Sábado, 03.11.12

Puré de feijão com estória

 

 

A viúva, a mal-casada e a divorciada:

 

Todos os dias, à mesma hora de sempre, ela param defronte do portão de uma delas e tagarelam. Falam apressadamente como quem quer contar toda uma vida num minuto só. Atrapalham-se as falas mas elas entendem-se perfeitamente. O corte e a costura dão pano para mangas. Ficam no corte da casaca todos os dias, ao fim da tardinha, na hora em que o cansaço se desvanece para tomar conta delas logo a seguir, mal chegam a casa e têm mais uma quantidade de trabalho por sua conta. A aldeia serena acorda com o burburinho e as vizinhas mais curiosas afiam o ouvido. Palavras soltas é tudo o que se consegue apanhar porque, mais uma vez, elas atropelam-se nas estórias de vida, nas contas que fazem à vida e em tudo o que podem dizer agora e cujo barulho das máquinas, e a patroa ditatorial, não deixam dizer nas horas do trabalho miserável. São todas da mesma faixa etária, todas desgraçadas à sua maneira, todas a tentar mudar de vida naquele instante, porque ainda são demasiado novas mas sentem que o futuro chegou-lhes depressa demais. Nelas já não há o amor de outrora, perdeu-se por condicionantes da vida madastra. Enquanto uma faz de conta que é feliz, as outras foram-no e agora choram-se por tudo que perderam. Mas aquele momento tão profano de tagarelice é a altura do dia mais sagrada para todas elas.


Ingredientes:

60 ml de azeite, mais duas colheres de chá

1 dente de alho, esmagado

1 raminho de alecrim fresco, opcional

casca ralada e sumo de 1 limão

800 g de feijão branco cozido

4 bifes do lombo ou costeletas 

sal a gosto

 

Preparação:

Deite o azeite numa panela e junte o alho. Acrescente o raminho de alecrim, se usar, a casca de limão e aqueça por todo. Retire o alecrim e reserve.

Escorra o feijão e passe-o por água corrente para retirar a goma, acrescente-o à panela e aqueça, mexendo e misturando com uma colher de pau para que o feijão fique num puré grumoso. Tempere a gosto; alguns feijões ficam mais salgados que outros.

Aqueça uma colher de chá de azeite numa frigideira grande e cozinhe os bifes em lume forte durante um minuto e meio de cada lado. Retire para pratos aquecidos, polvilhando-os com sal a gosto.

Esprema o sumo de limão na frigideira quente, deixe-o ferver com o azeite e os sucos da carne e, a seguir, verta-o sobre os bifes. Sirva de imediato com o puré de feijão decorado com o raminho de alecrim.

 

Receita retirada do livro "Na cozinha com Nigella".

 

Bom fim de semana!


publicado por Ameixinha às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (16) | partilhar
Terça-feira, 05.07.11

Esparguete com grão, courgette e gremolata de pão


Voltei às cápsulas de óleo de fígado de bacalhau. Depois de uma tarde no hospital receitaram-me "reiki ou ioga" para o sistema nervoso. Ainda me lembro de quando os médicos eram médicos, agora parece que estão mais virados para as terapias alternativas. Para além disso, estou a tomar o mesmo ansiolítico que o meu excelentíssimo e possuído gato. Decidi que óleo de fígado de bacalhau é melhor, pelo menos é mais natural. Reiki e ioga não faço, a coisa é muito parada e dá-me nos nervos, coisinha que eu já tenho aos pulos!
Não sei que diga, se eu não voltar... telefonem para os hospitais psiquiátricos, ok? Se me quiserem visitar já sabem: uma courgette, um chocolatinho, vá lá... um raminho de flores e eu prometo que vos recebo ;)

Ingredientes:
2 colheres (sopa) + 2 colheres (chá) de azeite
4 dentes de alho, divididos
1 chávena de pão em pedacinhos (integral ou outro)
zest de 1 limão
2-3 colheres (sopa) de salsa
3 courgettes médias, partidas a meio e cortadas em meias luas
1/2 colher (chá) de flocos de pimenta
sumo de 1/2 limão
425 g de grão de bico, cozido
1/2 colher (chá) sal
pimenta preta q.b.
240 g de esparguete (integral ou "normal")

Preparação:
Para a gremolata de pão aqueça as duas colheres de sopa de azeite numa frigideira, adicione metade do alho e saltei-e por 1-2 minutos. Adicione o pão, o zest de limão e a salsa. Cozinhe, mexendo frequentemente, por 5 minutos ou até que esteja dourado e crocante. Reserve.
Aqueça o restante azeite numa frigideira larga. Adicione a courgette, os flocos de pimenta e cozinhe em lume médio, virando com uma espátula até que a courgette comece a ficar dourada (cerca de 10 minutos). Adicione o restante alho durante cerca de 3 minutos. Junte o grão, sumo de limão, sal e pimenta preta moída.
Entretanto, cozinhe a esparguete. Coe e reserve 3/4 de chávena de água da cozedura e adicione à courgette, cozinhando por mais 2 minutos. Combine a massa com a courgette, mexendo gentilmente. Sirva com a gremolata e um fio de azeite.


Notas:
Receita retirada do blog What Would Cathy Eat?
Usei pão integral e pão branco.
Substituí os flocos de pimenta por pimenta de espelta.
Cozi primeiro o grão na panela de pressão, mas podem usar grão enlatado e drenado, tal como a autora usou.
publicado por Ameixinha às 22:00 | link do post | comentar | ver comentários (43) | partilhar
Sexta-feira, 04.06.10

Nhoque gratinado com bacon e ervilhas


Para ser perfeito teria que ser feito pelo Guerra e fotografado pela Paz :)
Infelizmente estão lá do outro lado do oceano e eu é que manejei o tacho e a câmara fotográfica. Como é óbvio, não ficou tão lindo como no livro "Cuecas na Cozinha", mas que ficou bom... ficou! E eu recomendo muito :) Fiz algumas alterações porque não tinha alho francês - tinha mas estava congelado - e usei cogumelos e bacon. Acho que é uma receita que dá para fazer algumas adaptações, porque ao invés de ervilhas já fiz com milho e ficou excelente. Fiz apenas meia receita mas dou a receita na íntegra.
Mais uma vez, obrigada pelo maravilhoso livro e pelas receitas deliciosas!

Ingredientes:

Nhoque pré-cozido (1kg)
Ervilha congelada (300 g)
Presunto sem gordura (1 fatia grossa-espessura de um dedo) - usei bacon
Azeite (100 ml)
Alho poró (1/2 unidade pequena) - substituí por cogumelos
Leite integral (500 ml)
Farinha de aveia (3 colheres de sopa cheias) - usei flocos de aveia que moí na 1,2,3
Parmesão ralado (300 g) - usei limiano mas não recomendo
Sal
Pimenta moída
Noz-moscada

Faça antes:

Pique a fatia de presunto em tiras de 1 cm e depois em cubos de 1 cm. Não é preciso medir com a régua, ok? Reserve. Descongele as ervilhas retirando-as do congelador meia hora antes. Numa tábua de cortar, pique metade do alho-francês - primeiro em rodelas e depois pique bem.

Na hora:
Numa panela em lume brando, coloque 100 ml de azeite. Deixe aquecer, acrescente o alho-francês e refogue por um minuto. Despeje os cubos de presunto, misture tudo e frite mais dois minutos, até ficar ligeiramente dourado. Coloque os nhoques, as ervilhas, sal e pimenta moída a gosto. Misture tudo e deixe mais dois minutos no lume. Mexa sempre com cuidado, o objectivo é aquecer tudo sem desmanchar nada.

Molho:
Numa panela coloque o leite, farinha de aveia e metade do parmesão ralado. Leve a lume brando, por 5 minutos, mexendo sempre. Desligue e acrescente noz-moscada moída a gosto.

Montagem: nhoque + molho + parmesão restante. Levar ao forno a gratinar e comer com muito gosto :)

Comprei o nhoque no Lidl e gostei muito porque não se desfizeram. Segundo o Alessander nunca se deve comprar nhoque congelado. Eu usei um embalado que encontro sempre por lá! Ervilhas de lata também são para esquecer, usem frescas ou congeladas.
Uma receita a repetir muitas e muitas vezes!

Bom fim de semana e desculpem a falta de comentários mas o meu computador avariou de vez.
publicado por Ameixinha às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (56) | partilhar
Quarta-feira, 03.03.10

Feijão Mexicano

A cada dia que passa a minha vida vai-se tornando mais colorida. Isso também inclui a comida. Em pouco tempo fui comprando e provando ingredientes que desconhecia por completo, fazendo experiências que julgava não resultarem, cedendo aos novos sabores e pesquisando receitas diferentes. De facto, o meu interesse por ingredientes estranhos, desconhecidos, coloridos ou não, tem aumentado e quando os posso usar fico verdadeiramente contente... como se tivesse ganho a eternidade :) Também tenho uma Cozinha das Cores, blog de onde retirei esta receita.

Sou grande fã de cozinha vegetariana e só ainda não me tornei uma, porque não resisto aos enchidos e fumados! Sou mesmo uma falsa moralista que diz tadinho do bichinho e no fim come chourição ou bacon. Das alheiras já tratei, há agora umas vegetarianas excelentes e prefiro-as às de carne.
Lembrem-se que a cozinha vegetariana não tem que meter tofu, seitan ou soja obrigatoriamente. Muitos de vocês já fazem refeições vegetarianas sem terem noção disso.
Esta é uma delas, tenho certeza que muitos vão torcer o nariz, tal como fez o meu irmão e, depois de provarem, vão repetir a dose :)
Mais uma pequena contribuição para a produção de gás natural he he Vegetarianos e ecológicos, não podia ser melhor!

Ingredientes do recheio:
2 cebolas cortadas em meias-luas
4 dentes de alho picados
1 pimento vermelho cortado em cubos (usei verde)
6 tomates maduros sem pele cortados aos cubos (usei tomate enlatado)
4 chávenas de feijão encarnado cozido
1 lata de milho
1 colher (sopa) de azeite
1 colher (chá) de coentros em pó
1 colher (chá) de cominhos em pó
2 colheres (sopa) de molho de soja
sal q.b. (ou uma colher de sopa de massa de pimentão)

Amoleça a cebola, o alho, o pimento e o pimentão (se usar) no azeite com a panela tapada. Juntar os restantes ingredientes e envolver bem. Coloque num tabuleiro.

Ingredientes da cobertura:
1 chávena de farinha de milho
1 chávena de farinha tipo 65
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
1/3 chávena de levedura de cerveja ou queijo ralado se não for vegan (usei queijo ralado)
3 colheres (sopa) de azeite
400 ml de leite de soja (usei leite de vaca magro)

Misturar os ingredientes secos numa taça. Juntar os líquidos até formar uma mistura líquida (semelhante ao preparado de panquecas). Com uma colher colocar em cima da mistura de feijão e levar ao forno, a 180º cerca de 50 minutos. Depois de cozida fica a saber a uma broa de milho macia.

Notas: O molho a modos que passou para o andar de cima sem ninguém o ter mandado. Uma parte da cobertura parecia uma piscina de molho mas não interferiu na consistência da massa. Receita a repetir variadíssimas vezes :)
publicado por Ameixinha às 16:00 | link do post | comentar | ver comentários (63) | partilhar
Sexta-feira, 26.02.10

Espinafres com grão-de-bico

Estamos de dieta à base de água e vento há mais de uma semana. De uma coisa não nos podemos queixar: não morremos à sede! Mas isto é cansativo! Quero ir dar uma caminhada, esticar as pernas, ver amigos e a água não deixa, a não ser que eu não me importe de ir no enxurro, porque a aldeia é sempre a descer e até ia chegar à cidade mais rapidinho :)
Entretanto resolvi entrar noutra dieta, a da Manuela e apresento aqui uma salada quente que reuniu consenso. Grão-de-bico é algo que é sempre muito bem visto nesta casa, embora acarrete efeitos secundários manhosos he he Mas podem sempre dizer que o barulho é do vento, o que não deixa de ser verdade ;)

Para 4-6 pessoas:
2 colheres (sopa) de azeite
1 dente de alho grande, cortado ao meio
1 cebola média, finamente picada
1/2 colher (chá) de cominhos
pitada de pimenta-de-caiena (não tinha, usei pimenta branca)
pitada de açafrão-da-índia (usei estames de açafrão)
800 gr de grão-de-bico, enlatado, escorrido e enxaguado (cozi eu o grão na panela de pressão)
500 gr de folhas de espinafre pequenas, lavadas e sacudidas para tirar a água em excesso
2 pimientos del piquillo, escorridos e cortados às rodelas (usei pimento vermelho comum)
sal e pimenta

Preparação:

1. Aqueça o azeite numa caçarola grande com tampa em lume médio-alto. Adicione o alho e deixe refogar durante 2 minutos, ou até ficar alourado, mas não queimado. Retire com uma escumadeira e deite fora.

2. Acrescente a cebola, os cominhos, a pimenta-de-caiena e o açafrão-da-índia e deixe cozer, mexendo, durante cerca de 5 minutos até ficarem brandos. Junte o grão-de-bico e mexa, até ganhar, ligeiramente, a tonalidade do açafrão-da-índia e da pimenta.

3. Acrescente, mexendo, os espinafres apenas com a água que estiver nas folhas. Tape e coza durante 4-5 minutos até ficarem murchos (os meus levaram mais tempo). Destape, deite os pimientos del piquillo, e deixe cozer mais um pouco, mexendo com calma, até o líquido se evaporar. Tempere com sal e pimenta e sirva.



Nota: Como eu usei pimento vermelho, acrescentei-o logo no início, ao mesmo tempo da cebola, para que ele fosse ficando tenro.
Receita retirada do livro "Cozinha Mediterrânica" da Parragon.

Manuela, sei que gostas de espinafres e de grão, espero que aproves esta minha sugestão :)
Parabéns ao Delícias e Companhia pelo segundo aniversário e que conte muitos mais anos de delícias saudáveis e outras nem tanto!

Bom fim de semana a todos.
publicado por Ameixinha às 12:10 | link do post | comentar | ver comentários (58) | partilhar
Terça-feira, 25.08.09

Salada de milho e feijão preto com vinagrete de limão

Vi esta imagem fantástica aqui e decidi que tinha que fazer... tentar fazer!
Foi o que fiz, embora com algumas alterações. Mesmo assim, foi do agrado de todos, ninguém deixou de a comer e o meu pai até disse que o que sobrasse devia ser guardado para o lanche, de tão boa que é :)
Como é óbvio, só será muito boa para quem aprecia muito estes ingredientes e para quem não se incomoda com a quantidade de gás natural que advém do seu consumo he he
Aliás, acho que nem vou tirar bilhete para ir ao Porto e Lisboa, o gás natural leva-nos onde queremos :)
Isto não vai soar nada bem mas que se lixe, haja alegria! Espero é que ninguém se afaste de mim já que sou uma potencial fonte de energia, ok? "Felizmente não cheira." he he

Salada:
1 chávena de milho congelado
425 g de feijão preto enlatado (cozi o meu na panela de pressão)
425 g de grão de bico enlatado (cozi o meu na panela de pressão)
1 pimento vermelho cortado pequeno (usei um tomate maduro mas rijo e descartei as sementes)
1 manga ou pêssego (não usei)

Vinagrete:
2 limas, zester e sumo (usei limão - o siciliano para as amigas brasileiras)
2 colheres (sopa) de vinagre balsâmico
1/2 chávena de folhas de manjericão (não usei porque o meu manjericão não cresceu este ano)
1/4 colher (chá) de cominhos moídos (opcional - não usei)
1/3 chávena de azeite
sal e pimenta preta a gosto

Preparação:
Misture o milho, feijão, grão, pimento (tomate) e a manga (pêssego).
Numa tigela pequena combine o zest, sumo, vinagre, manjericão e os cominhos.
Lentamente junte o azeite, mexendo constantemente até que a mistura engrosse. Tempere com sal e pimenta.
Coloque o vinagrete por cima da salada e mexa. Refrigere por 1 hora e misture outra vez antes de servir.

Notas:
- O milho pode ser fresco em espiga, aqui não encontro disso.
- As leguminosas devem ser drenadas da água.
- Não usei manga nem pêssego porque não iria agradar a todos e não me apeteceu ver os narizes torcidos. Aliás, no original sugere manga mas num dos comentários deixados no post, disseram que usaram pêssego e também ficou bom.
- A blogueira não usou cominhos porque se esqueceu, os meus estavam fora do prazo e optei por não usar. Tal como aconteceu com ela, a salada ficou boa sem eles. Mas não sei se ficaria melhor se os usasse. Como passou a ser salada cá de casa, vou testar novamente com os cominhos. Para quem não aprecia, deixe de fora!
- O sal sugerido é o Kosher, mas eu não tenho, usei sal marinho e moí a pimenta preta na hora.
- Não usei o vinagrete todo, achei exagerado. Guardei-o e usei-o noutras saladas. É muito refrescante.
- Serve 4 a 6 pessoas.
- A minha foto não é digna da salada, vejam uma bela foto desta salada no sítio de onde eu retirei a receita. Aquilo sim, é uma bela foto!



A Titó ofereceu-me este selinho e junto com ele vinham umas perguntitas:

Uma música mágica: Imensas, uma delas é "The dull flame of desire"
Um filme mágico : Eduardo mãos de tesoura
Uma viagem mágica: Islândia, Irlanda e Itália (ainda não a fiz mas sinto que deve ser mágica)
Maquilhagem mágica: a minha, consegue colocar-me menos feia he he

Passo a:

Noémia (A arte dos trapinhos)

Isabel (Vai melhorar)

Ana (Eu mulher)


Anabenfica (Tricas & Nicas)

Está tudo pronto para os encontros? Já anda tudo ansioso, com a periquita aos saltos de tanta emoção? Não? Sim?
Cuidado, olhem que a emoção pode fazer mal ao coração, tomem um drunfo e durmam descansadinhas he he
Eu lá vos espero, umas no Porto outras em Lisboa :)
É tudo à molhada e fé em Deus!
Se eu não aparecer a casa, já disse à minha mãe para ligar para a polícia. Portanto... não se atrevam, ó mouras, a tocar-me num fiozinho de cabelo. Nem nos castanhos nem nos brancos, ok? he he
Peço que não digam na net a hora e o local onde nos vamos encontrar, ok? Já basta eu ter que vos aturar a todas, aparecerem mais mouros indesejados seria o verdadeiro descalabro, o horror, a loucura he he
Continuação de boa semana!
publicado por Ameixinha às 15:10 | link do post | comentar | ver comentários (62) | partilhar
Domingo, 05.07.09

Lentilhas com lascas de bacalhau num dia castanho



Castanho é a cor dos meus olhos e da canela... uma cor que combina perfeitamente com este blog!

Apesar de estar a viver uma altura complicada na minha vida, em que as más notícias se sucedem em catadupa, eu continuo a sentir-me uma pessoa cheia de sorte. Este último mês tem sido traumatizante e infeliz mas também foi um mês em que recebi muitas coisas boas e, quero acreditar, que esta onda de maus agoiros está a passar. Devagarinho e com esperança a coisa vai :)

Há algum tempo atrás recebi um presente inesperado que veio do outro lado do Atlântico. Como muitos de vocês sabem - e outros tantos vão ficar a saber agora - o Alessander publicou um livro em que compilou algumas das receitas já publicadas no seu blog Cuecas na Cozinha. O livro chama-se Cuecas na Cozinha - Escola de Maridos & Afins.
É escrito no mesmo estilo do blog, com muito boa disposição, tudo explicado de forma clara e exacta, lê-se como se estivessemos à mesa numa conversa leve e amigável com o Alessander e a esposa Cris, que dá imagem às receitas do blog e, consequentemente, do livro.

Não me vou alongar acerca deste assunto pois creio que merecerá um post só para ele, talvez publicado na Academia dos Livros, já que é uma excelente sugestão de leitura :)

Para primeira receita escolhi algo que nunca tinha provado, com algo que faz parte do meu dia a dia: lentilhas e o já popular bacalhau.
Porque escolhi esta para primeira receita a ser testada?
Primeiro porque acredita-se que as lentilhas atraem boa sorte a nível financeiro e, sinceramente, estou a precisar muitíssimo! Depois porque tinha um saco de lentilhas à espera de ser usado desde o Verão de 2008 e já quase a terminar o prazo de validade. Por último, era uma receita cujo resultado fica em tons de castanho, tornando-se apropriada ao Desafio das Cores que tem colorido a blogosfera.

Juntou-se a fome com a vontade de comer e saiu uma agradável surpresa que todos comeram com prazer. Até o meu pai que é avesso a novas experiências, não deixou num uma lentilhinha de lado :)
Alessander, mais uma vez obrigada pelo carinho e pela generosidade. Espero não te ter deixado ficar mal com esta receita!


Lista de compras para 2 pessoas (eu dobrei a quantidade):
100 g de lentilhas
100 g de lascas de bacalhau
azeite
alho-francês/alho-poró
Salsa picada
Leite

Faça antes:
Dia anterior - cubra as lascas de bacalhau com água. Deixe no frigorífico. Troque de água umas três vezes. Quando coar o bacalhau pela terceira vez, cubra-o com leite e volte ao frigorífico.

Na hora:
Siga as instruções do pacote. Para 100 g de lentilhas, utilizei 200 ml de água (seguindo a proporção peso x quantidade de água). Cozinhe em fogo baixo, com a panela quase tapada, até a água secar.
Hora de refogar o bacalhau - cubra o fundo da panela com o azeite, corte 6 rodelas de alho-poró (solte todos os anéis de cada rodela). Aqueça o azeite e refogue os anéis até amolecerem. Coe o leite e acrescente as lascas de bacalhau. Misture e deixe cozinhar por uns 3 minutos. Acrescente salsa picada (uma colher de sopa) e refogue mais uns 2 minutos. Desligue o fogo. Reserve algumas lascas de bacalhau para decorar.
Depois, despeje na própria panela do refogado, as lentilhas cozidas. Misture e sirva.

Notas:
- Não tinha salsa e não usei, decorei com azeitonas pretas que acho que combina muito bem com bacalhau.
- Pode comprar já o bacalhau em lascas ou fazer como eu e cozer uma posta, fazendo-a em lascas depois de fria.
- Se a água da cozedura secar e as lentilhas ainda não estiverem prontas, desligue o lume. Noutra panela ponha água a ferver, temperada da mesma forma como temperou a outra que estava a cozinhar. Assim que ferver, despeje um pouco do líquido na panela, acenda o lume novamente e continue a cozinhar. Acrescente a água aos poucos, para não passar do ponto do cozimento.
Esta técnica deve ser usada para todos os grãos.
Acho que a cozedura também depende da qualidade de lentilha que for usada.

Espero que gostem! Bom Domingo a todos :)

publicado por Ameixinha às 13:18 | link do post | comentar | ver comentários (70) | partilhar
Terça-feira, 25.11.08

Farofa quebra bico



Aqui estou eu para mais um intercâmbio. E se já era viciada no pau (de mandioca) agora juntei a farinha para completar o menú :)

A minha parceira é a Débora que fez Feijoada à Transmontana.

Eu optei por uma farofa quebra bico que ficou simplesmente deliciosa. Usei como acompanhamento um feijão preto com linguiça/chouriço, bem típico do Brasil e optei por uma couve lombarda cozida em água e sal por uns minutos.


Como vocês sabem a minha aventura com o pau (salvo seja) de mandioca não é das melhores porque custa a partir! Mas tive azar com a farinha, não encontrei no supermercado que costumo ir. Tive que ir no dia seguinte, propositadamente, comprar um saco de farinha de mandioca. O que eu faço pelo intercâmbio!!!


Segue a receita deliciosa, simples de fazer e baratinha. Serve duas pessoas com fome :)


Farofa quebra Bico


200g de linguiça

1 colher (sopa) de óleo (usei azeite)

1 dente de alho

80 g de tomate sem pele e sem sementes (usei 3 tomates enlatados)

20 g de cebola (coloquei meia cebola)

10 g de pimentão/pimento verde (usei mais)

pimenta dedo de moça (não usei, coloquei uma pitada de pimenta moída na hora)

1 ovo

cebolinha/salsa fresca q.b.

1 colher (sopa) àgua quente

farinha de mandioca q.b. (usei cerca de 40/50g)



Preparação:

Retire a pele à linguiça e esfarele. Aqueça o azeite e frite a linguiça. Junte o dente de alho picado e frite mais um pouco. Acrescente o tomate, o pimentão, a cebola em cubos pequenos e a pimenta dedo de moça picada.

Refogue bem todos os ingredientes, baixe o fogo, coloque um ovo no meio da farofa, pingue em cima a colher de água quente e tampe a frigideira. Quando o ovo estiver quase cozido, mexa devagar para agregar o ovo à farofa.

Junte cebolinha/salsa fresca picada e só quando estiver morna junte a farinha de mandioca suficiente para dar liga à farofa, sem perder a humidade.

E o resultado é o que se vê na foto acima :)


Para o feijão preto baseei-me na receita que vi na revista "Mulher Moderna na Cozinha, nº 95":


1 lata de feijão preto cozido

1 dente de alho picado

1/2 cebola picada

1/2 chouriço de carne

sal q.b.


Coloquei o azeite, o alho e a cebola com o chouriço cortado às rodelas e levei a refogar. Depois foi só juntar o conteúdo da lata de feijão e deixar ferver. Temperei com uma pitada de sal e ficou pronto a servir.


Mais uma vez a minha mãe aprovou o prato e disse que podia/devia fazer mais vezes, porque era muito bom.

Ora, portanto, caiu muito bem esta farofinha! E momentos depois, a minha mãe caiu mal. Acho que foi o feijão que pesou he he Estatelou-se no chão de cima de um banco e ficou abalada a tarde toda!!

Se comerem farofa quebra bico, não se ponham em cima de bancos para mudar cortinas logo no fim de comer. É que se quebra bico também pode quebrar outras coisas :)
publicado por Ameixinha às 09:30 | link do post | comentar | ver comentários (65) | partilhar
Sábado, 09.08.08

Peru com grão em molho verde


Pois é, o Verão anda muito tímido mas, de quando em quando, vem umas ondas de calorzinho que temos que aproveitar. É nessas alturas que surgem umas comidas mornas/frias para comer com todo o vagar que o calor convida. Sinto-me tãoooo Alentejana quando a temperatura sobe :) Não me apetece fazer nada e até me custa cozinhar.

Assim, peguei num frasco de grão cozido e escaldei-o em água quente. Entretanto grelhei uns bifinhos de perú, previamente regados com sumo de limão, alho e sal. Deixei o grão arrefecer e coloquei os bifinhos por cima. Fiz o molho com azeite, cebola, pimenta, sal, salsa e uma colher de mostarda. Misturei bem e espalhei por cima da carne e do grão.


O Verão quer-se simples, vagaroso e descansado :)



Em representação dos habitantes desta casa o Matias deseja aos visitantes um óptimo fim de semana :)

publicado por Ameixinha às 01:15 | link do post | comentar | ver comentários (40) | partilhar
Sábado, 07.06.08

Arroz de favas e tomate com panado


Finalmente publico uma receita com favas! Eu que adoro favas e tenho a sorte de ter recebido algumas dos vizinhos. Ontem comi uma sopinha de favas espectacular e hoje foi a vez do arroz malandrinho :)

Nada de muito especial e sem qualquer segredo: é só fazer um refogado com alho e cebola picadinhos. Levar a alourar com um fio de azeite e depois regar com um copo de àgua. De seguida junta-se os tomates maduros aos pedacinhos (eu usei 2 tomates pelados de lata) deixa-se levantar fervura. Entretanto mete-se o arroz (cerca de 200g), tempera-se de sal e ajusta-se a quantidade de àgua de forma a ficar um arroz soltinho e não seco. Deixa-se cozer e só quase no final é que se deitam as favas (usei cerca de 150 a 200g de favas descascadas). Entretanto fritam-se os panados (usei de frango) que trouxe já prontinhos do talho. Aproveito os peitos do frango e peço para fazer os panados. Mas em casa também é fácil, é só temperar de sal, pimenta, sumo de limão ou um pouco de vinho branco e alho picadinho. Passa-se os filetes de frango por um ovo batido e depois por pão ralado (pode ser normal ou com ervas aromáticas) e leva-se a fritar no óleo ou a assar no forno que é mais saudável. Está pronto a comer e que maravilha que ficou :) Acabaram-se as favas cá em casa :(
publicado por Ameixinha às 13:14 | link do post | comentar | ver comentários (31) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...