu já voei devido à abertura indevida de um guarda-chuva. É certo que só pesava 19kg, mas levei um susto de morte e as minhas amigas de turma vieram em meu socorro senão lá ia eu. Fui uma espécie de Mary Poppins por alguns instantes :)
Com este tempinho manhoso, só dá vontade de fazer uns pães para comer quentinhos com um chá ou café! E há algum tempo atrás na minha visita a alguns blogs de língua inglesa encontrei esta receita que me despertou curiosidade. Deixei-a guardada por algum tempo, ganhei coragem e já a repeti! A blogueira deu-lhe o título de Challah (lê-se ralá) para preguiçosos, porque a massa é feita na MFP e eu gostei desse pormenor!
Challah é um pão judeu que é entrançado e servido durante o Shabbath. Comemoram o maná que caiu dos céus quando os Israelitas deambularam 40 anos pelo deserto.

É costume começarem o jantar de sexta-feira e as duas refeições seguintes durante o Shabbath, com a benção sobre duas Challah (duas na sexta e duas no sábado).

Como devem imaginar, eu não sou judaica mas pães deliciosos como este têm o dever de serem partilhados :) E nunca se sabe se é um judeu que me leva e todo o seu amor me faz converter hi hi
Aqui vai a receita livremente traduzida do blog Mastering the art of Kosher Cooking.

1 copo de água

2 gemas de ovos

1 ovo

4 colheres de sopa de manteiga

3 colheres de sopa de açúcar

1 + 1/4 colheres de chá de sal

3 + 3/4 copos de farinha branca (pode ser necessária mais umas colheres de farinha para ligar melhor a massa, aconselho a irem vendo a massa amassar e ir juntando farinha se for preciso)

1 colher de sopa de fermento liofilizado ou 20/25 gr de fermento de padeiro

1 ovo para pincelar a massa (podem aproveitar uma das claras que não foi usada, bater e pincelar a massa com ela, já experimentei e fica igual)

sementes de sésamo e sementes de papoila para decorar


Vai à MFP pela ordem indicada (se usar fermento de padeiro dilua na água morna). Programar "Massa". Depois, retirar da cuba e colocar a massa numa superfície enfarinhada. Divida-a em porções iguais. Uma das Challah entraçei em 5 e outra em 3 partes. Podem fazer apenas um pão de 900 gr com esta receita e podem entrançar como lhes apetecer. Aqui mostra um vídeo de uma Challah entrançada em 6 e aqui em 5, que foi o que eu fiz com uma das partes da massa. A de 3 partes é como fazer uma trança normal de cabelo, acho que não precisa de vídeo :)

Entrançe as partes umas nas outras como mostra nos vídeos e coloque-as num tabuleiro untado (eu usei tapete de silicone).

Bata outro ovo (ou só a clara) e pincele a challah. Salpique com as sementes a gosto. Cubra e deixe levedar por 30 minutos ou até dobrar de volume. Levei ao forno no minimo (o meu forno não tem indicação de temperatura) durante 30-35 minutos.




Segundo a tradição e segundo o que eu fui lendo acerca deste pão Judaico, não se deve misturar leite com carne. Uma vez que este pão é comido às refeições e a carne é o prato principal. Moisés disse: "Não comer o bezerro no leite da mãe". Este pão deve ser partido com as mãos, o meu pai disse que "isto é bom" mas insistia em partir com a faca! Com as mãos ele sai direitinho :)

Todas estas informações foram retiradas da internet, não tenho qualquer documento que comprove cientificamente tudo o que disse. Se tiver algum erro agradeço que me avisem!


Quero agradecer à Alcina o selo que me atribuiu. É bom saber que, quem cá vem, leva um sorriso no rosto! Isso faz-me sorrir também. Por isso, ofereço-o a todas as pessoas que sorriem quando visitam este blog :)

Obrigada a todos!
Shabbat Shalom :)
Sexta-feira, 03.10.08

Bolo de laranja e papoila

Que grande novidade, hein?

A blogosfera culinária está repleta de bolinhos com sementinhas de papoila e eu vou dar mais um contributo... só porque me apetece :)
Sabem aquelas reuniões familiares que acontecem aos Domingos em casa de algum parente?

Pois é, tive uma dessas há umas semanas atrás e uma tia telefonou a perguntar se eu podia fazer um bolinho. Como tinha esta receita para experimentar resolvi fazer, mesmo sem saber se era bom ou não. Eu vivo assim... perigosamente e na corda bamba :)

Resumindo, os familiares que eu só conheci há cerca de um ano porque vivem longe, não sabiam o que eram aquelas coisas pretas no meio da massa. Quando eu disse sementes de papoila, olharam e, desconfiados, perguntaram se isso não era droga. Tão queridos, acharam-me com cara de traficante :)

Depois de provar, aprovaram e até disseram que eu era uma boa menina... Hummm!

E a coisa fez-se assim:

1/2 chávena de sementes de papoila (que "exogero", só pus 1/4 de chávena e chegou muito bem, ainda deixava os parentes todos ganzados e depois como era?)

2/3 chávena de sumo de laranja

185 g de manteiga (usei óleo de soja)

1/2 chávena de açúcar

2 ovos ligeiramente batidos

3 colheres de chá de raspa de laranja

1/2 chávena de farinha de trigo com fermento

1 chávena de farinha de trigo sem fermento


Calda:

2/3 chávena de açúcar

1/3 chávena de laranja

casca de uma laranja
Preparação:

1. Aqueça previamente o forno a 180ºC. Unte uma forma redonda e funda de 20cm com óleo ou manteiga derretida e forre-a com papel vegetal.
Numa tigela, misture as sementes de papoila com o sumo de laranja. Com a batedeira misture a manteiga e o açúcar até obter uma mistura homogénea e cremosa. Junte-lhe os ovos pouco a pouco, um de cada vez, sem parar de bater. Acrescente a raspa de laranja e misture bem

2. Deite a mistura numa tigela grande e, com uma colher de metal, adicione as farinhas e as sementes de papoila peneiradas. Mexa até que os ingredientes se misturem, obtendo uma mistura quase homogénea. Deite-a na forma, às colheradas e alise a superfície. Leve-a a cozer durante 45 minutos ou até que, ao espetar um palito, este saia limpo. Deixe o bolo descansar na forma.

3. Para a calda: num tachinho bata o açúcar e o sumo de laranja. Deixe cozer em lume médio. sem levantar fervura, até o açúcar derreter por completo. Acrescente a casca de laranja cortada em tiras fininhas (ou use aquele utensílio que eu também tenho e que não me lembro do nome- tou a ficar velhota, ok?- que ao passar na laranja já sai as fatias fininhas), leve-as ao lume até ferver e deixe-as cozer destapadas e sem mexer durante 5 minutos. Retire do lume e deixe arrefecer um pouco. Retire a casca de laranja da calda e reserve-a. Deixe a calda arrefecer um bocadinho e espalhe-a por cima do bolo. Deixe o bolo estar na forma até absorver a calda. Desenforme e espalhe as tiras de laranja por cima. Decore com umas folhinhas de hortelã.

E agora vou responder ao desafio que a Nana, a Moonlight, a Odete e a Gina me passaram. O selo já tinha mas o desafio ainda não tinha feito. Obrigada a todas!!! Aqui vai:

A- Alucinada

M- Magricela

E- Extrovertida

I- Impecabele (com sotaque do norte, faxavor!!!)

X- Xiiii... tanta coisa :)

A- Atenciosa.

Bom fim de semana a todas/os!!!



medida da chávena = 250 ml

Receita adaptada do livro "Bolos e Tartes" de Anne Wilson
Terça-feira, 22.07.08

Ameixas secas com feta e sementes de papoila


Eu queria muito participar no novo concurso do portal "Para Cozinhar". Já não tinha participado do primeiro e prometi a mim mesma que ira esforçar-me para participar no seguinte.Isto foi mesmo à última da hora, mas consegui. A minha máquina continua a fazer das dela e não consigo tirar fotos aproximadas porque fica tudo desfocado. Depois de algumas dezenas (sim, dezenas) consegui esta foto para tentar demostrar a delícia da receita :)

Como o tema é "Queijo" e eu adoro queijo, tratei de procurar fazer alguma coisa bonita e com óptimo paladar. E quando andava numa pesquisa de receitas encontrei uma que me chamou logo a atenção. Não só tinha queijo, como também a particularidade de ter o meu cognome ;)
Era simplesmente perfeito. Adaptei aos meus gostos e saiu o que se vê. Espero que gostem da minha singela participação e boa sorte a todos os participantes. Quem levar a tábua que faço bom uso dela :)



Ingredientes (adaptados à quantidade de pessoas)

Ameixas secas
Queijo feta
Oregãos
Pimenta preta
Sementes de papoila
Nougat

Recheei as ameixas com um cubo de queijo feta e espalhei oregãos, pimenta preta e sementes de papoila por cima. Enfeitei com pedacinhos de nougat. Uma entrada deliciosa :)

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar

 

posts recentes

mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...