Quarta-feira, 30.12.09

Pan de nuez

Viva el Mexico :)
Já tinha dito há uns meses que tenho um correspondente mexicano. Não tive nenhum na adolescência e, surgiu ter um quando adulta. Continuamos a manter o contacto através da net e através de carta. Ele, de quando em quando, envia-me umas revistas de culinária mexicanas e, foi numa dessas revistas, que vi este pan de nuez que, de pão não tem nada e já vão ver porquê :)
Este bolo é muito fácil de fazer, pouquíssimos ingredientes e bem rápido. E o meu bolo ficou igual à foto que trazia na revista, adoro quando isso acontece, sinal que deu certo ;)
A revista chama-se "Cocina con alegría" Año 2 Número 12. Quem não quer uma cozinha com alegria? Eu quero e nem sempre a coisa dá para rir, às vezes voam ingredientes, materiais e voa a paciência mas este pan de nuez deu satisfação a quem o provou. Isso eu posso garantir :)
Ingredientes:
2 1/2 chávena de nozes
3/4 chávena de açúcar
7 ovos separados
manteiga para untar
farinha para enfarinhar (dahhhh)
açúcar em pó e canela em pó para polvilhar
Preparação:
1. Num processador moa as nozes até obter um pó ligeiro (não moer demasiado, deixar aos pedacinhos pequenos mas não em farinha) e junte o açúcar.
2. Misture as gemas de ovos batidas com as nozes e o açúcar até incorporar.
3. Com uma batedeira monte as claras em castelo.
4. Agregue as claras à mistura de nozes de forma envolvente e com a ajuda de um salazar ou colher de inox.
5. Unte uma forma com manteiga e enfarinhe.
6. Verta a mistura para a forma e leve ao forno pré-aquecido a 180º por 45 minutos ou até que ao introduzir um palito este saia limpo.
7. Deixe arrefecer antes de retirar da forma e sirva polvilhado com uma mistura de açúcar e canela em pó.
Fica um bolo húmido que se conserva assim por bastante tempo. Este não foi comido num só dia porque no Natal há sempre muita coisa para provar mas, garanto que quem provou adorou :) Não é o típico bolo de noz, é cem vezes melhor e passou a ser o bolo de noz cá de casa! A repetir muitas vezes, sem qualquer dúvida.
Que consigamos deixar de lado as nossas diferenças, divergências e preconceitos. Que reine a fraternidade, sinceridade e generosidade. Que possamos crescer como pessoas, que saibamos dar o melhor de nós, que os sorrisos dêem lugar aos risos e que, a existir lágrimas, que sejam apenas de alegria!
Eu espero ter esgotado o stock em 2009 :)
Já agora, aproveitando a onda de pedinchice, que nunca nos falte dinheiro, nem discernimento, nem humildade. Que o desemprego diminua, que ninguém sinta fome, que as necessidades básicas sejam colmatadas, que as famílias valorizem o elo que os une, que o amor suplante o ódio e que a guerra dê, finalmente, tréguas. Como dizia a outra: lutar pela guerra é o mesmo que fornicar pela virgindade!
Sim, isto pode ser uma utopia mas como Gedeão escreveu: "sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança como bola colorida entre as mãos de uma criança" :)
Eu poderia continuar mas tenho que ir começar a preparar as coisitas para amanhã!
publicado por Ameixinha às 18:53 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar
Segunda-feira, 28.12.09

Torta de cenoura

Esta receita tem corrido a blogosfera e não precisa que lhe façam mais publicidade mas, eu não posso deixar de dar a minha opinião. A foto não é representativa do resultado porque foi tirada à pressa quando já estava quase a sair de casa.
Como tinha dito na postagem anterior, não passei o Natal em casa mas não deixei de fazer a doçura. Uma das coisinhas que fiz para levar para casa dos meus tios foi esta torta de cenoura e também as rabanadas recheadas. Não sei qual delas foi a mais apreciada mas foram as duas que tiveram mais saída! Isso é sempre bom :)
Foi um Natal diferente, comi muita coisa que não teria comido se tivesse ficado em casa. Para entrada havia pão, camarão, frutos secos, caracóis (sim, eu como e adoro caracóis. Só não gosto de uvas passas he he), queijo e enchidos. Depois o maravilhoso bacalhau, daquele altíssimo que se desfaz em lascas, acompanhado de couve, cenoura e batatas. O polvo cozido e os grelos ao lado. Mas, para mim, o melhor de tudo é o molho cozido e a roupa velha :) Não tirei foto de nada porque não estava em minha casa e ia ficar muito estranho!
Também fiz a tradicional aletria e fiz o que acho ser o melhor bolo de noz do mundo. Uma receita mexicana com o nome pan de nuez, que ficou melhor que a encomenda e será uma das próximas receitas a ser publicada. Estas coisinhas ficaram cá em casa, Natal é um exagero de comida e algumas coisas não levei!
Depois da ceia há que esperar pela meia-noite e, enquanto se jogava Uno, comia-se a torta de cenoura que foi a única a ficar na mesa, adivinhem lá porquê?! É, sem dúvida, receita vencedora :)
Ingredientes:
600 g de cenoura
1 pau de canela
300 g de açúcar
4 ovos
4 colheres (sopa) de farinha
1 colher (chá) de fermento
sumo e raspa de 1/2 laranja
canela em pó para polvilhar
Preparação:
Cozer as cenouras com o pau de canela e reduzi-las a puré (retirar o pau de canela antes). Juntar o açúcar, a raspa e o sumo de laranja, os ovos inteiros e bater bem. Envolver a farinha com o fermento e juntar ao preparado. Misturar bem. Deitar o preparado num tabuleiro forrado de papel vegetal e untado com manteiga. Cozer em forno pré-aquecido a 170º, durante cerca de 20 minutos. Desenformar a torta ainda quente sobre um pano polvilhado de bastante açúcar. Retirar o papel vegetal, polvilhar com canela em pó e enrolar delicadamente com a ajuda do pano.
publicado por Ameixinha às 13:30 | link do post | comentar | ver comentários (55) | partilhar
Quarta-feira, 23.12.09

Tarte de maçã da Normandia

Este Natal não vou fazer tarte de maçã. Contava passá-lo em casa mas, à última da hora, surgiu um convite e aceitamos. Então, não vou fazer grande coisa, as tartes vão ficar para outra altura de menos fartura enquanto, amanhã, vou comer à pala he he
No entanto, esta é uma boa sugestão para quem, como eu, adora tartes de fruta, especialmente de maçã :) Ainda dá tempo de fazer uma para amanhã à noite!
Encontrei a receita no livrinho dedicado à Cozinha Regional Francesa da colecção "Receitas Caseiras" do Le Cordon Bleu.

Quero deixar o meu desejo de que todos os bons sentimentos deste dia, sejam projectados para todos os 365 dias de 2010, ok? E obrigada por tudo a todos quantos passam aqui ou que, de uma forma ou outra, adoçam a minha vida ;)

Massa (usei uma base de massa folhada):
250 g de farinha
150 g de manteiga sem sal cortada em cubos
1 ovo
50 g de açúcar granulado fino
1-2 gotas de extracto ou essência de baunilha

3 maçãs médias
sumo de 1 limão
2 ovos
1 gema de ovo
60 g de açúcar granulado fino
1 colher (chá) de canela em pó
200 ml de natas
açúcar em pó para polvilhar

1- Pré-aqueça o forno a 170ºC (Gás 3). Unte uma forma de tarte alta, de 22 cm de diâmetro e com o fundo amovível e guarde no frigorífico para a manteiga endurecer.
2- Para a massa, peneire a farinha para dentro de uma tigela grande e incorpore os cubos de manteiga, esfregando rapidamente com os dedos, até obter uma mistura semelhante a migalhas de pão. Faça uma cova no centro da mistura. Bata o ovo com 1 colher de sopa de água e deite na cova, juntamente com o açúcar, baunilha e uma pitada de sal. Incorpore gradualmente a farinha até se formar uma massa grosseira. Empurre com a base da mão e vire com as pontas dos dedos até estar lisa. Junte numa bola achatada, embrulhe em película de plástico e refrigere por 20 minutos.
3- Descasque as maçãs e retire os centros. Corte cada maçã em oitavos, misture as fatias com o sumo de limão e mantenha no frigorífico até usar.
4- Bata levemente os ovos e a gema com o açúcar. Acrescente a canela e as natas.
5- Estenda a massa num círculo com uma espessura de 2-3 mm e forre a tarteira, procurando eliminar todas as bolas de ar que possam estar entre a massa e a forma, para evitar que a caixa de massa encolha. Refrigere 30 minutos. Disponha as fatias de maçã de forma decorativa no fundo da massa, enchendo-a bem, e cubra com a mistura de ovos e natas. Leve 45-60 minutos ao forno ou até o recheio estar firme. Sirva morna, polvilhada com açúcar em pó.

Notas:
Usar massa já pronta diminui o tempo da receita, foi o que eu fiz. Mas esta massa deve ficar muito melhor que a massa folhada, uma vez que o recheio é mais pesado.
Não untei a tarteira, uso sempre o papel vegetal que vem com a massa folhada.

Divirtam-se e aproveitam a quadra para tirar a barriga de misérias! Está frio... alimentem a "faixa de gaija" ou acham que os ursos polares e as focas são gordas porque querem? É que tem mesmo que se ter uma camada adiposa rica para enfrentar as correntes geladas :) Ho, ho, ho!

Feliz Natal!
tags: ,
publicado por Ameixinha às 21:30 | link do post | comentar | ver comentários (54) | partilhar
Segunda-feira, 21.12.09

Rabanadas recheadas com creme de maçã

Ai que é Natal e a tosse não passa. Já me estou a ver à mesa, com o bacalhau na boca, a tosse a atacar e eu a cuspir de perdigotos quem estiver à minha frente :) Mas Natal é isto, perdão e benignidade. Além do mais... o bacalhau já vai mastigado, podem aproveitar para a roupa-velha he he
Já estou a sair dos eixos :)
Este ano as rabanadas são estas. Muito provavelmente não se lembram mas, o ano passado, publiquei umas rabanadas recheadas mas não eram bem aquelas que eu queria, apesar de terem ficados muito boas. Este ano, testei outras, dica de uma leitora atenta e, são uma deliciosa maravilha.
Olhem, estou parva! Agora ao ir buscar a receita é que reparei que a foto que lá têm é a foto das primeiras rabanadas recheadas que fiz e que não correspondem à receita. E eu feita estúpida ainda fui fazer a receita... tiveram o trabalho de recortar a fotografia para não aparecer a marca d'água.
Está bem que as minhas rabanadas ficaram lindas (modéstia à parte!) mas bem que podiam dar os créditos. Só lhes ficava bem! Agora têm que vir cá buscar as novos fotos. Vejam lá se não é a mesma fotinha, aqui e aqui.
Ó seus manhosos, estas que apresento hoje é que correspondem à receita! Haja paciência.
Enfim! One, two, three... passou :)


Ingredientes:
1 dl de água
1 litro de leite
15 carcaças/papo-seco com 2 dias
2 paus de canela
250 gr de açúcar
3 maçãs
3 ovos batidos
40 gr de manteiga
50 gr de passas (what? Não obrigada!)
açúcar e canela para polvilhar
raspa e casca de limão
Preparação:
Descasque as maçãs, retire-lhes o caroço e corte-as em meias luas finas. Leve-as ao lume, juntamente com a manteiga, passas, raspa de limão, pau de canela, 80 gr de açúcar e a água. Deixe cozinhar, sem tampa, mexendo de vez em quando, até as maçãs estarem brilhantes e sem líquido, mais ou menos 15 minutos. Retire do lume e reserve.
Ferva o leite com o restante açúcar, a casca do limão e o pau de canela. Retire a côdea às carcaças, mergulhe-as no leite, já morno (não deixo ficar muito morno senão não ensopa bem), até que fiquem bem ensopadas. Retire uma de cada vez e aperte-as com as mãos para libertar o excesso de líquido. Faça um corte central em cada uma, sem chegar à outra extremidade e recheie com a mistura de maçã. Molde em forma de bola para que o recheio fique bem escondido. Passe-as pelos ovos batidos e frite em óleo quente até ficarem douradas. Escorra-as em papel absorvente e, ainda quentes, passe-as por açúcar e canela.
Apesar de parecer complicado não é, e ficam muito melhores que as comuns. Para experimentar, fiz apenas metade da receita e, agora achamos melhor fazer a receita a dobrar porque não sobra nenhuma :)
No fundo, acho que podem rechear com qualquer compota ou outra coisa que gostem. Maçã com nozes também deve ficar muito bom. É uma questão de gosto :)
Ainda vão a tempo de comprar a bela da carcaça para experimentar as rabanadas. Da maneira que eu tusso, pareço é uma carcaça velha e tuberculosa mas... isto passa até quinta, espero! Afinal, só faltava eu ficar doente nesta casa, o frio entra por tudo que é frincha ;)
publicado por Ameixinha às 15:02 | link do post | comentar | ver comentários (77) | partilhar
Sexta-feira, 18.12.09

Pão de Abóbora

A receita vi-a aqui e, com excesso de abóbora em casa, resolvi testar.
Adaptei à MFP e saiu um pão que ficou com uma consistência bem macia, massa bem aberta, exactamente ao gosto dos fregueses :)

Ingredientes:
1 saqueta de levedura seca (ou 12 g de fermento de padeiro)
1 dl de água (usei 2 dl)
1 colher (café) de sal
1 colher (sobremesa ) de açúcar
200 gr de abóbora
500 gr de farinha (usei 400 g de farinha tipo 65 e 100 g de farinha de centeio)
manteiga e sementes de sésamo q.b. (não usei)

Preparação:
Misture a levedura com o sal e o açúcar e dissolva-a na água morna.
Corte a abóbora em cubos e triture na picadora. Deite a farinha numa tigela, misture-a com a abóbora e abra um buraco no centro. Deite aí a mistura de fermento e amasse tudo com a farinha até obter uma massa elástica que se solte das paredes. Molde em bola, tape a taça com película aderente e leve ao microondas na potência mínima durante 4 ou 6 minutos. Deixe repousar mais 2 minutos e volte a sovar a massa.
Coloque-a dentro de uma forma de bolo inglês, dê-lhe uns golpes na superfície e leve ao microondas mais 2 minutos na potência mínima.
Mude a forma para o forno e deixe cozer por 30 minutos. A meio tempo pincele com manteiga e polvilhe com sementes de sésamo (não fiz isto).

Mal li a receita, achei que era muito passo e muita sova para os meus bracinhos. Tratei de meter tudo na MFP, seleccionei o programa 1 e esperei que ela apitasse :) Resultou!

Para quem me tem perguntado acerca do Matias, cá está ele... a apanhar o quentinho do aquecedor, refastelado a curtir o lar :)
Tem andado bem, hoje de manhã é que teve outro badagaio porque a veterinária tinha-me dito para eu experimentar dar-lhe ração da marca Specific, uma vez que é mais barata. Hoje experimentei dar-lhe e ele ficou logo doente, vomitou e deixou de fazer xixi.
Já chorei este mundo e o outro a pensar que ele estava outra vez doente e a comida não estava a resultar.
Afinal, o gajo diz que é chique e só quer comida fina! Em vez dos donos comerem bacalhau este Natal, vão comer paloco para que sua excelência possa comer ração da Royal Canin he he
Estou a brincar, como é óbvio :)
Ou seja, a Specific está fora de questão, eu tirei-a logo e continuei a dar-lhe Royal e ele já está porreiro. Fez uma mijinha e tudo para mostrar que estava satisfeito!

Há abóboras que se transformam em carruagens, sapos que se transformam em príncipes e gatos que, de quando em quando, viram verdadeiros reis e o banquete tem que ser Royal :)

Bom fim de semana a todos e obrigada pela força!
tags: , ,
publicado por Ameixinha às 17:15 | link do post | comentar | ver comentários (54) | partilhar
Terça-feira, 15.12.09

Brownie de Mascarpone

As romãs são lindas :) A decoração surgiu ao acaso, mas a combinação do chocolate com a acidez das romãs, deu-lhe um toque encantador.
Há dias em que a luz é tão intensa que eu, com a minha grande qualidade para fotografar, me passo dos carretos e não consigo acertar nas fotos. Este brownie fica mais escuro mas a luz deu-lhe uma outra luminosidade!
Quem sou eu para fazer frente à luz? Deixo-a entrar na minha vida, ofuscar-me e, entretanto, vou calcorreando caminho às apalpadelas :) Quem me manda a mim ser vesga? Mais importante que ver é saborear e, nisso, este brownie bate até a velocidade da luz ;)

Uma receita muito simples de fazer, sem ser necessário equipamento pesado, só uma tigela, uma colher de pau e força de braço, e aí é que se vê se a cozinheira está em forma. Estou a precisar de exercitar os membros superiores, afinal andar a ver blogs e escrever comentários... não ajuda nadinha :)

Como esta receita é Nota 10, participo com ela no desafio do Bagunça na Cozinha e candidato-me a ganhar um livro da Dona Benta. Tenho que tentar, né? Antes ser viciada em livros que viciada no pó ;) Isto lembra-me outra história mas a postagem já vai comprida. Fica para outra vez!

Ingredientes:
180 gr de chocolate negro, partido aos pedaços (usei com 72% de cacau)
100 gr de manteiga
200 gr de açúcar (usei 150)
150 gr de mascarpone
3 ovos
50 gr de cacau em pó
50 gr de farinha
2 colheres (sopa) de pó de café (afinal também ando metida no pó! Porra!)

Preparação:
1. Pré-aqueça o forno a 180º C. Unte uma assadeira 20 x 20 cm.
2. Derreta o chocolate com a manteiga. Junte a farinha com o cacau e o café e reserve.

3. Junte o açúcar e o mascarpone à mistura de chocolate. Misture até o açúcar começar a dissolver.
4. Junte os ovos e misture até estar combinado.

5. Agregue a mistura de farinha e misture até não ficar nenhuma farinha visível.
6. Leve ao forno por 30-35 minutos. Deixe arrefecer antes de cortar.


E depois coma quantos quadradinhos lhe apetecer. A vida é curta e as baleias são muito mais bonitas e fofinhas que os esqueletos ;)

Vi a sugestão no blog J's Kitchen. É um brownie para quem aprecia chocolate preto. Eu diminuo sempre a quantidade de açúcar, mas as 200 gramas não são exageradas se usar um chocolate negro com alta percentagem de cacau.
publicado por Ameixinha às 20:00 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar
Domingo, 13.12.09

Bolo de lavanda e limão num apontamento azul

Há retinas que estão a ver azul e outras que estão a ver lilás! A minha retina viu azul nos botõezinhos de lavanda e encontrei neles a solução natural e biológica para este dia azul. Sem corantes nem conservantes!

O bolo não é azul mas ficou tão lindo e tão bom, que achei que este Desafio da Cor teria que terminar com uma receita doce, já que todas as outras que apresentei foram salgadas.

Esta não foi a minha primeira ideia, pensei mesmo em comprar corante mas, quando já estava a ficar azul de stress sem saber o que fazer, chegaram os botões de lavanda à minha mão.
A lavanda tem o poder de colorir qualquer dia e veste o palato de um azul tranquilizante, intrigante e alucinante - a sério, em excesso pode ser tóxico e, de tanto comer bolo com lavanda, achei que ia começar a alucinar he he!

Resolvi testar este bolo que vi no Choucrute, o primeiro que me deu vontade de usar a lavanda. Só a infusão dos botõezinhos no leite, já deixa um aroma maravilhoso no ar... imaginem na massa do bolo?!
Espectacular! A minha mãe disse que estava um bolo tão fofo que parecia pão-de-ló :) Concordei!

Ingredientes:
3/4 chávena de leite
1 colher (sopa) de flores de lavanda
1 3/4 chávena de farinha de trigo
1 1/4 colher (chá) fermento em pó
1/4 colher (chá) sal
1/2 chávena (113 g) de manteiga sem sal (usei manteiga com sal e omiti o sal acima indicado)
1 chávena de açúcar (usei 3/4)
2 ovos grandes

Misture o leite e a lavanda numa panela pequena e leve ao lume médio. Assim que ferver, transfira para um recipiente de vidro e deixe arrefecer em temperatura ambiente.
Pré-aqueça o forno a 180 ºC. Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês média (12,5 x 22,5).
Misture a farinha, fermento e sal numa tigela. Misture a manteiga, açúcar e raspas numa tigela grande e bata com a batedeira até ficar cremoso e fofo (velocidade média por 3 minutos), raspando as laterais da tigela vez por outra. Junte os ovos, um a um, rapando as laterais após cada adição.
Com a batedeira em velocidade baixa, adicione 1/3 da mistura de farinha e bata até incorporar. Adicione metade do leite (as flores de lavanda vão junto) e bata mais. Repita com o restante da farinha e o leite, terminando com a farinha. Após a última adição, bata por mais 30 segundos em velocidade média.
Coloque a massa na forma preparada e alise a superfície. Asse até que o bolo fique dourado, 50-55 minutos. Faça o teste do palito.
Deixe arrefecer na forma por 10 minutos, vire sobre uma grade e deixe arrefecer completamente antes de servir.

Quem tiver acesso a lavanda que experimente e vão ver o quanto ele é delicioso! Mas cuidado para não exagerarem na dose de lavanda, senão correm o risco de arrotar a sabonete he he

Além do mais, a palavra da Fezoca vale muito mais do que a minha e ela diz maravilhas da lavanda. Sábias palavras :)
Obrigada Fezoca!

Em 2010 voltarei com novas experiências com lavanda. Isto promete :)

Mary, what´s next?
tags: ,
publicado por Ameixinha às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (68) | partilhar
Quinta-feira, 10.12.09

Scones de abóbora à Starbucks

Continuando a saga da abóbora e porque fui desafiada pelo Bergamo a fazer scones, já que ele e a Noémia publicaram scones e eu achei que aquilo era um sinal para que eu também os fizesse. E fiz, estão feitos e digeridos!

Como tinha muita abóbora pus-me atenta a receitas que levassem a dita e, na minha ronda pelos blogs, encontrei esta receita que, além de me parecer boa ainda tinha o rótulo da Starbucks. Não podia ser má! Isto foi tudo uma suposição, porque não conheço a Starbucks e nunca comi nem bebi nada de lá, mas tenho lido que os clientes saem satisfeitos :)
Omiti o glacê de açúcar e fiz só o de especiarias. Seria demasiado açúcar para o meu gosto!
Mas fica ao critério de cada um. Vou colocar a receita completa dos scones que, para mim, têm saborzinho de Natal por causa das especiarias usadas.
O meu único problema foi cortar os scones, não entendi muito bem como a blogueira explicou e a minha orientação espacial não é das melhores he he Mas, no final, ficaram melhores do que eu esperava :)

Ingredientes para 12 scones (obtive mais):
2 chávenas de farinha
7 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) canela moída
1/2 colher (chá) noz moscada moída
1/4 colher (chá) cravinho moído
1/4 colher (chá) gengibre moído
6 colheres (sopa) manteiga fria
1/2 chávena de puré de abóbora
3 colheres (sopa) de half-and-half (leite e natas)
1 ovo grande

Glacê de açúcar:
1 chávena + 1 colher (sopa) de açúcar em pó
2 colheres (sopa) de leite desnatado

Glacê de especiarias
1 chávena + 3 colheres (sopa) de açúcar em pó
2 colheres (sopa) de leite desnatado
1/4 colher (chá) de canela moída
1/8 colher (chá) noz moscada
1 pitada de gengibre moído
1 pitada de cravinho moído

Preparação dos scones:
Pré-aqueça o forno a 200 ºC e coloque papel vegetal num tabuleiro (usei película de silicone).
Combine a farinha, açúcar, fermento, sal e especiarias numa tigela. Use um garfo para ir juntando a manteiga aos ingredientes secos, até que a mistura fique "esfarelada" e sem pedaços de manteiga à vista. Reserve.
Noutra tigela, junte a abóbora com o leite e o ovo. Junte estes ingredientes aos secos e forme uma bola com a massa.
Coloque a massa numa superfície enfarinhada e forme um rectângulo com 2,5 cm de altura, três vezes mais longo que largo. Use uma faca ou cortador de pizzas para fatiar a massa duas vezes no sentido da largura, fazendo três porções iguais. Corte cada porção em X (obtendo 4 pedaços de massa) para que termine com 12 fatias triangulares. Coloque no tabuleiro. Leve ao forno por 14-16 minutos. Ponha numa grelha a arrefecer.

Glacê de açúcar (não fiz):
Misture o açúcar com o leite até ficar cremoso. Depois dos scones arrefecerem, use um pincel e espalhe por cima.

Glacê de especiarias:
Combine todos os ingredientes e coloque por cima dos scones, deixando secar antes de servir.

Notas:
Se a massa não der para estender e estiver pegajosa, adicionem farinha suficiente até conseguir moldar.
Tive sempre ideia que os scones seriam duros, mais tipo biscoito. Afinal, ficam bem fofos e no dia seguinte continuam iguais. Muito bons!
Half-and-half refere-se a várias bebidas ou comidas líquidas feitas com igual parte da mistura de duas substâncias. Nos Estados Unidos é uma mistura de uma parte de leite e uma parte de natas. Em bom português traduz-se para metade-metade he he
Para a próxima, vou cortá-los com um cortador de biscoitos redondo. Gosto mais dos redondinhos e sempre não tenho que dar a volta ao miolo a tentar obter triângulos com a massa :)
publicado por Ameixinha às 22:13 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Terça-feira, 08.12.09

Pizza de abóbora

As fotos não são boas mas esta pizza foi a melhor que já comi até hoje! A minha mãe pediu que a fizesse especificamente para o dia de aniversário dela. Claro que eu já a tinha feito uns dias antes pela primeira vez e a cebola caramelizada em conjunto com a abóbora agridoce, fez um sucesso tal, que fui obrigada a repetir... com muito gosto :)

É uma receita muito simples mas que leva o seu tempo. Para cortar caminho sugiro que façam as cebolas balsâmicas antes e a abóbora também. Ajuda bastante em termos de tempo.

Não tinha esta receita marcada no meu rico livro "Pizza" do mestre John Lanzafame, porque achei que nunca a ia fazer. No livro não tem fotografia para ver o resultado final e abóbora não é produto que tenha sempre em casa.

Sem querer, ao folhear o livro, quando tinha muita abóbora para usar, encontrei a sugestão do mestre no capítulo das pizzas "à minha maneira" e, à maneira do mestre, testei esta pizza.

Estou completamente elucidada, está bem explicado porque é que este senhor é o campeão mundial de pizzas :) Falta-me saber quem tem a ousadia de fazer algo assim, tão diferente, desafiador, fenomenal, delicioso e com muita mestria à mistura! Fica a sugestão :)

Para a massa:
1 colher (chá) de fermento seco
1 colher (chá) de sal
100 ml de água morna
2 colheres (chá) de azeite
160 g de farinha simples, peneirada

Ponha o fermento, o sal e a água morna numa tigela pequena e mexa até os elementos estarem ligados. Vá deitando o azeite gradualmente, à medida que vai mexendo e, depois, deixe repousar num sítio quente durante 10 minutos ou até se começarem a formar bolhas.

Junte a farinha e amasse durante 15 minutos ou até a massa estar lisa e elástica. Pincele o interior de uma tigela grande com azeite, ponha a massa na tigela, tape com um pano limpo e deixe levedar num sítio livre de correntes de ar entre uma a uma hora e meia, ou até a massa ter duplicado de tamanho.

(Quem tiver MFP pode apenas colocar a mistura líquida de fermento na cuba, juntar a farinha, ligar no programa "massa" e deixar até o programa terminar).

Dê uns socos na massa para expulsar algum ar que contém. (Nesta fase a massa pode ser tapada com película aderente e ficar de um dia para o outro no frigorífico ou ser congelada. Deixe voltar à temperatura ambiente antes de continuar).

Ponha a massa num tabuleiro de ir ao forno, forrado com papel vegetal, tape e deixe fora das correntes de ar durante 15 minutos ou até voltar a crescer pelo menos metade do tamanho actual. A massa está pronta a ser usada.

Cebolas balsâmicas:
1 colher (sopa) de azeite
1 cebola castanha, finamente laminada
1 1/2 colheres (sopa) de açúcar amarelo
2 colheres (sopa) de vinagre balsâmico

Aqueça o azeite numa caçarola de fundo pesado num lume forte, junte as cebolas e refogue durante 5 minutos ou até começarem a caramelizar.
Junte o açúcar e mexa até dissolver. Depois junte o vinagre balsâmico, mexa bem e deixe refogar em lume brando durante 6 minutos, ou até a mistura ter uma consistência parecida à dos doces de fruta mas não muito seca.
As cebolas balsâmicas podem guardar-se em recipientes herméticos no frigorífico até 10 dias.

Pizza de abóbora:

3 colheres (sopa) de açúcar amarelo
120 g de abóbora, cortada em cubos de 1 cm
1 mão-cheia pequena de pés de alecrim
1 cabeça de alho, cortada a parte de cima e deitada fora (usei alguns dentes de alho esmagados)
1 courgette cortada, ao comprido, em fatias de 2 mm
azeite para pincelar
farinha de semolina para polvilhar
1 receita de massa simples de pizza (ver acima)
2 colheres (sopa) de pinhões tostados (não usei)
2 colheres (sopa) de salsa de folha lisa, picada
2 colheres (sopa) de cebolas balsâmicas
30 g de queijo Gorgonzola Dolce Latte, esfarelado (ahhh? Não usei!)
75 g de queijo mozzarella, ralado (aumentei para 100 g)

Preparação:

Ponha a pedra da pizza ou tabuleiro de ferro fundido no forno e pré-aqueça a 180º C.
Misture a abóbora, o açúcar amarelo e o alho num tabuleiro de assar e leve ao forno durante 15 minutos, ou até que esteja dourada e tenra.
Disponha as fatias de courgette num tabuleiro de assar numa camada única, pincele com um pouco de azeite e tempere a gosto com sal e pimenta. Asse durante 2 a 3 minutos ou até ficarem tenras.

Aumente a temperatura do forno para 250 ºC.
Polvilhe ligeiramente a superfície de trabalho com semolina e estenda a massa numa circunferência com o diâmetro de 30 cm. Passe-a para o tabuleiro e pique toda a superfície da base com um garfo. Pincele a base com azeite, depois espalhe os pinhões, a salsa e as cebolas balsâmicas. Cubra com as fatias de courgette, a abóbora assada e os queijos e coloque o tabuleiro em cima da pedra ou tabuleiro aquecidos e asse durante 5 a 6 minutos ou até a base estar dourada e estaladiça.

O resultado é este que se vê. O melhor recheio que já provei. O sabor compensa o tempo que se perde à volta da receita :)

Da segunda vez que fiz, aumentei a quantidade de abóbora porque ela diminui no forno.
As courgettes cortei-as mesmo muito fininhas, com um utensílio que é de cortar queijo. Demoram menos de 2 minutos no forno. É preciso ir vigiando.
Esta virou moda cá em casa, até me dá água na boca só de ver as fotos. Há receitas que não nos cativam e, no final, são belas surpresas.

Quero agradecer a uma pessoa muito especial para mim, que partilha a canela comigo e que me deu este livro. Ela é também uma mestra e merece todo o meu reconhecimento. Então, a ti que estás longe e que fazes sentir-te tão perto, um muito obrigada e um grande beijo!

Por falar em longe e perto, apanhem o Trem Bom, vejam as delícias que lá desfilam e votem na vossa favorita. Pode não ser a minha mas votem :)

E agora quem é que se vai atrever a testar esta pizza de mestre? Quantos são? he he Eu aposto em nenhum mas vocês é que perdem ;)
publicado por Ameixinha às 14:00 | link do post | comentar | ver comentários (73) | partilhar
Sábado, 05.12.09

Muffins de duplo chocolate

O famoso, delicioso e fabuloso Trem Bom da Valentina está de parabéns! Para celebrar, desafiou os seus leitores a publicarem uma receita doce que nós faríamos para uma celebração especial.
E que motivo quero eu mais para celebrar? O Matias está finalmente em casa depois de uma estadia no veterinário. Estava triste mas conseguiu vir para casa mais gordo do que já era. Lá podia comer a quantidade que quisesse de ração, afinal estava doentinho. Agora, são só 55g por dia e isso é a minha salvação, porque a ração da Royal Canin é de luxo, 1,5 kg custaram-me 20,50€ e não chega para um mês.
Então vou celebrar o facto do Matias estar em casa e de eu ter tido dinheiro para pagar a conta he he

Há lá melhor maneira de celebrar do que com muito chocolate? Não, pois não? É que fiquei tão aparvalhada, alucinada, abananada, desconsolada, descontrolada, agoniada e até enjoada quando soube o preço da ração, que resolvi afogar o trauma com chocolate :)

Não estou definitivamente curada, o Matias está em tratamento e eu estou com ele. Só vou ficar aliviada, descansada, animada e curada quando ele puder comer outra ração mais barata. Até lá... vou fazendo contas à vida e comer um quadradinho de chocolate por dia- tem é que ser do mais barato senão nem ração para mim nem ração para ele he he



Olhem aqui o logo que a Valentina tem no blog dela. São Turkish Delights super atraentes. Nunca provei mas o aspecto promete algo de muito bom. O Trem Bom também promete sempre algo de fenomenal, as fotos, os textos, as delícias apresentadas... tudo! Parabéns Valentina por teres criado e mantido um blog de referência e que assim continue por muitos mais anos!


Double chocolate chip muffins
(traduzido livremente para Muffins de duplo chocolate)
Rende 16 muffins

400 g de farinha
1 colher (sopa) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de cacau em pó (usei magro)
115 g de açúcar mascavado escuro
2 ovos
150 ml de sour cream (substituí por iogurte natural)
150 ml de leite
60 ml de óleo de girassol
175 g de chocolate branco (usei 100g)
175 g de chocolate semi-amargo (usei 100 g de chocolate preto com 74% de cacau)

1. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Coloque as formas de papel nas formas de muffins. Misture a farinha, o fermento e o cacau numa tigela e junte-lhe o açúcar. Abra um buraco no centro da mistura.

2. Noutra tigela, bata os ovos com o sour cream, leite e o óleo, depois deite sobre o buraco no centro da mistura de ingredientes secos. Bata bem, incorporando gradualmente a farinha que fica nos lados da tigela, até que fique uma mistura espessa e cremosa. Parta aos pedacinhos pequenos os chocolates e incorpore-os na mistura.

3. Deite nas forminhas, enchendo-as quase até ao topo. Leve ao forno por 25-30 minutos, até que estejam crescidos e firmes ao toque. Deixe arrefecer numa grelha, depois polvilhe-os com mais cacau em pó.


Hoje não tenho foto do Matias mas o Tomás quis aparecer. Pelo menos este maluco pode comer qualquer coisinha :) Dei-lhe um pedacinho e ele lá foi todo contente de rabito a dar a dar. Acho que está aprovado he he Afinal, não é todos os dias que come um docinho!

Esta foi mais uma receita retirada do livro "The chocolate and coffee bible".
Usei chocolate preto mas aconselho a usarem um com menos percentagem de cacau. O sabor do chocolate preto acaba por se sobrepor ao do chocolate branco e acho que ficaria melhor se tivesse usado outro. Acho que também ficaria muito bem com chocolate de leite.
É uma receita muito simples de fazer e bastante rápida. Leva mais tempo no forno do que a preparar.
Substituí o sour cream (creme azedo) por iogurte porque não cheguei a um consenso de qual seria a melhor substituição, uma vez que cá não existe à venda sour cream.

Se tiverem tempo de participar do desafio, aconselho a fazerem-no. A partir de amanhã serão publicadas as participações e o prémio que a Valentina tem para enviar à vencedora, é um pacote de produtos ingleses da Duchy Original. Eu confesso que ia ficar possuída se recebesse algo assim he he

Acho que é hoje que faço a árvore de Natal! Bom fim de semana :)
publicado por Ameixinha às 13:16 | link do post | comentar | ver comentários (71) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...