Quarta-feira, 04.03.09

Batata doce recheada


O meu acompanhamento favorito para carne ou peixe, são as batatas. Super versáteis, podem ser comidas fritas, assadas, cozidas, estufadas e em puré (não me lembro de mais nada, mas tinha uma prima que as comia cruas!).

A batata doce, ao contrário do que muitos pensam, não é sequer parente da batata vulgar. É um tubérculo doce altamente nutritivo e o paladar rico e adocicado que tem, desmente a sua origem humilde de planta do Novo Mundo, apresentada aos Europeus por Colombo. Aliás, a batata faz dos americanos uns grandes conquistadores. Hoje em dia há batata em todos os cantos do mundo :)

A batata doce deve o seu sabor a uma enzima que converte os amidos em açúcar, é uma excelente fonte de betacaroteno, contém esteróis vegetais que baixam o colesterol, fibras, vitamina C, potássio entre outros.

Eu resolvi fazê-las assadas e recheadas. Gostamos muito do resultado, tanto pela aparência, como pelo sabor!
Baseei-me nesta receita e fiz algumas modificações.




Para 4 pessoas
4 batatas doces grandes e com a pele lisa
água
sal
150 g de cogumelos
50 g de bacon picado
50 g de margarina
2 colheres de sopa de queijo ralado
1 ovo
noz moscada
tomilho seco
queijo q.b.

Preparação:
Lave muito bem as batatas, coloque-as num tacho, cubra com água, tempere com sal e leve a cozer sobre lume moderado até as batatas estarem macias.
Pique os cogumelos em pedaços pequenos. Leve ao lume a margarina com o bacon picado e quando estiver quente, junte os cogumelos. Deixe saltear até a água que os cogumelos libertam se evaporar. Tempere com sal e pimenta acabada de moer, retire do lume e misture com o queijo. Parta o ovo, separe a gema da clara e junte a gema ao creme de cogumelos, mexendo bem. Ligue o forno.
Escorra as batatas, abra-lhes um rasgo a todo o comprimento na parte de cima e escave parte da polpa cuidadosamente com a ajuda de uma colher de chá. Esmague a polpa retidada e junte-a à mistura de cogumelos e queijo. Perfume com tomilho fresco e uma pitada de noz moscada.
Bata a clara em castelo e envolva-a delicadamente no recheio preparado. Coloque cada batata sobre um quadrado de folha de alumínio e encha as cavidades com o recheio preparado. Coloque mais queijo ralado por cima e leve as batatas ao forno, deixando gratinar até a superfície ficar dourada.


A batata doce tem a casca muito fina, por isso é mais fácil de descascar depois de cozinhada.
Surgiu uma refeição diferente, fácil de fazer, com ingredientes fáceis de encontrar e muito agradável. Podem variar o recheio com outros ingredientes que prefiram, desde que combinem com o adocicado da batata.
É uma entrada mas pode ser servida como prato principal, foi o que aconteceu cá em casa!

*Informações acerca da batata doce foram retiradas do livro "O novo Alimentos Bons, Alimentos Perigosos".
publicado por Ameixinha às 20:40 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Sábado, 10.01.09

Roupa Velha


Ora cá está a roupa-velha cá de casa.

Ele faz-se com as sobras da ceia do dia anterior. Dia 24 e 31 comemos o fiel bacalhau cozido que é servido com batatas e couves cozidas. Há quem enriqueça com cenoura e ovo.

Para regar o bacalhau fazemos um molho cozido que é o que eu mais gosto e, por incrível que pareça, foi a única foto que me esqueci de tirar. Mas podem usar o azeite simples para fazer a roupa-velha.

Isto começa assim:
As sobras do bacalhau, batatas e couves são cortadas em pedaços pequenos (há variações conforme o gosto das pessoas: há quem faça a roupa velha completamente mastigada tipo puré, há quem a faça aos pedaços grandes, nós gostamos dela no meio-termo) e, cá em casa, partimos já para dentro de um tacho. Picamos alguns dentes de alho (é a gosto) e juntamos azeite necessário para levar ao lume. Como já está tudo cozido, só vai ao lume para aquecer. Costumamos juntar também uma pitada de cominhos que lhe dá um sabor fantástico. Aconselho toda a gente a colocar cominhos na roupa-velha. É uma delícia, apesar do aspecto não ser dos melhores :)
Confiem em mim, o aspecto não é tudo e, neste caso, não quer dizer mesmo nada!
publicado por Ameixinha às 12:23 | link do post | comentar | ver comentários (46) | partilhar
Domingo, 22.06.08

Bacalhau à Brás

O meu pai sempre teve o vício dos livros e, há muitos anos, adquiriu o livro "Cozinha Tradicional Portuguesa" de Maria de Lourdes Modesto. Desde pequenina que sou incentivada a usá-lo porque, às vezes, a minha mãe dizia que não sabia o que fazer para o jantar ou que não sabia fazer certas coisas e, o meu pai dizia que só não fazíamos porque não queríamos. O livro estava na estante à nossa disposição, recheado de sabedoria culinária e de receitas deliciosas. É um bom manual e uma referância para quem quer conhecer e provar a gastronomia deste país "à beira mar afogado" ;)
Há algum tempo passei numa livraria para ver as novidades, e lá estava ele com a foto de capa simplesmente fabulosa, abri para ver o preço com uma certa curiosidade. Achei que seria mais barato, nunca pensei que custasse tanto dinheiro. Mas, realmente é uma das bíblias a ter numa cozinha. Agradeço ao meu pai pelo incentivo e pelo gosto dos livros.


Bacalhau à Brás

Esta é uma receita tipicamente Portuguesa, da região da Estremadura, mas que é feita muitas vezes cá em casa. É dos meus pratos favoritos e gosto de comê-lo neste tempo de calor. Acompanho com salada de alface ou tomate e há quem coma com arroz seco também.

Ingredientes:

400 g de bacalhau

3 colheres de sopa de azeite

500 g de batatas

6 ovos (usei apenas 3)

1 cebola

1 dente de alho (grande)

salsa (usei cebolinho)

sal

pimenta

óleo

azeitonas pretas



Preparação:

Demolha-se o bacalhau (ou compra-se já demolhado) retira-se-lhe a pele e as espinhas e desfia-se com as mãos. Cortam-se as batatas em palha (muito fininhas) e a cebola às rodelas finissimas. Pica-se o alho. Frita-se as batatas em óleo quente até alourarem ligeiramente. Escorre-se em papel absorvente. Entretanto leva-se ao lume um tacho com o azeite, a cebola e o alho e deixa-se refogar lentamente até cozer a cebola. Junta-se o bacalhau desfiado e mexe-se com uma colher de pau até o bacalhau ficar impregnado na gordura. Juntam-se as batatas ao bacalhau e com o tacho sobre o lume deitam-se os ovos ligeiramente batidos e temperados de sal e pimenta. Mexe-se com um garfo até os ovos ficarem envolvidos no bacalhau e cozidos. Retira-se do lume e deita-se numa travessa. Polvilha-se com salsa picada e serve-se bem quente, acompanhado com azeitonas pretas.

publicado por Ameixinha às 15:18 | link do post | comentar | ver comentários (40) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...