Segunda-feira, 28.03.16

Cavalas com molho vilão

30-11 013.jpg

 

Da Madeira veio um vilão

E em molho foi feito.

Comeu-se com satisfação,

O peixe ficou perfeito!

 

Ingredientes:

3 ou 4 cavalas

sal q.b.

4 dentes de alho

manjerona ou oregãos

pimenta ou piripiri

salsa e tomilho

3 dl de vinho branco

1 dl de vinagre

azeite para fritar

 

Preparação:

Depois de arranjadas, cortam-se as cavalas em bocados enviesados, que se temperam com sal, alhos picados, manjerona ou oregãos, pimenta ou piripiri a gosto, a salsa picada e um raminho de tomilho.

Regam-se com o vinho misturado com o vinagre e deixam-se marinar por 4 horas.

Escorrem-se e enxugam-se os bocados de cavala e fritam-se no azeite bem quente. Retiram-se e depois de se deixar arrefecer um pouco o azeite, junta-se a marinada. Leva-se novamente ao lume, deixa-se ferver e apurar e deita-se o molho sobre as cavalas.

Acompanha-se com batatas cozidas (batata-doce e semilha).

Receita retirada do livro "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto.

 

 

publicado por Ameixinha às 16:50 | link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar
Terça-feira, 12.11.13

Coelho com alecrim e vinho branco

 

Anda por aí muito boa gente descontente com um certo coelho. Ele dá um passo prá frente e, logo a seguir, seguem-se dois passos para trás.

Não me meto em politiquices, mas caso alguém decida decapitar o bicho, só queria avisar que a minha parte favorita é a extremidade superior mais conhecida como cabeça. É a única parte que me permite saber que estou a comer coelho e não um gatinho :) Não há nada como apartar um belo par de dentes para depois sugar o miolo ;)

 

Ingredientes:

1 coelho

30 g de farinha de milho temperada

60 ml de azeite

1 cebola, cortada em fatias finas

1 ramo de alecrim fresco

1 ramo de salva fresca

2 dentes de alho, esmigalhados

500 ml de vinho branco

400 g de tomate em lata ou fresco, aos pedaços

1 pitada de pimenta

125 ml de água

azeitonas pretas

 

Preparação:

Corte o coelho em pedaços grandes e cubra-os com farinha antes de os cozinhar.

Aqueça o azeite num tacho grande, em lume médio. Cozinhe os pedaços do coelho, até todos os lados apresentarem um tom castanho, e retire-os do tacho.

Reduza o lume e adicione a cebola, alecrim e salva. Deixe cozinhar durante 10 minutos, depois acrescente o alho e volte a colocar o coelho no tacho.

Aumente o lume para forte, acrescente o vinho e deixe cozinhar por 1 minuto. Adicione o tomate e a água e mexa. Reduza a temperatura, tape e deixe cozinhar em lume brando por cerca de 1 hora, até o coelho ficar tenro. Se a meio da confecção o molho parecer demasiado seco, acrescente 60 ml de água.

Deite fora o ramo das ervas. Verifique o tempero e ajuste-o se achar necessário. Guarneça com as azeitonas e alecrim adicional.

 

Receita adaptada d' "O livro essencial da cozinha mediterrânica".

publicado por Ameixinha às 17:26 | link do post | comentar | ver comentários (7) | partilhar
Domingo, 03.03.13

Carne de vaca com ervas

 

 

 

Nada a declarar!

Fim de semana no fim.

Comer e descansar,

Domingo é mesmo assim.

 

Bom fim de semana :)

 


Ingredientes:

1 kg de carne de vaca

100 g de bacon

4 cenouras, partidas às rodelas grossas

1 cebola grande, picada

200 g de cogumelos

400 ml de caldo de carne

polpa de tomate q.b

2 dentes de alho

1 colher de chá de tomilho seco

1 colher de chá de alecrim seco

1/2 colher de chá de manjerona seca

1/4 colher de chá de sálvia seca

1/4 colher de chá de alho e jindungo

 

Preparação:

Corte a carne aos pedaços grandes e leve a cozer na panela de pressão com uma pitada de sal e o alho e jindungo, por cerca de 20 minutos.

Num tacho refogue a cebola e os alhos picados com um pouco de azeite, junte o bacon, a cenoura, o tomilho e o alecrim. Deixe alourar por 5 minutos. Retire e reserve. Junte os pedaços de carne de vaca ao tacho e os 400 ml de caldo em que a carne cozeu. Deixe refogar por cerca de 10 minutos, junte os cogumelos, a polpa de tomate, a misture de cenouras e bacon e os restantes temperos. Deixe apurar, retifique os temperos e sirva imediatamente com couscous ou arroz branco.

 

Baseada numa receita Margão usando um dos seus Kits de especiarias e, admito, que valeu mesmo a pena, mesmo para mim que não sou grande fã de carne de vaca.

publicado por Ameixinha às 15:37 | link do post | comentar | ver comentários (13) | partilhar
Terça-feira, 02.10.12

Espetadas com molho tandoori



Se sabe a Índia? Não, não sabe porque lá as vacas são sagradas e seria de mau tom apresentar um espeto destes à maioria da população indiana. Não acho que as bichas sejam sagradas mas, por mim, também podiam passear-se por aí porque não é a minha carne favorita. Borrego teria sido melhor, era mesmo a sugestão de carne a usar mas à falta de méeeee, houve muuuu ;) E depois tivemos porco, que é coisinha que não falta neste mundo e que não é sagrado em lado nenhum, pois não? Bem, ultimamente o que não faltam são porcos enaltecidos que estavam bem era no espeto, mas não nos cabe a nós julgar; e a esta hora da noite já nem tudo está organizado no meu patamar de cima. 

Vim cá ao blog apenas para dizer que, dado que o tempo quente continua, nada melhor que um arroz malandro de tomate e umas espetadas para aproveitar estes dias. Que acham?

 

Ingredientes:

750 g de carne (usei vaca e porco mas pode ser borrego ou frango)

1 pimento grande e sem sementes

1 colher (sopa) de azeite

 

Molho:

1 cebola pequena

1 dente de alho

2 pimentos verdes sem sementes

4 colheres (sopa) de iogurte natural

2 colheres (sopa) de azeite

2 colheres (sopa) de sumo de limão

2 colheres (sopa) de caril ou garam masala

1 colher (chá) de açafrão

1 colher (chá) de paprika

1 chouriço de colorau

 

Preparação:

Corte a carne e o pimento em pedaços pequenos.

Coloque os pedaços de carne nos espetos, alternando com os pimentos e o chouriço. Coloque os espetos numa travessa grande.

Triture todos os ingredientes do tempero tandoori. Deite o molho uniformemente sobre os espetos. Cubra com película aderente e deixe marinar no frigorífico por 3-4 horas. Dê-lhes uma volta pelo menos uma vez.

Aqueça o grelhador ou faça as brasas e leve a grelhar, girando sempre, para que cozinhem por igual. Sirva.

 

Receita baseada na revista "Boa mesa" nº11.

 

 

publicado por Ameixinha às 00:38 | link do post | comentar | ver comentários (26) | partilhar
Terça-feira, 18.09.12

Frango assado com ervas


 

O mundo da tvcabo foi-me apresentado há muito pouco tempo, mas os livros fizeram sempre parte da minha vida. As receitas entusiasmam-me mais que os cozinheiros, não compro os livros pela capa, mas pelo que me têm a oferecer. Quando comprei um dos livros do Nigel Slater, eu nem fazia ideia de como o senhor era, mas o que me interessava eram as suas receitas simples e rápidas. Oh que desilusão quando eu vi o senhor na televisão! É verdade que sempre fazemos uma pequenina ideia de como a pessoa será. Imaginei-o robusto, louro - vá-se lá saber porquê!? - e relativamente jovem. Eis que há uns dias, nos meus poucos tempos livres, sentei-me no sofá e liguei no 24kitchen e lá estava ele... de cabelos oleosos, com rugas, magricela, orelhudo e com um jeitinho esquisito de florzinha. Passada a fase inicial do choque, de uma coisa eu tenho certeza, - e só isso é que importa - o homem sabe cozinhar e fá-lo de uma forma despretensiosa, caseira, simples e elegante numa cozinha linda e fresca. Go Nigel!

 

Ingredientes:

1 frango

1 limão

6 dentes de alho

tomilho-limão

sálvia

sal picante Casa do Sal da Figueira da Foz

azeite q.b.

 

Preparação:

Corte o frango a meio e coloque-o numa assadeira. Tempere com o sal. Esmague os dentes de alho e junte-os ao frango. Por cima, coloque raminhos de tomilho e folhas de sálvia. Regue com o sumo do limão e um pouco de azeite.

Leve ao forno pré-aquecido a 180º até ficar dourado. Vá regando o frango com os seus próprios sucos.

 

Nota:

Vi a receita no programa "Nigel Slater Simple Suppers", mas não anotei as quantidades e nem sei se me esqueci de algum ingrediente. De qualquer maneira, acho que a essência é esta, já que o frango ficou delicioso e suculento.

publicado por Ameixinha às 13:40 | link do post | comentar | ver comentários (30) | partilhar
Sexta-feira, 30.03.12

Gelado de canela

 

Descobri de onde me vem este gosto especial por canela. Será com toda a certeza um gene vindo do lado da minha mãe. Uma das primeiras coisas que me pediu no hospita,l foi um frasco de sal e um frasco de canela em pó :) Tenho praticamente vivido no hospital, só venho a casa para jantar e dormir, e tratar da casa in between. Há bolachas, fruta, chá, colheres, palitos, lenços, escova de dentes, pente, cremes do corpo e dos pés, avental, chávenas, facas, mel, carregador de telemóvel e livros para eu me distrair e nutrir. E há uma mãe que apesar de tudo me faz rir alto porque, quando lhe pergunto porque faz tantos filmes manhosos na cabeça, ela responde-me: "Eu sou muito mágica!". E eu, que tenho os neurónios muito cansados, tenho que pensar duas vezes para perceber o significado da expressão. Ela é mágica porque magica muito nos assuntos, ainda não tenho uma mãe ilusionista ;)

Era óptimo fazer a doença desaparecer e, no lugar dela, dar vez a um gelado que se conservasse fresquinho no calor de um quarto de hospital. Sendo assim, já que a magia não dá para mais, aguardamos que volte para casa para saborearmos um geladinho de canela as duas, ou de pistachio como hoje lhe prometi que faria, assim que a "magia" de Deus aconteça!

 

Ingredientes:

1 litro de leite

2 pedaços de casca de limão

3 paus de canela

1 1/2 chávena (375 g) de açúcar

6 gemas de ovo

1 colher (chá) de canela moída

 

Preparação:

Deite o leite, casca de limão, paus de canela e metade do açúcar numa caçarola e aqueça em lume alto, um pouco abaixo do ponto de fervura. Deixe de parte durante 10 minutos.

Com uma varinha de arames combine bem as gemas, o açúcar restante e a canela moída dentro de uma tigela, até a mistura engrossar e apresentar um tom claro. Adicione o leite à mistura, num fio constante, batendo sempre.

Lave a caçarola, deite no seu interior a mistura e mexa em lume muito fraco durante 5-10 minutos, até ficar espessa. Para averiguar a espessura, passe o dedo pela mistura concentrada na parte de trás de uma colher de pau. Se ficar uma linha bem delineada, o creme está pronto. Deite-o sobre uma tigela através de um coador e deixe arrefecer, até ficar à temperatura ambiente. Deite o creme num recipiente de metal raso, com capacidade para 1,25 litros. Deixe no congelador durante 2 horas, ou até a textura ficar firme.

Quando o creme estiver parcialmente congelado nas bordas, bata bem e volte a colocar no congelador. Repita esta operação (bater e congelar) mais 2 vezes.

Alternativamente, coloque a mistura arrefecida na máquina de gelados e siga as instruções de utilização.

 

Notas:

Receita retirado d' "O livro essencial da cozinha mediterrânica".

Para quem se pergunta o que está na base da bola de gelado, é apenas uma simples maçã assada.

 

Bom fim de semana a todos!

publicado por Ameixinha às 08:30 | link do post | comentar | ver comentários (32) | partilhar
Quarta-feira, 07.12.11

Gelado de baunilha e pimenta rosa

 

É certo e sabido que os apostos se atraem. É suposto os invernos serem frios e cinzentos. É a altura em que o amor sabe melhor, no aconchego e no calor dos afagos. O gato tende a ficar perto da lareira, os corpos sentem-se atraídos pelo sofá e há chás fumegantes com sabor a limão e mel, para acalmar as gargantas inflamadas. Uma monotonia incapacitante toma conta do céu, ou é cinzento ou negro, e o sol esconde-se na magnitude do horizonte. É preciso pedir licença a um pé para fazer avançar o outro, anda tudo em câmara lenta para não deixar escapar os raios de energia armazenados há uns meses. Ela queria que não fosse assim, sentia-se impelida a contrariar tudo na sua vida. Se era doença ninguém sabe, mas ela corria à chuva, ia à praia em pleno temporal e sonhava com os trópicos. Por que haveria de compactuar com as coisas, só porque todos teimavam em segui-las como se não houvesse outro caminho? Ela corria pela vida que queria, como queria que ela fosse e jurava que por muito que a achassem louca, ela ia continuar a traçar um rumo oposto ao dos outros. Tinha plena consciência que os gelados eram doces mas, por muito que pudessem duvidar da sua sanidade, ela ia continuar a apimentar a sua vida e a sonhar com o calor do verão em pleno inverno.

 

Ingredientes:

1 fava de baunilha

175 g de leite

75 g de natas

10 g de pimenta rosa

75 g de açúcar

3 gemas de ovo

 

Preparação:

Abra a fava de baunilha longitudinalmente e, com uma faca, raspe o interior.

Coloque numa caçarola o leite, as natas, os grãos de pimenta rosa - um pouco esmagados - e as sementes de baunilha. Leve a caçarola a aquecer em lume médio.

Bata as gemas com o açúcar numa tigela até formar um creme.

Quando a mistura da caçarola começar a borbulhar, não deixe que comece a ferver, vertemos as gemas e o açúcar. Deixe a mistura em lume brando e vá mexendo até que engrosse um pouco, mas sem deixar ferver.

Retire do lume e deixe esfriar.

Se tiver máquina de gelados, siga as instruções de utilização. Caso não tenha, leve ao congelador e bata de 30 em 30 minutos para quebrar os cristais de gelo.

 

Notas:

Receita retirada do blog Uno de Dos.

Apesar de não se referir para coar a mistura, acho que não é agradável encontrar os grãos de pimenta.

Para quem, como eu, não gosta de doces muito doces, aconselho a diminuir a quantidade de açúcar.

Esta receita surge em resposta ao desafio Chocolate e Picante: um desafio de receitas com histórias dentro, lançado pela Suzana do blog Gourmets {amadores}. Infelizmente, a foto não está nada de especial e não há chocolate para saborear mas fica a tentativa. 

 

Continuação de boa semana a todos!

publicado por Ameixinha às 17:36 | link do post | comentar | ver comentários (40) | partilhar
Terça-feira, 01.11.11

Pão de banana e especiarias

 

 

Ressaca é o que ando a sentir por estar temporariamente proibida de comer queijo. Aliás, o único lacticínio que me é permitido desde há mês e meio é o iogurte natural que vou comendo com cereais ou compota. Mas, iogurtes em bolos sabem tão mais melhor bem! E aí está mais um bolo de banana para dar cabo das últimas que estavam demasiado amadurecidas na fruteira. Uma receita saudável num Outono que tardou mas que não falhou!

 

Ingredientes:

125 g de farinha

125 g de farinha integral

2 colheres (sopa) rasas de açúcar mascavado

2 colheres (chá) rasas de bicarbonato de sódio

1 colher (chá) rasa de canela e 1 de noz-moscada raladas

60 g de margarina

125 g de iogurte natural magro

2 bananas médias maduras esmagadas

1 ovo ligeiramente batido

1 colher (chá) extracto de baunilha

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Forre com papel manteiga uma forma de bolo inglês.

Peneire para uma tigela as farinhas, o açúcar, o bicarbonato de sódio, a canela e a noz-moscada. Deite na tigela o farelo que ficou na peneira.

Derreta a margarina num tacho (ou microondas) e junte o iogurte, as bananas, o ovo e a baunilha. Misture e junte à farinha, mexendo bem até obter um polme homogéneo.

Deite na forma e leve ao forno aquecido durante 40 minutos. O pão está pronto quando um palito introduzido no centro sair limpo. Deixe o bolo arrefecer durante 10 minutos e em seguida desenforme o bolo e deixe-o arrefecer completamente sobre uma rede e guarde-o num recipiente hermético.

 

 

Receita retirada do livro "Boas receitas para uma boa saúde".

Continuação de boa semana!

publicado por Ameixinha às 17:10 | link do post | comentar | ver comentários (34) | partilhar
Sexta-feira, 30.09.11

Pêras em vinho tinto


Foi a tropa que o pôs assim! Era o que toda a gente dizia dele. A tropa avariou-lhe os miolos e ele agora anda ao Deus dará. Metido nos copos e a pedir cigarros a quem passa. Com olhos raivosos, cantos da boca a sorrir e as mãos sempre atrás das costas, de estatura pequena e pele bem morena, só para assustar quem por ele passava ao cair da noite. É o andar para trás e para diante que lhe gasta os ossos, e o sol cravejado na pele fá-lo parecer muito mais velho e mau. Alimenta-se do vício com o dinheiro que o Estado lhe dá, uma pensão social atribuída por conta da "avaria" causada no serviço militar. Não sabe se chegou a ir para o mato, nem o país em que desembarcou mas sabe que esteve no chamado Ultramar. Só a palavra parece causar-lhe um sofrimento atroz. "A tropa vai fazer de ti um homem" - dizia-lhe a mãe que lhe amparava sempre a bebedeira juvenil. Morreu arrependida com aquelas palavras atravessadas, afinal a tropa roubou-lhe o menino e devolveu-lhe um rapaz que nunca mais conheceu.

Ingredientes:
Casca de meio limão, em fatias
1 pau de canela
100 gr de açúcar
375 ml de vinho tinto
250 ml de água
4 pêras maduras, peladas, descaroçadas e partidas ao meio

Preparação:
Combine os 5 primeiros ingredientes numa panela larga e leve a lume médio. Mexa até dissolver o açúcar, depois reduza o lume para o mínimo. Coloque as pêras dentro e deixe-as cozinhar por 15-20 minutos ou até estarem tenras. Deixe-as arrefecer no líquido, depois transfira para o prato de servir e reserve. Coe o líquido e leve-o a ferver até reduzir para 1/3. Deite o xarope por cima das pêras e refrigere até servir.

Notas:
Usei cerca de 10 pêras pequeninas e enfiei-as no wok.
Receita retirada do blog Kitsch in the kitchen.
publicado por Ameixinha às 22:20 | link do post | comentar | ver comentários (27) | partilhar
Sábado, 13.08.11

Coelho com mostarda


Decidi que vou intercalar as receitas de courgette, só porque me apetece e já vejo courgette em todo o lado. Parece-me que o facto de não conseguir que os meus olhos foquem direito há quase dois meses, deve ser de ver tanta courgette no blog.
Comemos coelho cerca de duas vezes por semana, a carne branca tem sempre lugar de destaque. Dizem que é mais saudável, embora mais cara, e eu acho que se não morrermos da doença, vamos morrer da cura :)
Para acompanhar, uns cogumelos salteados, cuja receita aparecerá em breve por aqui. Merece um lugar de destaque até porque pode ser acompanhamento para os mais variados pratos.


Ingredientes:
700 g de coelho
1 colher (chá) sal
pimenta de espelta q.b.
2 colheres (sopa) de mostarda Dijon
1 colher (sopa) de farinha de trigo
2 cebolas (300 g)
6 dentes de alho
1 colher (sopa) de azeite
2 hastes de alecrim
2 dl de vinho branco

Preparação:
Corte o coelho em pedaços e tempere com o sal, a pimenta e a mostarda. Coloque num saco plástico ou numa tigela, junte a farinha e agite bem. Descasque as cebolas e corte-as em gomos finos. Esborrache os dentes de alho e tire-lhes a pele. Aqueça o azeite num tacho, junte o alho e a cebola até que fiquem amolecidos. Introduza o coelho e deixe alourar. Junte o alecrim e o vinho. Tape e deixe cozinhar em lume brando até estar tenro. Se necessário, adicione água a ferver.

Notas:
Receita inspirada num folheto Pingo Doce.
A pimenta de espelta pode ser substituída por pimenta preta.

Bom fim de semana a todos!

publicado por Ameixinha às 17:55 | link do post | comentar | ver comentários (31) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...