Sexta-feira, 31.03.17

Marmelos assados

marmelos assados.jpg

Olá gente amiga :)

Hoje há marmelos, marmelos bons! Marmelos da Tessa Kiros... calma, menos! Marmelos à moda dela.

Tudo começou depois de uma visita à Serra da Estrela em novembro do ano passado. Organizadas bem as coisas, achamos que na segunda semana desse mês já haveria neve na serra.

Lá fomos nós, nove pessoas divididas por dois carros, a caminho de um fim de semana na serra, preparadinhos para o frio, roupinha quentinha, alguma comida para o caminho e boa disposição.

Chegamos a Seia com o estômago a roncar, decidimos comer chanfana, estava boa, apesar de ser mal-servida e do atendimento ter sido péssimo. Decidimos nem pedir café nem sobremesa. Para isso fomos a uma pastelaria, pela qual tinhamos passado em frente aquando da deslocação para o almoço. E porquê? Porque quando passei cheirou-me a canela :) O meu nariz não engana e, não só o nome era lindo, como o atendimento, os bolos e o ambiente eram muito agradáveis.

Depois, foi sempre a subir até à torre. Neve? Nada, zero, nenhuma. Frio e vento? Sempre, claro! Aproveitei para comprar meias e pantufas :) Outros atacaram queijos e presuntos.

Toca a descer em direção à Covilhã, porque o nosso hotel ficava no Fundão. O Alambique de ouro, de seu nome, hotel resort de 4 estrelas, com um restaurante premiado, do mesmo nome. Tanto o hotel como o restaurante têm um atendimento maravilhoso, todos muito simpáticos e atenciosos. A comida é saborosa, muito bem servida, só de entradas foi uma farturinha.

Enchi o papo, consciente de que sofreria as consequências da contaminação de glúten. Ainda houve barriga para a sobremesa. A carta era extensa, estava pronta para a minha sobremesa favorita, maçã assada, mas ouvi dizer "marmelo assado" e teve que ser. Estava agradável, mas nada de muito extraordinário que me levasse a pedi-lo mais vezes. Foi nessa hora que achei que eu conseguia fazer muito melhor. Fiz! 

E o resto do serão passei-o agarrada à barriga. Bem feita que é para aprenderes a não ser lambona!

Deixo-vos os marmelos que fiz, uma delícia, muito melhores do que alguma vez imaginei.

 

Ingredientes:

3 colheres (sopa) de uvas passas

4 colheres (sopa) de brandy - usei vinho do porto

4 marmelos

3 colheres (sopa) de nozes, partidas aos pedacinhos

1 colher (chá) de canela moída

100g de açucar amarelo (diminuí para metade)

40 g de manteiga

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180°C. Coloque as passas a macerar com o vinho do porto/brandy.

Corte os marmelos ao meio, deixe a pele e descaroce-os. Coloque num prato/travessa de ir ao forno onde caibam todos ao lado uns dos outros, numa só camada. Coloque as passas no centro de cada metade e salpique o brandy/vinho do porto por cima. Divida as nozes, o açúcar, canela e manteiga pelas metades de marmelos. Junte 250ml de água no prato e cubra com papel de alumínio. Asse por 2 horas, adicionando água conforme for necessário a meio do tempo. Os marmelos devem ficar moles mas sem se desfazer, dourados e com um molho espesso. Sirva morno.

 

A foto está desfocada porque foi tirada com o telemóvel e porque não sei o que fiz às outras fotos! Perdão pela preguiça.

Bom fim de semana ;)

publicado por Ameixinha às 22:11 | link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar
Domingo, 12.02.17

Panquecas P.A.N

DSCN6988.JPGEstimados visitantes,

Não foi fácil publicar.

Esta é para os intolerantes,

Voltei, vamos começar!

 

Pois é, quase um ano passado e eu sem dar sinais de vida. Estou viva, de boa saúde, menos magra um pedacinho, mas muito contente e sempre cheia de fome.

Mesmo sem refrescar o blog, o ano passado a loja zumub contactou-me para experimentar alguns produtos que vendem na loja online. Um dos escolhidos foi este xarope para panquecas da Walden Farms. É completamente livre de calorias e, neste tempinho frio, nada sabe melhor que umas panquecas bem regadas, servidas com marmelos cozidos.

 

Ingredientes para as panquecas

1 chávena de farinha de milho branco P.A.N

7 colheres (sopa ) de farinha de milho amarelo

6 colheres (sopa) de farinha de arroz

1 colher (chá) de fermento

1/2 colher (chá) de sal

2 colheres (sopa) de açúcar amarelo

2 ovos

2 chávenas de leite sem lactose

 

Preparação:

Misture as farinhas com o fermento, sal e açúcar. Adicione os ovos e o leite. Bata tudo até ficar incorporado.

Aqueça uma frigideira, unte com um pouco de manteiga e coloque uma colherada de massa, deixe grelhar e volte-a qauando aparecerem pequenas bolhas na superfície. Deixe grelhar mais um minuto, retire, reseve em lugar quente e repita o processo até terminar a massa. Sirva quente regando com um pouco de xarope.

 

Receita das panquecas em www.pancorn.com

 

Até breve... espero eu :)

 

publicado por Ameixinha às 21:35 | link do post | comentar | ver comentários (6) | partilhar
Segunda-feira, 28.03.16

Cavalas com molho vilão

30-11 013.jpg

 

Da Madeira veio um vilão

E em molho foi feito.

Comeu-se com satisfação,

O peixe ficou perfeito!

 

Ingredientes:

3 ou 4 cavalas

sal q.b.

4 dentes de alho

manjerona ou oregãos

pimenta ou piripiri

salsa e tomilho

3 dl de vinho branco

1 dl de vinagre

azeite para fritar

 

Preparação:

Depois de arranjadas, cortam-se as cavalas em bocados enviesados, que se temperam com sal, alhos picados, manjerona ou oregãos, pimenta ou piripiri a gosto, a salsa picada e um raminho de tomilho.

Regam-se com o vinho misturado com o vinagre e deixam-se marinar por 4 horas.

Escorrem-se e enxugam-se os bocados de cavala e fritam-se no azeite bem quente. Retiram-se e depois de se deixar arrefecer um pouco o azeite, junta-se a marinada. Leva-se novamente ao lume, deixa-se ferver e apurar e deita-se o molho sobre as cavalas.

Acompanha-se com batatas cozidas (batata-doce e semilha).

Receita retirada do livro "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto.

 

 

publicado por Ameixinha às 16:50 | link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar
Segunda-feira, 28.12.15

Fritos de abóbora

30-11 031.jpg

 

Não está fácil! Não está mesmo!

Este ano passou a correr e o blog abrandou. As prioridades são outras. A vida deu uma volta de 180º e eu aproveitei-a.

O ano começou mal, muito mal! Mas ali no meiozinho começou a melhorar. Encontrei-me. Sou eu. Estou feliz. Consciência tranquila. Vontade de chorar de tanta gratidão que sinto!

Há ansiedades que continuam, porque a perfeição ainda não existe. Trabalho-as o melhor que posso e sei. Às vezes não sei nada, é certo :)

Sei que gosto de muita coisa, sei amar quase tudo... ignorar outro tanto.

Continuo a cozinhar muito, fotografo cada vez menos.

Amanhã não sei o que vai ser, a volta que vou dar, onde estarei.

T-u-d-o-m-u-d-a-n-u-m-s-e-g-u-n-d-o.

Quero sempre mudar para melhor. É possível ;)

 

Pumpkin fritters (apples for jam from Tessa Kiros)

500 g de abóbora

40 g de farinha schar mix b

uma pitada de bicarbonato de soda

2 ovos, ligeiramente batidos

4 colheres (sopa) de açúcar

1 colher (chá) de canela moída

manteiga, para fritar

 

Preparação:

Limpe e corte a abóbora e leve a cozer por cerca de 15 minutos. Coe e drene bem a abóbora. Coloque numa tigela e faça-a em puré. Deve obter cerca de 1 chávena de puré.

Adicione a farinha, bicarbonato, ovos, 1/2 colher (chá) de sal e uma pitada de pimenta moída na hora, e misture bem. Coloque o açúcar e a canela num pequeno prato de misture-os.

Aqueça um pouco de manteiga numa frigideira antiaderente, o suficiente para cobrir o fundo, e em lume médio frite colheradas da massa. Deixe-as assentar e, só depois, vire-as para que fritem do lado oposto. Retire da frigideira e coloque em papel de cozinha para absorver excessos de manteiga. Passe pela mistura de açúcar e canela e sirva.

publicado por Ameixinha às 22:09 | link do post | comentar | ver comentários (8) | partilhar
Domingo, 11.10.15

Bolo de maçã com cobertura

30-08 027.jpg

O Verão terminou com um  gafanhoto a saltar para cima de mim. E eu, no meio da rua a sacudir a saia, qual dançarina de flamenco! Finalmente o outono chegou com tantas coisas boas, tantas cores lindas, tantos aconchegos. Do doce de figo, ao doce de abóbora com coco, este domingo termina com bolo... porque a chuva, pede sempre bolo! Adios, gafanhotos! Olé!

 

Ingredientes:

100 g de açúcar

150 g de manteiga amolecida

2 ovos

100 g de farinha sem glúten mix B Schar

1 colher (chá) de bicarbonato

1 colher (chá) de fermento

1/2 colher (chá) de canela moída

400 g de maçãs, descascadas e raspadas grosseiramente

60 g de nozes partidas (não usei)

1 colher (chá) de extracto de baunilha

 

Cobertura:

60 g de nozes (usei pinhões)

40 g de açúcar amarelo

 

Preparação:

Pré-aqueça  o forno a 180ºC. Unte e enfarinhe uma forma redonda ou rectangular.

Bata o açúcar com  a manteiga até ficar fofo. Adicione os ovos e bata bem. Peneire a farinha, bicarbonato, fermento e canela juntamente com uma pitada de sal. Misture bem. Adicione as maçãs, nozes e baunilha e envolva bem. Coloque a mistura na forma.

Para a cobertura, misture as nozes com o açúcar e canela, e distribua de forma abundante por cima do bolo. Leve ao forno por cerca de 45 minutos, ou até que um palito espetado no centro, saia limpo.

Deixe arrefecer ligeiramente antes de desenformar. Sirva morno ou à temperatura ambiente.

 

Receita adaptada do livro "apples for jam" da Tessa Kiros.

publicado por Ameixinha às 19:58 | link do post | comentar | ver comentários (7) | partilhar
Domingo, 07.06.15

Brownie de abacate

3-3 027.jpg

Serei, provavelmente, trucidada por referir-me a estes quadradinhos como brownie, mas são-no, de facto, para mim. Já fiz alguns brownies, com glúten, sem glúten, provei outros tantos feitos por outras pessoas e comprei alguns para provar. Este brownie que fiz, tem todos os ingredientes para não ser considerado como tal, mas sabe-me a brownie. Sem manteiga, sem trigo, sem chocolate. Bom, muito bom e o abacate continua a ser um grande aliado nestas empreitadas. Estou convencida pelo abacate e pelo óleo de coco. Para quem, ainda assim, acha que isto é tudo menos brownie e nem se atreve a dar uma dentada, não sabem o que perdem :) Bom, very good!

 

Ingredientes (baked by an introvert):

3/4 chávena de farinha sem glúten

1/3 xhávena de cacau

1/2 colher (chá) de bicarbonato

1/4 colher (chá) de sal

1/3 chávena de óleo de coco, derretido e arrefecido

1/2 chávena de abacate amassado

1/3 chávena de açúcar amarelo + 1/4 chávena de açúcar branco

1 ovo, temperatura ambiente

1 colher (chá) extracto de baunilha

 

Preparação:

Pré aqueça o forno a 180ºC. Prepare um tabuleiro quadrado e forre com papel vegetal.

Peneire a farinha, cacau, bicarbonato e sal. Reserve.

Bata o óleo, abacate e os açúcares. Junte o ovo e a baunilha. Envolva a mistura de farinha, um pouco de cada vez. Misture delicadamente e leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até que um palito saia húmido do centro. Deixe arrefecer na forma antes de retirar e cortar em quadrados.

 

Bom domingo!

publicado por Ameixinha às 12:56 | link do post | comentar | ver comentários (4) | partilhar
Terça-feira, 12.05.15

Bruschetta de abacate

Bruschetta de abacate.jpg

Dias de calor pedem refeições leves e calmaria. Depois de uns dias de tempestade a primavera chegou em força. Os passarinhos dançam descontroladamente nos céus, munidos de truques de acasalamento que não sei se resultam ou não, mas parecem-me felizes. O céu está raiado de azuis e brancos e há uma neve felpuda que enevoa o ar e entope tudo que é via respiratória. Ahhhh, a primavera, que alegria :/ Depois há esse bicho fantástico que se chama gafanhoto e que todas as primaveras se atravessa no meu caminho. Estes dias, enquanto caminhava encontrei um e decidi que o melhor era atravessar a rua. Fiquei a pensar nele, porque pela reação desses bichos, sei que têm tanto pavor de mim como eu tenho deles. Percebi que o meu medo não é o facto deles saltitarem, é o facto de eles panicarem e eu não saber para onde eles vão saltar. Se eles saltassem para longe de mim... estava tudo tranquilo. Mas não, os bichinhos ficam tão desorientados comigo que nem sabem por onde se enfiar e atiram-se desalmadamente para onde calha, na esperança de conseguirem fugir. Não é uma dança elegante, daí a minha reticência aos gafanhotos. Não são elegantes nem bonitos e devem ver-me exactamente da mesma forma. Cheguei à conclusão que vivemos bem um sem o outro, eu sem gafanhotos, eles sem mim :)

O abacate também não é o meu alimento favorito, mas tenho experimentado algumas receitas que me têm surpreendido. Para além disso, tem uma gordura saudável e é bastante benéfico. As experiências com este pseudofruto continuam nesta cozinha. Até breve ;)

 

Bruschetta de abacate - Na cozinha com Nigella:

1 abacate maduro

2 colheres (chá) de sumo de lima/limão

4 fatias grossas de pão

sal e pimenta a gosto

1 colher (sopa) salsa finamente picada

 

Parta o abacate a meio, retire a polpa para uma taça com o sumo de lima, esmague bem com o garfo e tempere a gosto. Espalhe grosseiramente sobre cada fatia de pão e polvilhe com salsa.

publicado por Ameixinha às 10:47 | link do post | comentar | ver comentários (4) | partilhar
Quinta-feira, 16.04.15

Sorvete de morango

sorvet morango.jpg

As mudanças continuam. Uma das mais importantes e mais esperadas - pela maioria da humanidade - é  a primavera. Felizmente, a alergia ao pólen está controlada. Este ano os comprimidos estão a resultar. Abençoada medicina :) Não sou propriamente fã desta época do ano. Já tive que correr para o outro lado da rua à conta de um singelo gafanhoto que quis atravessar o meu caminho. Mas também há coisas que me emocionam: os campos floridos, as roupas leves, os piqueniques com amigos, o aroma doce das frutas, os gelados ;)

Um amigo deu-me morangos maduros, que tive de escolher dado o seu grau de madureza avançado e quase ultrapassado. Aproveitei e peguei num livro da Tessa Kiros, que folheei do início ao fim e encontrei uma receita marcada. De um lado da folha estavam os biscoitos de chocolate e arandos que faço muitas vezes, e do outro estava um sorvete de morango que nunca tinha experimentado. Vamos a isso! E já está. Primavera no palato.

 

Sorvete de morango, de "apples for jam" from Tessa Kiros:

500g de morangos amadurecidos

180 g de açúcar

Sumo de meio limão

1 tira de casca de limão

4 colheres (sopa) de leite sem lactose

 

Preparação:

Faça os morangos em puré num processador e coloque-os num recipiente com tampa.

Leve o açúcar, sumo e casca de limão a ferver com 375 ml de água fria. Deixe cozinhar, mexendo, até que o açúcar se dissolva completamente. Retire do fogo e deixe arrefecer por cerca de 10 minutos.

Retire a casca de limão e envolva o xarope de açúcar no puré de morangos. Adicione o leite, misture  bem e coloque no frigorífico para arrefecer. Posteriormente, coloque no congelador e bata para quebrar os cristais de hora a hora até que o sorvete esteja quase firme. Em alternativa pode usar a máquina de gelados seguindo as instruções do fabricante.

 

publicado por Ameixinha às 10:54 | link do post | comentar | ver comentários (5) | partilhar
Domingo, 22.03.15

Queques de manteiga de amêndoa

28 fev 001.jpg

 Guardo memórias da viagem a Londres. Da primeira que fiz, são memórias nubladas, tal como a cidade é, nublada e fria. Era demasiado jovem para a ter aproveitado intensamente. Muitos anos depois, 14 anos para ser mais precisa, voltei e foi tão bom. Continuo sem fazer tudo o que queria lá ter feito, sem visitar o que queria ter visto, sem vivê-la da forma que gostava. Todos estes anos, desejei muito regressar à cidade que sinto como se fosse minha, e acabei por regressar. Passaram quase 3 meses e, no meu coração, sinto ainda mais vontade de regressar. Sei que, muito provavelmente, Londres vai receber-me pela terceira vez e, resta-me esperar que não sejam precisos outros 14 anos para que isso aconteça. Da primeira viagem guardei algumas libras. Foram 14 anos a olhar para elas e, não, não recebi juros, não se multiplicaram. Levei-as comigo e gastei-as. Vim apenas com alguns trocos mas trouxe chá, roupa que comprei em Camden Town, bolachas do Tesco, postais e muitas fotografias. Na memória fica um grupo de amigos que me inspirou a escrever centenas de quadras e que me divertiu bastante. Porque aventuras em Londres, é outra classe ;)

É Primavera mas a chuva está de volta, pelo menos por estes lados. Um chá que veio de longe e um muffin a acompanhar este domingo, alguém aceita?

28 fev 012.jpg

 

 Ingredientes:

1 1/2 chávena de farinha sem glúten (Schar Mix B ou Doves Farm Self Raising)*

3/4 chávena de açúcar

1 colher (chá) de bicarbonato

1 colher (chá) de fermento

1/2 colher (chá) de sal

1 chávena de leite (usei sem lactose)

1/2 chávena de óleo

1 colher (chá) de extracto de baunilha

1 colher (sopa) de sumo de limão

1/2 chávena de manteiga de amêndoa myprotein

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Prepare um tabuleiro com forminhas para queques.

Numa tigela grande misture a farinha, açúcar, fermento, bicarbonato e sal. Junte o leite, óleo, extracto, sumo de limão e a manteiga de amêndoa e misture até ficar homogéneo.

Divida a mistura pelas forminhas e leve ao forno durante cerca de 18-20 minutos ou até que um palito inserido no centro saia limpo. Deixe arrefecer e sirva-se.

 

* Ou 1 3/4 chávena de farinha de trigo

 

Receita adaptada do blog Pastry Affair.

publicado por Ameixinha às 15:40 | link do post | comentar | ver comentários (4) | partilhar
Segunda-feira, 02.02.15

Biscoitos

Passou-se um mês desde o início deste novo ano e já tanta desgraça aconteceu. A minha mãe partiu um elo da coluna, o Matias foi internado com uma obstrução urinária, eu fui aconselhada a fazer hidroginástica, porque adormecem-me os dois braços quando durmo na posição fetal. É suposto toda eu adormecer e não sentir nada, mas sinto que tenho os braços a dormir e, isso, não é nada confortável.

Entretanto, decidi experimentar a osteopatia. Sou completamente adepta de tudo que não seja engolir químicos e, à falta de dinheiro para hidroginástica, consultei uma osteopata amiga que me disse que o meu problema era muscular. Deu-me uma coça como se não houvesse amanhã, revirou-me para um lado e para o outro, torceu-me todinha e, não satisfeita, estalou-me os ossinhos todos. Resumindo: sou quase de elástico, porque voltou tudo ao seu sítio correcto. Estou viva mas, continuo meia dormente. Habituei-me a dormir de barriga para cima e vou revirando para um lado e para o outro até que os braços dão sinal de fraqueza. Provavelmente é mesmo a coluna a dar de si, mas não posso deixar de carregar o que é preciso. Ainda a semana passada carreguei às costas o Matias dentro da transportadora dele. Uma caminhada de mais de 4 km que eu já sabia que ia custar caro. Tenho contracturas musculares até à pontinha do dedos, mas isso é de fazer uma carrada de biscoitos todas as semanas. É uma forma de ganhar uns trocos para comprar farinhas sem glúten e pagar veterinário :) Depois, há biscoitos para consumo próprio, sem glúten, sem lactose, porque também preciso de comer e de acompanhar o café com alguma coisinha.

 

2 fev 009.jpg

Ingredientes:

1 chávena de farinha de arroz

1/2 chávena de farinha de milho

1 chávena de amido de milho

1/2 chávena de fécula de batata

1 colher (chá) de fermento

1/2 chávena de açúcar Sidul

70 g de Vaqueiro líquida

1 ovo

 

Preparação:

Misture a vaqueiro com o açúcar, adicione o ovo e mexa. Junte as farinhas e o fermento e misture até ficar homogéneo.

Humedeça a mão e faça bolinhas. Coloque-as em tabuleiro untado ou forrado com papel vegetal, achate-as com um garfo e leve a forno pré-aquecido a 180ºC até que dourem nas bordas. Deixe arrefecer e guarde num recipiente hermético.

 

Baseada nesta receita.

publicado por Ameixinha às 14:08 | link do post | comentar | ver comentários (5) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...