Quinta-feira, 05.11.09

Maçanada

Devo dizer que adorei o nome :)
Se com marmelo se faz marmelada, com maçãs faz-se maçanada!

Como já tinha dito aqui, tive acesso a algumas maçãs caseiras e aproveitei para fazer outra compota com elas. Desta vez, inspirei-me n' O Livro de Pantagruel e saiu esta compota maravilhosa. Queria que tivesse ficado com uma consistência mais durinha, para que pudesse cortar à faca, mas não consegui. É que tenho a mania de usar menos açúcar e também, por já estar farta de estar como bruxa de volta do caldeirão a mexer a maçanada! Que maçada :)
Foi com a maçanada que servi as panquecas de maçã.

Ingredientes:
1 kg de maçãs-reinetas descascadas e descaroladas (usei outra variedade)
1 kg de açúcar (usei cerca de 600 gramas)
1 limão pequeno, raspa e sumo
1 pau de canela

Cozem-se as maçãs em pouca água, escorrem-se e passam-se pelo passe-vite (usei a varinha). Ferve-se a água da cozedura com o açúcar e o pau de canela até ponto de fio*, juntam-se o polme da maçã, a raspa e o sumo de limão e deixa-se fervinhar em lume lento até descobrir o fundo do tacho.

Como é natural, O Livro de Pantagruel não dá muitas indicações quanto ao tempo ou ao que fazer depois de estar a receita pronta. É um pouco impreciso! Coloquei a maçanada ainda quente em tigelas e tapei com rodelas de papel vegetal. Conserva-se muito bem mas acho que fica ainda melhor em frascos tapados.

Gostei muito do toque do limão, dá-lhe um sabor mais refrescante.

*Ponto de fio: Colocando uma gotinha de calda entre o polegar e o indicador humedecidos em água fria, unindo-os e afastando-os repetidamente, forma-se entre ambos um pequeno fio; 25 a 28º no pesa-xaropes (é um densímetro que se utiliza para densidades superiores à água).


A Paula e a Manu ofereceram-me este selinho com uns nenúfares fofinhos!
Pelos vistos, vinha acompanhado de uma espécie de inquérito acerca daquilo que nos apaixona na vida em relação a:

Internet: pesquisas, comunicar com amigos e familiares que estão longe, ver programação e instituto de meteorologia (páginas mais visitada), blogs e mais uma série de coisas.

Pessoas: os sorrisos sinceros, cheirinho agradável (mas não intenso ao ponto de intoxicar meio mundo), simpatia, honestidade, alegria (mas nada em demasia, que ser-se demasiado feliz é estranho he he), gosto de pessoas que gostam de animais, com educação e histórias de vida interessantes.

Vestuário: gosto de casacos e meias/collants

Cosméticos: cremes hidratantes, lápis, sombras e perfumes

Comida: é que nem começo. Não vale a pena!!!

Hobbies: ler, caminhar, jardinagem, ver tv.

A Manu também me ofereceu este! Acho que não tenho que responder a nada :)


Obrigada e, adiantando-me, boa sexta-feira e bom fim de semana!
publicado por Ameixinha às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar
Sexta-feira, 30.10.09

Panquecas de maçã

Alguém que ressuscite Freud que eu preciso dele, ok? É que não entendo nadinha de interpretação de sonhos :)
Em vez de sonhar com gajos bons e tal... não, aparecem-me sempre umas manhosas pahh!
Passo a explicar: No dia seguinte à publicação das panquecas de banana sonhei que estava a fazer turismo rural em Piódão (só em sonhos, porque nunca lá fui e é um dos sítios de Portugal que mais quero conhecer), numa casinha típica mas inteiramente restaurada, com uma cozinha fantástica e resolvi fazer panquecas... de banana. Entretanto, decidimos (por acaso, acho que havia gajo por perto... não faço é ideia de quem seja, porque não lhe vi a cara!) descer à aldeia para nos encontrar com outras pessoas e subir a serra. Ora subimos o que não era serra, mas rochas e pedregulhos. Quando chego lá cima aparece-me a Daniela Ruah (mas eu nem vejo as novelas da TVI, onde é que o meu inconsciente andava para ir buscar esta gaja?) vinda não sei de onde, com um bando de modelos com o nalguedo a dar a dar, armadas em finórias. Ora eu, muito simpática (que sou, ok?) ofereci uma panqueca de banana para as magricelas provarem. Ahh e tal, o que é que leva, perguntava ela, e eu lá disse "banana e mel" e a gaja, mal agradecida, atira a minha panqueca ao ar.
Deves gostar pouco de panquecas e de banana deves! Malcriadona :)
Vai daí, não tenho mais nada, soltei o mau feitio (que tenho, admito!), arranquei um poste de sinalização de trânsito do cimento (eu armada em Hulk! Não sei se era sinal proibido, se era STOP, ou outro qualquer!) e pimba... levou com ele na tola que foi uma maravilha!
Tcharan... acordei he he

Isto tudo para dizer, Daniela... miúda, se não gostas de panquecas de banana toma lá estas de maçã e não digas que vais daqui! É que a próxima vez que te meteres nos meus sonhos, não é só com um poste que levas em cima, ok?

Estas panquecas foram retiradas do blog Crabby Cook e são panquecas fritas. Sei que não agrada a muita gente, a mim não me agradou, e tentei fazer sem o óleo mas não resultou. Têm mesmo que ser fritas e ficam uma delícia! Acho que a imagem diz muita coisa :) Para diminuir a culpa, usei um pouco de farinha integral. Não dá para muitas, se estiverem esfomeados só dá mesmo para uma pessoa. Obtive cerca de 6 panquecas pequenas.


Ingredientes:
1 ovo
1/2 colher (chá) de açúcar
1/4 chávena de leite
3 colheres (sopa) bem cheias de farinha (usei 2 de farinha normal e 1 de integral)
1 maçã, pelada e descaroçada
óleo vegetal para fritar

Preparação:
Usando um garfo, bata o ovo com o açúcar numa tigela. Junte o leite e depois a farinha. Parta a maçã aos cubos pequenos e junte-os à massa. A mistura deve ficar grossa mas fluída (tirei foto, não sei se dá para perceber como deve ficar!?), se necessário ajuste o leite ou a farinha.
Numa frigideira, aqueça cerca de 1/8 do óleo (esta parte não percebi, apenas coloquei óleo a cobrir o fundo) em lume médio. Quando estiver quente, junte uma colher da mistura e frite até ficarem douradas, virando-as uma vez, aproximadamente 5-7 minutos.
Deixe arrefecer ligeiramente e sirva com compota ou doce.


Servi com maçanada, depois coloco a receita. Polvilhei com açúcar e canela, ficaram deliciosas! Digam lá se não têm bom aspecto? São fritas, maravilhosas e eu espero sinceramente que o óleo vá parar ás náldegas da Daniela he he

Bom fim de semana!
publicado por Ameixinha às 19:04 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar
Domingo, 04.10.09

Tarte norueguesa de maçã


Não vou dizer muita coisa a não ser: façam! As maçãs estão aí e precisam ser usadas. Esta tarte é uma das melhores que já provei até hoje. Recomendo vivamente!
Ainda estou a recuperar do susto e as palavras não fluem como eu queria. Mas, esta tarte só precisa de "hummm's" e de ser saboreada com satisfação. É uma tarte com consistência de pudim mas com uma casca crocante que lhe dá todo o encanto. Fiz algumas alterações mas a receita veio daqui.
Quero só dizer que a cor da tarte é a que aparece na segunda fotografia. A primeira ficou pálida, deve ter sido do susto :)

Ingredientes:
250 g de açúcar (diminuí para 200 e achei muito doce mas depende do gosto de cada um)
100 g de manteiga
150 ml de leite
3 ovos
125 g de farinha
4 maçãs descascadas e cortadas em gomos grossos (reserve-as mergulhadas em água com limão)
1/2 colher (chá) de noz-moscada (substituí por canela moída)

Pré-aqueça o forno a 180 ºC, marca 4 do fogão a gás.
Bata 200 gr do total de açúcar com os ovos até obter um creme fofo. Leve o leite ao lume com a manteiga até esta derreter. Junte a mistura de leite e manteiga ainda quente ao creme de ovos e ligue bem. Junte a farinha peneirada e mexa com uma vara de arames para não ficar com grumos. Numa tarteira espalhe os pedaços de maçã e cubra-os com o creme doce. Polvilhe a tarte com os restantes 50 g de açúcar e a noz-moscada.
Leve ao forno a cozer na prateleira do meio por 25 minutos. Sirva quente ou frio.

Eu prefiro a tarte fria. Como para mim ficou muito doce, quente acaba por ser mais enjoativo. Mesmo assim, é para repetir muitas vezes. Os noruegueses estão de parabéns :)

Bom Domingo e bom início de semana!
publicado por Ameixinha às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (78) | partilhar
Segunda-feira, 21.07.08

Tarte de maçã

Gostava de vos poder contar uma boa história acerca desta tarte. Mas a que tenho não é nada de especial. Quando o meu pai viu, perguntou quem tinha trazido a tarte da pastelaria :) Ele ainda não percebeu que mora na padaria Ameixinha que também é pastelaria eh eh
Não consegui tirar uma foto, em condições de uma fatia para verem o interior. A minha máquina às vezes insiste em desfocar tudo e eu, antes que me passe a sério, encosto-a para canto, como se faz às crianças quando se portam mal: "Agora ficas aí a pensar na asneira que fizeste! Quando tiveres entendido podes sair do castigo" ;)
Quando a minha máquina saiu do castigo já não havia tarte para mais ninguém. É bem feita, para aprender a portar-se bem quando eu preciso dela!
E já está! Segue a receita a seguir... se gostarem tanto de doces com maçã como eu, experimentem :)


Ingredientes massa:

250g de farinha
1 c. (sopa) de vinagre
1 c. (sopa) óleo
uma pitada de sal
10 c. (sopa) de água
manteiga e farinha q.b.

Eu usei uma base de massa folhada de compra

Ingredientes do recheio:

120 g de açúcar
2 ovos
100 g de farinha
2 dl de natas
1 clara (não usei mas fica mais levezinho)
5 maçãs (só usei uma reineta)
1 limão (sumo)


Preparação:

Para a massa misture a farinha, o vinagre, o óleo e o sal. Amasse e junte a água. Tape-a com um pano e deixe repousar por 20 minutos. Estique a massa e coloque-a numa tarteira previamente untada de manteiga e polvilhada de farinha. Ligue o forno a 180ºC. Comece a preparar o recheio, misturando 100 g de açúcar com os ovos, a farinha e as natas.

Bata a clara em castelo com o restante açúcar e envolva no preparado anterior. Verta a massa na tarteira. Descasque as maças, retire os caroços e corte em lâminas. Regue com o sumo de limão. Disponha-as na tarte e leve ao forno a cozer por 40 minutos. Retire e desenforne quando estiver morno. Eu polvilhei com canela e açúcar mascavado.


Receita retirada da revista "Mulher Moderna na Cozinha, nº 104
tags: ,
publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (39) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...