Domingo, 29.01.12

Waffles de maçapão

 

Comprei uma "waffleira" o ano passado, depois de ter provado - finalmente! - os famosos waffles num pequeno-almoço lisboeta. Nem imaginei que fossem tão bons e... viciantes. Tenho testado algumas receitas ao pequeno-almoço, lanche e ceia. A primeira vez que achei que os ia provar foi na minha ida ao Algarve - expectativa que saiu gorada - por isso, a primeira sugestão que deixo no blog tem sabor a Sul: waffles de maçapão. Abraços para a fauna que conheci no Algarve e para a outra que já conhecia ;)

Ingredientes:

200 g de maçapão

300 ml de leite

2 ovos

50 g de açúcar

200 g de farinha

1 pitada de sal

 

Preparação:

Dissolva o maçapão com um garfo no leite morno. Acrescente os ovos e bata bem. Misture a farinha, açúcar e o sal. Pode passar a varinha mágica para obter uma mistura homogénea. Aqueça a máquina, unte com óleo e, quando estiver quente, despeje pequenas porções de massa. Retire quando estiverem douradas. 

 

Fonte:

Dia de Domingas.

 

Bom Domingo!

 

sinto-me:
música: Set fire to the rain - Adele
tags:
publicado por Ameixinha às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (49) | partilhar
Quinta-feira, 26.01.12

Biscoitos de romã e chocolate


Gosto tanto de romã quanto gosto de chocolate. Ainda por cima são ambos antioxidantes e representam duas das cores que eu mais gosto: preto e vermelho, tão romântico :)

A primeira vez que fiz estes biscoitos foi há 2 anos e o ano passado voltei a repetir porque não gostei das fotos que tirei na altura. Não que eu tenha gostado desta, de facto não gostei nada porque lhe falta a cor dos pequenos rubis a fazer contraste com o negro do chocolate. Mas, decidi que não espero mais um ano para voltar a fazer os biscoitos e fotografar. Aliás, acho que por mais que tente, a coisa vai dar sempre ao mesmo: má foto, boa receita. 

 

Ingredientes:

1 1/3 chávena de farinha

1/2 chávena de manteiga à temperatura ambiente

1 chávena de açúcar amarelo

1/2 chávena de bagos de romã

1 ovos à temperatura ambiente

1 colher (chá) de extracto de baunilha

1/2 colher (chá) sal

1/2 colher (chá) fermento

170 g de chocolate aos pedacinhos

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Prepare os tabuleiros.

Numa tigela, combine a farinha, o sal e o fermento. Noutra tigela maior, bata a manteiga com o açúcar até obter uma mistura fofa. Junte o ovo e a baunilha e mexa para combinar. Gradualmente, adicione os ingredientes secos à manteiga e mexa até a massa ficar espessa. Use uma colher para envolver os pedaços de chocolate e os bagos de romã, distribuindo-os. Forme os biscoitos com uma colher de chá, coloque-os separados no tabuleiro. Alise ligeiramente e asse até estarem dourados, cerca de 12 min. Deixe arrefecer numa grade.

 

Notas:

Receira retirada do blog Coconot & Lime.

Podem usar o chocolate que preferirem, eu usei chocolate negro.

Usei 1 chávena de farinha para bolos e 1/3 chávena de farinha integral.

publicado por Ameixinha às 15:31 | link do post | comentar | ver comentários (35) | partilhar
Terça-feira, 24.01.12

Borek



Sou da opinião de que, quando estamos doentes, devemos comer tudo aquilo que nos apetece. Portanto, eu tive direito a canja, arroz-doce, gelatina e estes pastéis recheados de queijo feta. Quer-me parecer que vou ter que continuar esta espécie de dieta por mais um mês, o tempo que a tosse demorará a passar :)

 

Pastéis turcos de massa filo:

 

400 g de queijo feta

2 ovos, ligeiramente batidos

3/4 chávena (25 g) de salsa fresca, picada

375 g de massa filo

1/3 chávena (80 ml) de azeite de boa qualidade

 

Preparação:

Aqueça o forno a 180ºC. Unte levemente uma forma/tabuleiro. Esfarele o queijo feta para dentro de uma tigela grande com o auxílio de um garfo ou mesmo com os dedos. Misture os ovos e a salsa e tempere com pimenta preta acabada de moer.

Tape a massa filo com um pano de loiça húmido, para que não fique seca. Retire uma folha de cada vez. Empilhe 4 folhas, pincelando cada uma levemente com azeite. Corte a massa em quatro faixas com 7 cm.

Coloque 2 colheres de chá da mistura de queijo num dos cantos de cada faixa e dobre na diagonal, compondo assim uma almofada triangular. Coloque-as numa travessa de ir ao forno, com a fenda virada para baixo, e pincele com azeite. Repita o procedimento com o resto da massa e o recheio, de modo a fazer 24 pastéis. Deixe cozer durante 20 minutos, ou até ficarem dourados.

 

Notas:

Receita retirada d'O livro essencial da cozinha mediterrânica.

Fiz apenas metade da receita.

O recheio dos borek é versátil e pode ser adaptado de forma a incluir os seus queijos preferidos, tal como o haloumi, gruyère, cheddar ou mozzarella.

publicado por Ameixinha às 11:41 | link do post | comentar | ver comentários (39) | partilhar
Quinta-feira, 19.01.12

Bolo Clássico

 

É quase um pão-de-ló recheado e, embora não seja grande fã de chantily, acho que combina muito bem com a compota, além de ficar com um aspeto muito bonito. Se tiverem compota caseira ainda fica melhor e parece-me que podem usar a que mais gostarem, até porque não estamos em época de morangos :) Desculpem-me as fotos, não há maneira de melhorar a coisa!

 

Ingredientes:

1/2 chávena de farinha de trigo

1/2 chávena de farinha com fermento

4 ovos

2/3 chávena de açúcar refinado

1/2 chávena de compota de morango

1/2 chávena de chantilly

 

Preparação:

Aqueça previamente o forno a 180ºC. Unte duas formas rasas de 18 cm de diâmetro, com manteiga derretida ou óleo e forre-lhes o fundo com papel vegetal. Peneire a farinha para uma folha de papel vegetal. Passe as claras de ovo para uma tigela grande e seca, e bata-as em castelo com a batedeira eléctrica. Junte pouco a pouco o açúcar. Bata até dissolver o açúcar e conseguir uma mistura espessa e brilhante.

Junte-lhes as gemas, bata mais uns segundos e acrescente a farinha, mexendo pouco mas energicamente.

Deite a massa nas duas formas, de maneira uniforme. Leve ao forno durante 20 minutos, até que esteja dourada e apresente uma textura esponjosa. Deixe os bolos repousarem por 5 minutos, antes de os colocar numa grelha.

Espalhe a compota uniformemente no bolo. Com a ajuda de um saco de pasteleiro, distribua rosinhas de natas batidas como chantilly sobre a compota. Cubra-as com o outro bolo e, no momento de servir, polvilhe-o com o açúcar de pasteleiro.

 

 

 
Fonte:

"Bolos e Tartes" da Anne Wilson.

tags:
publicado por Ameixinha às 18:45 | link do post | comentar | ver comentários (30) | partilhar
Segunda-feira, 16.01.12

Bolo de limão e crème fraiche

 

 

Havia coisas que ela gostava de fazer no pico do inverno, mas apenas nos dias soalheiros. 10 minutos de raios solares para recarregar a bateria de vitamina D. Encostava-se à portada da janela, a madeira rachada e gasta com a tinta branca já a cair, estava quentinha. Ela, de pé, fechava os olhos e vi-a a luzerna intensa penetrar-lhe os ossos. Gostava de estar assim parada mas, havia dias em que se dignava a uma caminhada, aproveitava também para fazer algo que tinha prometido a si mesma há algum tempo, passear o cão. Deixá-lo também a ele ter uma pequena alegria e, ainda por cima, ria com o fuçar nas ervas da beira dos caminhos, a tão importante marcação de território e as corridinhas curtas já que a trela não o deixava ir tão longe como ele gostaria. Numa aldeia pequenina em que todos se conhecem, era impossível não acenar à velhinha que mandava sempre beijinhos, sempre mais que um, não fosse um deles perder-se pelo caminho. Aproveitava e ia ali mesmo ao lado apanhar limões e laranjas, arrancava-os directamente da àrvore, sem cuidados especiais. Queria uns quantos limões na mão e fugia dos pingos de chuva que estavam ali depositados desde a madrugada orvalhosa. Pensava que a vida poderia ser até meia amarga como aqueles limões mas, tal como eles, precisava ser bem aproveitada, da casca ao sumo. Não se pode desperdiçar nada, nem mesmo a vida, por mais cítrica que ela seja.

 

 

Ingredientes:

1 1/4 chávena de farinha para bolos (sem ser auto-levedante)

1/2 colher (chá) de fermento

1/2 colher (chá) de bicarbonato

1/8 colher (chá) de sal

3/4 chávena de manteiga, amolecida

1 chávena de açúcar

2 ovos

1 colher (sopa) raspas de limão

1 1/2 colher (chá) raspas de laranja

1 colher (chá) extracto de baunilha

2/3 chávena de crème fraîche*

3 colheres (sopa) açúcar em pó

2 colheres (chá) sumo de limão

 

Preparação:

Unte e enfarinhe uma forma de 22 cm de diâmetro.

Numa tigela junte a farinha, fermento, bicarbonato e sal. Noutra tigela bata a manteiga com o açúcar até ficar fofo. Adicione os ovos um de cada vez, batendo entre cada adição. Junte as raspas e a baunilha. Adicione metade dos ingredientes secos, um pouco de cada vez e envolva. Adicione o crème fraiche e bata até ficar suave. Adicione o resto dos ingredientes secos e bata até estar bem combinado. Transfira a massa para a forma e coza por 40-45 minutos a 180ºC. Numa tigela junte o açúcar e o sumo de limão. Retire o bolo e deixe arrefecer por 10 minutos na forma, desenforme e deixe arrefecer completamente. Coloque a cobertura e sirva.

 

Fonte:

Oprah.com


*Caso não consigam encontrar crème fraîche, podem fazê-lo em casa por colocar uma chávena de natas num recipiente de vidro e juntem 2 colheres de sopa de iogurte ou buttermilk. Deixe a mistura repousar à temperatura ambiente por cerca de 12-24 horas. Cubra bem, refrigere e use no espaço de uma semana - dica retirada do livro "How to cook everything vegetarian" do Mark Bittman.

 

publicado por Ameixinha às 13:55 | link do post | comentar | ver comentários (41) | partilhar
Sexta-feira, 13.01.12

Pudim branco

 

Olha para esta foto e, invariavelmente, lembro-me de hospitais. Não me consigo lembrar de outra coisa. Que me passou pela cabeça para colocar tudo branco, quando bastava o branco do pudim?! Provavelmente a minha falta de sentido de estetica e falta de jeito para a fotografia. Poderia repetir a receita, mas usei as últimas saquetas de coalhada. Ele ficou tão perfeitinho que, o que conta, é partilhar a receita. Ah e não tirei foto ao interior porque ele é igual à parte de fora ;) Vão lá ao blogue da Helena e vejam o verdadeiro pudim de uma verdadeira fotógrafa.

 

Ingredientes:

600 ml de leite

2 pacotes de coalhada/cuajada

120 g de chocolate branco

1 pacote de açúcar baunilhado

 

Colocar todos os ingredientes numa panela e levar a lume médio até começar a engrossar. Verta para uma forma e leve ao frigorífico até solidificar. Desenforme e sirva.

 

Abraços a todos e um beijinho especial à Helena!

sinto-me:
música: Pra declarar minha saudade - Maria Rita
publicado por Ameixinha às 18:10 | link do post | comentar | ver comentários (44) | partilhar
Quarta-feira, 11.01.12

Lasanha de soja


Há dias em que só me apetece comer lasanha de soja, sinto-me uma espécie de Garfield bem comportado. Não como soja porque, supostamente, ela é saudável - até tenho as minhas dúvidas - mas porque me sabe mesmo bem e, finalmente, consegui que alguém gostasse dela tanto quanto eu, aqui em casa. Gosto de fazer um bocadinho a mais, para poder comer as sobras à colher. Fi-la da mesma maneira que se faz uma qualquer outra lasanha, apenas modifiquei os ingredientes. À soja podem juntar os legumes que preferirem, tal como cogumelos, espinafres, beringela, milho e por aí fora. A gula é o limite ;)

Ingredientes do recheio:

150 g de soja granulada

1 cebola média, picada

1 dente de alho, picado

1 cenoura média, ralada

1 courgette média, ralada

polpa de tomate a gosto

salsa, pimenta, noz-moscada, oregãos e sal q.b. 

3 colheres (sopa) de azeite

2 colheres (sopa) vinho branco

50 ml de água

16 folhas de lasanha fresca ou seca

queijo parmesão e mozzarella



Preparação:

Coloque a soja de molho em água por cerca de 30 minutos. Escorra-a bem e reserve.

Leve ao lume o azeite numa frigideira, junte a cebola, alho, salsa, cenoura e courgette. Deixe refogar por alguns minutos e adicione a soja e a água. Envolva e tempere. Junte a polpa de tomate e o vinho  e deixe cozinhar por mais 10-15 minutos. Prove e rectifique os temperos.

Caso use folhas de lasanha secas, leve-as a cozer por 2-3 minutos, passe por água fria e disponha-as num pano de mesa limpo. 

 



Molho branco:

30 g de manteiga

30 g de farinha sem fermento

500 ml de leite

1 pitada de noz moscada, sal e pimenta

 

Preparação:

Derreta a manteiga num tacho com o fundo pesado, sobre lume brando. Polvilhe com a farinha e cozinhe 1-2 minutos, sem deixar tomar cor, mexendo continuamente com uma colher de pau.

Retire do lume e adicione gradualmente o leite quente, batendo com uma vara de arames. Deixe levantar fervura, mexendo sempre, e coza 3-4 minutos ou até estar suficientemente espesso para cobrir as costas de uma colher. Tempere com sal, pimenta e noz-moscada.

 

Montagem:

Numa travessa rectangular ou quadrada, disponha um pouco do molho branco seguido de algumas folhas de lasanha. Coloque um pouco do recheio de soja, seguido de queijo ralado e mais um pouco de molho branco. Faça assim até que termine o recheio. A última camada deve ser de folhas de lasanha, seguida do resto de molho branco e queijo ralado. Polvilhe com oregãos e leve ao forno por 30-45 minutos.

 

Notas:

A receita de molho branco foi retirada do livro "Molhos" da Cordon Bleu.

música: Call me irresponsible - Michael Bublé
publicado por Ameixinha às 13:55 | link do post | comentar | ver comentários (37) | partilhar
Segunda-feira, 09.01.12

Bolo custard sem ovos


A minha vida, sem um certo e determinado gato, talvez fosse mais sossegada, mas não teria metade da piada. Desde a vinda do meu possuído que tenho reunido alguns gatinhos, seja um brinco, uma base de copos ou um bibelô. Para a coleção entrou um prato e uma chávena, uma oferta de paz depois de um pente fanado em terras algarvias :) Está guardado como se fizesse parte da coleção, porque colocá-lo a uso seria demasiado arriscado, já que as duas "lavadeiras" da casa têm mãos escorregadias. Qualquer dia começo é a processar a Fairy porque é muito suspeito duas almas partirem tanta loiça, acho que é do detergente, só pode! A cozinha também não teria tanta piada sem esta farinha de aroma a baunilha que deixa tudo mais amarelinho. O sabor é fantástico e gosto sempre de experimentar novas receitas com ela, especialmente se não houver ovos à mistura. 
 

Ingredientes:

1 1/2 chávena de farinha

3/4 chávena de farinha custard

2 1/4 colher (chá) de fermento

3/4 chávena de açúcar

150 g de manteiga, à temperatura ambiente

1 chávena de leite

 

Preparação:

Coloque todos os ingredientes secos numa tigela. Com uma colher de pau, mexa bem. Adicione o leite e a manteiga e bata com a colher até estar suave. Coloque numa forma e asse a 180ºC por cerca de 45 minutos a 1 hora. Deixe arrefecer e sirva.

 

Fonte:

My diverse kitchen.

 

Bom início de semana a todos!

música: Tá perdoado - Maria Rita
tags:
publicado por Ameixinha às 15:02 | link do post | comentar | ver comentários (36) | partilhar
Sexta-feira, 06.01.12

Couve e bacon


Tenho um livro pequenino do Nigel Slater, mas ele é recheado de boas e simples sugestões. O título, "Real fast food", diz quase tudo. Isto faz-me lembrar de um episódio fantástico, em que uma tia minha falava de um restaurante que servia comida para fora mas era comida "fast fod" - em bom português. Não sei se deu para entender mas, é certo, que foi gargalhada geral :)

Parafraseando o Nigel, podem usar qualquer tipo de couve embora ele use a couve lombarda. Eu usei couve coração. As cenouras são uma adição doce, não sendo essenciais ao prato, dão uma cor e certa vida à refeição. 


Ingredientes para uma pessoa como prato principal ou para duas como acompanhamento:

2 dentes de alho, pelados

2 cenouras médias, peladas

100 g de bacon fumado

1 colher (chá) de sementes de alcaravia (não usei)

450 g de couve lombarda

sal e pimenta preta q.b. 

Preparação:

Fatie o alho finamente e corte as cenouras em palito.

Corte o bacon em quadrados com certa de 1 cm. Fatie finamente as folhas da couve.

Cozinhe o bacon numa frigideira larga até que comece a dourar. Adicione o alho, cenouras e couve e envolva os vegetais na gordura do bacon sob lume médio. Cozinhe até que as cenouras estejam tenras mas crocantes, cerca de 5 minutos. Salpique algumas sementes de alcaravia e tempere com sal e pimenta. Sirva.

 

Bom fim de semana!

publicado por Ameixinha às 15:45 | link do post | comentar | ver comentários (30) | partilhar
Quinta-feira, 05.01.12

Arroz doce de cesto


Aqui em casa ninguém gosta de arroz doce, a minha mãe come um bocadinho só e torce o nariz. Nunca está ao gosto dela mas, para mim está sempre perfeito. É essencial que o arroz esteja bem cozido e cremoso, com alguma calda pelo meio.

Não sei se os poucos que acompanham este blog desde o início, fez agora 4 anos, se lembram que eu não gostava de arroz doce, tampouco de gelatina, muito menos de uvas-passas. Pois bem, rendi-me ao arroz doce e à gelatina - que tem que ser enfiada dentro de copinhos para eu não a ver tremelicar - faltará muito pouco, parece-me, para começar a comer passas. Nos tempos que correm, antes passas que pedregulhos.

Esta receita de arroz doce vem num livro cuja primeira edição tem a minha idade, o "Cozinha Tradicional Portuguesa" da Maria de Lourdes Modesto, e confecciona-se da maneira que se segue, com ligeiras alterações da minha parte.

 

Ingredientes:
1 litro de leite

1 chávena de café de arroz

4 gemas

sal

açúcar a gosto (cerca de 250g)

canela

 

Preparação:
Escolhe-se o arroz, mas não se lava.

Leva-se o arroz a abrir com 2,5 dl de água e um pouco de sal. Quando a água do arroz tiver evaporado adiciona-se o leite e deixa-se cozer. 

Entretanto, misturam-se as gemas com o açúcar e, fora do lume, juntam-se ao arroz. Leva-se novamente ao lume só para cozer as gemas. Forra-se um cesto com um guardanapo de pano e deita-se lá para dentro o arroz, depois de se ter deixado arrefecer um pouco. Enfeita-se com canela, desenhando corações, letras ou traços.

 


Notas:

Não usei um cesto, deitei o arroz numa travessa funda.

Ao leite juntei uma casquinha de limão, que depois retirei antes de deitar o arroz para a travessa.

Diminuí a quantidade de açúcar para 200g.

A chávena de chá de arroz corresponde a 180g.

publicado por Ameixinha às 13:55 | link do post | comentar | ver comentários (47) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...