Segunda-feira, 31.01.11

Pataniscas de bacalhau

Pataniscas - ou Fataniscas - são um petisco bem português e a Laranjinha fez o favor de nos dar a provar estas pataniscas de bacalhau que, creio, ficaram na memória de todos que lhe deitaram o dente. É certo que o bicho está em extinção mas... não estaremos todos? Um petisco destes de longe a longe sabe bem e não faz tão mal assim! Gostei muito da junção do pimento, a patanisca fica mais colorida e muito mais saborosa. Experimentem e vão ver que vão manter a pata-na-isca ;)

Ingredientes:
100 gr de farinha
sal
pimenta de moinho
2 ovos
0,5 dl de água
1 cebola
200 g de bacalhau demolhado
1 raminho de salsa
1/4 pimento vermelho
óleo para fritar

Preparação:
Deitar a farinha numa taça, adicionar o sal, a pimenta, os ovos e a água. Mexer muito bem com uma vara de arames até obter um polme liso. Descascar e picar finamente a cebola. Adicioná-la ao polme. Limpar o bacalhau de peles e espinhas. Desfiá-lo e juntá-lo ao polme. Picar a salsa e cortar o pimento em cubinhos. Adicionar tudo ao polme e mexer com uma colher de pau. Se necessário, rectificar os temperos.
Colocar um pouco de óleo numa frigideira larga e levar ao lume. Quando o óleo estiver quente, deitar a massa em colheradas e deixar fritar até a parte de baixo estar dourada, voltar e deixar fritar do outro lado.
Escorrer as pataniscas em papel absorvente.

Boa semana a todos!
publicado por Ameixinha às 11:59 | link do post | comentar | ver comentários (63) | partilhar
Quinta-feira, 27.01.11

Compota de Cenoura


Há uns tempos vi-me com uma abundância de cenouras no frigorífico e isto acontece porque eu e a minha mãe nos separamos no supermercado. Vai cada uma para seu lado e enfiamos as coisas no carrinho que fica parado num determinado local. Acontece que, tanto eu como ela, decidimos que eram precisas cenouras em casa.
Com tanta cenoura decidi que a melhor maneira de despachar 1 kg dela era mesmo numa compota, que foi coisinha que nunca tinha visto nem provado mas que teve nota muito positiva. Goodbye miopia goodbye ;)

Ingredientes:
1 kg de cenouras
1 laranja
400 g de açúcar
8 dl de água
3 colheres (sopa) de passas (não usei)

Preparação:
Descasque as cenouras e corte-as em pedaços pequenos. Corte a laranja ao meio, retire-lhe as sementes e a casca e extraia-lhe o sumo.
Num recipiente antiaderente, coloque as cenouras, o açúcar, a água, o sumo e as cascas da laranja. Leve ao lume brando e vá mexendo de vez em quando, até a cenoura ficar tenra.
Retire as cascas da laranja. Triture e deixe cozinhar até obter um creme espesso. Acrescente as passas, espere que levante fervura novamente e desligue.
Depois de arrefecer, guarde a compota num recipiente limpo e seco.

Notas:
Guardei a compota em frascos esterilizados enquanto ainda estava quente e virei-os para baixo de modo a criar vácuo. Rendeu 3 frascos pequenos.
Se não usarem laranja biológica, lavem-na bem antes de retirar a casca.
Retirei a receita da colecção "Alimentos com História" volume 3.

publicado por Ameixinha às 11:50 | link do post | comentar | ver comentários (53) | partilhar
Segunda-feira, 24.01.11

Croutons caseiros

Há umas semanas atrás senti-me como se fizesse parte daquele filme de terror "Pesadelo em Elm Street" em que os personagens, ao tentar sair da cidade, passam vezes sem conta pelo mesmo sítio. Tudo parecia um labirinto sem saída possível. Isto tudo porque não queríamos pagar as SCUT para ir ao Ikea e tivemos que nos embrenhar pelas ruelas do Porto. Foi difícil lá chegar e mais difícil foi encontrar o caminho para casa he he É que as indicações eram quase inexistentes e demos por nós a ir ter ao mesmo sítio algumas vezes. Bendita pasta de chocolate que resolvi levar comigo, porque já eram quase 2 da tarde e o estômago roncava :)
Tudo isto para dizer que, ande eu por onde andar, acabo sempre por voltar a este petisco. É óptimo para aproveitar pão duro e muito simples de fazer, garanto que não é pesadelo nenhum!

Ingredientes:
1 baguete (uso fatias de pão de forma)
3 colheres (sopa) de azeite
3 colheres (sopa) de manteiga, derretida
4 dentes de alho, picados
2 colheres (chá) de sal (uso aromatizado com louro)
1 colher (chá) de pimenta
1 colher (chá) tempero italiano (uso oregãos e tomilho secos)

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Corte o pão em cubos pequenos. Transfira-os para um tabuleiro forrado a papel vegetal (uso a película de silicone). Regue o pão com o azeite e a manteiga, salpique o alho, sal, pimenta e ervas por cima. Envolva bem com as mãos (uso uma colher) os croutons para que absorvam todos os temperos. Leve ao forno por 15-20 minutos até estarem dourados. Sirva depois de arrefecer.

Notas:
Podem usar os temperos que vos apetecer, já fiz sem o alho e sem as ervas. Só com azeite e um pouco de sal também fica muito bom.
Uso os croutons para acompanhar as sopas mas nas saladas também resultam.
Se desejaram podem cobrir com queijo parmesão ralado.
Uso sempre pão de forma já com uns dias. Retiro da embalagem plástica e coloco as fatias dentro de uma saca de pano para pão durante uns dias para endurecerem.
Gosto de comer os croutons quentes, é impossível resistir.
Desconhecendo a medida da baguete, vou cortando o pão até preencher o tabuleiro do forno.
A meio do tempo viro-os para que fiquem dourados por igual.
Vi a receita no blog What´s Gaby Cooking.

Boa semana a todos!

publicado por Ameixinha às 23:11 | link do post | comentar | ver comentários (52) | partilhar
Sábado, 22.01.11

Panquecas de limão e papoila


Ter um limoeiro é essencial*. Pode faltar muita coisa na cozinha mas um limão, além de perfumar, dá para usar das mais variadas maneiras. Se estamos gripados, com a casca fazemos um chá reconfortante. Se é preciso um bolo, com ou sem cobertura, tendo limão agrada a todos. Estás cheio de sede? Faremos limonada depressinha. Queres uma sobremesa rápida para ainda saboreares quente? Sai já de seguida um leite-creme com ou sem canela. Acordaste com uma enxaqueca descomunal? Liga a máquina expresso e espeta uma casquinha de limão dentro da chávena que isso é remédio santo! E pró jantar? 'Bora lá temperar uns filetes de frango ou perú e grelham-se num instantinho. Então e depois? Depois, terminamos numas belas panquecas :) Afinal é sempre assim que as coisas terminam, não é?

Ingredientes:
2 chávenas de farinha (usei metade farinha para bolos, metade farinha integral)
1 colher (chá) de fermento
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/3 chávena de açúcar
1 pitada de sal
1/3 chávena de sementes de papoila
zest de 4 limões
2 chávenas de buttermilk**
2 ovos grandes ligeiramente batidos
2 colheres (sopa) manteiga derretida

Preparação:
Combine a farinha, açúcar, fermento, bicarbonato e sal numa tigela. Noutro recipiente, coloque o buttermilk, ovos, manteiga, zest de limão e as sementes. Junte os líquidos aos secos. Misture-os até obter uma mistura homogénea, mas não mexa demasiado.
Aqueça a frigideira e espalhe um pouco de manteiga. Coloque 1/3 chávena da massa e deixe cozinhar até dourar, vire a panqueca com uma espátula e deixe cozinhar e dourar do outro lado. Repita até terminar a massa. Sirva quente.

Vi esta receita no blog picky cook, foram servidas com manteiga e morangos frescos. Eu optei pelo Maple Syrup e por mais sementes de papoila.
Para que as panquecas não arrefeçam, vou guardando num prato dentro do micro-ondas, mas também podem colocá-las num tabuleiro no forno aquecido a cerca de 100º C.
Rende cerca de 12 panquecas.

*Não tenho nenhum, mas não deixa de ser algo essencial. É um projecto a longo-prazo ter um limoeiro. Entretanto vou colhendo os limões do terreno de uns tios e aceitando os que os vizinhos partilham.
**Substituição caseira: para cada chávena de leite misturar uma colher (sopa) de vinagre ou sumo de limão. Deixe descansar por 10-15 minutos antes de utilizar.


Fotos péssimas, panquecas boas!

Bom fim de semana :)
tags:
publicado por Ameixinha às 09:30 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Quinta-feira, 20.01.11

Pizza de vegetais

Somos criaturas complicadas e muito frágeis. Embora o meu estômago peça comida, o meu cérebro sabe que, neste momento, não sou capaz de aguentar certos alimentos. Vontade de comer pizza não me falta - até o meu estômago faz barulhinhos ruidosos como que a pedir algo mais substancioso - mas, no fundo, sei que não me iria cair muito bem. Por enquanto, andamos a sopa e pão depois de alguns dias desgraçados, que nos deixaram a todos de cama cá em casa. Nem vou contar os pormenores sórdidos, porque isso poderia levar os mais sensíveis a nem quererem saber desta pizza. Assim que estivermos restabelecidos, será receita a repetir já que não foi esta receita que nos deixou de rastos :)

Ingredientes:

1 quantidade de massa de pizza

Para o molho:
400 g de tomates frescos ou enlatados
1 dente de alho
2 colheres (sopa) de azeite
2 colheres (sopa) de manjericão ou 1/2 colher (sopa) de manjericão seco
1/2 colher (chá) de açúcar
1/4 colher (chá) de flocos de chili (usei umas gotas de piri-piri com aguardente de medronho)
1 colher (chá) de oregãos secos
sal e pimenta q.b.

Cobertura:
2 pimentos, finamente fatiados
1 cebola, finamente fatiada
125 g de milho
150 g de queijo mozzarella ralado

Preparação:
Faça a massa da pizza e entretanto prepare o molho. Coloque todos os ingredientes numa panela e leve ao lume a ferver, baixe o lume e vá mexendo cerca de 25-30 minutos até o molho engrossar. Ajuste os temperos e transfira para uma tigela para arrefecer.

Transfira a massa da pizza para uma superfície enfarinhada e estenda-a num círculo de 30 cm de diâmetro. Espalhe o molho de tomate e cubra com os ingredientes da cobertura, regue-a com um fio de azeite e leve ao forno pré-aquecido a 230ºC por 10-12 minutos até que a base esteja estaladiça e o queijo derretido.
Sirva quente.

Notas:
Adicionei algumas alcaparras à cobertura e eliminei a cebola fatiada.
publicado por Ameixinha às 15:01 | link do post | comentar | ver comentários (57) | partilhar
Sexta-feira, 14.01.11

Bolo amarelo

Oiro sobre azul e eu nem sou grande fã de ouro nem de azul mas... este é uma riqueza :)

Ingredientes:
200 gramas de manteiga
350 gramas de açúcar
4 ovos
350 gramas de farinha
60 gramas de farinha custard
2 colheres (chá) de fermento
200 ml de leite
1 pitada de sal

Preparação:
Bater a manteiga com o açúcar cerca de 4 minutos na batedeira. Adicionar os ovos, um a um, batendo entre cada adição.
Misturar as farinhas com o fermento e o sal, deitar cerca de metade na massa e envolver. Adicionar o leite e misturar. Por fim, juntar a restante farinha e envolver.
Levar a forno pré-aquecido a 180ºC por cerca de 1 hora. Pode salpicar-se o bolo com 2 colheres de sopa de açúcar antes de levar ao forno.

Notas:
Faço o bolo num tabuleiro, rende bastante e guardo-o dentro de um tupperware no frigorífico. A massa fica húmida e com uma capa crocante por cima se resolverem polvilhar com açúcar antes de levar ao forno.
Para quem não sabe o que é farinha custard, podem ver a embalagem aqui.
Retirei a receita do blog mesa para 4.


Bom fim de semana!
tags:
publicado por Ameixinha às 20:00 | link do post | comentar | ver comentários (48) | partilhar
Quarta-feira, 12.01.11

Frango com alho


Não sendo eu grande fã de carnes, frango é a que mais vou comendo. É carne branca e barata, ao contrário do que a Elza Soares canta: "a carne mais barata do mercado não é a carne negra"!
As minhas partes favoritas são mesmo as asas, que costumam vir parar ao meu prato e que dizem ser aquelas mais cancerígenas, já que é nas asas que os bichinhos apanham a "pica" dos antibióticos. Estou morta e enterrada, mas as asas hão-de sempre ser minhas e, vá lá, uma coxinha de quando em quando também me agrada.
Depois há toda uma envolvência quando o prato pede alhos porque, à partida, sei que o sabor vai agradar e que me vai deixar nas mãos aquele cheirinho que teima em não sair. A mim, não há vampiro que me meta o dente ;)

Ingredientes:
1 kg de coxas de frango (usei um frango inteiro)
1 colher (sopa) de paprica
2 colheres (sopa) de azeite
8 dentes de alho com a casca
1/4 copo (60 ml) de brande
1/2 copo (125 ml) de caldo de galinha
1 folha de louro
2 colheres (sopa) de salsa fresca, picada

Preparação:
Apare o excesso de gordura das coxas do frango e corte-as em terços. Junte e combine a paprica e um pouco de sal e pimenta numa tigela, acrescente o frango e mexa para revesti-lo.
Aqueça metade do azeite numa frigideira grande em lume alto e deixe cozinhar o alho durante 1-2 minutos, até alourar. Retire-o da frigideira e reserve. Cozinhe as coxas em várias porções, 5 minutos para cada uma, ou até alourarem. Deite as coxas todas na frigideira, acrescente o brande, ferva durante 30 segundos e em seguida acrescente o caldo e a folha de louro. Reduza a temperatura, tape e deixe cozinhar em lume fraco durante durante 10 minutos.
Entretanto, deite a polpa de alho no almofariz (com o pilão) ou numa tigela. Acrescente a salsa e esmague a mistura ou mexa-a com um garfo até criar uma pasta. Adicione esta mistura ao frango, tape a frigideira e deixe cozinhar durante 10 minutos, ou até ficar tenro. Sirva quente.

Receita retirada d' "O livro essencial da cozinha mediterrânica".
tags: ,
publicado por Ameixinha às 10:25 | link do post | comentar | ver comentários (53) | partilhar
Sexta-feira, 07.01.11

Pão de courgette com pepitas de chocolate

Depois da participação no WBD com o Pão para Anunciação e publicadas todas as receitas, fui fazer uma ronda pelos blogs que participaram e encontrei no My Diverse Kitchen, a receita que me encheu as medidas. Um pão de courgette com pepitas de chocolate e com o aroma do cardamomo. Foi impossível resistir a este pão ainda quente, daí a fatia estar meio borratada com o chocolate ainda morno. Graças à humidade dada pela courgette, o pão mantém-se fresco por dois ou até mais dias. Não posso dar certeza porque este pão não durou muito tempo :)
A receita original é do blog Taste of Home, mas em vez do chocolate leva passas. Digamos que eu não fui parva de fazer com passas e ignorar o chocolate, não é?
O começo deste ano não foi nada fácil e tenho-me afundado em chocolate para ver se o desassossego ameniza. Portanto, até no pão ele é bem vindo!
Faço um agradecimento especial à Susana e ao Paulo pelo patrocínio de chocolate, tem-me dado um jeitaço ;)

Ingredientes:
1/2 colher (chá) de fermento seco
3/4 chávena de leite morno
2 colheres (sopa) de açúcar
3/4 chávena de farinha integral
1 1/2 a 2 chávenas de farinha para pão
1 1/2 colher (sopa) de manteiga amolecida
1/4 colher (chá) sal
3/4 chávena de courgette ralada
3 bagos de cardamomo, moídos
1/2 chávena de pepitas de chocolate negro

Preparação:
Coloque 1/4 do leite numa tigela. Adicione o açúcar e dissolva o fermento. Junte a manteiga amolecida ao resto do leite, mexendo bem. Adicione-a, o sal, cardamomo, courgette e as farinhas à primeira mistura e mexa até obter uma massa fofa. Passe a massa para uma superfície enfarinhada e amasse até ficar elástica. Se a massa estiver pegajosa, adicione farinha aos poucos até que fique maleável. Demasiada farinha irá alterar a textura do pão.
Coloque a massa num recipiente untado com azeite, cubra e deixe levedar num local morno até dobrar de volume. Deverá demorar cerca de 1 hora.
Posteriormente, retire a massa e estenda-a (não muito finamente) até formar um rectângulo. Salpique com as pepitas de chocolate e enrole-a, dobrando as pontas de maneira a ficarem por baixo da massa.
Coloque a massa numa forma untada, cubra-a e deixe levedar por mais 30 a 45 minutos. Leve ao forno a 190º C por 40 minutos ou até que fique dourada. Desenforme e deixe arrefecer numa grade. Sirva.

Notas: Fiz a primeira parte da receita na MFP, no programa "massa". Depois segui o resto da receita do modo tradicional.
Usei cerca de 20 gramas de fermento de padeiro fresco em vez do fermento seco.
Não fica um pão muito doce, se quiserem podem aumentar a quantidade do açúcar ao vosso gosto. Fica com consistência de brioche, óptimo para lanches e pequenos-almoços.

Bom fim de semana.
publicado por Ameixinha às 19:43 | link do post | comentar | ver comentários (54) | partilhar
Segunda-feira, 03.01.11

Conserva de cenouras à algarvia

Quantos de vocês cresceram a ouvir a vossa mãe ou avó, dizer-vos que a cenoura faz uns olhos bonitos, a cenoura faz bem aos olhos, a cenoura isto e a cenoura aquilo, como se fossemos burros atrás das cenouras? Eu cresci - pouco, mas cresci - a ouvir isto e tenho uns olhos castanhos comuns e sofro de miopia.
Quanto à cor, nada a dizer! Para alguns será a cor azul ou verde a cor de olhos mais bonita, para outros será cor de mel ou castanho. Gostos não se discutem, mas ser míope depois de comer tanta cenoura dá que pensar! E pensando, cheguei à conclusão que, se não fossem as cenouras que comi - e como - eu estaria muito pior, poderia nem ver um palmo à frente da testa! Portanto, mais vale prevenir que remediar... cenoura faz bem e recomenda-se, principalmente se for servida desta forma que vos apresento :) Pode ser que consigamos ver 2011 com outros olhos!

Ingredientes:
300 gr de cenouras tenras
3 dentes de alho
1 ramo de salsa
1 colher (sopa) de colorau doce
1 dl de vinagre
0,5 dl de azeite
sal e pimenta q.b.

Preparação:
Lavam-se as cenouras e descascam-se. Cozem-se inteiras, temperadas com sal. Deixa-se arrefecer.
Cortam-se às rodelas, não muito finas.
Descascam-se os alhos e picam-se. À parte, numa vasilha apropriada, deitam-se as cenouras. Temperam-se com o alho, o colorau, a salsa, o vinagre, o sal e a pimenta.
Deixa-se repousar na marinada algumas horas antes de servir.

Notas:
Retirado do livro "Dieta Mediterrânica Algarvia".
Podem adicionar-se azeitonas.

Boa semana a todos.
publicado por Ameixinha às 16:50 | link do post | comentar | ver comentários (47) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...