Quinta-feira, 26.01.12

Biscoitos de romã e chocolate


Gosto tanto de romã quanto gosto de chocolate. Ainda por cima são ambos antioxidantes e representam duas das cores que eu mais gosto: preto e vermelho, tão romântico :)

A primeira vez que fiz estes biscoitos foi há 2 anos e o ano passado voltei a repetir porque não gostei das fotos que tirei na altura. Não que eu tenha gostado desta, de facto não gostei nada porque lhe falta a cor dos pequenos rubis a fazer contraste com o negro do chocolate. Mas, decidi que não espero mais um ano para voltar a fazer os biscoitos e fotografar. Aliás, acho que por mais que tente, a coisa vai dar sempre ao mesmo: má foto, boa receita. 

 

Ingredientes:

1 1/3 chávena de farinha

1/2 chávena de manteiga à temperatura ambiente

1 chávena de açúcar amarelo

1/2 chávena de bagos de romã

1 ovos à temperatura ambiente

1 colher (chá) de extracto de baunilha

1/2 colher (chá) sal

1/2 colher (chá) fermento

170 g de chocolate aos pedacinhos

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Prepare os tabuleiros.

Numa tigela, combine a farinha, o sal e o fermento. Noutra tigela maior, bata a manteiga com o açúcar até obter uma mistura fofa. Junte o ovo e a baunilha e mexa para combinar. Gradualmente, adicione os ingredientes secos à manteiga e mexa até a massa ficar espessa. Use uma colher para envolver os pedaços de chocolate e os bagos de romã, distribuindo-os. Forme os biscoitos com uma colher de chá, coloque-os separados no tabuleiro. Alise ligeiramente e asse até estarem dourados, cerca de 12 min. Deixe arrefecer numa grade.

 

Notas:

Receira retirada do blog Coconot & Lime.

Podem usar o chocolate que preferirem, eu usei chocolate negro.

Usei 1 chávena de farinha para bolos e 1/3 chávena de farinha integral.

publicado por Ameixinha às 15:31 | link do post | comentar | ver comentários (35) | partilhar
Terça-feira, 03.01.12

Bolo de romã


Achei que as romãs, o ano passado, não iriam vingar. O calor foi muito e depois o excesso de chuva poderia ter apodrecido os frutos cor de rubi. Mas não, da árvore do costume apanhamos cerca de 2 sacas. Como sempre, não fiz grande coisa com elas, saboreei-as da maneira que mais gosto... ao natural e à colher. Depois de um tempinho a retirar os baguinhos dos seus casulos, fico eu e eles enquanto a colher dança para trás e para frente.

No entanto, fiz um bolo cuja receita já tinha guardada há algum tempo. Foi agora, na altura mais que certa e ficou um bolo simples mas pintalgado de vermelho profundo, para fazer a diferença :)

Ingredientes:

3/4 chávena de açúcar

6 colheres (sopa) de manteiga à temperatura ambiente

2 ovos grandes

1 clara de ovo

3/4 chávena de buttermilk

2 colheres (chá) de raspas de limão

2 colheres (chá) de extracto de baunilha

1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio

2 1/2 chávena de farinha de trigo

1/4 colher (chá) de sal

3/4 chávena de bagos de romã

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Bata a manteiga com o açúcar até ficar bem misturado. Adicione os ovos e a clara, um de cada vez, batendo sempre. Numa bacia, misture o buttermilk com as raspas de limão, a baunilha e o bicarbonato. Noutra, misture a farinha e o sal e bata com a batedeira. Vá colocando alternadamente a mistura de buttermilk e de farinha na batedeira, até formar uma massa lisa. Adicione a romã, misture com uma espátula e coloque numa forma média untada. Asse por 1 hora, até que o bolo fique firme e dourado. Retire do forno e deixe arrefecer antes de desenformar.



Notas:

Receita retirada do blog Chucrute com Salsicha.

Usei 2 chávenas de farinha de trigo e 1/2 chávena de farinha integral.

Para o buttermilk, coloque uma colher de sopa de sumo de limão e complete com leite até obter uma chávena. Deixe descansar 10-15 minutos até que coalhe. 

Boa semana a todos! 

tags: ,
publicado por Ameixinha às 14:30 | link do post | comentar | ver comentários (32) | partilhar
Quarta-feira, 01.12.10

Panquecas preciosas

Uma das piores coisas que me pode acontecer, e que acontece muito frequentemente, é acabar o gás enquanto eu estou a tomar banho. Um destes dias gelados, mal tinha entrado na banheira, coloquei o shampô no cabelo e quando dei uma chuveirada, senti-me enregelar. A água estava completamente gelada e eu encolhi-me imediatamente. Dei uns quantos berrinhos até alguém me ouvir e perguntei, alto e bom som, se o gás tinha terminado. A minha mãe gritou: "Tens cá uma sorte, tem sempre que terminar quando vais tu tomar banho!"
Fiquei ali à espera, dentro da banheira, com o cabelo ensaboado, os neurónios quase catatónicos e a sentir-me a entrar em hipotermia. Lembrei-me do filme "O Senhor dos Anéis". Porquê? - perguntam vocês. Porque eu parecia o Gollum, dobrada sobre mim mesma, a olhar para a torneira de água quente e a pensar "my precious" :)
Preciosas são também estas panquecas com bagos de rubi que, apesar de deliciosas, não me salvaram da constipação mas dão-me um certo conforto nestes dias de frio intenso!

Panquecas de laranja e romã:

5 colheres (sopa) de manteiga
1 chávena de leite
2 ovos
1 chávena de farinha (usei 1/2 farinha para bolos e 1/2 de farinha integral)
1/4 chávena de farinha de milho amarela
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) + 1 colher (chá) fermento em pó
3/4 colher (chá) de sal
3/4 chávena de bagos de romã
2 colheres (chá) de zest de laranja

Preparação:
Aqueça o leite com a manteiga até que esta derreta. Reserve até estar morno, cerca de 15 minutos. Bata os ovos e, lentamente, adicione 1/4 chávena da mistura de leite. Junte o resto do leite e mexa.
Numa tigela junte as farinhas, açúcar, fermento e sal. Junte a mistura de ovos à mistura seca, um pouco de cada vez, mexendo lentamente até que os ingredientes secos fiquem misturados. Deve ficar uma mistura grumosa e começar a borbulhar.
Adicione os bagos de romã e o zest de laranja e mexa até ficarem misturados.
Aqueça a frigideira, unte com manteiga e adicione 1/4 de chávena da mistura. Cozinhe de um lado e de outro e sirva quente com maple syrup.


Notas:
Rende cerca de 12 panquecas, se usarem a medida de 1/4 de chávena.
Caso pretendam uma massa mais doce, adicionem mais 1 ou 2 colheres de açúcar.
Vi a receita no blog Minimally Invasive, embora a receita original venha do New York Times mas é feita com arandos frescos.

Continuação de boa semana a todos!
publicado por Ameixinha às 12:45 | link do post | comentar | ver comentários (63) | partilhar
Quarta-feira, 24.11.10

Potes de romã e baunilha

Se viesse cá alguém jantar
Levava de sobremesa,
Potes para saborear
Com romãs, que beleza!
A baunilha a acompanhar,
Depositou-se no fundinho.
Um creme de lambuzar
Para aconchegar o corpinho.

Isto agora é todos os dias, não? Óbvio que não mas, aqui há uns tempos atrás, alguém me desafiou a fazer algo do género. Não é bem bem isto mas está lá perto e eu ando parca na prosa :)
Resta dizer que vi esta receita no blog Sass & Veracity há muito tempo mas, infelizmente, a época das romãs acontece uma vez no ano e só agora tive oportunidade de testar. Como a minha mãe me disse: "podes fazer mais!". O creme é mesmo muito bom e as sementes de baunilha fazem toda a diferença, como se vê pela foto :)

Ingredientes:
1 chávena de leite
1 chávena de natas
2 vagens de baunilha
5 gemas de ovos
6 colheres (sopa) de açúcar
6 colheres (sopa) de bagos de romã

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180º. Prepare um tabuleiro com 4-6 ramequins. Unte-os com óleo e reserve.
Coloque o leite e as natas numa panela. Parta as vagens de baunilha ao meio, abra-as e raspe as sementes. Combine as sementes e a vagem vazia de baunilha com o leite e as natas, e leve a ferver em lume médio.
Numa tigela, mexa as gemas de ovos e o açúcar até estar bem misturado.
Quando a mistura do leite começar a ferver, retire as vagens de baunilha e descarte. Mexa bem a mistura e com a panela numa mão e um batedor na outra, ponha um pouco do leite quente sobre a mistura de ovos, batendo bem enquanto despeja. Continue a adicionar o leite um pouco de cada vez, mexendo rapidamente com o batedor. Faça com que todas as sementes de baunilha sejam retiradas do fundo da panela e adicionadas à mistura.
Divida pelos ramequins e salpique os bagos de romã em cada um. Coloque o tabuleiro no forno e adicione água quente até cerca de meio da altura dos ramequins. Deixe-os no forno por cerca de 1 hora ou até que os topos estejam dourados e o creme assente. Remova da água e deixe arrefecer.

Notas:
Ao invés de ramequins usei potinhos de iogurte para ver melhor o efeito dos bagos de romã e das sementes de baunilha.
Não os untei com óleo, achei que o sabor poderia ficar comprometido, mas se usarem ramequins e quiserem desenformar no final, aconselho a usar spray para untar.
Usei apenas meia vagem de baunilha porque era daquelas muito gordas, e nunca as deito fora depois de usar; passo-as por água, seco-as bem com papel absorvente e coloco-as em açúcar. Deste modo obtenho açúcar baunilhado.
Usei apenas 3 gemas de ovo.
Obtive creme suficiente para encher 4 potinhos de iogurte.

Continuação de boa semana!
publicado por Ameixinha às 10:30 | link do post | comentar | ver comentários (53) | partilhar
Sexta-feira, 22.01.10

Arroz doce com romã

Esta receita é de 2009 e foi escrita em 2009 também! Ainda não voltei à cozinha. A única coisa que tenho feito é pão, sempre a mesma receita, mas espero que isso mude este fim de semana :)

...........................................................

No mínimo, merecia uma tareia. Andei meia vida a dizer que não gostava de arroz doce. De facto, há arroz doce que é uma mistela tão desenxabida, sem vida e pálida que me dá um certo arrepio.
Enquanto estudei em Coimbra, tinha que passar pelas prateleiras de disposição de comida quando ia às cantinas, e tinham sempre um arroz doce nojento nuns pratos minúsculos à disposição de quem quisesse. O mais incrível é que havia quem comesse aquilo. Mas já vi comerem de tudo. Digamos que partilhei casa com pessoas um bocadinho manhosas :)
O arroz à moda de Coimbra é mesmo assim, uma coisa sem cor e sem graça e, muito naturalmente, é-o porque não leva ovos!

No entanto, uma amiga que vivia comigo fez uma vez um arroz doce, naquele nosso fogão do século passado, que exigia um certo tempo de volta dele. Mas, tinha um aspecto tão bom, e os grãos não andavam a nadar no leite, que eu tive que lhe pedir para provar. Transformou uma coisa que eu achava horrível, num creme delicioso e delicado. Depois, terminei a faculdade e vim-me embora. O arroz doce continuou a não fazer parte da minha vida. Para branca e desgraçada já basto eu ;)

Até que, há uns tempos atrás fui encontrar a TitiSu de volta de uma panela, como se de um caldeirão se tratasse e mexia, voltava e mexer, remexia e eu intrigada. Achava que aquilo era leite creme de tão amarelinho e cremoso que estava. Mas não, era mesmo arroz doce que ela fez com um merengue por cima, e que eu não posso fazer porque o meu forno não tem grill e não ia ficar a mesma coisa.

Adiante, a TitiSu fez um arroz doce 5 estrelas!
Blá, blá, blá (é um atalho senão nunca mais saio daqui) e encontrei esta receita de arroz doce com romã e decidi que era desta que eu me atrevia a fazer arroz doce.
Pronto, fiz porque a romã é linda e eu adoro comer os baguinhos à colherada :)
Além do mais, o rosadinho do arroz era tão apelativo e em italiano tudo fica tão mais romântico, que me deixei levar!

Ingredientes:
250 gr de arroz arbório (usei carolino)
500 ml de leite
750 ml água (500 + 250)
100 gr de açúcar
1 romã
zest de limão (usei casca)
1 pitada de sal
corante cor de rosa (opcional)

Numa panela ferva o leite com 500 ml de água e o sal.
Junte o arroz e cozinhe-o por cerca de 20 minutos, mexendo ocasionalmente. Noutra panela aqueça os 250 ml de água com o zest de limão e o açúcar e mexa até que o açúcar se dissolva.
Retire o zest de limão (por isso usei casca, é mais fácil de retirar) e insira os bagos de romã (reserve alguns para decoração) e ferva por 5 minutos, filtre o sumo. Insira-o no arroz e continue a cozinhar até todo o líquido ter sido absorvido (junte o corante e misture).
Deixe repousar por alguns minutos. Divida o arroz por taça, polvilhe com bagos de romã e sirva.


Usei duas gotinhas de corante para ajudar a ficar mais rosadinho. O segredo para o arroz ficar cozido é não misturar o açúcar logo no início, porque há uma enzima que não permite que o arroz coza em contacto com o açúcar.

Este arroz não fica tão doce quanto o original. O sumo de romã dá-lhe um sabor bem diferente. Fica muito bom e eu comi com muito prazer. Finalmente fiz as pazes com o arroz doce :) Agora tenho que experimentar mais receitinhas, desde que não sejam pálidas! A minha vida precisa de cor ;)

..................................................

Se em 2009 eu achava que a minha vida precisava de cor, imaginem agora? Mas isto um dia passa e esse dia tem que estar para breve :) Se não ficar cor-de-rosa ao menos que fique lilás he he
Ainda não consegui agradecer pessoalmente a todos que ajudaram o Matias mas em breve vou fazê-lo!
Há notícias do possuído, aqui!
tags: , ,
publicado por Ameixinha às 00:45 | link do post | comentar | ver comentários (51) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...