Quinta-feira, 18.06.15

Cavala assada com batatas a murro

cavala.jpg

Viciei na cavala!

Podia ser pior, podia. Eu, que nunca tive vício algum, viciei agora, depois de velha :)

Quais copos, qual cigarro, qual "bota prá veia"!? Viciei no ômega-3! Felizmente, é um vício barato, senão estava desgraçada.

Segundo as últimas análises, o meu colesterol mau está bom, mas o bom está mau. Ou seja, tive que enriquecer a minha dieta com peixes azuis e enchi-me de cavala, carapau e, de vez em quando, salmão e sardinhas.

Pensem numa droga muito cara. No mundo dos ômegas-3, essa droga seria a sardinha, porque não há dinheiro para tanto! A cavala e o carapau são levezinhas e já dão um impulso jeitoso ao colesterol bom.

Enfim, só vos digo uma coisa: se a polícia marítima viesse cá a casa, confiscava-me o produto. Tenho o congelador cheio de cavalas, cheio! É que, nos tempos que correm, temos que aproveitar as promoções :)

 

Ingredientes:

2 cavalas

tomilho-limão e alecrim frescos

sal, pimenta e azeite q.b

1 cebola média

2 dentes de alho

1 tomate bem maduro ou 2 colheres (sopa) de polpa de tomate

batatas novas previamente entaladas*

 

Preparação:

Dê uns golpes nos lombos das cavalas, coloque 1 raminho de tomilho e 1 raminho de alecrim na guelra de cada cavala e tempere com sal e pimenta.

No fundo de uma assadeira, coloque a cebola cortada aos gomos e os alhos picados. Ponha as cavalas por cima, juntamente com o tomate ou a polpa, e o azeite. Dê um murro nas batatas e junte-as ao peixe. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC, por cerca de 20-30 minutos. Sirva com uma salada a gosto.

 

*Entalar as batatas é levá-las a cozer por alguns minutos mas sem cozê-las totalmente.

tags:
publicado por Ameixinha às 22:12 | link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar
Domingo, 07.06.15

Brownie de abacate

3-3 027.jpg

Serei, provavelmente, trucidada por referir-me a estes quadradinhos como brownie, mas são-no, de facto, para mim. Já fiz alguns brownies, com glúten, sem glúten, provei outros tantos feitos por outras pessoas e comprei alguns para provar. Este brownie que fiz, tem todos os ingredientes para não ser considerado como tal, mas sabe-me a brownie. Sem manteiga, sem trigo, sem chocolate. Bom, muito bom e o abacate continua a ser um grande aliado nestas empreitadas. Estou convencida pelo abacate e pelo óleo de coco. Para quem, ainda assim, acha que isto é tudo menos brownie e nem se atreve a dar uma dentada, não sabem o que perdem :) Bom, very good!

 

Ingredientes (baked by an introvert):

3/4 chávena de farinha sem glúten

1/3 xhávena de cacau

1/2 colher (chá) de bicarbonato

1/4 colher (chá) de sal

1/3 chávena de óleo de coco, derretido e arrefecido

1/2 chávena de abacate amassado

1/3 chávena de açúcar amarelo + 1/4 chávena de açúcar branco

1 ovo, temperatura ambiente

1 colher (chá) extracto de baunilha

 

Preparação:

Pré aqueça o forno a 180ºC. Prepare um tabuleiro quadrado e forre com papel vegetal.

Peneire a farinha, cacau, bicarbonato e sal. Reserve.

Bata o óleo, abacate e os açúcares. Junte o ovo e a baunilha. Envolva a mistura de farinha, um pouco de cada vez. Misture delicadamente e leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até que um palito saia húmido do centro. Deixe arrefecer na forma antes de retirar e cortar em quadrados.

 

Bom domingo!

publicado por Ameixinha às 12:56 | link do post | comentar | ver comentários (4) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...