Sexta-feira, 25.02.11

Compota de pêra

Falei em Primavera, em despachar os dias cinzentos e ela veio, quente e soalheira, animar o gato que, de tanto frio que tinha, conseguiu queimar os pêlos das sobrancelhas no fogão de lenha :)
O problema da Primavera não é o canto alucinado dos pássaros logo de manhãzinha, tampouco o pólen que viaja no ar, nem mesmo o desassossego das hormonas dos miúdos que os leva ao descontrolo total e moral, mas são os bichos que andam por aí!
Era bem capaz de gostar muito mais da Primavera, não fossem estes bichos malucos que se atravessam na minha vida. Numa das minhas caminhadas, ouvi algo cair à minha frente e levantar voo logo a seguir. Mal o meu cérebro se apercebeu do que era, soltei um audível "Ai!" e, automaticamente, olhei para os lados para ver se alguém tinha visto e ouvido a minha cena triste.
Era um gafanhoto e eu suporto tudo menos gafanhotos. Depois segue-se aquela dança estranha de olhar para trás para ver se o bicho me está a seguir ou se, loucura loucura, está agarrado ao meu casaco ou à minha imensa cabeleira ;)
Só de pensar que há quem coma estes - e outros - bichos como petisco, dá-me a volta ao estômago. Prefiro uma fatia de requeijão com compota caseira de pêra por cima.

Ingredientes:
4 pêras
300 gr de açúcar
1 dl de sumo de limão
1 casca de limão

Preparação:
Descasque as pêras e elimine-lhes os caroços.
Lamine as pêras e regue-as com o sumo de limão.
Leve este preparado a lume brando, num tacho, juntamente com o açúcar, a casca de limão e cinco colheres de sopa de água. Deixe ferver até obter ponto-fio forte. Retire do lume, elimine a casca de limão e coloque numa taça, se for servir. Para guardar coloque em frascos esterilizados.

Notas:
Para 300 gr de açúcar uso cerca de 500-600 gr de pêras maduras, mas não em demasia.
Se a fruta for muito sumarenta, vá retirando o líquido com uma concha, à medida que a fruta vai cozendo.
Pode ser adicionada uma colher de chá de canela em pó.
Receita retirada da revista Mulher Moderna nº151.
publicado por Ameixinha às 22:30 | link do post | comentar | ver comentários (50) | partilhar
Terça-feira, 22.02.11

Noodles com legumes

Hoje, o dia tem um outro colorido. Vou lavar o cinzento destes dias com um prato de massa visualmente primaveril, que fornece o aconchego que a maioria das pessoas sente falta no Inverno.

Ingredientes:
250 g de noodles à vossa escolha
2 colheres (sopa) de molho de soja
1 colher (chá) de mel (usei mel de Rosmaninho do Algarve)
Sumo de 1 limão/lima
1 pimento vermelho, fatiado finamente
2 cenouras, fatiada em palitos
1/2 cabeça de couve chinesa, cortada grosseiramente (usei 1/2 cabeça de uma couve coração)
1 cebola vermelha, fatiada em meias-luas
2 dentes de alho, finamente picados
1 chilli vermelho, finamente picado (usei piri-piri de medronho)

Preparação:
Cozinhe a massa de acordo com as instruções da embalagem, escorra e reserve.
Junte o molho de soja, mel e o sumo de limão numa tigela. Adicione os vegetais cortados, excepto a cebola, alho e o chilli, e misture tudo até estar combinado.
Aqueça um fio de azeite no wok até estar bem quente, junte a cebola, chilli e o alho e deixe fritar por 40 segundos.
Adicione os vegetais e deixe fritar até estarem tenros mas ainda crocantes. Depois adicione os noodles e envolva bem com os vegetais até estar bem misturado, frite por mais um minuto. Sirva.

Notas:
Usei uns noodles integrais que adquiri no DeliDelux.
Caso não tenham cebola vermelha, podem usar das normais.
É óptimo servido frio no dia seguinte.
Receita adaptada do blog The Good Mood Food Blog.
publicado por Ameixinha às 13:15 | link do post | comentar | ver comentários (49) | partilhar
Sexta-feira, 18.02.11

Panquecas de banana e canela

Que eu gosto de panquecas não é novidade, que eu não gosto de bananas também não. A novidade é que, de todas as panquecas que já fiz, as que são feitas com banana acabam sempre por ser as minhas favoritas. Nada se compara a panquecas de banana com uma pitada de canela. Foi no blog A Chef's Daughter que encontrei esta sugestão depois de ter visto duas bananas demasiado amadurecidas na fruteira. Estavam tão mais para lá do que para cá, que já nem as consegui fatiar em rodelas. Foram incorporadas à massa mesmo em quartos meios desfeitos e ficaram perfeitas para fins de semana frios, de chuva e muita preguicite aguda :)

Ingredientes:
1 - 1/2 chávena de farinha
3 colheres (sopa) de açúcar
1 - 3/4 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de canela
1 - 1/2 chávena de leite
3 colheres (sopa) de manteiga, derretida
2 ovos
1/2 colher (chá) de extracto de baunilha
2 bananas maduras, cortadas em fatias

Preparação:
Numa tigela misture os primeiros 5 ingredientes. Noutra, misture os restantes e coloque as bananas cortadas na mistura líquida e deixe repousar por 30 minutos antes de juntar os ingredientes secos e misturar mas não demasiado.
Aqueça uma frigideira antiaderente e, quando estiver bem quente, coloque 1/4 de chávena da mistura e deixe cozinhar até aparecerem bolinhas na superfície. Vire a panqueca, deixe cozer mais 1-2 minutos e retire. Continue o processo até a massa terminar.


Notas:
Usei 1 chávena de farinha para bolos e 1/2 chávena de farinha integral.
Diminuí a quantidade de açúcar porque as bananas maduras já são bastante doces.
Já fiz estas panquecas algumas vezes e nem sempre deixei repousar os 30 minutos, resultando na mesma.
Se as panquecas estiverem a queimar, reduza o lume para o mínimo.

Bom fim de semana!
publicado por Ameixinha às 14:40 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Domingo, 13.02.11

Salada de brócolos e couscous

Não conheço o blog dela há 5 anos porque a minha entrada na blogosfera é mais recente mas, foi um dos primeiros blogs que comecei a visitar e fui deixando-me ficar por lá. Conheci-a pessoalmente o ano passado, quando ela "rifou" um dos quartos mais bonitos daquele hotel na serra Algarvia. A Laranjinha convida-nos diariamente a entrar no seu Cinco Quartos de Laranja da mesma maneira que me convidou a entrar no quarto das papoilas, para que eu o conhecesse pessoalmente - ou só para me esfregar na cara que tinha ficado a dormir no quarto que eu tanto desejei - e para que lhe desligasse o candeeiro, não fosse ela ter que passar outra noite a dormir com a luz acesa ;)
São 5 anos de blog e ele está cada vez mais fresco, natural, aromático como se fosse uma laranja acabada de colher e pronta para lhe ser retirado todo o sumo. Com 5 anos tão preenchidos surge o desafio da comemoração, felicitar a blogueira - e o querido assistente - pelo objecto do seu trabalho com uma refeição preparada com 5 ingredientes.
Há dias em que sou completamente vegetariana e sei que a Laranjinha também aprecia por isso, deixo estes 5 ingredientes, prontos em 10 minutos. Couscous, "árvorezinhas" e amêndoa algarvia, sugestão recolhida do blog Stone Soup, uma das melhores saladas que provei.

Ingredientes:
1 couve brócolo, cortada em floretes
1/2 chávena de couscous
2 colheres (sopa) de molho de soja
1 colher (sopa) vinagre de Jerez
amêndoa laminada q.b. (opcional)

Leve uma chávena de água a ferver numa panela. Junte os brócolos e cozinhe por 4 minutos.
Remova do lume. Junte o couscous, o vinagre e 2 colheres (sopa) de azeite. Misture para combinar todos os ingredientes. Cubra e deixe repousar por 4 minutos. Mexa o couscous com um garfo. Prove e rectifique os temperos. Sirva com ou sem as amêndoas.

Notas:
A amêndoa é opcional, como não tinha a laminada usei amêndoa inteira que quebrei e salpiquei por cima.
Servi a salada quente mas também pode ser servida fria, fica com os sabores ainda mais destacados.
Não tenho vinagre Jerez, substituí pelo balsâmico.
Pode ser servido como acompanhamento ou prato principal.

Vida longa ao Cinco Quartos de Laranja e boa semana a todos que por aqui passam!
publicado por Ameixinha às 22:45 | link do post | comentar | ver comentários (41) | partilhar
Terça-feira, 08.02.11

Cuca Gaúcha

Se é Cuca e se é Gaúcha, eu não faço a mínima ideia! Só sei que no lugar onde vi a receita, ela está com este nome. Para mim é um bolo de banana com uma farofa saborosa por cima.
Tem o intenso aroma a canela e a doçura de banana madura :) O meu bicho mal deu pela fatia, tratou de invadir o "palco". É um cheirinho no ar que até nos faz levitar de gula!

Ingredientes:
2 chávenas de açúcar
60 g de margarina
4 ovos
2 chávenas de farinha
1 chávena de maizena (amido de milho)
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 dl de leite
1 pitada de sal
1 cálice de conhaque

Recheio e cobertura:
3 a 4 bananas maduras
100 gr de farinha
50 gr de açúcar
1 colher (sopa) de canela em pó
50 gr de margarina

Preparação:
Ligue o forno e regule-o para os 220ºC.
Bata o açúcar com a margarina até ficar em creme. Adicione as gemas e continue a bater até a massa estar fofa e esbranquiçada. Entretanto, peneire a farinha com a maizena e o fermento e vá adicionando a pouco e pouco à massa alternando com 1 dl de leite. Em separado bata as claras em castelo bem firme com uma pitadinha de sal. Envolva delicadamente na massa e incorpore o conhaque.
Deite metade da massa numa forma redonda de mola, untada e enfarinhada. Espalhe sobre a massa metade das bananas descascadas e cortadas em rodelas. Cubra com a restante massa e por cima espalhe as restantes bananas em rodelas.
Misture a farinha com o açúcar e a canela. Junte a margarina cortada em pedacinhos e trabalhe com as pontas dos dedos até obter uma massa com a textura de uma areia grossa, Espalhe por cima das bananas e coza no forno durante cerca de 30 minutos.

Notas:
Diminuí a quantidade de açúcar e usei apenas 1 chávena.
Usei uma chávena de farinha para bolos e 1 chávena de farinha integral.
Substituí o conhaque por whisky.
Fica um bolo grande, quem quiser um bolo menor é só fazer meia receita.
tags: ,
publicado por Ameixinha às 19:59 | link do post | comentar | ver comentários (48) | partilhar
Sábado, 05.02.11

Frango marroquino com laranja e açafrão

Galináceos são bichos um bocadinho estúpidos e, mesmo assim, a minha batalha com a carne - seja de que tipo for - é quase perdida. Mas a guerra continua e, por isso, sinto uma grande necessidade de experimentar comer carne de maneiras diferentes, disfarçadas com temperos novos e cores apelativas. Dá-me muito mais gosto ter novidade no prato e esta é uma boa novidade. São sabores exóticos que vieram dentro de uma latinha, oferecida por uma amiga que me incentiva a descobrir o mundo gastronómico além fronteiras.

Ingredientes:
1 peito de frango
100 ml de azeite
1 cebola, picada finamente
1 dente de alho, picado finamente
1 colher (sopa) de gengibre ralado
2 colheres (chá) de NoMU Moroccan Rub
Sumo e raspa de 1 laranja
1 chávena de caldo de galinha (usei água)
2,5 ml de fios de açafrão em infusão em 1/2 chávena de água morna
1 laranja cortada em gomos com a pele
sal e pimenta q.b.

Preparação:
Coloque os pedaços de frango numa tigela, salpique-os com 1 colher de NoMU, sumo de laranja, zest e azeite. Envolva bem o frango, cubra com película aderente e leve ao frigorífico por 3 horas.
Num tacho, aloure os pedaços de frango com um pouco de azeite. Reserve e, no mesmo tacho, aloure a cebola, alho e o gengibre, adicionando outra colher de NoMU. Volte a juntar o frango ao tacho, juntamente com o açafrão em infusão na água morna. Tempere com sal e pimenta a gosto. Tape e deixe cozinhar coberto por 30 minutos. Coloque as fatias de laranja por cima do frango e cozinhe descoberto por mais 30 minutos ou até que as fatias de laranja estejam caramelizadas. O molho deve ficar espesso e o frango bastante tenro. Verifique os temperos e sirva com couscous.


Notas:
Inspirada nesta receita.
Infelizmente distraí-me e o molho que deveria ficar espesso, quase desapareceu.
A receita original pede coxas e sobre-coxas e também é cozinhado numa Tagine, que eu não tenho. Pedia passas e pistácios que eu optei por omitir. Dei umas quantas voltas à receita e ficou uma delícia, imagino se seguisse a receita fielmente!

Bom fim de semana.

publicado por Ameixinha às 16:13 | link do post | comentar | ver comentários (47) | partilhar
Quarta-feira, 02.02.11

Bolo de alfarroba

"Ninguém é, exactamente, o que é ou parece ser", La Bruyère.

Há bolos que parecem de chocolate e não são, que até podem saber a chocolate - só porque somos induzidos a pensar que sim, devido à sua cor - e continuam a não sê-lo. O que parece é uma ilusão da visão e do palato, a alfarroba é enganosa mas deliciosa. Delicada e com baixo teor de gordura, encontra-se à venda nalguns supermercados e na maioria das ervanárias. É a substituição perfeita para quem quer fugir ao chocolate.
Neste bolo, temos a junção de produtos que se encontram em extremos opostos - do Algarve ao Douro - e que resultam em algo que só pode ser muito português! Ainda há quem pense que esta vagem só serve para alimentar porquinhos, mas isso seria como se lhes tivéssemos a atirar pérolas e não guardássemos nenhumas para nós :)

Ingredientes:
3 ovos
1 chávena de açúcar (uso 3/4)
1 chávena de farinha
3/4 chávena de óleo (uso 1/2)
1 chávena de leite
1 colher (sopa) de vinho do Porto
1 colher (chá) canela moída
2 colheres (chá) fermento
2 colheres (sopa) farinha de alfarroba
colo ralado, opcional

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar e enfarinhar uma forma de bolo inglês. Reservar.
Bater os ovos com o açúcar, o óleo e o leite até ficar bem misturado. Adicionar a canela e o vinho do Porto e envolver. Misturar a farinha de alfarroba com a farinha de trigo e o fermento. Envolver delicadamente. Verter na forma e levar ao forno cerca de 40 minutos ou até passar no teste do palito. Esperar 5 minutos antes de desenformar e polvilhar com coco ralado a gosto.

Notas:
Receita retirada do blog Migas com Gindungo.
A medida da chávena usada é de 200 ml.
O bolo fica com uma consistência bastante húmida.
Pode ser feito em qualquer forma que vocês queiram. Já experimentei com formas redondas e fica igual.

publicado por Ameixinha às 22:10 | link do post | comentar | ver comentários (54) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...