Sábado, 28.08.10

Tarte de figos

Este ano tive a grande sorte de poder colher figos do quintal de uns tios que estão emigrados. Duas figueiras enormes, quilos de figos para colher, fazer malabarismo em cima das árvores com a minha mãe a gritar para eu subir mais um bocadinho. Mas subir para onde se já não tenho mais degraus na escada? Para cima da árvore, pois claro! E lá ando eu, em cima das figueiras a tentar não me partir toda, porque tenho que usar as mãos para apanhar os figos. Depois há todo um ritual de apanha para ver se o leite dos figos não nos cai nas mãos, porque aquilo dá umas comichões e, se tiverem cortes nas mãos causados pelos papel, pica e arde como tudo. Mas a minha mãe, firme debaixo da figueira, grita: "O que arde cura e o que aperta segura!", anda lá e apanha esses aí :)
Colhi figos na base da ameaça - porque a minha mãe dizia: "Desce que subo eu!" - subi e agarrei-me aos galhos, puxava pelas folhas da figueira para tentar alcançar os figos mais maduros, alguns já debicados pelos passarinhos, ao descer prendia-se a t-shirt e eu com medo de ficar pendurada ali à espera de amadurecer he he
Seja como for, figos pingo de mel, para mim, são uma delícia ao natural mas com tanta quantidade em casa, atrevi-me a fazer esta tarte e correu muito bem.


Ingredientes da massa:
250 g de farinha
uma pitada de sal
70 g de açúcar
1 gema
125 g de manteiga
papel vegetal e feijão seco para a forma

Preparação da massa:
Numa tigela, junte a farinha com o sal, açúcar, a gema e a manteiga e misture muito bem. Faça uma bola com a massa, coloque-a dentro de um saco plástico e leve ao frigorífico durante uma hora.
Passado o tempo de repouso, estenda a massa com o rolo e com ela forre uma forma de tarte. Pique-lhe o fundo com um garfo, cubra com papel vegetal e encha com feijão seco.
Leve ao forno a 200ºC durante 15 minutos. Retire o papel vegetal e o feijão e deixe no forno mais 5 minutos a cozer.

Ingredientes do recheio:
1 ovo
1 colher (sopa) de natas (usei iogurte natural)
100 g de amêndoa moída (usei a amêndoa que veio no Cabaz do Paladares do Sul)
1 kg de figos (usei menos porque depende do tamanho da tarteira)
150 g de manteiga (acho desnecessário)
80 g de açúcar branco (usei metade)
80 g de açúcar amarelo ou mascavado (usei metade)

Preparação:
Bata o ovo com as natas (ou iogurte) e a amêndoa, deite a mistura dentro da tarte e alise.
Corte os figos em cruz e, em cada um, coloque um pedacinho de manteiga (acho desnecessário). Disponha-os dentro da tarte e polvilhe-os com o açúcar branco.
Leve de novo ao forno durante 15 minutos, depois retire e polvilhe com o açúcar amarelo ou mascavado. Sirva morna ou fria.

Retirei a receita da Teleculinária nº1176 de Setembro de 2001.
Gostei mais da tarte morna. O recheio de amêndoa faz lembrar os doces algarvios, achei-o delicioso.

Bom fim de semana.



publicado por Ameixinha às 12:15 | link do post | comentar | ver comentários (57) | partilhar
Segunda-feira, 23.08.10

Atum com manjericão

Esta ainda é das que fiz e fotografei mal recebi a máquina fotográfica, nota-se! Não dou uma para a caixa mas a foto do piri-piri até não ficou nada mal :) Mais um produto que veio directamente do Algarve aquando da minha visita ao Sul. Aguardente de medronho para... matar o bicho ;)
Baseei-me numa receita que vi numa revista "Segredos" de Dezembro de 2008, modificando o tipo de massa e usando o piri-piri da Quinta das Atalaias. Usei uns búzios integrais que estavam mesmo a terminar o prazo mas com esparguete e tagliatelle fica bem melhor. O manjericão ainda não tinha sido carcomido pelos bichos esfomeados, foi usado com muito gosto :)

Ingredientes:
300 g de massa à escolha
2 dentes de alho
1 cebola
2 colheres (sopa) de azeite
2 tomates
4 latas de atum pequenas
1 dl de vinho branco
sal, azeite, Piri-Piri de medronho Quinta das Atalaias, e manjericão picado q.b.

Preparação:
Coza a massa em água temperada com sal e um fio de azeite, durante o tempo indicado na embalagam, e reserve quente. Descasque os dentes de alho e a cebola; pique-os e refogue-os no azeite. Elimine a pele e as sementes do tomate, pique-o e junte ao refogado.
Adicione o atum escorrido e o piri-piri a gosto. Tempere com sal e envolva. Acrescente o vinho branco e deixe reduzir. Polvilhe com manjericão picado, envolva e rectifique os temperos, se necessário. Sirva o preparado de atum sobre a massa.

Biba a chuba, o neboeiro - que num nos deixa ber um palmo à frente da fronha - e os pelinhos todos arrepiados :) Benham as sopas, os guisados e os chás a fumegar! Bou aproveitar estes dois dias em que bai chober para me mentalizar que o calor bai boltar mas, até lá, na minha mona já é Outono!
Boa semana a todos.
publicado por Ameixinha às 19:35 | link do post | comentar | ver comentários (41) | partilhar
Sexta-feira, 20.08.10

Manjar branco com calda de ameixas


Juro pela minha saúde - e sei que deveria deixar de o fazer, porque a coisa anda complicada e tudo que é bactéria, fungo e manhosice, aproveita-se de mim - que tinha uma fotografia da fatia do manjar, mas não faço ideia onde foi parar. Ou o computador comeu-a ou, com a bela memória com que ando, apaguei-a antes de a passar para o computador.
Seja como for, o manjar é igual por dentro e por fora, basicamente branco :)
Nunca tinha provado, não tinha leite de coco em casa mas, quando me dá a teimosia, a coisa ou vai ou vai mesmo! Fiz leite de coco caseiro com coco ralado e água e pus mãos à obra. De facto, este manjar tem o nome mais apropriado que poderia porque é, sem dúvida alguma, um manjar. Uma maravilhosa especialidade brasileira que passou a fazer parte da lista de sobremesas cá de casa.
Uma delícia gelada que sabe muito bem neste Verão intenso de 2010. Segui a receita que vi numa revista "Delícias da Culinária" nº11 de 2009.

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
2 e 1/2 lata de leite (use a lata de leite condensado vazia para medir)
1 lata de leite de coco (200 ml)
1/2 chávena de farinha maisena

Calda (fiz só meia receita):
1 chávena de açúcar
1/2 chávena de água
200 g de ameixas secas sem caroço

Preparação:
Numa tigela, misture o leite condensado, o leite, o leite de coco e a farinha maisena. Leve a lume brando, mexendo sempre, até engrossar. Retire, despeje numa forma molhada e leve ao frigorífico por 4 horas.
Prepare a calda dissolvendo o açúcar na água. Leve a lume brando, sem mexer, por 5 minutos. Despeje as ameixas e cozinhe por mais 10 minutos ou até a calda engrossar ligeiramente e as ameixas incharem. Deixe arrefecer e leve ao frigorífico (não fiz isto porque queria a calda mais fluída). Desenforme o manjar e sirva em fatias acompanhado da calda.

Onde raio foi parar a fatia é que eu não sei!

Falando de outro assunto, queria avisar que tinha mais de uma centena de pedidos de amizade no Facebook que recusei/ignorei, simplesmente porque não conheço as pessoas/nomes. Peço desculpa, mas não dá para aceitar gratuitamente amizade de pessoas que não conheço. Por isso, queria pedir que, ao enviarem o pedido de amizade, deixem uma pequena mensagem a dizer quem são e se me conhecem do blog ou de outro lado. Eu agradecia, até porque me custa recusar amizades sabendo que podem ser de leitores do blog.

Obrigada e bom fim de semana a todos!
publicado por Ameixinha às 17:25 | link do post | comentar | ver comentários (62) | partilhar
Segunda-feira, 16.08.10

Courgette grelhada com vinagrete de limão


Inspirei-me numa receita que vi no blog For the love of cooking. Para ser sincera queria fazer a receita tal e qual, mas faltaram-me alguns ingredientes :) Omiti uns e adicionei outros, acabou por resultar muito bem.

Para o vinagrete de limão:
1 colher (sopa) de azeite
1/2 colher (sopa) de mostarda Dijon
1/2 limão, sumo e zest
Sal e pimenta preta moída na hora, para temperar

Misture todos os ingredientes numa pequena tigela. Prove e volte a temperar, caso seja necessário.

Para as courgettes:
2 courgettes, partidas em quatro verticalmente
1 colher (sopa) de azeite (usei azeite aromatizado Casa do Sal)
sal e pimenta preta, para temperar
1 collher (sopa) de pinhões tostados (usei nozes)
1 colher (sopa) de queijo feta magro (substituí por azeitonas, tem tudo a ver he he)
1 colher (sopa) de manjericão (o meu foi "matado" por bichos implacáveis!)

Misture a courgette com o azeite, tempere com sal e pimenta e grelhe de um lado até as marcas do grelhador aparecerem, cerca de 2 minutos. Vire e grelhe por mais 1-2 minutos. Corte cada tira de courgette ao meio na horizontal.
Ponha o vinagrete por cima das courgettes, junte as nozes, o queijo (azeitonas) e o manjericão (se usarem) e misture gentilmente. Sirva morno.



Esqueci-me de temperar a courgette antes de a levar a grelhar porque o azeite aromatizado já tem sal e ervas aromáticas. No final, polvilhei um bocadinho de Flor de Sal da Ria Formosa por cima da salada.

Continuação de boa semana a todos. Diz que na Quarta dá chuva para estes lados, mal posso esperar! Entretanto, as saladas continuam a aparecer por aqui :)
publicado por Ameixinha às 20:52 | link do post | comentar | ver comentários (48) | partilhar
Sexta-feira, 13.08.10

Bacalhau gratinado

Após um interregno de participações em desafios devido ao excesso de calor, eis que volto quase renovada - não fosse o fungo que me consome por dentro!!! - e começo por dar o meu contributo para o Alquimia de Ingredientes do blog Eu Mulher. Existiam duas hipóteses, banana ou peixe e, tendo várias receitas de peixe para publicar, escolhi o maravilhoso bacalhau que, apesar de estar em vias de extinção, continua a ser Rei à mesa dos portugueses. No fundo, somos uns assassinos que gostamos de estar bem alimentados :) Portanto, peço para reduzir o consumo de bacalhau mas digo-vos que experimentem esta receita. Enfim, sentimentos antagónicos apoderam-se de mim neste momento, não abusem mas façam! Podem sempre usar outro peixe.

Ingredientes:
750 g de bacalhau demolhado
1 dl de azeite
2 cebolas
3 dentes de alho, picados
Sal e pimenta q.b.
1 colher (sopa) de salsa picada
1,5 kg de batatas
2 ovos cozidos
Azeitonas q.b

Preparação:
Leve a cozer o bacalhau e, depois de cozido, limpe-o de peles e espinhas e lasque-o.
Num tacho, leve a alourar no azeite as cebolas às rodelas e os dentes de alho picados; junte-lhes de seguida o bacalhau às lascas, tempere com sal e pimenta e metade da salsa e deixe saltear alguns minutos.
Descasque as batatas, corte-as às rodelas finas e escalde-as, durante 1 ou 2 minutos, em água a ferver.
Coloque o bacalhau num recipiente que possa ir ao forno e cubra-o com as batatas em escama.
Leve ao forno a gratinar durante 10 minutos. Sirva decorado com os ovos cozidos aos gomos e as azeitonas. Polvilhe com a restante salsa picada.



Bom fim de semana a todos!

Notas:

Tirei a receita de uma Tele Culinária nº 1193 de 2002.
As batatas devem ser cortadas bem mais finas, as minhas ficaram demasiado grossas e demoraram mais a cozer.
Podem cobrir o preparado com molho béchamel antes de levar a gratinar. Acho que deve ficar ainda mais delicioso, sendo que tem a inconveniência de tornar-se mais calórico.
Se virem que o bacalhau e as batatas estão secas, deitem azeite por cima antes de levar a gratinar.
Não usei os ovos, porque não me apeteceu mas fica bonitinho para compor a travessa.

publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (55) | partilhar
Domingo, 08.08.10

Limonada de gengibre e hortelã


Tomai todos e bebei... porque com este calorão não há outro remédio :) E mais não digo! Vou estender-me e ficar à espera de uma aragem fresca! Vi esta limonada no Flip Cookbook.

Ingredientes:
1/2 chávena de folhas de hortelã frescas
1/3 chávena de gengibre fresco
1/3 chávena de mel (usei mel Algarvio)
2 chávenas de água a ferver
1/3 chávena de sumo de limão
2 chávenas de água fria
cubos de gelo para servir

Preparação
Coloque 2 chávenas de água a ferver. Pique as folhas de hortelã. Devem medir 1/2 chávena quando pressionadas. Pele o gengibre e corte em pedacinhos.
Quando a água estiver a ferver, retire-a do calor. Junte a hortelã, gengibre e o mel. Cubra e deixe arrefecer por 30 minutos.
Coe a mistura para um jarro. Pressione bem para retirar todo o líquido da infusão. Quando for a servir, combine com o sumo de limão e cerca de 2 chávenas de água fria. Para um sabor menos forte pode juntar mais água. Sirva com cubos de gelo, fatias de limão e folhas de hortelã.




Bom Domingo a todos e bom início de semana!
publicado por Ameixinha às 15:13 | link do post | comentar | ver comentários (48) | partilhar
Quarta-feira, 04.08.10

Salada de milho e tomate


Embora alguns insistam que não são galinhas para comer milho, eu confesso que é um dos meus ingredientes favoritos, especialmente nas saladas. Mas esta, tal como a autora do Food Gal diz, é a salada de milho que arrasa com todas as outras saladas de milho. Acho que um dos motivos é pelo uso do vinagre balsâmico. Tive que fazer algumas substituições por falta de ingredientes e ficou melhor do que esperava. Ainda gostava de encontrar maçarocas de milho à venda, vejo tanto milho a crescer aqui à volta da aldeia que já pensei em sacar algumas, mas são devaneios que me passam depressa :) Prefiro usar milho congelado do que ser apanhada de maçaroca na mão, salvo seja :)

Ingredientes:
4 orelhas de milho (usei 2 chávenas de milho congelado)
2 colheres (sopa) de azeite
2 dentes de alho picados
1 1/2 colher (sopa) de vinagre balsâmico
450 g de tomate cereja em metades (usei tomate chucha)
1/2 chávena de cebolinho cortado (usei manjericão)
cogumelos (opcional)

Preparação:
Aqueça o azeite numa frigideira em lume moderado e salteie o milho e os cogumelos (se usar) com sal e pimenta, mexendo até estar incorporado, cerca de 4 minutos. Junte o alho, salteie mexendo por 1 minuto. Junte o vinagre e cozinhe, mexendo por 1 minuto até estar quase evaporado. Junte os tomates, mexendo gentilmente, por 1 minuto.
Remova do lume e adicione o cebolinho. Transfira para um prato de servir, deixe arrefecer e tempere com sal e pimenta.

É uma salada que usei como acompanhamento, mas achei que cozendo massa e envolvendo neste preparado, pode muito bem constituir uma refeição completa :)

Bom resto de semana!
tags:
publicado por Ameixinha às 11:31 | link do post | comentar | ver comentários (48) | partilhar
Domingo, 01.08.10

Limonada de lavanda


Enquanto tirava uma foto ao gelo que estava no copo, ele simplesmente desapareceu perante os meus olhos. O calor esteve assim, de derreter glaciares, icebergs, iglôs, pólos e neurónios :) Felizmente, já diminuiu um bocadinho e podemos apreciar esta limonada com o suave toque da lavanda, sem nos abanar, desesperar, barafustar, resmungar, transpirar ou esticar o pernil!
A lavanda, usada com parcimónia, não faz ninguém arrotar a sabonete :) Esta limonada leva-nos ao campo, a colher uns quantos raminhos, respirar ar puro, sentir a refrescante brisa a passar nos cabelos - eu tenho uma cabeleira farta he he - e a dar graças por ter sobrevivido à onda manhosa de altas temperaturas!
Foi no Cook Play Explore que vi esta sugestão. Para quem não tiver lavanda ou não quiser usar, há a alternativa do manjericão ou hortelã, segundo a autora também combina muito bem.

Ingredientes:
1/3 chávena de flores de lavanda (se forem frescas, no meu caso usei 2 colheres de sopa de lavanda seca)
1 chávena de açúcar
6 chávenas de água
1 chávena de sumo de limão

Preparação:
Numa panela, junte a lavanda, 2 chávenas de água e o açúcar sob lume brando, mexa até dissolver. Leve a ferver, desligue, cubra a panela e retire do calor. Deixe repousar por 45 minutos, coe e coloque num jarro, juntando o sumo de limão e a restante água. Prove e adicione mais sumo de limão (para cortar a doçura) ou água (para diluir) conforme a sua preferência. Guarneça com fatias de limão e gelo, servindo de seguida.

Bom Domingo a todos!

publicado por Ameixinha às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (49) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...