Quarta-feira, 09.03.11

Arroz de camarão

Arroz de camarão

A minha mãe queria um arroz de marisco e comprou uns quantos camarões. Não sendo eu capaz dessa fantástica capacidade da multiplicação ou criação de outras espécies de frutos do mar, tive que me desenrascar com o que havia. Basicamente, camarão e só camarão. Do resto, tudo há em qualquer despensa que se preze.
Se é um arroz malandrinho ou um risotto, deixo à consideração de cada um. Isto é como ir à feira e comprar uma falsificação, seja de roupa ou de uma mala. Sabemos que não é o original, não tem a etiqueta do criador/estilista, é muito mais barato e, mesmo assim, ninguém vai reparar porque são completamente idênticos e até saem melhor que a encomenda. Importante é apaziguar o desejo e o mesmo acontece com o arroz. Usei carolino e, para mim que já usei carnaroli, vai dar ao mesmo. É uma falsificação que satisfaz, muito e bem!

Ingredientes:
1 kg de camarão médio
sal q.b.
2 dl de azeite
2 cebolas
5 dentes de alho
0,5 kg de arroz
2,5 dl de vinho branco
4 tomates
coentros ou salsa q.b.

Preparação:
Descasque os camarões e ponha as cascas e as cabeças a cozer numa panela, cobertas de água com sal a gosto, durante 30 minutos. Entretanto, refogue em azeite a cebola e o alho picados.
Junte o arroz e salteie até ficar transparente. Refresque com o vinho, junte o tomate sem pele e sementes e cortado aos bocados. Tempere de sal.
Escorra bem o caldo de cozer os camarões, esmague as cabeças e as cascas para obter todos os sucos. Vá deitando aos poucos o caldo de cozer ao preparado de arroz até este abrir.
Salteie rapidamente os camarões numa frigideira com um pouco de azeite. Junte-os ao arroz, misture e polvilhe com coentros ou salsa picados a gosto.
  

arroz camarão

Notas:
Para facilitar ainda mais a receita, usei camarões já cozidos que descasquei e juntei ao arroz quase no final do cozimento. Guardei alguns inteiros para decoração e devoração :) Não usei caldo, apenas aqueci água à qual juntei uns fios de açafrão e deixei repousar. Depois, fui juntando ao arroz aos poucos.
Ao refogado de cebola e alho adicionei uma pitada de pimenta de espelta.
Receita adaptada da revista "Boa Mesa" nº19 de 2005.
publicado por Ameixinha às 21:05 | link do post | comentar | ver comentários (59) | partilhar
Sexta-feira, 19.09.08

Potas com camarão na cerveja


Depois da saga dos camarões aqui, ainda sobrou 1 kg de gigantones. 1 kg não, porque o meu irmão pegou em quatro e levou para a casa da faculdade. Veio perguntar como se fazia... ia levar para fazer ao jantar para a namorada. Quatro camarões para duas pessoas? É pouco e foi pouco! E o pior é que era jantar romântico. Mas o rapaz ficou a enviar mensagens e a telefonar o tempo todo a perguntar como se fazia, quanto era de alho, se esmagava junto com o sal, que manteiga era? E não perguntava tudo de uma vez... foram várias mensagens. Aii... o romantismo já não é o que era, agora mete tecnologia pelo meio :)

Mas acho que correu tudo bem. A sobremesa é que ninguem sabe qual foi ;)

Como somos grandes apreciadores de moluscos e camarão, decidimos juntar o útil ao agradável e casamos potas (sugestivo hein?) com camarões de Moçambique.

Um casamento perfeito que começou assim, tudo feito a olhómetro:

Primeiro cozi as potas para tirar-lhe a cor avermelhada. Cozi também os camarões e descasquei-os. Reservei.

Cortei alho e cebola aos bocadinhos e levei ao tacho com azeite. Juntei polpa de tomate, uma cerveja, uma ou duas folhas de louro, uma malagueta seca (sem sementes) e deixei refogar tudo até a cebola cozer.

Retirei o louro e coloquei as potas partidas e os camarões inteiros. Deixei cozer em lume brando. No final passei o molho pela varinha mágica para ficar mais cremoso.

Foi caso para dizer: "Pota que pariu! Ficou muito bom!" ;)
Sem ofender as potas...


E depois de tanto dia de ausência deparo-me com tantos miminhos que aproveito para publicar e agradecer a quem mos enviou.


Para começar recebi o prémio Dardos vindo da Carmencita, Janeca, Uma casa no Norte, Moonlight, Talula e Menos calorias mais vida. A todas o meu agradecimento pela lembrança :)

Este prémio tem como objectivo:

“Reconhecer os valores que cada blogueiro mostra a cada dia, seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras…”
E pede aos premiados que respeitem as seguintes regras:
1. Aceitar exibir a distinta imagem e cumprir as regras.2. Linkar o blog do qual recebeu o prémio.3. Escolher quinze (15) blogs para entregar o Prémio Dardos. Como estou super atrasada e já vi que muita gente recebeu... vou passar esta parte à frente. Peço desculpa!




Depois mais um mimo carinhoso enviado pela Carmencita, que diz "I love your blog" :) Que grande orgulho, saber que gostam do blog que criámos e mantemos com muito carinho. Adorei! E se eu fosse a dizer os blogs que eu adoro visitar nunca mais saía daqui. Como sabem tenho que fazer muita visita e pôr as coisitas em dia. Eu adoro todos os blogues que visito, senão não os visitava ;)



E a Janeca deixou-me um desafio. Quais são as minhas manias? Aiii agora vão saber que afinal uma Psicóloga também pode sofrer de POC eh eh...




Aqui vão 5 das minhas manias:


1- O exaustor tem que ser ligado enquanto cozinho porque odeio o cheiro a comida na roupa, no cabelo, em todo o lado.


2- Passo a vida a lavar as mãos, odeio as mãos sujas.


3- Os meus sapatos têm que estar alinhados, as gavetas fechadas, tudo no seu sítio. Se não estiver eu não adormeço.


4- Não gosto de provar comida enquanto cozinho.


5- Ir anotando o que me falta na cozinha para depois comprar. E muitas vezes levo as revistas e os livros comigo para não me esquecer de nada.






Agora outra coisinha que eu tenho que referir. Tinha falado no Desafio da Polenta e as votações abertas. Pois bem, tenho a dizer que foi a Polenta Doce que ganhou o desafio e, em breve, vou receber um presentinho vindo do outro lado do Atlântico ;)


Agradeço muito a todos quantos votaram na minha Polenta!

Grande abraço!


Um post longo mas tinha que ser!

Espero não me ter esquecido de nada nem de ninguém :)

publicado por Ameixinha às 12:20 | link do post | comentar | ver comentários (30) | partilhar
Quinta-feira, 28.08.08

Camarão à Moçambique



Numa onda de intercâmbio porque eu agora não quero outra coisa ;)

A mesma pessoa que ofereceu a carne de javali, na semana seguinte, apareceu aqui com uma caixa enorme de camarões de moçambique. Os bixos são enormes! Não pensem que a pessoa também cria camarões caseiros e depois oferece (era bom era!). Ela tinha umas caixas na arca congeladora que já estavam quase a terminar prazo e, como sabe que eu gosto de cozinhar, achou que eu faria um bom petisco com os bichinhos.

Eu adoro tudo que seja camarões e pus-me logo a procurar algumas receitas para ver qual me agradava mais. Encontrei algumas que envolviam fritura e eu queria assado ou grelhado. Acabei por levá-los ao forno após uma sessão de intensa batalha para cortar os bichos ao meio. Sim, porque nesta casa usam-se facas mas as ditas não cortam nada para que, quem as manuseia não corte os dedos (a história tem fundamento, comprei uma faca o ano passado e cortei os dedos todos). Mas passei o tempo todo a dizer palavrões com sotaque do norte e tudo... é que os bichos picam e se a faca não corta ainda é pior.

Depois da sessão de quase porrada, dispus os "pequenos" numa assadeira de barro e preparei a pasta com que os barrei.

Como não encontrei uma receita que me agradasse plenamente, juntei várias indicações e fiz assim:


1 kg de camarão de moçambique

6 dentes de alho (isto é a gosto)

2 malaguetas secas (pode ser piri-piri)

sal q.b. (usar só se a margarina não tiver sal)

margarina q.b. (usei sem sal)

2 colheres sopa de Whisky

Sumo de limão q.b.



Preparação:

Abrem-se os camarões ao meio e retira-se a tripa preta que têm no dorso.

Num almofariz junta-se os alhos, as malaguetas (sem sementes) e o whisky. Esmaga-se tudo e junta-se a margarina criando uma pasta homogénea. Com esta pasta barram-se os camarões que já estão abertos no tabuleiro e rega-se com o sumo de limão. Vai ao forno por cerca de 20 minutos (convém verificar) e serve-se com batata frita/arroz e salada.



Tem bom aspecto ou não? Ficam assim... como hei-de explicar?... deliciosos, maravilhosos, fantásticos!!!

Pudera! Depois de terem que me ouvir de faca na mão, não podia resultar noutra coisa ;)

tags:
publicado por Ameixinha às 00:30 | link do post | comentar | ver comentários (51) | partilhar
Domingo, 11.05.08

Feijoada de Marisco


Passei muitos anos sem comer feijoada de carnes. Tudo devido a um erro de quantidade com a polpa de tomate. Fiquei tão mal disposta que nunca mais comi feijoada. Até ontem ter experimentado fazer com marisco. É um prato mais leve e, para quem gosta de marisco, eu acho que é mais saboroso.

Cá em casa nunca se tinha feito. Todos aprovaram.


Ingredientes:

cebola, alho e azeite q.b.
1 cenoura

2 colheres de sopa de polpa de tomate

1dl de vinho branco

300 g de mexilhão congelado

400g de camarão congelado

1 lata das grandes de feijão manteiga

1 raminho de salsa

sal, pimenta e cominhos q.b.


Pique o alho e a cebola e refogue-os no azeite. Adicione a polpa de tomate, a cenoura cortada às rodelas, deite o vinho branco e envolva. Junte o miolo dos mariscos ao refogado e deixe estufar. Tempere com sal, pimenta, cominhos e misture. Acrescente o feijão e a calda do mesmo, ao refugado. Envolva tudo e aguarde que ferva. Deixe apurar e retire do lume. Eu acrescentei a salsa antes de retirar do lume mas se tiver salsa fresca ou coentros junte só quando servir.

Receita baseada na revista "Mulher Moderna na cozinha" nº90
tags:
publicado por Ameixinha às 11:21 | link do post | comentar | ver comentários (17) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...