Segunda-feira, 15.04.13

Shot de ruivas

 


 

Tinha a Frida ferida, o Van Gogh mutilado e o hipocondríaco Warhol, mas nestas coisas o coração fala mais alto e é impossível resistir a um pintor amante de felinos. Tendo eu um irmão pintor, foi natural crescer com arte dentro de casa. Ele apresentou-me aos livros, à música e à pintura. Até hoje acho que ele desconhece a importância que teve na minha formação como pessoa. Tenho apenas que lhe agradecer. Felizmente, está sempre convidado para jantar, é só aparecer. Para hoje temos Klimt, pelo seu amor aos gatos e à feminilidade. Tenho certeza que também seria um bom garfo, de gelatina não sei se gosta mas não o censuro, porque eu mesma detestava gelatina até há pouco tempo. A caseira é sempre melhor e para sobremesa, depois de um jantar deveras colorido como uma tela de Klimt, terminamos com um shot ruivo para que Klimt o sorva com tanta paixão quanta pintou as suas melhores obras.


Gelatina de laranja (Chucrute com salsicha):

 

1 1/4 chávena de água fria

1 chávena de açúcar

1 pau de canela

3 tiras de casca de laranja

2 1/2 chávena de sumo de laranja

1 colher (sopa) de sumo de limão

4 1/2 colher (chá) de gelatina em pó

 

Preparação:

Coloque numa panela a água, canela, açúcar e as tiras de laranja. Leve ao lume, mexendo até que o açúcar dissolva.

Deixe ferver, desligue e deixe arrefecer. Leve ao frigorífico e deixe descansar por 2 horas. Passe o xarope obtido num coador e reserve.

Separe 3/4 do xarope para uma panela. Numa tigela misture o xarope restante com o sumo de laranja e de limão.

Salpique a gelatina sobre os 3/4 de xarope e leve a lume médio até a gelatina dissolver. Despeje a mistura de xarope e gelatina na mistura de sumo de laranja. Misture bem, coloque numa forma molhada e leve ao frigorífico até solidificar. Retire, deixe descansar e vire num prato.

 

 

Com esta gelatina participo na 11ª edição do Convidei para jantar, iniciativa da Anasbageri, este mês alojado no blog panela sem (de)pressão cujos convidados são pintores.

publicado por Ameixinha às 18:10 | link do post | comentar | ver comentários (8) | partilhar
Quinta-feira, 25.10.12

Fatias douradas em calda de laranja

 

Oh como eu amo os dias inspiradores de Outono! A única coisa que se ouve é o chilrrear dos passarinhos que saúdam os poucos raios de sol. Dou graças pelas vizinhas que se recolhem à sua insignificância e abandonam, temporariamente, as varandas gastas. A névoa no vale vai desvanecendo enquanto a manhã acorda, parece fumaça sacrificial e Deus presenteia-nos com arco-íris de emoções. Mais que um adeus às coisas que hibernam, há um acolher de um novo céu e uma brisa que toca os corações entristecidos. As maravilhosas nuvens que passam, salpicam os dias de um cinzento sombrio rasgado pelo azul ciumento que o Verão lhes emprestou. O aroma a canela sacode os sorrisos. Abençoada bondade que ilumina a escuridão!

 

 

Ingredientes:

220 g de açúcar amarelo

1,6 dl de leite

25 g de margarina

2 ovos inteiros e 3 gemas

8 fatias de pão de forma 

1 dl de água

sumo de 1 laranja

1 pau de canela

 

Preparação:

Leve ao lume o leite, a margarina, 60 g de açúcar e deixe ferver. Misture os ovos inteiros com as gemas. Embeba as fatias de pão na mistura de leite e passe-as, em seguida, pela mistura de ovos. Coloque-as num tabuleiro previamente untado e leve ao forno forte até as fatias estarem douradas à superfície. Volte-as com a ajuda de uma espátula e deixe alourar do outro lado.

Entretanto, prepare a calda: misture a água com o sumo de laranja, o restante açúcar e o pau de canela e leve a ferver em lume brando durante cerca de 10 minutos. Coloque as fatias douradas numa travessa e regue-as com a calda.

 

 

 

Obrigada a todos pelo carinho e por insistirem em cá passar. Infelizmente, o meu bicho foi internado novamente, a minha mãe precisa muito de mim e eu precisava de mais 10 horas no dia para conseguir fazer tudo o que quero :)

Abraços

 

Fonte:

Doces momentos nº30.

publicado por Ameixinha às 21:33 | link do post | comentar | ver comentários (21) | partilhar
Segunda-feira, 06.08.12

Tarte de limão e coco

 

Quando vi o título desta tarte num blog italiano, decidi guardá-la imediatamente. A blogueira que a testou, apelidou-a de "La Stupendissima" e eu confirmo. É fresca, fácil, doce e rápida. Além disso, fica bastante húmida e isso permite que possamos apreciá-la nos dias posteriores com a mesma frescura do primeiro dia. Limão e coco, dois dos meus sabores favoritos reunidos ao lanche :)

Ingredientes:

1 receita de massa quebrada

 

180 g de manteiga à temperatura ambiente

200 g de açúcar

4 ovos

casca ralada de um limão

sumo de 1/2 limão

90 g de coco

1 iogurte natural

1 colher (chá) de extracto de baunilha

 

Preparação:

Bata a manteiga com o açúcar até ficar cremoso. Adicione os ovos, um a um, e depois o iogurte, sumo, raspa e coco. Verta o creme para a tarteira já com a massa estendida e leve ao forno a 180ºC por cerca de 30 min-1 hora; a superfície não deve ficar muito dourada. O recheio endurece em contacto com o ar. Deixe arrefecer completamente, salpique açúcar em pó e sirva.

 

Fonte:

Menu Turistico

tags: ,
publicado por Ameixinha às 23:30 | link do post | comentar | ver comentários (42) | partilhar
Terça-feira, 24.07.12

Queijadas de cenoura

 

 

Serão realmente queijadas se não levam queijo? Não me parece, mas isso também não interessa nada. São boas e, apesar de ter alguns passos eu achei a receita bastante fácil de fazer. Forrar as forminhas é a parte mais chata do processo e podem fazer as queijadas sem a massa. Eu assei algumas assim porque, entretanto, a massa não chegou para tanto recheio. 

Sei bem que os dias têm andado quentes e abafados e não apetece nada ligar o fogão mas hoje amanheceu nublado por aqui e achei que umas queijadas de cenoura polvilhadas de canela, combinavam bem com este dia :) 

 

 

Ingredientes da massa:

250 g de farinha 1 colher (sopa) de óleo

1 colher (sopa) de vinagre

uma pitada de sal

água q.b.

 

Ingredientes do recheio:

375 g de açúcar

1,75 dl de água

85 g de manteiga

40 g de farinha

25 g de maisena

200 g de cenouras cozidas e trituradas

5 ovos

3 gemas

raspa de 1 limão

manteiga e açúcar em pó q.b.

 

Preparação:

Coloque a farinha numa tigela e adicione o óleo, vinagre e sal. Amasse bem e vá juntando água até obter uma massa macia e maleável. Deixe repousar por 15 minutos.

Entretanto, misture o açúcar com a água e leve ao lume. Adicione a manteiga e deixe arrefecer um pouco. 

Junte a farinha com a maisena e a cenoura triturada. Misture-lhes os ovos, as gemas, a calda de açúcar e a raspa de limão. Ligue o forno a 200ºC.

Unte forminhas com manteiga (ou óleo em spray), forre-as com a massa e apare as extremidades. Preencha-as com o preparado e polvilhe com açúcar em pó. Leve-as ao forno, durante 30 minutos. Desenforme ainda mornas e sirva.

 

Notas:

Receita da coleção "Alimentos com história".

Diminuí a quantidade de açúcar para 300 g.

 

Boa semana!

publicado por Ameixinha às 09:01 | link do post | comentar | ver comentários (22) | partilhar
Segunda-feira, 28.05.12

Arroz doce do Pappou

 

 

Continuando numa fase sem glúten, porque não me imagino com intolerâncias e alergias alimentares e conheço de perto a infelicidade de não se poder comer aquilo que mais apetece. Aliás, hoje estou um bocadinho assim. Apetecia-me um quadradinho de chocolate e não tenho nada disso em casa :) Também não tenho arroz doce, senão marchava já bem depressa. Como ainda estou a voltar aos eixos depois de tanto tempo de ausência, ainda não consegui organizar muito bem a minha rotina para ter um pouco mais de tempo para os blogs e para dar forma a tudo o que quero cozinhar. Fica esta sugestão bem portuguesa mas com um toque internacional vindo do avô da Tessa Kiros.

 

Ingredientes:

250 g de arroz de grão médio ou longo (eu prefiro o carolino)

2 litros de leite

3 colheres (sopa) de açúcar

canela moída (ou água de rosas), para servir

 

Preparação:

Coloque o arroz numa panela de fundo grosso, cubra generosamente com água e leve a ferver por 20 minutos. Coe o arroz. Lave a panela e coloque o leite. Leve ao lume e, quando começar a ferver, adicione o arroz e leve novamente a ferver. Baixe o lume e deixe cozer por 20 minutos, mexendo frequentemente com uma colher de pau para que não cole ao fundo. Adicione o açúcar e deixe cozer por mais 10 minutos antes de retirar do lume. Deixe arrefecer por cerca de 15 minutos na panela e coloque em tigelas. Salpique canela moída por cima antes de servir. Pode ser comido imediatamente ou ser colocado no frigorífico por algumas horas.

 

 

Bom início de semana a todos!

publicado por Ameixinha às 00:15 | link do post | comentar | ver comentários (20) | partilhar
Quarta-feira, 18.04.12

Arroz doce de baunilha

 

Agora sim, agora o tempo corresponde à melancolia dos dias. A neblina e o frio passou a dar mais sentido às horas. Há chuva que cai lá fora e há quem chore por dentro. Ontem e hoje servi-me de comidas quentes para reconfortar e sossegar o coração apertado e aflito. Houve waffles ao pequeno-almoço e sopa cremosa ao almoço, comi quadradinhos de chocolate no comboio, torradas ao lanche, chá ao deitar. Falta-me o arroz doce. Quem sabe... amanhã, se o dia mo exigir?!

Ingredientes:

1/2 chávena de arroz de grão curto

2 1/2 chávena de leite

1 1/4 chávena de natas ou half-n-half*

2 vagens de baunilha

1/4 chávena de açúcar

 

Preparação:

Coloque o arroz numa panela, cubra com água fria e leve a ferver. Remova e coe. Coloque o arroz novamente na panela, adicione o leite e as natas. Parta as vagens a meio e raspe as sementes com a ponta de uma faca. Adicione tudo à panela. Leve a ferver sob lume médio, depois reduza para lume baixo e deixe assim por 45-50 minutos, mexendo ocasionalmente com uma colher de pau para que o arroz não cole ao fundo. Junte o açúcar e deixe mais 10 minutos. Retire e sirva.




Notas:

*Half-n-half obtém-se por misturar metade de natas com metade de leite.

Receita retirada do blog Kiss my spatula.

 

Obrigada pelas palavras encorajadoras e continuação de boa semana!

tags: ,
publicado por Ameixinha às 23:17 | link do post | comentar | ver comentários (32) | partilhar
Quinta-feira, 05.04.12

Chichis

 

Não consegui saber de onde vem este nome tão interessante - se for lido em bom português- e, muito provavelmente, a forma como o pronuncio estará errada :) Mas foi exactamente o nome que me chamou a atenção. Isso e o ser um doce frito e besuntado de açúcar! Achei que são bem melhores comidos quentes porque, depois de frios, tendem a enrijecer! 

Continuamos na onda de doces enquanto esta acidez dos dias não se desvanece.

Obrigada a todas pelos comentários!

 

Ingredientes:

100 ml de leite

2 colheres (chá) de fermento liofilizado

250 g de farinha para pão

2 colheres (sopa) de água de flor de laranjeira

100 g de açúcar

1 ovo

óleo para fritar

 

Preparação:

Aqueça o leite até ficar morno, adicione o fermento, misture e reserve por 5 minutos.

Misture a farinha com o leite, água de flor de laranjeira, 50 g de açúcar e o ovo por cerca de 5 minutos, à mão ou com batedeira/máquina.

Deixe a massa repousar à temperatura ambiente por 45 minutos.

Amasse-a novamente e estenda-a com o rolo da massa até ter cerca de 1 cm de altura. Corte em forma de doughnuts, usando um cortador de biscoitos. Coloque-os num tabuleiro forrado de papel vegetal, cubra com um pano e deixe levedar por 45 minutos, ou até que duplique de tamanho. Aqueça o óleo até atingir 180ºC e frite os doughnuts por 2 minutos de cada lado. Escorra em papel de cozinha e envolva-os no restante açúcar.



Receita retirada do livro "365 good reasons to sit down to eat" do Stéphane Reynaud's.

Rendem bastantes mas o número final irá depender do tamanho do cortador que usarem.

tags:
publicado por Ameixinha às 15:44 | link do post | comentar | ver comentários (23) | partilhar
Segunda-feira, 26.03.12

Marquise de chocolate


Passo muito tempo sem meter um bocadinho de chocolate à boca. Pelo contrário, o queijo continua a fazer-me muita falta, mas permanece sem fazer parte da minha dieta. Como-o pontualmente e apenas uma fatiazinha. Sobrevivo melhor sem chocolate do que sem queijo. No entanto, há certos dias, certos stresses, certas situações que pedem cacau. Comprei uma tablete de chocolate com 74% de cacau, só para que não me pese tanto na consciência e possa devorar 100 g quase de uma vez, pensando que me fará menos mal. O chocolate não cura, o amor não cura, mas o amor ao chocolate parece ajudar um bocadinho a ultrapassar determinadas desgraças. 

 

Ingredientes:

125 g de manteiga amolecida

3 ovos (gemas e claras separadas)

100 g de açúcar em pó

250 g de chocolate

100 ml de natas

 

Preparação:

Misture a manteiga com as gemas e o açúcar. Pique o chocolate e derreta-o em banho-maria. Bata as natas em ponto médio*.

Separadamente, bata as claras em castelo. Junte o chocolate à mistura de manteiga. Acrescente as natas e, por último, as claras batidas. Forre uma forma alongada ou de bolo inglês com película aderente. Despeje a mistura na forma e leve ao frigorífico por, pelo menos, 4 horas. Decore com raspas de chocolate branco.

 

Notas:

Receita retirada do livro "Chocolate" da V&R editoras.

Normalmente, uso uma tablete de chocolate que tem 200g.

*Para bater as natas em ponto médio, use a batedeira elétrica e bata até começar a formar pontas e as pás da batedeira façam a sua marca nas natas. Não deixe tomar muita consistência.

 

 

Boa semana!

publicado por Ameixinha às 13:43 | link do post | comentar | ver comentários (37) | partilhar
Domingo, 11.03.12

Crème Brûlée de lavanda


O meu irmão ofereceu-me "O Perfume", de Patrick Süskind, era eu uma adolescente, e tornou-se um dos meus livros favoritos até hoje. Guardo-o com carinho. Acho a história extraordinária e ela prende-nos do princípio ao fim e transporta-nos a cenários incríveis e personagens alucinantes. Tive sempre receio de que o filme não fosse tão bom quanto o livro. Normalmente, é sempre mais fraco e menos denso mas, neste caso, superou as expectativas e gostei bastante. É de perfume que se trata, de odor que nos leva a cometer pecados e esta sobremesa é capaz de nos levar numa viagem até aos campos de lavanda da Provença e à agitação de Paris, onde o pecado da gula faz todo o sentido ;) Só porque hoje é Domingo!

 

 

Ingredientes:

2 chávenas de leite

2 chávenas de natas

50 g de açúcar

1 colher (sopa) de flores de lavanda*

4 ovos

150 g de chocolate branco

 

Preparação:

Leve ao lume o leite com as natas e o açúcar numa panela juntamente com as flores de lavanda. Quando ferver, retire do lume, tampe e deixe descansar por 30 minutos. Coe.

Bata levemente os ovos. Pique e derreta o chocolate branco e misture aos ovos. Junte a preparação de leite. Distribua a mistura por forminhas de cerâmica refratárias. Asse em banho-maria, em forno baixo (160ºC), durante cerca de 40 minutos.

Deixe arrefecer e coloque no frigorífico durante 2 horas. Polvilhe com açúcar e torne a gratinar no forno, com o grill ligado, até o açúcar caramelizar. O açúcar também pode ser cristalizado com um maçarico de cozinha. Conserve no frigorífico, mas sirva à temperatura ambiente.

 

 


*Podem ser utilizadas as flores de lavanda de perfumaria, pois será preparada uma infusão com elas. Também podem ser substituídas por algumas gotas de essência de baunilha ou pau de canela.

 

Fonte: "Chocolate" da V&R Editoras.

 

Bom Domingo!

publicado por Ameixinha às 09:19 | link do post | comentar | ver comentários (33) | partilhar
Terça-feira, 06.03.12

Mousse de dois chocolates

 

Seguindo a onda do aproveitamento de claras, aqui vai a receita de uma mousse negra e branca que adoça - e embeleza - os dias amargos e feios.

 

Ingredientes:

115 g de chocolate 70% cacau

1/8 chávena de natas

1 colher (sopa) açúcar amarelo

3 claras de ovos

pitada de sal

 

Preparação:

Parta o chocolate e leve-o a derreter sobre uma caçarola de água quente. Aqueça as natas e adicione ao chocolate em 3 vezes, mexendo rapidamente com uma espátula. Deixe arrefecer por 5 minutos. Entretanto, bata as claras em castelo com um pouco de sal e adicione, gradualmente, o açúcar sem parar de bater. Envolva as claras em castelo com cuidado. Divida a mistura por copinhos e repita o processo mas com chocolate branco. Leve ao frigorífico por algumas horas e sirva.

 


Fonte:

La Tartine Gourmande.

publicado por Ameixinha às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (31) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...