Quarta-feira, 12.01.11

Frango com alho


Não sendo eu grande fã de carnes, frango é a que mais vou comendo. É carne branca e barata, ao contrário do que a Elza Soares canta: "a carne mais barata do mercado não é a carne negra"!
As minhas partes favoritas são mesmo as asas, que costumam vir parar ao meu prato e que dizem ser aquelas mais cancerígenas, já que é nas asas que os bichinhos apanham a "pica" dos antibióticos. Estou morta e enterrada, mas as asas hão-de sempre ser minhas e, vá lá, uma coxinha de quando em quando também me agrada.
Depois há toda uma envolvência quando o prato pede alhos porque, à partida, sei que o sabor vai agradar e que me vai deixar nas mãos aquele cheirinho que teima em não sair. A mim, não há vampiro que me meta o dente ;)

Ingredientes:
1 kg de coxas de frango (usei um frango inteiro)
1 colher (sopa) de paprica
2 colheres (sopa) de azeite
8 dentes de alho com a casca
1/4 copo (60 ml) de brande
1/2 copo (125 ml) de caldo de galinha
1 folha de louro
2 colheres (sopa) de salsa fresca, picada

Preparação:
Apare o excesso de gordura das coxas do frango e corte-as em terços. Junte e combine a paprica e um pouco de sal e pimenta numa tigela, acrescente o frango e mexa para revesti-lo.
Aqueça metade do azeite numa frigideira grande em lume alto e deixe cozinhar o alho durante 1-2 minutos, até alourar. Retire-o da frigideira e reserve. Cozinhe as coxas em várias porções, 5 minutos para cada uma, ou até alourarem. Deite as coxas todas na frigideira, acrescente o brande, ferva durante 30 segundos e em seguida acrescente o caldo e a folha de louro. Reduza a temperatura, tape e deixe cozinhar em lume fraco durante durante 10 minutos.
Entretanto, deite a polpa de alho no almofariz (com o pilão) ou numa tigela. Acrescente a salsa e esmague a mistura ou mexa-a com um garfo até criar uma pasta. Adicione esta mistura ao frango, tape a frigideira e deixe cozinhar durante 10 minutos, ou até ficar tenro. Sirva quente.

Receita retirada d' "O livro essencial da cozinha mediterrânica".
tags: ,
publicado por Ameixinha às 10:25 | link do post | comentar | ver comentários (53) | partilhar
Quarta-feira, 07.07.10

Costeletas aromatizadas

Não vos disse que os meus neurónios estavam todos a morrer com o calor?! Então não é que o chá gelado já tinha sido publicado no blog o ano passado e eu nunca mais me lembrei?! Até foi fotografado no mesmo copo e tudo! Juro que preciso de uma aragem fresca, ou um dia destes vejo-me ao espelho e nem sei quem sou :)

Há muito tempo a Casa do Sal da Figueira da Foz enviou-me uns produtos para experimentar e eu, infelizmente, não consegui testar logo. Primeiro porque foi na altura em que o Matias avariou de vez e eu perdi o apetite para a cozinha, depois o computador pifou, depois foi a vez da máquina fotográfica. Mas o que tem que ser tem muita força e cá estou eu, testei, aprovei e estou a mostrar o que pode ser feito.
Basicamente é muito simples, porque o que se pretende é facilitar. É só temperar umas costeletas do cachaço, ou outra carne ou peixe da vossa preferência, grelhar ou assar e têm uma maravilhosa refeição. O sal e o azeite aromatizado que usei contêm alho, sal, oregãos e alecrim. Fica bastante saboroso e as mãos ficam salvaguardadas do fantástico aroma a alho :)

Ingredientes:
4 costeletas do cachaço
sal aromatizado Casa do Sal q.b
vinho tinto ou branco
2 tomates maduros (usei tomate enlatado)
azeite aromatizado Casa do Sal

No noite anterior à preparação do prato é só temperar com o sal, tomate e o vinho. Deixar repousar no frigorífico e levar a grelhar com um fio de azeite aromatizado. Servi com salada de tomate e brócolos.

Nem consigo escrever mais nada, vou refrescar-me e ficar muito quietinha. Continuação de boa semana :)
publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (37) | partilhar
Quarta-feira, 24.03.10

Codornizes com cogumelos e bacon

Temos novo desafio na blogosfera! Se no ano passado tivemos cores, agora temos letras. A coisa ficou mais interessante e um bocadinho mais difícil. Confesso que já tinha esta receita pronta em lista de espera, senão não teria feito outra. Assim, aproveitando que tenho, aqui vai ela para participar no desafio do Delícias e Talentos.

Quando era criança, lembro-me da minha mãe, de longe a longe, comprar codornizes e fazê-las assadas no forno. Adorava aquilo! Depois passaram-se muitos anos sem ver as codornizes e, há umas semanas, estavam elas na montra do talho à espera de serem compradas. Antes de dizer que queria comprar, já o talhante estava a meter algumas dentro de uma saquinha. Cada uma custou 0.95€ e eu achei uma roubalheira para um bichinho tão pequenino, por isso pedi as mais gordinhas já que não eram vendidas ao peso :)
Para quem gosta de rapar ossinhos como eu, são simplesmente perfeitas e ficam absolutamente deliciosas feitas desta maneira!

Ingredientes:
1 colher (sopa) de azeite
8 codornizes arranjadas
1 cebola pequena picada finamente
2 fatias de bacon, sem gordura e picadas finamente
1 colher (sopa) rasa de farinha
4 dl de caldo de galinha
60 g de cevadinha (não usei)
1 cenoura grande cortada em bocadinhos
125 g de cogumelos cortados em bocadinhos
1 colher (chá) de sumo de limão
3 colheres (sopa) rasas de salsa fresca picada
Pimenta-preta moída na altura

1. Aqueça o azeite sobre lume forte numa caçarola grande que possa ir ao forno e aloure as codornizes de todos os lados, durante cinco minutos ou até ficarem acastanhadas. Retire as codornizes da caçarola e guarde.
2. Reduza o lume para brando e salteie a cebola e o bacon na caçarola durante dois minutos. Polvilhe com a farinha e depois junte o caldo, a cevadinha e a cenoura e deixe levantar fervura, mexendo sempre.
3. Junte os cogumelos, o sumo de limão e uma colher de sopa de salsa e tempere com pimenta. Ponha novamente as codornizes na caçarola, deixe levantar fervura, tape e leve ao forno aquecido a 180 Cº por 40 minutos ou até ficarem tenras. Polvilhe com o resto da salsa e sirva.

À falta de caçarola que vá ao fogão e ao forno, fiz primeiro na wok e depois passei para uma travessa de ir ao forno.
Pus as codornizes direitinhas, estavam tão bonitas alinhadas mas a minha mãe resolveu dar-lhes uma voltinha a meio do tempo e fui dar com elas fora da formação. Não interfere no sabor mas, esteticamente, a primeira foto teria ficado muito mais bonita :)
Servi-as com grelos salteados no alho e azeite. Não há necessidade de colocar sal, uma vez que o bacon já é salgado. Se vocês imaginassem como os cogumelos, a cenoura e o bacon ficaram bons... iam querer fazê-la de certeza!
Estas quantidades dão para 4 pessoas e a receita foi retirada do livro "Boas receitas para uma boa saúde".

A receita é boa, vamos lá ver se a saúde se porta em condições :)
O meu computador continua doente e ainda por cima não consigo formatá-lo. O "técnico" ficou de aparecer ontem e deixou-me à espera. Vamos lá ver se resolvo isto hoje.
Continuação de boa semana!
tags: ,
publicado por Ameixinha às 10:45 | link do post | comentar | ver comentários (97) | partilhar
Quarta-feira, 17.02.10

Bôla de carnes


Sou uma fã incondicional de salgados e gosto de queijo como de água para sobreviver. Esta é a melhor bôla que já provei até hoje. Repeti-a já muitas vezes e, quem prova, aprova e pede a receita. Via-a a primeira vez no Sete Pecados mas já correu outros blogues.
É muito simples de fazer, não precisa de fermento de padeiro e os ingredientes encontram-se facilmente em qualquer cozinha. O melhor de tudo é que a massa não fica seca e, no dia seguinte, mantém-se fofa. Não há nada melhor e a receita está disponível para quem quiser experimentar :) E fica tão lindinha, não fica?
Aiii que orgulho he he

Ingredientes:
4 ovos
2 dl de óleo (usei apenas 1 dl)
2 dl de leite
330 gr de farinha autolevedante
3 colheres (chá) de fermento
400 gr de carnes variadas (usei fiambre, chourição e muito queijo)

Preparação:
Na batedeira coloque os ovos e o óleo e bata por 10 minutos (convém cumprir este tempo para que a massa fique fofinha). Depois deita-se metade da farinha e o leite alternados e, por último, a restante farinha misturada com o fermento.
Deita-se num pirex, primeiro uma camada de massa e depois, fiambre, queijo e chourição (ou presunto, sobras de carnes, bacon, etc). Por último, cobre-se com a restante massa.
Leva-se ao forno a 180º C até estar cozida. Se quiser pincele com gema de ovo (não uso).

Com esta receita participo na promoção do aniversário do blog da Fla, Arte na Cozinha. Ela pede que expliquemos porque esta receita irá revolucionar a cozinha dela. A minha resposta é:

Esta bôla que aqui apresento,
Na cozinha é uma revolução.
Deliciosa, faz-se num momento
Leva queijo, fiambre e chourição.

Em 20 minutos está feita
Come-se num segundo.
Fica aqui a receita,
Para que a veja meio mundo.

E mais não digo, nem vale a pena... façam, oiçam o que vos digo. Esta bôla não tem dilema :)
tags: ,
publicado por Ameixinha às 11:35 | link do post | comentar | ver comentários (85) | partilhar
Sexta-feira, 02.10.09

Espetadas de frango com sumac e iogurte


Hoje vai ser rápido porque ainda estou a recuperar do choque desta manhã. O Matias lembrou-se de cair ao poço, achei que ele morria e desatei a chorar desalmadamente. Quando ele já estava a perder as forças o meu irmão e a Cristina conseguiram puxá-lo para cima com o balde. Obrigada a vocês por não desistirem dele!

Estou traumatizada com a visão de espreitar para o poço e ver o gato a afogar-se! Não me apetece fazer nada, nem sequer escrever mas, estas espetadas merecem ser publicadas e, afinal, o Matias está são e salvo depois de ser aquecido a secador e a calor humano... e a secador outra vez, porque as minhas lágrimas são molhadas :)

Aqui em casa é assim... as leis de Murphy andam à solta. Se já está mau, acaba por piorar e nós... vamos levando!

Para as espetadas:
Cubos de peito de frango (o peito de um frango deu para 2 pessoas), temperados com sal, sumac e uma colher de sobremesa de iogurte natural.
Deixa-se marinar por 1 hora.
Colocam-se os cubos nos espetos (que devem fica de molho em água fria por 1 hora) e leva-se a grelhar, besuntando-os com uma mistura de iogurte e azeite. Deixe a carne cozer e ficar dourada. Sirva com salada e quartos de limão.


Bom fim de semana a todos e mantenham os gatos afastados dos poços, ok? Eu vou tentar relaxar para ver se os joelhos deixam de tremer!


Notas:
- A receita veio daqui;
- Já apresentei o Sumac aqui;
- Resolvi colocar pimento vermelho e uns snacks de salame de alce fumado que a TitiSu comprou no Ikea e me ofereceu! Tadinho do alce... só me lembra as renas do Pai Natal :)

publicado por Ameixinha às 14:15 | link do post | comentar | ver comentários (59) | partilhar
Quinta-feira, 16.07.09

Lombo recheado de ameixas e legumes

Digam lá se não fica fantástico? Super colorido :)
As coisas têm andado muitos cinzentas pela blogosfera e na vida das bloguistas, então toca a colorir um bocado o panorama, senão a coisa vai descambar por completo.
Não é exactamente uma sugestão de receita, é mais uma sugestão de recheio e podem usar lombo de porco, vaca ou vitela. Convém é que a carne não seja muito seca, mesmo usando bastante marinada, correm o risco de não ficar suculenta.

Então, usem a vossa receita de lombo assado favorita e recheem-no com o que mais gostarem. Pedi no talho que me cortassem um lombo de porco e o abrissem de forma a ficar num rectângulo, mas sem o separar. Depois, é só rechear e enrolar como se fosse uma torta. Usei pimento vermelho, courgette, cenoura e ameixas secas. Podem também usar alho-francês ou outros.
Convém que o recheio seja cozinhado para que não leve mais tempo a assar do que a própria carne, uma vez que fica no seu interior (é só dar uma "entaladela aos legumes", também não queremos que eles se desfaçam). Como é óbvio, as ameixas não precisam ser pré-cozinhadas :)

Depois amarrem com uma corda própria ou uma "rede". Como sou uma pessoa muito bem relacionada, usei umas bandas de silicone fantásticas. Podem ver um bocadinho delas na parte superior esquerda da foto :)

Como o tempo está muito cinzento e hoje até já choveu, não é má ideia ligar o forno no fim de semana e saborear um belo lombo!

O post é pequeno que é para desenjoar das minhas histórias mirambolantes e, por vezes, muito compridas.

Aproveito para desejar a todos uma boa sexta-feira e um bom fim de semana :)
tags:
publicado por Ameixinha às 20:00 | link do post | comentar | ver comentários (67) | partilhar
Quarta-feira, 08.04.09

Lombo com farinheira

Em jeito de seguimento do post anterior...
Ontem, fomos comprar o "folar" para a B. De manhã cedinho lá fomos nós, às compras! Isto de oferecer ramos de oliveira e, em troca, ir às compras é coisa que compensa e muito :)
Começamos com a ladaínha: "Escolhes o que quiseres mas tens que deixar vestir!", olhou desconfiada e lá aceitou a condição! Como eu já tinha contado neste post, achava que a miúda tinha uma paixão assolapada por saias e odiava vestidos. Esta confissão, se bem se lembram, foi feita em Fevereiro que é o mês do aniversário dela. Pois bem, 1 mês depois já só quer vestidos... muda de opinião como quem muda de cuecas! Vá-se lá entender a rapariga :) Escolheu um vestido amarelo florido e lá fomos experimentar. Gostou e lá fui eu toda lampaneira pagar com o cartão da madrinha dela, a minha mãe. Helooooo, qué dos cartões? Nem o da madrinha nem o meu!!! Fui roubada? Naaa, ninguém se chega a mim pahhh, eu assusto o próprio susto... ninguém quer ter insónias durante dois meses (no minimo!), não podem ter sido roubados. Perdi-os? Não me lembro de nada... Ficaram na outra bolsa, só pode! Eu já prontinha para ser atendida, a menina do balcão a olhar para mim e a perguntar se era para oferecer, eu só olhava para a carteira e a minha mãe só dizia: "Eu não acredito!" Eu, com cara de parva, lá perguntei se podia guardar que eu depois ia levantar. A menina foi simpática e apercebeu-se logo que eu me tinha esquecido dos cartões, disse que acontecia muitas vezes. Isto de ser gaja e ter muitas malas/bolsas/carteiras não dá jeito nenhum :)
Lá vim eu a olhar para a B. com uns olhos que diziam: "Onde raio é que nós vamos sem o MEU vestido amarelinho?"
Foi então que... num olhar, reparei na minha caderneta verdinha e fez-se luz! Helloooo, vou ali levantar dinheiro e já não preciso de ir a casa e voltar para pagar o vestido! Diz que mulher prevenida vale por duas, é verdade! Mesmo assim, ninguém me quer aturar e eu sou só uma... imaginem duas de mim! ;)
Lá fui eu toda contente levantar a encomenda! Os cartãos estavam em casa, tinham-me caído da carteira e ficaram a descansar. Agora a minha mãe deve-me um BALÚRDIO de dinheiro!!! Sim, porque aqui a espertinha, a semana passada pegou no cartão errado para pagar a conta do talho, levei o MEU e lá se foram uns valentes Euros... e fico por aqui que a minha vida, às vezes, é um grande stress, uma aventura e depois alargo-me nos textos e ninguém tem tempo para ler estas cenas tristes!
Tragam mas é o lombo, este não fui eu que paguei :)


Ingredientes:
1 farinheira
1 kg de lombo de porco
sal
pimenta
10 dentes de alho
50 g de margarina
1 dl de cerveja
800 g de batatas
500 g de cebolinhas (não usei)
1 colher de sobremesa de colorau (adicionei polpa de tomate também)
6 colheres de sopa de azeite
1 folha de louro

Preparação:
Pique a farinheira com um palito e leve ao lume num tacho com água. Deixe ferver cerca de 10 minutos, escorra e reserve. Entretanto, corte o lombo de porco de maneira a poder espalmá-lo num rectângulo. Tire a pele à farinheira e coloque-a no centro da carne, no sentido do comprimento. Enrole a carne, de modo a que a farinheira fique no meio, e ate com cordel de cozinha apertando bem. Descasque os dentes de alho e esmague-os com a margarina Vaqueiro, sal e pimenta, de modo a obter uma pasta. Tempere a carne com a pasta obtida e coloque-a num tabuleiro que possa ir ao forno e regue com a cerveja. Descasque as batatas e as cebolinhas e corte ambas em gomos. Tempere com sal, pimenta e o colorau. Disponha em redor da carne, regue com o azeite e junte a folha de louro, partida em bocados. Leve a assar em forno moderado (220°C) durante 1 hora e meia hora ou até a carne estar tenra. Vá virando a carne e as batatas com o molho que se vai formando.

Sugestão: Sirva acompanhada com esparregado de espinafres. Deixe arrefecer bem a farinheira antes de lhe retirar a pele para evitar que se desmanche (a minha desfez-se na mesma!).

Nota: este lombo da receita devia ser lombo de porco novo, só pode! É que antes de levar o lombo ao forno, levamo-lo a estufar por 1 hora nos ingredientes todos e, mesmo assim não ficou tão tenro como gostaríamos. Fica bom na mesma, tenham é atenção ao tempo. Não acredito que um lombo de porco asse numa hora e meia, pelo menos no meu forno! Acho que com morcela ou alheira também deve muito bom :)

Até logo, que eu bou ali à inbicta e bolto já ;)
tags:
publicado por Ameixinha às 12:00 | link do post | comentar | ver comentários (64) | partilhar
Domingo, 04.01.09

Perna de perú recheada

No primeiro do ano 2009, decidimos fazer perna de perú recheada que eu tinha visto numa revista teleculinária nº 1185 de 2001. Lá fomos ao talho do costume para encomendar as pernas de perú. Pedimos duas por achar que uma seria pouco, poderia aparecer alguém para se juntar a nós. Afinal não, fomos só três, porque o meu irmão foi para a night e só apareceu de tarde ;) Andamos dois dias a comer perú recheado he he Isto foi mais olhos que barriga :) Mas estava delicioso e vamos fazer mais vezes cá em casa, com recheios diferentes para experimentar. Desta vez consegui tirar foto dos passos todos até ao produto final. Assim entende-se muito melhor o que é preciso fazer.


Peçam no talho para desossarem a perna de perú (basta 1 perna com 1 kg para 4 pessoas). Como não temos facas bem afiadas cá em casa e não queremos perder os dedinhos, pedimos a alguém que sabe trabalhar com isso :) O osso deve ser todo retirado excepto a pontinha da perna. No talho onde vou, eles também têm umas ligas especiais para apertar e segurar as carnes recheadas. Dão um jeitão e trouxemos duas (vê-se nas fotos abaixo).
Depois convém colocar as pernitas de molho para lhes retirar o sabor característico e desagradável. Para isso enfiam-se as pernas num balde com água fria, rodelas de limão, cebola e alho. Deixa-se ficar durante 24 horas.

Para o recheio:

200g de carne picada (vaca, porco, frango ou vitela - eu usei vaca)

1 colher (sopa) rasa de farinha

30 g de pinhões

1 ovo

1 cebola pequena picada

sal e pimenta q.b.

É só misturar todos estes ingredientes, amassar e colocar dentro das pernas.

Ate com fio incolor ou envolva a liga na perna, aconchegando bem o recheio dentro da perna de perú.

Na receita original dizem logo para colocar a perna no tabuleiro e levar ao forno com uma calda de temperos. Nós cá em casa preferimos colocar o perú a dormir no tempero de um dia para o outro.

Assim, partimos uma cebola grande às rodelas, alguns alhos, uma pimenta malagueta seca sem as sementes, oregãos secos, louro sem o veio central, azeite q.b. Colocamos as pernas de perú e depois regamos com duas cervejas, 1 cálice de vinho madeira, 1 cálice de aguardente, 1 cálice de vinho do porto.


No dia seguinte foi a estufar até estar tenro. Para isso vai-se espetando um garfo e regando a carne com o próprio molho que está no tacho. Para que a carne não fique seca é importante ir regando e virando as pernas.
Depois de sentirem a carne tenra, transfiram-na para uma tábua de cozinha, retirem a liga ou o fio e cortem-na às fatias. Coloquem-na num pirex, reguem com o molho que ficou (ainda é bastante e deve ser coado) e levem novamente ao forno para ficar douradinha.




Serve-se com batatinhas assadas que também vão sendo regadas com o molho do perú e fatias de ananás. Pode também usar como acompanhamento, fatias de laranja ou arroz árabe.
Não é um prato fácil, mas a ocasião exigia algo mais elaborado. Estes pratos que exigem algum tempo de cozedura, são sempre muito saborosos pois a carne vai cozendo devagar e toma bem o gosto dos temperos.

tags: ,
publicado por Ameixinha às 01:56 | link do post | comentar | ver comentários (57) | partilhar
Segunda-feira, 01.12.08

Lasanha mista


Na onda das massas que eu adoro, aqui fica uma receita de lasanha que retirei de uma revista "Delícias da Culinária" nº8.

Tive mais uma aventura com as placas de lasanha mas desta vez foi por estupidez minha. Eu não me posso lembrar de tudo não acham? Tenho muita coisa enfiada neste cérebro e alguns neurónios vão definhando.

Como é que eu me poderia lembrar que depois de cozer as placas de lasanha por alguns minutos, eu tinha que as passar por àgua fria para não se colarem? Óbvio que não me lembrei e elas ficaram agarradinhas umas às outras e, por mais que eu as tentasse afastar, elas gritavam "Daqui não saio, daqui ninguém me tira!!!"

E eu não disse nenhum palavrão (em voz alta, porque eu pensamento já fervia por todo o lado), limitei-me a pegar na massa e tentei separá-la o mais que pude. Veio aos pedaços e é por isso que a lasanha não está altinha como era suposto, mas de sabor ficou excelente!

Passei alguns dias sem saber o que raio tinha falhado e, de repente, fez-se luz... algum neurónio ressuscitou e fez-me lembrar que tinha que ter mergulhado as placas em àgua fria. Insultei-me a mim mesma como se servisse de penitência e disse: "Ó Ameixa, miúda, tu estás mesmo velha e seca pá!" :)

E passou-se assim, para a próxima tenho que arranjar uma mnemónica (adoro esta palavra) ou escrever num papelinho e colá-lo nas lentes dos "ólicus"!



Ingredientes:

700g de carne picada (usei carne de vaca e pus menos, era o que tinha congelado e a desgraçada já fazia "muuuuuuuuu" porque estava esquecida no congelador)

1 cebola picada

5 tomates picados (usei de lata)

salsa, cebolinha e sal a gosto (usei salsa fresca, não tinha cebolinha)

Azeite para refogar

Margarina para untar

250g de massa de lasanha pré-cozida

100g de queijo mozzarella fatiado (usei limiano às fatias)

Cebolinha para decorar (usei oregãos)

Meia courgette picada (acrescentei eu)


Molho:

2 colheres (sopa) de farinha maisena

1 chávena (chá) de leite

2 colheres (sopa) de margarina

1 colher (café) de noz-moscada

2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

sal a gosto


Preparação:

Para o molho, numa panela, leve ao lume a farinha maisena dissolvida no leite, a margarina, a noz-moscada, o parmesão e o sal, até engrossar. Reserve.

Numa panela, refogue a carne, a cebola, o tomate, salsa e cebolinha em azeite. Tempere com sal. Num recipiente untado, coloque um pouco de molho branco e alterne camadas de massa e do refogado da carne. Finalize com o restante molho. Espalhe o queijo por cima, depois os oregãos e leve a gratinar ao forno.

Ficou deliciosa :)

tags: ,
publicado por Ameixinha às 11:40 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Quarta-feira, 15.10.08

Escondidinho de frango


Ora cá estou eu mais uma vez a apresentar uma receita de intercâmbio cujo ingrediente adorado aparece com distinção :)
A minha parceira nesta nova empreitada é a outra menina que partilha a gestão do intercâmbio comigo e com a Nana... é a Axly!!!
Como a Axly sabe que eu desenvolvi uma paixão assolapada pela mandioca, ela enviou-me algumas receitas com esse ingrediente e eu escolhi o escondidinho de frango e não estou nada arrependida.
Mais uma vez passei um martírio para cortar e descascar a mandioca e descobri que um dos paus não estava em boas condições (às vezes acontece os paus não saírem como nós esperamos, né? eh eh), mas atrás de um pau vem logo outro (está a piorar, não está?) e consegui um escondidinho maravilhoso.
Vejam só a travessa a sair do forno... fantástico!!!



A receita canta assim:

1/2 kg de peito de frango

2 tabletes de caldo de galinha (não usei)

1 colher (sopa) de coentro ou salsa (usei salsa fresca)

1 kg de mandioca (macaxeira) cozida com água e sal

1 e 1/2 cebola ralada

1 lata de creme de leite (usei 200ml de natas light)

1 copo de requeijão

1/2 copo de leite (usei menos)

2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado (usei fatias de queijo limiano)

Polpa de tomate, cebola e alho q.b. (acrescentei eu)

Modo de Fazer:

Cozinhe o peito de frango com 1 xícara/chávena de água a ferver com as tabletes de caldo de galinha, se necessário coloque mais água fervente.

Desfie o peito e misture o caldo que sobrou do cozimento, a cebola e a salsa. Reserve (Aqui alterei a receita e levei o peito desfiado para refogar junto com a polpa de tomate, cebola e alho cortado pequenino e deixei apurar. Desliguei e reservei).

Passe a mandioca pelo espremedor ainda quente e coloque o creme de leite, misture bem até obter um puré. Despeje esse puré num recipiente refratário (20x30cm) untado com margarina e espalhe o recheio de frango e cubra com o resto da mandioca. Cubra com requeijão misturado com o leite, polvilhe com o queijo parmesão e leve ao forno para gratinar (usei queijo limiano em fatias e polvilhei com oregãos). Sirva a seguir. Pode substituir a mandioca por batata, use a variedade que fique mais sequinha (nada se compara ao sabor da mandioca, aconselho a experimentar).


Considerações finais:

A minha mãe disse que só depois de ter experimentado estes pratos é que começou a entender porque é que os povos indígenas do Brasil e do Continente Africano comem tanta mandioca. Eu e ela já sobrevivíamos só a comer disto, descascar e cortar é que é mais complicado eh eh

Mais um intercâmbio que enriqueceu a nossa mesa...

Quem ainda não participou, começe a considerar participar. Visitem o Intercâmbio Culinário, espreitem as receitas e as experiências que lá estão descritas e façam a inscrição :) Precisamos de sócias portuguesas. Atrevam-se ;)

publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...