Segunda-feira, 24.03.14

Empadão de bacalhau


Pois que a primavera já chegou, com todas as suas gloriosas maravilhas e todos os seus males. As flores a desabrocharem são emocionantes, a cor com que vemos o mundo fica menos baça, todas as hormonas ficam aos pulos e as pessoas ficam com uns certos calores :)

Porém, contudo, no entanto, há bichos manhosos que acordam para a vida e atanazam a nossa rotina. Há plantas que tentam polinizar-se alargando-se por aí, em poeiras e pólens que entram em tudo que é buraco. Como se não bastassem as comichões e os espirros, ir apanhar a roupa e levar com um insecto desconhecido que dá uma valente picadela num dedo, não dá com nada. Nunca nada me doeu tanto, nunca eu chorei e esperneei tanto, nunca eu pensei que ser dona de casa fosse tamanha tortura. Para quem insiste em pensar que tomar conta de uma casa é pêra doce, fiquem a saber que é dos trabalhos mais perigosos que existe. Pelo sim pelo não, passei a sacudir a corda da roupa antes de a apanhar. É que, naquele dia, as cuecas e meias ficaram por apanhar, depois de eu me agarrar ao dedo e desatar a correr em busca de socorro :) Passou, é certo! Mas, todos os anos, a primavera continua a dar-me cada vez mais motivos para eu não gostar dela. Nada contra as primas, nada contra as Veras, as duas juntas é que não funcionam.

 

O que é que esta estória tem a ver com o empadão que vos trago? Nada, nadinha, há coisas que não combinam, nem têm que combinar, é tipo eu e a primavera :) 

 

 

Ingredientes:

600 g de bacalhau demolhado

sal e pimenta q.b.

1 dl de azeite

1 cebola

2 dentes de alho

meio pimento vermelho

1 folha de louro

600 g de tomates maduros

salsa picada

1,5 dl de vinho branco

1 ovo para pincelar

 

1 kg de batatas

1 d de leite sem lactose

30 de manteiga sem lactose

sal, pimenta e noz-moscada

 

Preparação:

Leve a cozer o bacalhau, escorra-o, limpe-o de peles e espinhas e lasque-o.

Leve ao lume o azeite com a cebola cortada em rodelas finas e os dentes de alho picados e mexa até quererem alourar; junte de seguida o pimento às tiras e a folha de louro e deixe refogar mais um pouco; por fim, adicione o tomate às rodelas, salsa picada, o bacalhau lascado e o vinho branco. Deixe apurar, rectifique de sal e tempere com pimenta.

Entretanto, prepare o puré. Descasque as batatas e leve-as a cozerem água e sal; reduza-as a puré, misture-lhe o leite e a manteiga e tempere a gosto com sal, pimenta e noz-moscada. Espalhe num tabuleiro metade do puré e, sobre este, coloque o recheio de bacalhau. Cubra com o resto do puré. Pincele com ovo batido. Leve ao forno a 190ºC, cerca de 20 minutos, até alourar bem.

 

Receita da Teleculinária nº1197.

publicado por Ameixinha às 21:20 | link do post | comentar | ver comentários (13) | partilhar
Domingo, 08.07.12

Bacalhau à Gomes de Sá


Das 1001 receitas de bacalhau, esta é uma das que os portugueses mais fazem e mais gostam. Não sendo o meu favorito, de vez em quando fazemos cá em casa porque é apreciado pelos outros membros. Felizmente não tem feito muito calor, está um Verão com cara de Primavera e eu gosto disso. Sabem bem umas refeições quentinhas e substanciais, uma bela travessa de bacalhau à Gomes de Sá do livro "Cozinha Tradicional Portuguesa".

 

Ingredientes:

500 g de bacalhau

500 g de batatas

1,5 dl de azeite

1 dente de alho

2 cebolas

2 ovos cozidos

azeitonas pretas

salsa

sal e pimenta

 

Preparação:

Demolha-se o bacalhau, coloca-se num tacho e escalda-se com água a ferver. Tapa-se e deixa-se repousar durante 20 minutos.

Escorre-se o bacalhau, retiram-se as espinhas e peles e desfaz-se em lascas.

Entretanto, cortam-se as cebolas e o alho às rodelas e levam-se a alourar ligeiramente com o azeite. Juntam-se as batatas, que se cozeram com a pele, se pelaram e se cortaram às rodelas. Junta-se o bacalhau. Mexe-se tudo ligeiramente, mas sem deixar refogar. Tempera-se com sal e pimenta. Deita-se imediatamente num tabuleiro de barro ou travessa de cerâmica e leva-se a forno bem quente durante 10 minutos. Serve-se polvilhado de salsa picada e enfeita-se com rodelas de ovo cozido e azeitonas pretas.

 

Bom início de semana a todos!

tags:
publicado por Ameixinha às 23:05 | link do post | comentar | ver comentários (22) | partilhar
Segunda-feira, 13.02.12

Bacalhau à confraria


Aqui, neste meu norte, faz muito frio, há muito tempo. A casa é gelada, as cortinas chegam a abanar mesmo com as janelas fechadas. Cada frinchinha que existe é um refúgio para o vento uivante, que surge nesta casa poisada num alto desamparado. Todos os dias são bons para acender o fogão a lenha, todas as noites são passadas à lareira, com um gato e pessoas a dormitar tranquilamente. Às vezes assam-se postas de bacalhau nas brasas feitas, mas ao almoço aproveitamos ao máximo o fogão que acolhe a cozinha. É só enfiar o tabuleiro e esperar alguns minutos para ter um bacalhau dourado e tão português :)

 

Ingredientes:

4 postas de bacalhau

sal e pimenta q.b.

farinha q.b.

ovo batido q.b.

pão ralado q.b.

2 cebolas

3 dentes de alho

azeite para untar

2 dl de azeite

 

Preparação:

Escalde as postas de bacalhau, retire-lhes as espinhas mais salientes e tempere com pimenta e sal, se necessário. Passe-as depois, uma a uma, por farinha, ovo batido e pão ralado.

Descasque as cebolas e corte-as às rodelas. Descasque e pique os dentes de alho.

Unte com azeite um tabuleiro, espalhe nele metade da cebola e dos dentes de alho e, sobre estes, disponha as postas de bacalhau. Espalhe em cima a cebola e o alho restantes, e regue tudo com o azeite.

Leve o tabuleiro ao forno a 160º C, durante cerca de 45 minutos.

Sirva o bacalhau acompanhado de batatas fritas às rodelas.

 

Notas:

Receita retirada da revista Tele Culinária nº 1185.

Já fiz esta receita sem escaldar o bacalhau e obtive o mesmo resultado. Não acho necessário esse passo.

Idealmente o bacalhau é acompanhado de batatas fritas às rodelas mas, neste dia, teve mesmo que ser arroz.

Como gostamos muito de pimento, juntei um ao tabuleiro.

 

Bom início de semana a todos!

música: I wanna know you - Mikkel Solnado
tags:
publicado por Ameixinha às 13:05 | link do post | comentar | ver comentários (41) | partilhar
Sábado, 09.04.11

Bacalhau às postas


O Alessander, dono do blog Cuecas na Cozinha, pediu-me que sugerisse um prato de bacalhau para esta época do ano já que, segundo ele, a Páscoa é uma boa desculpa para comer bacalhau no Brasil. Em Portugal, feliz ou infelizmente, não precisamos de boas nem más desculpas para comer esta especialidade :)
Apostei numa receita tradicional da zona de Viana do Castelo, que vi no livro "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto, que já tencionava fazer há algum tempo. Obrigada Alessander por teres dado um empurrãozinho que me levou a fazer esta receita mais cedo do que eu contava. Podem dar uma espreitadela no Cuecas na Cozinha para visualizar a publicação que ele fez.


Ingredientes:
4 postas de bacalhau
4 dl de azeite
2 cebolas
6 dentes de alho
1 dl de vinho maduro branco
1 colher sopa de colorau
800 gr de batatas

Preparação:
Põe-se o bacalhau de molho, escorre-se, enxuga-se e frita-se em azeite.
À parte faz-se uma cebolada, cozendo em 2 dl de azeite as cebolas cortadas às rodelas finíssimas com o alho picado. Quando a cebola estiver translúcida, rega-se com o vinho branco e tempera-se com pimenta e o colorau.
Dispõem-se as postas de bacalhau no prato de serviço e cobre-se com a cebolada. À roda do bacalhau dispõem-se as batatas cortadas às rodelas e fritas no azeite que serviu para fritar o bacalhau.

Bom fim de semana a todos!
publicado por Ameixinha às 11:43 | link do post | comentar | ver comentários (53) | partilhar
Segunda-feira, 31.01.11

Pataniscas de bacalhau

Pataniscas - ou Fataniscas - são um petisco bem português e a Laranjinha fez o favor de nos dar a provar estas pataniscas de bacalhau que, creio, ficaram na memória de todos que lhe deitaram o dente. É certo que o bicho está em extinção mas... não estaremos todos? Um petisco destes de longe a longe sabe bem e não faz tão mal assim! Gostei muito da junção do pimento, a patanisca fica mais colorida e muito mais saborosa. Experimentem e vão ver que vão manter a pata-na-isca ;)

Ingredientes:
100 gr de farinha
sal
pimenta de moinho
2 ovos
0,5 dl de água
1 cebola
200 g de bacalhau demolhado
1 raminho de salsa
1/4 pimento vermelho
óleo para fritar

Preparação:
Deitar a farinha numa taça, adicionar o sal, a pimenta, os ovos e a água. Mexer muito bem com uma vara de arames até obter um polme liso. Descascar e picar finamente a cebola. Adicioná-la ao polme. Limpar o bacalhau de peles e espinhas. Desfiá-lo e juntá-lo ao polme. Picar a salsa e cortar o pimento em cubinhos. Adicionar tudo ao polme e mexer com uma colher de pau. Se necessário, rectificar os temperos.
Colocar um pouco de óleo numa frigideira larga e levar ao lume. Quando o óleo estiver quente, deitar a massa em colheradas e deixar fritar até a parte de baixo estar dourada, voltar e deixar fritar do outro lado.
Escorrer as pataniscas em papel absorvente.

Boa semana a todos!
publicado por Ameixinha às 11:59 | link do post | comentar | ver comentários (63) | partilhar
Sexta-feira, 13.08.10

Bacalhau gratinado

Após um interregno de participações em desafios devido ao excesso de calor, eis que volto quase renovada - não fosse o fungo que me consome por dentro!!! - e começo por dar o meu contributo para o Alquimia de Ingredientes do blog Eu Mulher. Existiam duas hipóteses, banana ou peixe e, tendo várias receitas de peixe para publicar, escolhi o maravilhoso bacalhau que, apesar de estar em vias de extinção, continua a ser Rei à mesa dos portugueses. No fundo, somos uns assassinos que gostamos de estar bem alimentados :) Portanto, peço para reduzir o consumo de bacalhau mas digo-vos que experimentem esta receita. Enfim, sentimentos antagónicos apoderam-se de mim neste momento, não abusem mas façam! Podem sempre usar outro peixe.

Ingredientes:
750 g de bacalhau demolhado
1 dl de azeite
2 cebolas
3 dentes de alho, picados
Sal e pimenta q.b.
1 colher (sopa) de salsa picada
1,5 kg de batatas
2 ovos cozidos
Azeitonas q.b

Preparação:
Leve a cozer o bacalhau e, depois de cozido, limpe-o de peles e espinhas e lasque-o.
Num tacho, leve a alourar no azeite as cebolas às rodelas e os dentes de alho picados; junte-lhes de seguida o bacalhau às lascas, tempere com sal e pimenta e metade da salsa e deixe saltear alguns minutos.
Descasque as batatas, corte-as às rodelas finas e escalde-as, durante 1 ou 2 minutos, em água a ferver.
Coloque o bacalhau num recipiente que possa ir ao forno e cubra-o com as batatas em escama.
Leve ao forno a gratinar durante 10 minutos. Sirva decorado com os ovos cozidos aos gomos e as azeitonas. Polvilhe com a restante salsa picada.



Bom fim de semana a todos!

Notas:

Tirei a receita de uma Tele Culinária nº 1193 de 2002.
As batatas devem ser cortadas bem mais finas, as minhas ficaram demasiado grossas e demoraram mais a cozer.
Podem cobrir o preparado com molho béchamel antes de levar a gratinar. Acho que deve ficar ainda mais delicioso, sendo que tem a inconveniência de tornar-se mais calórico.
Se virem que o bacalhau e as batatas estão secas, deitem azeite por cima antes de levar a gratinar.
Não usei os ovos, porque não me apeteceu mas fica bonitinho para compor a travessa.

publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (55) | partilhar
Domingo, 05.07.09

Lentilhas com lascas de bacalhau num dia castanho



Castanho é a cor dos meus olhos e da canela... uma cor que combina perfeitamente com este blog!

Apesar de estar a viver uma altura complicada na minha vida, em que as más notícias se sucedem em catadupa, eu continuo a sentir-me uma pessoa cheia de sorte. Este último mês tem sido traumatizante e infeliz mas também foi um mês em que recebi muitas coisas boas e, quero acreditar, que esta onda de maus agoiros está a passar. Devagarinho e com esperança a coisa vai :)

Há algum tempo atrás recebi um presente inesperado que veio do outro lado do Atlântico. Como muitos de vocês sabem - e outros tantos vão ficar a saber agora - o Alessander publicou um livro em que compilou algumas das receitas já publicadas no seu blog Cuecas na Cozinha. O livro chama-se Cuecas na Cozinha - Escola de Maridos & Afins.
É escrito no mesmo estilo do blog, com muito boa disposição, tudo explicado de forma clara e exacta, lê-se como se estivessemos à mesa numa conversa leve e amigável com o Alessander e a esposa Cris, que dá imagem às receitas do blog e, consequentemente, do livro.

Não me vou alongar acerca deste assunto pois creio que merecerá um post só para ele, talvez publicado na Academia dos Livros, já que é uma excelente sugestão de leitura :)

Para primeira receita escolhi algo que nunca tinha provado, com algo que faz parte do meu dia a dia: lentilhas e o já popular bacalhau.
Porque escolhi esta para primeira receita a ser testada?
Primeiro porque acredita-se que as lentilhas atraem boa sorte a nível financeiro e, sinceramente, estou a precisar muitíssimo! Depois porque tinha um saco de lentilhas à espera de ser usado desde o Verão de 2008 e já quase a terminar o prazo de validade. Por último, era uma receita cujo resultado fica em tons de castanho, tornando-se apropriada ao Desafio das Cores que tem colorido a blogosfera.

Juntou-se a fome com a vontade de comer e saiu uma agradável surpresa que todos comeram com prazer. Até o meu pai que é avesso a novas experiências, não deixou num uma lentilhinha de lado :)
Alessander, mais uma vez obrigada pelo carinho e pela generosidade. Espero não te ter deixado ficar mal com esta receita!


Lista de compras para 2 pessoas (eu dobrei a quantidade):
100 g de lentilhas
100 g de lascas de bacalhau
azeite
alho-francês/alho-poró
Salsa picada
Leite

Faça antes:
Dia anterior - cubra as lascas de bacalhau com água. Deixe no frigorífico. Troque de água umas três vezes. Quando coar o bacalhau pela terceira vez, cubra-o com leite e volte ao frigorífico.

Na hora:
Siga as instruções do pacote. Para 100 g de lentilhas, utilizei 200 ml de água (seguindo a proporção peso x quantidade de água). Cozinhe em fogo baixo, com a panela quase tapada, até a água secar.
Hora de refogar o bacalhau - cubra o fundo da panela com o azeite, corte 6 rodelas de alho-poró (solte todos os anéis de cada rodela). Aqueça o azeite e refogue os anéis até amolecerem. Coe o leite e acrescente as lascas de bacalhau. Misture e deixe cozinhar por uns 3 minutos. Acrescente salsa picada (uma colher de sopa) e refogue mais uns 2 minutos. Desligue o fogo. Reserve algumas lascas de bacalhau para decorar.
Depois, despeje na própria panela do refogado, as lentilhas cozidas. Misture e sirva.

Notas:
- Não tinha salsa e não usei, decorei com azeitonas pretas que acho que combina muito bem com bacalhau.
- Pode comprar já o bacalhau em lascas ou fazer como eu e cozer uma posta, fazendo-a em lascas depois de fria.
- Se a água da cozedura secar e as lentilhas ainda não estiverem prontas, desligue o lume. Noutra panela ponha água a ferver, temperada da mesma forma como temperou a outra que estava a cozinhar. Assim que ferver, despeje um pouco do líquido na panela, acenda o lume novamente e continue a cozinhar. Acrescente a água aos poucos, para não passar do ponto do cozimento.
Esta técnica deve ser usada para todos os grãos.
Acho que a cozedura também depende da qualidade de lentilha que for usada.

Espero que gostem! Bom Domingo a todos :)

publicado por Ameixinha às 13:18 | link do post | comentar | ver comentários (70) | partilhar
Domingo, 17.05.09

Bacalhau de rapaziada em dia Amarelo


Mais um dia, mais uma cor, mais umas quantas postagens coloridas!
"Marelo" é a cor que eu menos gosto mas, na culinária, confesso que adoro :)
Continuo nas receitas salgadas e, enquanto as cores derem oportunidade para isso... assim vai continuar. 

Tenho esta receita feita há imenso tempo e, desde que começou o desafio das cores, guardei-a para apresentar no dia que fosse amarelo.
Já que ontem fui a um casamento super chic onde não se encontrou bacalhau em lado algum, camarão, carne quente nem nada que se pareça, acho que esta travessa de bacalhau não ia escapar aos convidados he he
Foi de facto um casamento que primou pela diferença, até porque não é em todos os casamentos que se encontram umas belas "coironas" a cantar :)

A noiva foi de azul escuro e dourado - Biba o Puorto Carago!!! - e o bolo foi comido logo à saída da Igreja. Pode parecer estranho, mas até faz muito sentido. Normalmente é a última coisa mas, às tantas da madrugada já muita gente não está presente e metade não tem fome para comer uma garfada de bolo. Depois da cerimónia, já tudo está à espera de chegar ao lugar para aconchegar a barriguinha!

Bendito bolo, porque as entradas eram uns vol-au-vents e finger-food que não chegou a nada. Como era buffet, era quase tudo frio e tudo saladas, salvé o cherne quentinho que estava delicioso e o consommé. Óbvio que quem está habituado aos casamentos mais tradicionais não comeu nada, eu provei um bocadinho de tudo e o prato ficou sempre limpo he he

Mesmo assim, sempre pensei que ia comer uma bela posta de bacalhau (acho que pensamos todos) ou uma vitela quentinha, porque o dia esteve muito chuvoso e gelado. Sem dúvida que foi um casamento abençoado. Valeu pela diversão :)

Agora vamos ao bacalhau amarelinho!


Ingredientes:
3 postas de bacalhau cozido
1 1/2 kg de batatas cozidas
2 cebolas picadas
2 alhos picados
1 ramo de salsa picada
3 dl de azeite
1/2 colher de chá de colorau doce
Pão ralado, ovos, queijo ralado, pimenta e sal q.b.

Preparação:
Cortam-se as batatas em rodelas e faz-se o bacalhau em lascas finas. Põe-se em camadas alternadas num tabuleiro/pirex que possa ir à mesa e ao forno. Cozem-se no azeite as cebolas, os alhos e a salsa, mexendo sempre e, quando começam a aloirar, juntam-se-lhes a pimenta, o colorau e um pouco de água, devendo ferver até apurar.
Deita-se este molho por cima do bacalhau e das batatas, cobrindo depois com ovos bem batidos (usei dois), em maior ou menos quantidade conforme gosto pessoal. Polvilha-se com bastante queijo ralado, uma leve camada de pão ralado (piquei broa de milho que já estava dura) e mete-se no forno para aloirar.

Esta receita foi retirada do Livro do Pantagruel, fica deliciosa e, numa próxima, vou juntar grão de bico porque achei que ia ficar mesmo bem aqui.

Agora gostava de perguntar a quem tem esta bíblia da cozinha, se me sabem explicar o que quer dizer quando as receitas pedem para "passar pela máquina" alguns ingredientes? É que há tantas máquinas e eu ainda não descobri que máquina é esta! Será a 1,2,3, a picadora?

Agora vou ver se faço um bolinho, pena os que sobraram de ontem não estarem à minha frente agora!
Bom Domingo :)

publicado por Ameixinha às 13:16 | link do post | comentar | ver comentários (80) | partilhar
Sábado, 10.01.09

Roupa Velha


Ora cá está a roupa-velha cá de casa.

Ele faz-se com as sobras da ceia do dia anterior. Dia 24 e 31 comemos o fiel bacalhau cozido que é servido com batatas e couves cozidas. Há quem enriqueça com cenoura e ovo.

Para regar o bacalhau fazemos um molho cozido que é o que eu mais gosto e, por incrível que pareça, foi a única foto que me esqueci de tirar. Mas podem usar o azeite simples para fazer a roupa-velha.

Isto começa assim:
As sobras do bacalhau, batatas e couves são cortadas em pedaços pequenos (há variações conforme o gosto das pessoas: há quem faça a roupa velha completamente mastigada tipo puré, há quem a faça aos pedaços grandes, nós gostamos dela no meio-termo) e, cá em casa, partimos já para dentro de um tacho. Picamos alguns dentes de alho (é a gosto) e juntamos azeite necessário para levar ao lume. Como já está tudo cozido, só vai ao lume para aquecer. Costumamos juntar também uma pitada de cominhos que lhe dá um sabor fantástico. Aconselho toda a gente a colocar cominhos na roupa-velha. É uma delícia, apesar do aspecto não ser dos melhores :)
Confiem em mim, o aspecto não é tudo e, neste caso, não quer dizer mesmo nada!
publicado por Ameixinha às 12:23 | link do post | comentar | ver comentários (46) | partilhar
Domingo, 22.06.08

Bacalhau à Brás

O meu pai sempre teve o vício dos livros e, há muitos anos, adquiriu o livro "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto. Desde pequenina que sou incentivada a usá-lo porque, às vezes, a minha mãe dizia que não sabia o que fazer para o jantar ou que não sabia fazer certas coisas e, o meu pai dizia que só não fazíamos porque não queríamos. O livro estava na estante à nossa disposição, recheado de sabedoria culinária e de receitas deliciosas. É um bom manual e uma referância para quem quer conhecer e provar a gastronomia deste país "à beira mar afogado" ;)
Há algum tempo passei numa livraria para ver as novidades, e lá estava ele com a foto de capa simplesmente fabulosa, abri para ver o preço com uma certa curiosidade. Achei que seria mais barato, nunca pensei que custasse tanto dinheiro. Mas, realmente é uma das bíblias a ter numa cozinha. Agradeço ao meu pai pelo incentivo e pelo gosto dos livros.


Bacalhau à Brás

Esta é uma receita tipicamente Portuguesa, da região da Estremadura, mas que é feita muitas vezes cá em casa. É dos meus pratos favoritos e gosto de comê-lo neste tempo de calor. Acompanho com salada de alface ou tomate e há quem coma com arroz seco também.

Ingredientes:

400 g de bacalhau

3 colheres de sopa de azeite

500 g de batatas

6 ovos (usei apenas 3)

1 cebola

1 dente de alho (grande)

salsa (usei cebolinho)

sal

pimenta

óleo

azeitonas pretas



Preparação:

Demolha-se o bacalhau (ou compra-se já demolhado) retira-se-lhe a pele e as espinhas e desfia-se com as mãos. Cortam-se as batatas em palha (muito fininhas) e a cebola às rodelas finissimas. Pica-se o alho. Frita-se as batatas em óleo quente até alourarem ligeiramente. Escorre-se em papel absorvente. Entretanto leva-se ao lume um tacho com o azeite, a cebola e o alho e deixa-se refogar lentamente até cozer a cebola. Junta-se o bacalhau desfiado e mexe-se com uma colher de pau até o bacalhau ficar impregnado na gordura. Juntam-se as batatas ao bacalhau e com o tacho sobre o lume deitam-se os ovos ligeiramente batidos e temperados de sal e pimenta. Mexe-se com um garfo até os ovos ficarem envolvidos no bacalhau e cozidos. Retira-se do lume e deita-se numa travessa. Polvilha-se com salsa picada e serve-se bem quente, acompanhado com azeitonas pretas.

publicado por Ameixinha às 15:18 | link do post | comentar | ver comentários (40) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...