Quinta-feira, 21.08.14

Pão de mistura

 

Há uns meses recebi a visita de umas amigas especiais, todas mouras, mas especiais. De visita à invicta, aproveitamos para colocar a conversa em dia, comer, falar de comida, rir e passear. Foi bom, muito bom. Para quem anda meio desanimado, foi uma injecção jeitosa :)

Houve presentes, tantos e tão bons. Malucas, todas! Que se lixe, eu gostei, muito! Todas tão longe, e nem sabem que cabem no meu abraço, todas, todos os dias, ou quando me apetece.

Entre farinhas sem glúten, livro, chocolates, pernil do Antunes, bifanas da conga que ficaram por comer, forminhas e montras, foi um dia para não esquecer.

Delas recebi o meu primeiro livro de receitas sem glúten, e resolvi experimentar algumas depois de ter comprado uma cambada de farinhas diferentes. Deixo aqui a receita base de uma mistura que se usa para fazer pães. Gostei muito do resultado, pão de côdea crocante e com um miolo todo esburacadinho. Maravilha!

 

 

 

Ingredientes base:

200 g de trigo sarraceno

200 g de farinha de arroz

200 g de farinha de teff

250 g de amido de milho

150 g de amido de tapioca

3 colheres (sopa) de sorgo

2 colheres (chá) de amaranto

2 colheres (chá) de psílio

 

Numa tigela misture as farinhas todas e guarde numa caixa fechada, ao abrigo da luz.

 

Para o pão de mistura:

500 g de farinha sem glúten (mistura já preparada)

2 colheres (chá) de fermento schar

1 colher (chá) de psílio

1 colher (chá) de açúcar

1 colher (chá) de sal

30 g de manteiga

1 colher (chá) de vinagre de fruta

400 ml de água morna

 

Coloque a água, sal e açúcar na cuba da máquina do pão. Junte os ingredientes secos, deixando o fermento para o final. Ligue no programa sem glúten. Se a massa agarrar, junte mais um pouco de farinha.

Deixe terminar o programa, retire e coma quente porque vale a pena :)

 

 

Receita adaptada do livro "padaria e pastelaria sem glúten".

publicado por Ameixinha às 21:35 | link do post | comentar | ver comentários (11) | partilhar
Domingo, 03.08.14

Panquecas de banana

 

Todos se queixam da chuva a meio do Verão. Chuva em Agosto? Que desgraça!

Não acho, não concordo, mas nunca fui das pessoas que fazem muito sentido :)

Diferente é bom, inesperado é ótimo, estranho é engraçado. Sou eu!

Aproveito os dias assim, menos quentes, para aquecer a alma. Chá e panquecas, sempre fazem sentido, faça chuva ou faça sol.

É tão fácil colorir os dias mais cinzentos. Experimentem usar o coração para ver beleza, vão encontrá-la em todos os cantos, mesmo em pequenas partículas, como as gotas de chuva ;)



 

 

Ingredientes:

1 banana madura

1 ovo

1 colher (sopa) de açúcar

1 colher (chá) de canela moída

1 chávena de leite sem lactose

1/2 chávena de farinha de arroz

1/2 chávena de farinha doves farm self-raising*

1 colher (chá) de fermento

 

Preparação:

Amasse a banana, junte o ovo, o açúcar e a canela e mexa bem. Adicione o leite e, depois, a farinha junta com o fermento. Envolva e deite uma porção numa frigideira quente, vire e deixe mais um minuto. Retire e sirva com compota de fruta ou maple syrup.

 

Receita retirada do site ww.food.com

*ou usem apenas farinha de arroz

publicado por Ameixinha às 21:31 | link do post | comentar | ver comentários (6) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...