Sexta-feira, 27.04.12

Fígado com oregãos

Há alturas em que os fígados azedam, e algumas pessoas atacam-me o fígado incessantemente. Mas o que não me mata, fortalece-me!

Este é um prato fácil que tenho repetido nos dias em que não sobra tempo para nada. Não agradará à maioria mas cá em casa, apesar das azedices, é uma refeição apreciada.

 

 

Ingredientes:

500 g de fígado de borrego ou vaca

1/4 chávena (30 g) de farinha sem fermento

1/2 colher (chá) de paprica

2 colheres (sopa) de azeite

2 colheres (sopa) de sumo de limão

1 colher (chá) de oregãos frescos ou seco, picado

 

Preparação:

Apare todas as gorduras do fígado. Enxugue o fígado com papel de cozinha e corte-o em fatias com 2 cm de espessura. Corte as maiores em metades ou terços.

Num prato raso combine a farinha, paprica e 1/2 colher de chá, metade com sal e outra metade com pimenta preta em grão. Aqueça o azeite numa frigideira em lume médio. Deite um dos terços do fígado sobre a farinha, retire os excessos e frite-o, 1 minuto para cada um dos lados ou até alourar, mas mantendo-se ainda cor de rosa no interior. Ensope com papel de cozinha amarrotado e coloque num prato aquecido. Repita o mesmo procedimento com o resto do fígado. Cubra com papel de alumínio para mantê-lo quente.

Retire a frigideira do lume e deite o sumo de limão. Este deve borbulhar na frigideira quente. Quando as bolhas assentarem deite os líquidos da frigideira sobre o fígado e polvilhe com oregãos. Sirva quente.

 

Receita d' O Livro Essencial da Cozinha Mediterrânica.

 

Bom fim de semana!

sinto-me: Quem és tu miúda?
tags:
publicado por Ameixinha às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (22) | partilhar
Quarta-feira, 18.04.12

Arroz doce de baunilha

 

Agora sim, agora o tempo corresponde à melancolia dos dias. A neblina e o frio passou a dar mais sentido às horas. Há chuva que cai lá fora e há quem chore por dentro. Ontem e hoje servi-me de comidas quentes para reconfortar e sossegar o coração apertado e aflito. Houve waffles ao pequeno-almoço e sopa cremosa ao almoço, comi quadradinhos de chocolate no comboio, torradas ao lanche, chá ao deitar. Falta-me o arroz doce. Quem sabe... amanhã, se o dia mo exigir?!

Ingredientes:

1/2 chávena de arroz de grão curto

2 1/2 chávena de leite

1 1/4 chávena de natas ou half-n-half*

2 vagens de baunilha

1/4 chávena de açúcar

 

Preparação:

Coloque o arroz numa panela, cubra com água fria e leve a ferver. Remova e coe. Coloque o arroz novamente na panela, adicione o leite e as natas. Parta as vagens a meio e raspe as sementes com a ponta de uma faca. Adicione tudo à panela. Leve a ferver sob lume médio, depois reduza para lume baixo e deixe assim por 45-50 minutos, mexendo ocasionalmente com uma colher de pau para que o arroz não cole ao fundo. Junte o açúcar e deixe mais 10 minutos. Retire e sirva.




Notas:

*Half-n-half obtém-se por misturar metade de natas com metade de leite.

Receita retirada do blog Kiss my spatula.

 

Obrigada pelas palavras encorajadoras e continuação de boa semana!

tags: ,
publicado por Ameixinha às 23:17 | link do post | comentar | ver comentários (32) | partilhar
Quinta-feira, 05.04.12

Chichis

 

Não consegui saber de onde vem este nome tão interessante - se for lido em bom português- e, muito provavelmente, a forma como o pronuncio estará errada :) Mas foi exactamente o nome que me chamou a atenção. Isso e o ser um doce frito e besuntado de açúcar! Achei que são bem melhores comidos quentes porque, depois de frios, tendem a enrijecer! 

Continuamos na onda de doces enquanto esta acidez dos dias não se desvanece.

Obrigada a todas pelos comentários!

 

Ingredientes:

100 ml de leite

2 colheres (chá) de fermento liofilizado

250 g de farinha para pão

2 colheres (sopa) de água de flor de laranjeira

100 g de açúcar

1 ovo

óleo para fritar

 

Preparação:

Aqueça o leite até ficar morno, adicione o fermento, misture e reserve por 5 minutos.

Misture a farinha com o leite, água de flor de laranjeira, 50 g de açúcar e o ovo por cerca de 5 minutos, à mão ou com batedeira/máquina.

Deixe a massa repousar à temperatura ambiente por 45 minutos.

Amasse-a novamente e estenda-a com o rolo da massa até ter cerca de 1 cm de altura. Corte em forma de doughnuts, usando um cortador de biscoitos. Coloque-os num tabuleiro forrado de papel vegetal, cubra com um pano e deixe levedar por 45 minutos, ou até que duplique de tamanho. Aqueça o óleo até atingir 180ºC e frite os doughnuts por 2 minutos de cada lado. Escorra em papel de cozinha e envolva-os no restante açúcar.



Receita retirada do livro "365 good reasons to sit down to eat" do Stéphane Reynaud's.

Rendem bastantes mas o número final irá depender do tamanho do cortador que usarem.

tags:
publicado por Ameixinha às 15:44 | link do post | comentar | ver comentários (23) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...