Sábado, 31.12.11

Aletria

 

Tinha finos dedos, quase da espessura de aletria, mãos tão grandes que pareciam não pertencer aquele corpo pequenino. Pensou ser bailarina, não fossem aquelas coxas imensas. Gostava do palco e das luzes que, ao invés de a ofuscarem, iluminavam o seu mundo. Queria o melhor para si, mas outros diziam-lhe que ela ainda podia dar mais, aquelas mãos estavam destinadas a grandes obras. Tanto lhe disseram que ela acreditou e guardou o sonho no fundo do seu ser, pensando que estava adormecido, deixou-o ficar assim. Preparou-se para o melhor e o melhor não a descobriu. Para os outros estava tudo perfeito mas ela sabia daquele sonho, sentia-o picar bem no centro do cerebelo. Tantos anos da sua vida desperdiçados quando tudo o que queria era um piano no centro de um qualquer palco. Fechar os olhos e deixar-se embalar pela melodia suave de uma qualquer peça de um dos maiores artistas. Quase todos os dias era iluminada pelas luzes da sala de operações e, enquanto segurava o bisturi, alguém lhe ligava a aparelhagem e ela deixava que os seus finos dedos realizassem grandes obras nas próximas horas. Tinha pena de não poder nunca fechar os olhos, e deixar-se guiar pela mesma melodia que tinha sonhado tocar no centro de um qualquer palco.

 

Ingredientes:

0,5 l de água

casca de limão

pau de canela

250 g de aletria

0,5 l de leite

150 g de açúcar

3 gemas

sal e canela moída q.b

 

Preparação:

Num tacho faça ferver a água com a casca de limão, um pouco de sal e o pau de canela. Quando começar a ferver, junte-lhe a aletria e deixe-a cozer 8 minutos. Adicione depois o leite e deixe cozer mais 5 minutos. Junte o açúcar, deixe ferver 10 minutos em lume brando e retire.

Misture então as gemas aos poucos, mexendo sempre. Leve novamente ao lume só a aquecer, retire e deite em pratos individuais ou numa só travessa. Retire a casca de limão e o pau de canela. Deixe arrefecer e polvilhe a gosto com canela.

Fonte:
Baseada numa receita da revista Tele Culinária nº1183.
Esta aletria é daquelas de cortar à faca, fica bem firme para poder ser comida à mão :)

Bom fim de semana! 
sinto-me:
publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (29) | partilhar
Segunda-feira, 26.12.11

Salada de fruta sazonal



Para aligeirar o menu engordativo, uma salada de fruta da época, bem fresca mas com uma pinga de alcool para aquecer o corpo, porque os dias têm andado completamente gelados.
 
Ingredientes:
6 clementinas
250 ml de Tuaca ou uma mistura de brandy e Cointreau
100 g de açúcar refinado
bagos de uma romã
 
Preparação:
Descasque as clementinas e ponha os gomos numa taça.
Verta a Tuaca sobre elas e deixe durante algumas horas ou durante a noite.
Escorra a fruta numa pequena caçarola para apanhar o Tuaca e junte o açúcar ao líquido. Mexa para dissolver o açúcar, leve a ferver e não mexa mais, mas deixe ferver durante 5 minutos.
Deixe o xarope arrefecer um pouco e deite-o de novo sobre os gomos das clementinas. Junte os bagos de romã e misture.
 
Notas:
Na falta de Tuaca e Cointreau, usei apenas brandy.
Receita do livro "Na cozinha com Nigella".


Continuação de boa semana ;)
tags: ,
publicado por Ameixinha às 10:52 | link do post | comentar | ver comentários (28) | partilhar
Terça-feira, 20.12.11

Rabanadas tipo donut

 

São boas, mas eu acho que uma pitadinha de canela ia dar-lhes muita mais graça. Fica a dica para estas rabanadas que, diz a Nigella, são um belo calmante do seu gordo apetite. E se servem para ela, servem também para mim :)

 

Ingredientes:

2 ovos

4 colheres (chá) de extracto de baunilha

60 ml de leite gordo

4 fatias de pão de forma, cada uma partida em dois

25 g de manteiga, mais uma gota de óleo sem sabor para fritar

50 g de açúcar refinado

 

Preparação:

Bata os ovos com o leite e a baunilha numa taça larga e baixa.

Mergulhe as metades de pão nesta mistura de ovo durante 5 minutos de cada lado.

Aqueça a manteiga e o óleo numa frigideira e frite o pão molhado, por partes, até ficar dourado e tostado.

Coloque o açúcar num prato e envolva o pão cozinhado nele até estar revestido como um donut com açúcar.

 

Fonte:

Na cozinha com Nigella.

tags: ,
publicado por Ameixinha às 19:08 | link do post | comentar | ver comentários (37) | partilhar
Quinta-feira, 15.12.11

Bolo de maçapão e chocolate


 

O maçapão é um produto usado nos doces típicos algarvios e acaba sempre por me levar a esse ponto do país :) 

Quando conheci a Isabelocas no Verão do ano passado, ela trouxe-me uma pequena embalagem de maçapão da Alemanha, onde viveu alguns anos. Tenho pena que nunca mais tenha actualizado o blog e não ter dado notícias, mas espero que esteja tudo a correr bem com ela e a família. O maçapão foi devidamente usado e não poderia ter escolhido melhor receita. Aliás, deu-me para fazer duas experiências mas, para já, fica esta que me deixou muito surpreendida. Os pedacinhos de maçapão ficam com uma consistência e sabor fantástico, não imaginava nada assim. Quem gostar e conseguir encontrar maçapão à venda, aconselho a comprar ou então experimentar a receita caseira que nós aprendemos a fazer no workshop.

 

Ingredientes:

115 g de manteiga sem sal, amolecida

150 g de açúcar mascavado claro

2 ovos, batidos

3 colheres (sopa) cacau em pó

150 g de farinha auto-levedante

130 g de maçapão, cortado aos pedacinhos

4 colheres (sopa) pepitas de chocolate

 

 

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Bata a manteiga com o açúcar até obter uma mistura leve e fofa. Adicione os ovos um de cada vez, batendo entre cada adição.

Peneire o cacau e a farinha sobre a mistura anterior e envolva. Junte os pedacinhos de maçapão com as pepitas de chocolate. Reserve cerca de 4 colheres de sopa e envolva o restante na massa do bolo. Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês. Passe a mistura para a forma, nivele a superfície e salpique com o maçapão e chocolate reservados.

Leve ao forno por 45-50 minutos ou até que o bolo tenha crescido e esteja firme. Deixe arrefecer por alguns minutos, desenforme e deixe arrefecer numa grelha.

 

 

Fonte:

The chocolate and coffee bible.

publicado por Ameixinha às 14:05 | link do post | comentar | ver comentários (28) | partilhar
Segunda-feira, 12.12.11

Fatias de parida

 

Juro que já não posso ouvir a Popota armada em Jennifer Lopez, de coxa à mostra e toda maquiada. Para hipópotamo fêmea obesa, a personagem até tem bastante agilidade. Também não sou grande fã da insossa da Sóninha Araújo, continuo a achar que esta vidinha que ela agora tem foi um belo golpe de sorte porque, mil perdões mas, ali não há grande talento. No entanto, há um livro que mora cá em casa que tem receitas jeitosas e creio ter sido a primeira rampa de lançamento do bicho.

Estas fatias são uma espécie de rabanadas e são as minhas favoritas. Nada como Vinho do Porto para dar aquele sabor especial ;)

 

Ingredientes:

1 cacete

3 dl de vinho do Porto

2 dl de água

4 ovos

2 colheres (sopa) de açúcar

canela q.b.

1 casca de limão 

 

Preparação:

Leve o vinho do Porto a ferver com a água, duas colheres de sopa de açúcar e a casca de limão. Bata os ovos. Corte o pão em fatias de 1,5 cm e passe primeiro pela calda quente e depois pelos ovos. Frite em óleo bem quente e escorra sobre papel absorvente. Sirva polvilhadas de açúcar e canela.

 

Notas:

Usei Vinho do Porto tinto, por isso ficaram escuras. Em vez do cacete preferi usar pão de forma já que o cacete só se encontra nesta altura do ano e as rabanadas são boas o ano todo.

 

Fonte: Sabores de Natal da Popota

 

Boa semana a todos!

publicado por Ameixinha às 00:01 | link do post | comentar | ver comentários (36) | partilhar
Quarta-feira, 07.12.11

Gelado de baunilha e pimenta rosa

 

É certo e sabido que os apostos se atraem. É suposto os invernos serem frios e cinzentos. É a altura em que o amor sabe melhor, no aconchego e no calor dos afagos. O gato tende a ficar perto da lareira, os corpos sentem-se atraídos pelo sofá e há chás fumegantes com sabor a limão e mel, para acalmar as gargantas inflamadas. Uma monotonia incapacitante toma conta do céu, ou é cinzento ou negro, e o sol esconde-se na magnitude do horizonte. É preciso pedir licença a um pé para fazer avançar o outro, anda tudo em câmara lenta para não deixar escapar os raios de energia armazenados há uns meses. Ela queria que não fosse assim, sentia-se impelida a contrariar tudo na sua vida. Se era doença ninguém sabe, mas ela corria à chuva, ia à praia em pleno temporal e sonhava com os trópicos. Por que haveria de compactuar com as coisas, só porque todos teimavam em segui-las como se não houvesse outro caminho? Ela corria pela vida que queria, como queria que ela fosse e jurava que por muito que a achassem louca, ela ia continuar a traçar um rumo oposto ao dos outros. Tinha plena consciência que os gelados eram doces mas, por muito que pudessem duvidar da sua sanidade, ela ia continuar a apimentar a sua vida e a sonhar com o calor do verão em pleno inverno.

 

Ingredientes:

1 fava de baunilha

175 g de leite

75 g de natas

10 g de pimenta rosa

75 g de açúcar

3 gemas de ovo

 

Preparação:

Abra a fava de baunilha longitudinalmente e, com uma faca, raspe o interior.

Coloque numa caçarola o leite, as natas, os grãos de pimenta rosa - um pouco esmagados - e as sementes de baunilha. Leve a caçarola a aquecer em lume médio.

Bata as gemas com o açúcar numa tigela até formar um creme.

Quando a mistura da caçarola começar a borbulhar, não deixe que comece a ferver, vertemos as gemas e o açúcar. Deixe a mistura em lume brando e vá mexendo até que engrosse um pouco, mas sem deixar ferver.

Retire do lume e deixe esfriar.

Se tiver máquina de gelados, siga as instruções de utilização. Caso não tenha, leve ao congelador e bata de 30 em 30 minutos para quebrar os cristais de gelo.

 

Notas:

Receita retirada do blog Uno de Dos.

Apesar de não se referir para coar a mistura, acho que não é agradável encontrar os grãos de pimenta.

Para quem, como eu, não gosta de doces muito doces, aconselho a diminuir a quantidade de açúcar.

Esta receita surge em resposta ao desafio Chocolate e Picante: um desafio de receitas com histórias dentro, lançado pela Suzana do blog Gourmets {amadores}. Infelizmente, a foto não está nada de especial e não há chocolate para saborear mas fica a tentativa. 

 

Continuação de boa semana a todos!

publicado por Ameixinha às 17:36 | link do post | comentar | ver comentários (40) | partilhar
Sábado, 03.12.11

Perú oriental

 

 

Este é um daqueles pratos simples e perfeito para ser feito ao final do dia, quando o cansaço se apodera dos ossos e o frio entranha em todas as frinchas de pele. Sujamos uma panela e, consequentemente, temos menos loiça pra lavar. Ia dizer que também poupamos nos talheres, caso comamos de pauzinhos mas, cá em casa, os pauzinhos também se lavam :) Acho que pode ser usada qualquer tipo de carne e os vegetais que mais gostam, é só deixar que o gosto - bom ou mau - vos leve através do wok. O molho misturado com o arroz é capaz de me fazer querer repetir este prato algumas vezes por semana. Palavra de Ameixa que isto que vos apresento é uma maravilha! A receita veio do livro da Reader´s Digest "Boas Receitas para uma boa saúde".


Ingredientes:
1 colher (sopa) de óleo de girassol ou azeite
350 g de alcatra cortada em tirinhas (usei perú)
1 cebola grande cortada em rodelas
1 pimento verde ou vermelho cortado em tirinhas
1 cenoura grande cortada em palitos
2,5 dl de caldo de carne 
225 g de cogumelos lavados e cortados em fatias
1,5 dl de vinho branco seco
1 colher (sopa) rasa de farinha de milho
2 colheres (sopa) de água
1 colher (chá) molho de soja
1 colher (chá) óleo de gergelim
175 g de rebentos de soja (usei bambu)


Preparação:
Aqueça o azeite numa frigideira antiaderente ou wok. Junte a carne e deixe saltear 1 minuto. Retire a carne e reserve.
Deite a cebola, o pimento e a cenoura na frigideira juntamente com 2 colheres de sopa de caldo e deixe cozinhar durante 1 minuto.
Junte os cogumelos, vinho e o resto do caldo e deixe fervilhar 3 minutos. Dilua a farinha na água e deite na frigideira. Deixe o molho engrossar, mexendo sempre. Baixe o lume e deixe fervilhar mais 2 minutos.
Junte o molho de soja, o óleo de gergelim, os rebentos de soja e a carne e deixe aquecer durante 1 minuto. Sirva imediatamente.

 
 

 

Bom fim de semana a todos e obrigada por cá passarem ;)

publicado por Ameixinha às 22:50 | link do post | comentar | ver comentários (33) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...