Sexta-feira, 01.11.13

Crumble de maçã

 

 

Não sei o que para vocês é ser-se abençoado. Tenho pensado nisso porque, nos últimos tempos, tenho comentado com amigos que há pessoas que nasceram com o rabiosque virado para a lua. Nasceram e continuam a viver de rabo pró alto :) Há pessoas que é só estalar os dedos e tudo lhes cai no colo. Têm o regaço cheínho de comodidades e não, não são rosas, senhor, não são só rosas! Ele é casas, viagens, empregos, carros, namorados e, last but not the least, beleza. Pensando bem, a beleza é mais aparência já que, a maioria são umas verdadeiras bestas em termos humanos. E eu pergunto: oh porquê, porque é que estas verdadeiras bestas são donas de tanta sorte na vida? E eu sei a resposta. Oh se sei!

Depois, Deus tem uma maneira única e incrível de me mostrar que não estou perdida nem abandonada.

Maria Ameixa, tu que andaste uns meses à procura de uma saia lápis e a semana passada uma amiga chegou ao pé de ti e enfiou-te uma saca na carteira com 2 saias dessas, não serás tu abençoada?

Tu que hoje de manhã, pensaste que tinhas que sair de casa a chover para ir comprar ovos e, de repente, não mais que de repente, a vizinha telefona-te e diz que tem lá uma saca de ovos para ti.

Tu, que ontem encontraste uma pessoa que te disse que a tua mãe tinha muito orgulho em ti, não será isso uma benção?

Tu, que és desprovida da maioria dos objectos materiais pelos quais se empenham as pessoas, mas que diariamente vês as tuas necessidades básicas supridas, és uma sortuda!

Tu que querias fazer um crumble gluten-free mas não encontraste nenhuma receita à tua medida e decidiste ir misturando ingredientes, mesmo cheia de medo e esperança, enfiaste tudo no forno e obteste algo delicioso.

A minha vida pode parecer um crumble por fora, mas bem cá dentro, no fundinho do meu coração, sou a mais abençoada das personagens. Porque com pessoas assim à minha volta, a vida é uma colherada docinha, para sorver aos poucos e ir saboreando prazerosamente.

 

 

Ingredientes:

 

3 maças granny smith

1 colher (chá) de canela moída

1 colher (sopa) de açúcar amarelo

 

30 g de flocos de aveia sem glúten

40 g de amêndoa em lascas

30 g de flocos de quinoa

1 colher (sopa) de farinha de arroz

1 colher (sopa) de açúcar baunilhado

50 g de manteiga

 

Preparação:

Comece por fazer o crumble misturando todos os ingredientes com as mãos, até obter uma mistura tipo areia grossa. Reserve.

Descasque, descaroce e corte as maçãs aos pedacinhos. Envolva a canela e o açúcar nas maçãs e reparta a mistura por três ramequins.

Divida a mistura seca pelos ramequins, colocando-a por cima da mistura de maçã. Polvilhe o açúcar baunilhado por cima e leve ao forno quente por cerca de 35-45 minutos ou até que o topo esteja dourado. Sirva morno ou à temperatura ambiente.

 

 

Tu, Ameixinha, que andas numa guerra pegada com o ecrã do teu micro-mini computador, porque tanto está verde como cor-de-rosa, tiveste a sorte de escrever esta postagem com o ecrã normal. Até ele te dá tréguas quando é mesmo preciso!

Ainda bem que não nasci de rabo virado para a lua, porque com o tempo que está para estes lados, já tinha constipado. De certezinha :)

 

Bom fim de semana ;)

 

 

publicado por Ameixinha às 17:23 | link do post | comentar | ver comentários (27) | partilhar
Quinta-feira, 24.10.13

Bolo de cenoura



Queria falar do amor e, mais que isso, queria senti-lo. Estes dias vi-o, de mão dada, e deu-me um calorzinho no coração e um sorriso esperançoso nos lábios. 

O amor está na tristeza, na doença e na pobreza, porque todos parecem amar quando há alegria, dinheiro e saúde. É o facilitismo da condição mas, amar verdadeiramente, amam aqueles que suportam a desfavorabilidade das suas vidas. Vi-o, o amor, em duas mãos trabalhadoras entrelaçadas, duas faces envelhecidas pelo labor, dois corpos a seguir um só caminho. A serenidade dos dois disse tudo, apesar do silêncio entre eles. Escutei tudo, com o coração, e neles havia a tranquilidade do verdadeiro amor, desprovido de riquezas materiais, enaltecido pela simplicidade de um entrelaçar de dedos. O amor está em todo o lado, em cada um de nós, desde que tenhamos os olhos abertos e um bilhete de comboio :)

O amor tem aroma de canela, porque podemos ser pobres mas havemos sempre de cheirar a limpo!

 

 

Carrot cake

(falling cloudberries from Tessa Kiros)

 

4 ovos, ligeiramente batidos

250 g açúcar

185 ml de óleo de girassol

250 g de farinha sem glúten (usei Mix B da Schar)

3/4 colher (chá) de sal

2 colheres (chá) de fermento

1 colher (chá) de bicarbonato de soda

2 colheres (chá) de canela moída

400 g de cenouras, descascadas e raspadas

55 g de nozes partidas

 

Cobertura:

180 g de manteiga, amolecida

250 g de açúcar em pó

180 g de queijo creme

3 gotas de extracto de baunilha

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte e enfarinhe uma forma de fundo removível de 24 cm de diâmetro.

Bata os ovos e o açúcar até ficar cremoso, adicione o óleo. Peneire a farinha, fermento, canela, sal e bicarbonato. Adicione à mistura de ovos e bata para misturar.

Adicione as cenouras e as nozes e envolva rapidamente com a batedeira. Coloque a mistura na forma e leve ao forno por cerca de 1 hora ou até que um palito inserido no centro do bolo saia limpo. Deixe arrefecer um pouco na forma antes de desenformar para um prato.

 

Enquanto o bolo estiver no forno, faça a cobertura. Bata a manteiga com o açúcar, adicione o queijo-creme e a baunilha e bata até ficar homogéneo.

Quando o bolo estiver frio, espalhe a cobertura no topo e lados do bolo com uma espátula. 

 

Notas:

Para um bolo com glúten, use 300 g de farinha para bolos.

publicado por Ameixinha às 20:31 | link do post | comentar | ver comentários (10) | partilhar
Domingo, 15.09.13

Tarte trufada de chocolate e avelãs

 

Hoje não vou dizer nada, para compensar a verborreia da postagem anterior :)

Temos Tessa, sempre ela e os seus maravilhosos livros. 

A minha única preocupação é, agora, adaptar as suas receitas à minha dieta sem glúten. Tenho sido feliz nas minhas tentativas. 

Este é um pedaço rico de chocolate para envolver o palato em sonhos pantagruélicos e para dividir com os outros.

Porque há dias em que só o chocolate nos sana... para nos enlouquecer posteriormente, uma e outra vez.

Boa semana a todos!

 


Chocolate truffle tart (falling cloudberries - Tessa Kiros)

 

100 g de manteiga

100 g de açúcar

100 g de chocolate semi-amargo

3 ovos

1 colher (chá) de extracto de baunilha

20 g de farinha sem glúten (ou com glúten, se não forem intolerantes)

40 g de avelãs moídas

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte e enfarinhe uma forma de fundo removível.

Derreta a manteiga numa panela sobre lume fraco. Adicione o açúcar e chocolate e mexa até que o chocolate derreta e o açúcar se dissolva. Retire do lume, transfira para uma tigela e deixe arrefecer cerca de 30 minutos. Adicione as gemas e a baunilha e mexa com a batedeira. Peneire a farinha e envolva ao preparado, depois adicione as avelãs.

Bata as claras em castelo e adicione ao preparado de chocolate, envolvendo uma colher de cada vez.

Passe a massa para a forma e coza por cerca de 35 minutos ou até que um palito inserido no centro saia limpo. Deixe arrefecer cerca de 15 minutos antes de retirar da forma. Sirva depois de frio.

publicado por Ameixinha às 22:18 | link do post | comentar | ver comentários (6) | partilhar
Quarta-feira, 07.08.13

Manjar de avelã



Prepare o seu coração, para as coisas que eu vou contar, vem-me tudo do coração e pode não lhe agradar :)

Pois é, o blog está meio morto há 2 meses e não, não aconteceu nada de grave. Apenas tivemos uma onda de calor que me matou o Tico e o Teco, os únicos neurónios que ainda iam funcionando em condições; o meu gato desapareceu durante uma semana e veio meio desgraçado; entretanto tive que adaptar a minha dieta sem lactose e sem glúten, e nem todas as receitas ficam "blogáveis"; por isso, fui adiando a actualização do blog.

Mas eis que, do nada, as palavras começaram a viajar-me na cabeça, que está inane, - sim, descobri esta palavra nova e apaixonei-me por ela - despolotada por situações quotidianas que me tiram do sério, e senti necessidade de partilhar as minhas mágoas, angústias e intolerâncias. Agosto é o mês adequado para isso porque, como já disse, não sou fã de sol, nem de praia, nem de estupidezes que é o que mais se vê neste mês tão lindo. Despertou a revolucionária que há em mim e comecei a sentir como que um fogo aceso encerrado nos meus ossos e, nas próximas postagens, pretendo libertá-lo ao mundo. Já escrevi tanta coisa e ainda não "disse" nada. Isto vai ser como as séries que nos prendem a atenção no fim e ficamos ansiosos à espera do próximo capítulo, ou não.

No entanto, eu não me sinto na obrigação de actualizar o blog, até porque cada vez mais há blogs com muita qualidade e eu não sinto que o meu venha acrescentar grande coisa à blogosfera, mas cá estarei, nas minhas verborreias escritas, sempre que uma coisinha má me passar de um hemisfério cerebral para o outro. E não, as minhas estórias não têm importância nenhuma, são tão inanes quanto o cérebro que as cria, mas podem ser divertidas e é isso que as pessoas inanes querem, não é?

Já foram ver que palavra é esta ao dicionário? Inane é aquilo que este manjar não é, garanto ;) Porque para amarga basta a vida, vamos lá adoçar o bico!





Ingredientes:

 

4 folhas de gelatina

120 g de açúcar

50 g de farinha maisena

2 dl de leite de coco

5 dl de leite de soja

100 g de avelã triturada grosseiramente

1 tablete de chocolate

 

 

Preparação:

Salpique a forma com água fria e guarde-a no congelador.

Mergulhe as folhas de gelatina em água fria.

Misture ao açúcar com a farinha maisena e junte o leite de coco, envolvendo bem.

Misture o leite.

Adicione as avelãs trituradas e leve ao lume para espessar. Retire e dissolva as folhas de gelatina escorridas.

Verta a massa na forma e deixe arrefecer antes de colocá-la no frigorífico.

Retire quando estiver firme. Decore com o chocolate derretido em banho-maria, com a ajuda de um cartucho de papel ou saco plástico cortado na

ponta.

 

Notas:

Receita adaptada da revista Segredos de Cozinha nº864

Usei leite de soja e avelãs mas podem substituir por leite de vaca e amêndoa.

 

sinto-me:
música: Disparada - Zizi Possi
publicado por Ameixinha às 21:26 | link do post | comentar | ver comentários (24) | partilhar
Domingo, 19.05.13

Bolachas de manteiga de amendoim


 

Embora a temperatura nos leve a pensar que não estamos na Primavera, a verdade é que as frutas, flores e animaizinhos dão-nos a certeza que o Verão está próximo. Por isso, só podemos estar mesmo na Primavera, e temos que fazer de tudo para convencer o cérebro disso. É isso mesmo que tenho visto, apesar da sensação térmica de cinco graus centígrados não faltam pessoas descapotadas, de unhaca de fora - e outras coisas à mostra - a dar azo à sua coragem ao enfrentar ventos ciclónicos e chuvas geladas, sem guarda-chuva e pensando que são só umas pinguinhas. "Está calor, tenho calor, viva o calor!", devem repeti-lo como uma espécie de mantra para se convencerem disso e eu, que sou uma ovelha negra e que insisto em não andar atrás da maioria, passo de capote até às orelhas e meias opacas até ao pescoço; e ainda tenho a lata de avisar uma beata zelosa, que está agachada a preparar o tapete da procissão, que o fio dental está à mostra. Há gente que não se sente, e ainda bem que a imagem no altar tem olhos mas não vê, porque senão havia de ser bonito :)

 

Ingredientes:

1 chávena de açúcar

1 ovo

1 colher (chá) bicarbonato de soda

1/2 colher (chá) extrato de baunilha

1 chávena de manteiga de amendoim

1 chávena de amendoins partidos (opcional)

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Numa tigela, bata o açúcar com o ovo, o bicarbonato e baunilha. Adicione a manteiga de amendoim e os amendoins partidos. Envolva até ficar homogéneo. Coloque colheradas de massa em tabuleiros untados, deixando-as distanciadas umas das outras. Leve ao forno por cerca de 10 minutos. Retire e deixe arrefecer.

 

Notas:

Não usei amendoins partidos, a minha manteiga de amendoim é suave e obtive biscoitos com uma massa mole, perfeita para comer com frutas vermelhas e até um pouco de chantily, para quem gostar.

Receita retirada daqui

 

Bom Domingo!

publicado por Ameixinha às 14:51 | link do post | comentar | ver comentários (16) | partilhar
Domingo, 05.05.13

Manteiga de amendoim caseira

 

 

A Primavera está finalmente aí e eu, este ano, decidi que queria sol e calor. Esqueci-me do sofrimento, dei uma de romântica menininha que queria vestir os longos vestidos coloridos, besuntar o corpo de protector solar e sair por aí de óculos de sol na tromba. Desde sempre ouvi dizer que temos que ter cuidado com aquilo que desejamos. Oh se eu me tivesse lembrado disso antes! Com certeza teria permanecido no lânguido Inverno do meu descontentamento e que bem eu estaria.

A Primavera trouxe-me uma alergia repentina a esse pólen leve e arredio que veio para ficar. Espirro de manhã à noite, tenho comichão até ao cerebelo e há sempre uma narina que insiste em entupir. Depois dos 30 é sempre a descer, confiem nisso. Para além disso, há aquele manhoso bichinho que aparece como se nada fosse, sem ninguém o chamar. Amaldiçoados gafanhotos que saltitam de pedrinha em pedrinha. A semana passada tive um encontro de terceiro grau com a mais alta patente dos gafanhotos, era tão grande que devia ser o avô de uma cambada deles, e esbarrou-se nas minhas pernas. Vindo de trás, espatifou-se contra mim e ficou, visivelmente, transtornado. Como é óbvio, depois do meu cérebro se ter apercebido que objecto voador era aquele, dei a correr até casa com um friozinho no estômago e uma vontade louca de gritar.

Resumindo: estou traumatizada, chateada, constipada e enfiada em casa porque o calor lá fora é o maior inimigo dos meus desejos. O projecto de uma Primavera anunciada, saiu furado. Fazem-se receitas caseiras, que é para não correr o risco de ir ao supermercado e encontrar uma praga de gafanhotos pelo caminho :) 

 

Ingredientes (adaptado daqui):

 

1 1/2 chávena de amendoins

1 1/2 colher (sopa) óleo

1 colher (chá) de extracto de baunilha

1/4 chávena de mel

 

Preparação:

 

Asse os amendoins no forno por alguns minutos, deixe arrefecer e processo-os na liquidificadora cerca de 5-7 minutos até obter uma pasta grossa. Junte o óleo e a baunilha e pulse até a mistura ficar mais cremosa. Se achar necessário, vá juntando um pouco de óleo de cada vez. Adicione o mel e processe por mais alguns minutos.

Guarde à temperatura ambiente durante uma semana ou refrigere no frigorífico se mantiver a manteiga de amendoim por mais tempo.


Rendimento: 1 1/2 chávena.

 

Bom Domingo!

publicado por Ameixinha às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (36) | partilhar
Domingo, 17.06.12

Gelado de pistácio


 

Tal como tinha prometido à minha mãe, fiz-lhe o gelado favorito: pistácio. É um verde esperança, sabemos que tudo vai melhorar, aos poucos. Tudo melhora com umas colheradas de verde pistácio :) Mãezinha, o nosso amor é verde!

 

Ingredientes:

100 g de pistácios sem casca 

250 ml de leite

400 ml de natas

1 colher (sopa) de brandy

4 gemas de ovos

120 g de açúcar

 

Preparação:

Pele os pistácios (se não saírem facilmente, coloque-os em água a ferver por cerca de 1 minuto, coe e pele). Coloque-os numa picadora e pulse até obter pedaços pequeninos. Transfira para uma panela com o leite, natas e o brandy e leve a ferver. Remova do lume e bata até ficar um pouco cremoso.

Bata os ovos com o açúcar por cerca de 5 minutos até ficar pálido e cremoso. Junte um pouco da mistura de pistácio e, gradualmente, acrescente o resto. Volte a levar a mistura a lume brando e mexa constantemente por cerca de 5 minutos até que fique espesso.

Retire do lume e deixe arrefecer completamente, mexendo de vez em quando. Transfira para uma tigela, cubra e coloque no congelador. Depois de uma hora, retire do congelador, bata a mistura energicamente e leve novamente ao congelador. Faça isso mais 2 ou 3 vezes, depois transfira para um recipente apropriado e deixe ficar no congelador até ficar firme.

Como alternativa, depois de frio, coloque a mistura na máquina de gelados, siga as instruções do fabricante e leve ao congelador.

O meu foi feito na máquina de gelados, depois de frio, ficou pronto em menos de 20 minutos.

 

Notas:

Receita do livro "Falling Cloudberries" da Tessa Kiros.

Não triturei demasiado os pistácios, prefiro encontrar pedacinhos crocantes deles no gelado mas fica ao critério de cada um.

Embora dê um pouco de trabalho pelar os pistácios, o resultado final compensa.

 

 

A Casa do Sal da Figueira da Foz contactou-me para que divulgasse o seu excelente projecto e fantásticos produtos. Para isso estão a oferecer a quem tem um blog de culinária, dois produtos à escolha. Passem por lá, inscrevam-se e conheçam produtos portugueses que todos deveríamos ter nas nossas cozinhas.

 

Boa semana a todos e obrigada!

publicado por Ameixinha às 22:14 | link do post | comentar | ver comentários (25) | partilhar
Domingo, 03.06.12

Bolo de laranja, azeite e pinhão



Achei que depois de voltarmos todos para casa, o meu tempo iria esticar. Foi um equívoco. Parece que, quanto mais faço, mais tenho para fazer.

Ligo o computador apenas ao fim do dia, depois de jantar, para ver a metereologia porque há roupa a lavar e preciso saber se a poderei estender lá fora ou não. 

Felizmente tenho cozinhado ao almoço e jantar, mas não me consigo organizar para fotografar. Há muitas mais coisas essenciais em fila de espera que ocupam a minha cabeça e pesam nos meus ombros. First things first!! O blogue nunca foi prioridade e não é mesmo. 

O meu tempo divide-se entre a casa, família e amigos. 80% do meu tempo é para a minha mãe e eu amo-a mais a cada dia que passa. De vez em quando relembramos os maus momentos que passaram, e eu lembrei-me que entre esses momentos, num dos dias em que ela ainda estava nos cuidados intensivos, eu fiz este bolo. Um bolo em dose dupla, para poder ser partilhado com os melhores amigos. Eu partilhei esta fornada, um bolo de sabor intenso, tal como a amizade e o amor devem ser sentidos.

 

 


Ingredientes:

4 ovos, separados

1 colher (chá) de extracto de baunilha

250 g de açúcar em pó

50 g de açúcar amarelo

200 ml de azeite

400 g de farinha 

1 colher (chá) de fermento em pó

raspa de uma laranja

250 ml de sumo de laranja

40 g de pinhões

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º. Unte com azeite duas formas de aro removível com 22 cm de diâmetro e enfarinhe. Bata as claras em castelo até estarem firmes. Junte as gemas à baunilha e bata até fazerem espuma. Adicione os açúcares e depois o azeite, um pouco de cada vez, mexendo entre cada adição. Junte a farinha, fermento, raspa e sumo de laranja e bata bem até obter uma massa suave. Envolva gentilmente as claras em castelo.

Despeje a massa entre as duas formas e salpique-a com os pinhões. Leve ao forno por cerca de 35 minutos ou até que o topo fique dourado e um palito inserido no centro saia limpo. Deixe arrefecer antes de servir.

 

Fonte:

Apples for Jam da Tessa Kiros.

música: O amor é mágico - Expensive Soul
publicado por Ameixinha às 23:03 | link do post | comentar | ver comentários (26) | partilhar
Terça-feira, 28.02.12

Waffles de banana e nozes


Porque hoje o dia nasceu nublado e frio. Porque cá dentro está mais gelado que lá fora. Porque a minha mãe está doente e quando lhe perguntei, um dia destes, o que queria para o lanche, ela disse que lhe apeteciam daquelas "panquecas" que faço rapidamente na máquina.

Porque se o amor não cura, uma waffle ajuda ;)

Ingredientes:

3/4 chávena de farinha

1/4 chávena de farinha maisena

1/2 colher (chá) de fermento

1/2 colher (chá) de sal

1/4 colher (chá) de bicarbonato de sódio

1 1/2 colher (chá) de açúcar

1/4 colher (chá) de canela moída

1/8 colher (chá) de noz-moscada

1 chávena de buttermilk

1/3 chávena de óleo

1 ovo

1/2 colher (chá) extracto de baunilha

1 banana madura

1/4 chávena de nozes partidas

 

Preparação:

Junte todos os ingredientes secos. Adicione o buttermilk, óleo, ovo, baunilha e mexa até estar homogéneo. Deixe repousar por 10-12 minutos. Adicione a banana fatiada e as nozes. Coloque a mistura na máquina de waffles já aquecida. Sirva com mais banana e xarope de ácer.

 

Fonte:

From Scratch.

publicado por Ameixinha às 14:15 | link do post | comentar | ver comentários (47) | partilhar
Terça-feira, 07.02.12

Biscoitos para o chá


Tenho tomado bastante chá, comprei no sítio do costume umas infusões que dizem fortalecer o sistema imunitário. E o melhor de tudo é que, desde que comecei com esse chá, já fiquei fortemente constipada duas vezes. Não será muito mau dizer que eu começo a duvidar muito da eficácia do produto, não? 

Agora estou virada para o chá de erva-príncipe ou de limão, com um bocadinho de mel para tentar combater as dores de garganta. Chá pede biscoitos e saem estes depois de ter ficado com meia lata de leite condensado de sobra. A outra meia lata foi usada num arroz doce que não saiu como eu esperava :)


Ingredientes:

125 g de açúcar

150 g de manteiga

3 ovos

1/2 lata de leite condensado

1/2 laranja (raspa)

500 g de farinha

1 colher (sopa) mal cheia de fermento em pó

leite para amaciar

farinha para polvilhar

miolo de amêndoa inteiro e pelado (usei nozes)

ovo para pincelar

 

Preparação:

Numa tigela, amasse muito bem o açúcar com a manteiga. Junte-lhes os ovos, um a um, e volte a amassar. Acrescente o leite condensado e a raspa de laranja.

À parte, peneire a farinha com o fermento e envolva, pouco a pouco, no creme inicial. Por fim, adicione um pouco de leite para amaciar e, com as mãos previamente passadas em farinha, tenda pequenas bolas de massa.

Unte um tabuleiro, polvilhe-o com farinha e disponha as bolinhas, tendo o cuidado de deixar um intervalo entre cada uma.

Concluída a operação, coloque uma amêndoa no topo de cada uma e pincele-as com ovo batido.

Leve ao forno pre-aquecido a 200º C, durante cerca de 20 minutos. Deixe arrefecer e sirva.

 

 

Fonte:

Cozinha prática de sucesso, Abril de 2005.

publicado por Ameixinha às 11:44 | link do post | comentar | ver comentários (38) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...