Segunda-feira, 31.08.09

Salada de tomate com sumac


Voltei, voltei
Voltei de lá
Ainda ontem estava em Lisboa
E agora já estou cá

:)

Para algumas, o encontro foi tão intenso que ainda nem tiveram coragem de dizer nada he he
Aquilo é que foi uma concentração de gajas boas, eu nunca tinha visto!
Descobriram todas que eu sou alta, diria imensa até :)
Bem, mas o relato fica para outra altura porque a ocasião exige algo mais elaborado. Quero apenas agradecer a todas quantas puderam comparecer e partilhar uma tarde comigo. Foi muita gente para pouco tempo mas valeu bem a pena!
Também peço a quem tenha tirado fotos para as enviarem para o meu mail, ok? É que eu não tenho nenhuma e gostava de ficar com uma recordação ;)

Como a Minhota teve coragem, diria até tomates, para enfrentar tanta moura, fica aqui esta maravilhosa salada de tomate que encontrei no Chucrute. Agradeço muito o patrocínio da Noémia, sem os tomates dela (salvo seja!) nada disto seria possível :)
Gaja boa, só faltavas lá tu para mostrar às mouras o quanto vale uma mulher do Norte carago he he



Ingredientes:
1/2 cabeça de alho (tal como a Fer eu diminuí e usei alho a gosto)
1 colher (sopa) de maionese
1 colher (sopa) de azeite, mais extra para servir
2 tomates grandes
1 colher (sopa) de sumac
Folhas de hortelã fresca picadinha
Sal a gosto

Preparação:
No almofariz ou processador, moa bem o alho misturado com a maionese e o azeite. Prepare a salada cortando o tomate em fatias e colocando numa travessa. Pincele com a maionese de alho, salpique com sal e sumac, regue com um fio de azeite e decore com as folhas de hortelã picada.

Boa semana a todos!
publicado por Ameixinha às 12:45 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Sexta-feira, 28.08.09

Um bolo dos diabos com tiramisu


Antes de mais, quero dizer que o encontro no Porto correu muito bem e quem não foi, não sabe o que perdeu :) Para já não vou contar nada, preciso de tempo para pensar no assunto!
Vou para Lisboa mas, antes de ir, sugiro que façam este bolo no fim-de-semana.

Sei que parecem muitos passos, que parece que perdem muito tempo mas, este bolo que eu livremente traduzo como "Um bolo dos diabos!", pode ser feito com antecedência de dias e isso só lhe vai fazer bem :)
TitiSu, diz lá de tua justiça, estava bom ou não? Quem é amiga, quem é? he he

O recheio e a cobertura, o extracto e a calda são iguais aos que usei no Bolo de Tiramisu, o que muda é o bolo e, atrevo-me a dizer que até muda para melhor :)


Ingredientes Devil's Food Cake:

9 colheres de sopa de cacau
1 1/2 chávena de farinha (sem ser auto-levedante)
1/2 colher chá de sal
1 colher chá de bicarbonato de soda
1/4 colher chá de fermento em pó
110 gr de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 1/2 chávena de açúcar
2 ovos grandes à temperatura ambiente
1/2 chávena de café forte (ou água)
1/2 chávena de leite

Peneire o cacau, farinha, sal, bicarbonato e o fermento para uma bacia e com a batedeira, bata a manteiga com o açúcar cerca de 5 minutos até estar suave e cremosa. Junte os ovos um a um até estarem incorporados. Junte o café com o leite. Misture metade dos ingredientes secos no preparado de manteiga. Depois junte o café e o leite e o restante dos ingredientes secos.
Leve ao forno numa forma untada e forrada com papel vegetal até estar pronto. Deixe arrefecer completamente antes de colocar o recheio e cobertura.

Extracto de café:
2 colheres sopa de café solúvel
2 colheres sopa de água a ferver

Misture o pó com a água e reserve.

Calda de café:
1/2 chávena de água
1/3 chávena de açúcar
1 colher de sopa de amaretto, kahlua ou brandy (usei brandy)

Numa tigela pequena misture a água e o açúcar e leve a ferver. Coloque numa tigela à prova de calor e misture nele uma colher de sopa de extracto de café e o brandy, reserve.

Recheio e cobertura:
1 pacote de mascarpone (250g)
1/2 chávena de açúcar em pó, peneirado
1 1/2 colher chá de extracto de baunilha
1 colher de amaretto, kahlua ou brandy (usei brandy)
1 chávena de natas

Coloque o mascarpone, o açúcar, baunilha e o alcool numa tigela e misture até estar suave. Com a batedeira ou fouet, bata as natas até formar picos firmes. Com uma espátula junte 1/4 das natas ao mascarpone. Vá juntando o resto com toques suaves até estar bem envolvido.

Montagem:
Corte o bolo ao meio depois de estar frio.
Com um pincel, ensope a parte de baixo do bolo com 1/3 da calda. Por cima coloque algum creme de mascarpone - cerca de 1 1/4 de chávena. Na outra parte do bolo coloque a metade da calda de café. Depois vire o lado ensopado por cima do recheio de mascarpone. Ensope o topo do bolo com o resto da calda.

Para a cobertura, junte o resto do extracto de café no resto do mascarpone e envolva. Prove até decidir quanto extracto usar. Se a mistura parecer demasiado mole para ser usada, coloque-a coberta por película aderente no frigorífico por 15 min. Refrigere o bolo também.
Com uma espátula vá colocando a cobertura nas laterais do bolo e no topo. Refrigere por 3 horas ou até 1 dia antes de servir.
Antes de servir, polvilhe o topo com cacau ou com raspas de chocolate negro.

E agora... Lisboa aí vou eu :)
Vai ser do caraças, é melhor não falar no Diabo não vá ele tecê-las!
Estarei ausente até Domingo, não vou responder a comentários nem ver blogs, ok?
Até jáaaaaa!
tags:
publicado por Ameixinha às 09:30 | link do post | comentar | ver comentários (63) | partilhar
Terça-feira, 25.08.09

Salada de milho e feijão preto com vinagrete de limão

Vi esta imagem fantástica aqui e decidi que tinha que fazer... tentar fazer!
Foi o que fiz, embora com algumas alterações. Mesmo assim, foi do agrado de todos, ninguém deixou de a comer e o meu pai até disse que o que sobrasse devia ser guardado para o lanche, de tão boa que é :)
Como é óbvio, só será muito boa para quem aprecia muito estes ingredientes e para quem não se incomoda com a quantidade de gás natural que advém do seu consumo he he
Aliás, acho que nem vou tirar bilhete para ir ao Porto e Lisboa, o gás natural leva-nos onde queremos :)
Isto não vai soar nada bem mas que se lixe, haja alegria! Espero é que ninguém se afaste de mim já que sou uma potencial fonte de energia, ok? "Felizmente não cheira." he he

Salada:
1 chávena de milho congelado
425 g de feijão preto enlatado (cozi o meu na panela de pressão)
425 g de grão de bico enlatado (cozi o meu na panela de pressão)
1 pimento vermelho cortado pequeno (usei um tomate maduro mas rijo e descartei as sementes)
1 manga ou pêssego (não usei)

Vinagrete:
2 limas, zester e sumo (usei limão - o siciliano para as amigas brasileiras)
2 colheres (sopa) de vinagre balsâmico
1/2 chávena de folhas de manjericão (não usei porque o meu manjericão não cresceu este ano)
1/4 colher (chá) de cominhos moídos (opcional - não usei)
1/3 chávena de azeite
sal e pimenta preta a gosto

Preparação:
Misture o milho, feijão, grão, pimento (tomate) e a manga (pêssego).
Numa tigela pequena combine o zest, sumo, vinagre, manjericão e os cominhos.
Lentamente junte o azeite, mexendo constantemente até que a mistura engrosse. Tempere com sal e pimenta.
Coloque o vinagrete por cima da salada e mexa. Refrigere por 1 hora e misture outra vez antes de servir.

Notas:
- O milho pode ser fresco em espiga, aqui não encontro disso.
- As leguminosas devem ser drenadas da água.
- Não usei manga nem pêssego porque não iria agradar a todos e não me apeteceu ver os narizes torcidos. Aliás, no original sugere manga mas num dos comentários deixados no post, disseram que usaram pêssego e também ficou bom.
- A blogueira não usou cominhos porque se esqueceu, os meus estavam fora do prazo e optei por não usar. Tal como aconteceu com ela, a salada ficou boa sem eles. Mas não sei se ficaria melhor se os usasse. Como passou a ser salada cá de casa, vou testar novamente com os cominhos. Para quem não aprecia, deixe de fora!
- O sal sugerido é o Kosher, mas eu não tenho, usei sal marinho e moí a pimenta preta na hora.
- Não usei o vinagrete todo, achei exagerado. Guardei-o e usei-o noutras saladas. É muito refrescante.
- Serve 4 a 6 pessoas.
- A minha foto não é digna da salada, vejam uma bela foto desta salada no sítio de onde eu retirei a receita. Aquilo sim, é uma bela foto!



A Titó ofereceu-me este selinho e junto com ele vinham umas perguntitas:

Uma música mágica: Imensas, uma delas é "The dull flame of desire"
Um filme mágico : Eduardo mãos de tesoura
Uma viagem mágica: Islândia, Irlanda e Itália (ainda não a fiz mas sinto que deve ser mágica)
Maquilhagem mágica: a minha, consegue colocar-me menos feia he he

Passo a:

Noémia (A arte dos trapinhos)

Isabel (Vai melhorar)

Ana (Eu mulher)


Anabenfica (Tricas & Nicas)

Está tudo pronto para os encontros? Já anda tudo ansioso, com a periquita aos saltos de tanta emoção? Não? Sim?
Cuidado, olhem que a emoção pode fazer mal ao coração, tomem um drunfo e durmam descansadinhas he he
Eu lá vos espero, umas no Porto outras em Lisboa :)
É tudo à molhada e fé em Deus!
Se eu não aparecer a casa, já disse à minha mãe para ligar para a polícia. Portanto... não se atrevam, ó mouras, a tocar-me num fiozinho de cabelo. Nem nos castanhos nem nos brancos, ok? he he
Peço que não digam na net a hora e o local onde nos vamos encontrar, ok? Já basta eu ter que vos aturar a todas, aparecerem mais mouros indesejados seria o verdadeiro descalabro, o horror, a loucura he he
Continuação de boa semana!
publicado por Ameixinha às 15:10 | link do post | comentar | ver comentários (62) | partilhar
Sexta-feira, 21.08.09

Beringelas gratinadas

Em época de tomates e beringelas temos que ser casamenteiros e juntar os trapinhos destes dois :)
Primeiro porque têm cores bonitas, depois porque o sabor nesta altura atinge o topo dos topos.
É caso para dizer que esta beringela tem tomates he he
Está calor para ligar o forno, mas à hora do jantar parece que entramos no Outono e o forno até apetece. Pelo menos, por aqui tem sido assim :)

Ingredientes para 4:
4 colheres (sopa) de azeite
2 cebolas finamente picadas
2 dentes de alho finamente picados
2 beringelas às rodelas grossas
3 colheres (sopa) de salsa fresca picada (não usei)
1/2 colher (chá) de tomilho seco (usei tomilho-limão fresco)
sal e pimenta a gosto
400 g de tomate enlatado picado
175 g de queijo mozzarella grosseiramente ralado
6 colheres (sopa) de queijo parmesão fresco ralado (não usei porque não tinha)

Preparação:

1- Aqueça o azeite numa caçarola em lume médio. Junte a cebola e deixe refogar por 5 minutos, ou até ficar transparente. Adicione o alho e deixe cozer uns segundos, ou até começar a ganhar cor. Com a ajuda de uma escumadeira transfira a mistura de cebola para um prato. Coza a beringela às rodelas na mesma caçarola (usei a wok), até ficarem castanhas.

2- Num prato pouco fundo, disponha a beringela por camadas. Salpique com um pouco de salsa, tomilho, sal e pimenta. Acrescente uma camada de cebola, tomate e mozzarella e polvilhe cada camada com salsa, tomilho, sal e pimenta.

3. Vá fazendo camadas e termine com uma camada de beringelas. Salpique com o queijo parmesão. Leve ao forno a 200ºC, previamente aquecido e deixe cozer destapado durante 20-30 minutos ou até a superfície ficar com um tom dourado e as beringelas ficarem tenras. Sirva quente!

Notas:
- Antes de cozinhar a beringela coloquei-a com sal e deixei largar um pouco de líquido. Depois passei por água e limpei com papel absorvente.
- Receita retirada do livro "Cozinha Mediterrânica" da Parragon Books.


Então pessoal do Norte, coméqué? Ninguém quer aparecer para receber com pompa e circunstância a Manuela C? Pode ser sem pompa e circunstância. Isto é ao gosto de freguês!
Ela já me telefonou a perguntar se alguém já tinha dito alguma coisa e eu sem nada para lhe dizer. Que vergonha! Estão a deixar-me ficar muito mal! É que já não faltam mouras a querer comparecer ao encontro de Lisboa. Vamos deixar as mouras ganhar? he he

Já começo a ter medo de ir a Lisboa, é que vai ser tanta gaja boa por metro quadrado, que eu vou ter que vir para casa com o rabo entre as pernas e olhem que o meu rabo até é bem jeitoso ;)
Só de pensar até já se me arrepiam os pêlos do bigode! Por falar nisso... tenho que fazer o bigode! Ou não... é que mulher de bigode ninguém a f***! É melhor deixar o bigode que assim ninguém se atreve a fazer-me frente :)

E é isso... me liguem vai, que é como quem diz, quem estiver interessado em conhecer a Manuela C e companhia, enviem mail para mim que já tenho novidades!
Às mouras (vou levar nas orelhas que até vou chiar!) a mesma coisa, contactem-me :)

Bom fim de semana a todos!
publicado por Ameixinha às 20:21 | link do post | comentar | ver comentários (76) | partilhar
Quarta-feira, 19.08.09

Gâteau au matcha e Invicta novamente :)


É o bolo do Hulk :)
Tenho certeza que depois de uma fatia deste bolo ficamos com uma força invencível. Brutaaaaaaaa! Bem, não será assim, mas ficamos bem dispostas com toda a serotonina a correr-nos nas veias! Uiiiii :)
Mas, como tudo, pode ter efeitos adversos, tal como um acesso de pura estupidez e apagar a foto do interior do bolo. Felizmente, é algo momentâneo e notamos o erro logo de seguida. Convém é comer um pedacinho de chocolate para não ficar deprimida com isso e colocar a serotonina a correr outra vez!

Adiante, podem ver o interior aqui, no Gourmandise de onde eu retirei a receita. A mousse de chocolate não é igual, porque tinha uma mousse instantânea a precisar de ser usada e aí vai disto... usei-a. Mas, para a próxima vou seguir a receita da Nina à risca.

O bolo foi servido como sobremesa e não reuniu consenso porque a massa não é húmida. É uma espécie de pão de ló, fofo mas seco. Para mim e para algumas pessoas resultou muito bem, mas houve quem dissesse que parecia palha (deve ser alguém habituado a comer palha he he). A verdade é que ninguém deixou nada nos pratos :) Isto é como tudo, há sempre alguém que só sabe dizer mal, criticar e com uma ponta de inveja!

Como não quero enganar ninguém, devo dizer que este bolo fica melhor depois de alguns dias no frigorífico, a massa vai assimilar a humidade da mousse e fica mais húmida. Parece-me uma boa notícia, um bolo bastante bonito, na minha opinião, que pode ser feito calmamente com bastante antecedência :)

Ingredientes:
170 g de farinha de trigo
170 g de ovos
110 g de açúcar refinado
1/2 colher (chá) de fermento em pó
8 g de matcha

Peneire a farinha com o fermento e o matcha. Bata os ovos com o açúcar por 10 minutos ou até quadriplicar o volume. Incorpore os ingredientes secos. Asse a 190ºC, numa forma untada e forrada com papel vegetal. Desenforme e deixe arrefecer.

Mousse:
100 g de natas montadas (nem vou comentar a parte das "montadas"!)
200 g de chocolate amargo temperado.

Incorpore os ingredientes com delicadeza.

Montagem:
Parta o bolo ao meio, coloque a mousse e feche com a outra parte do bolo. Leve ao frigorífico até firmar. A Nina sugere compota de frutos vermelhos para servir com o bolo.


And now, breaking news :)

A Açoreana Manuela do blog Delícias e Companhia, vem visitar o Porto e sugeriu um encontro na nossa marabilhosa Inbicta. Portanto, venho anunciar o acontecimento e pedir que, quem estiver interessado em conhecê-la e a outras meninas (eu sei que vou e a Mary também, as outras espero que se juntem à festa!), por favor mandem mail que eu já sei o dia :)
Vá lá meninas, é uma oportunidade única já que a Manuela está longe e não tem muitas oportunidades de nos visitar, nem nós a ela - eu não tenho!
Tenho certeza que não se vão arrepender :)

Pahhh, não se esqueçam que também vou a Lisboa. Ó Mouras, comé que é? Quem se arrisca a levar uma abada aqui da gaja do Norte? :)

tags: ,
publicado por Ameixinha às 22:52 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar
Segunda-feira, 17.08.09

Chá gelado de hortelã

Toma lá, já que não comes, bebes :)
O calor não dá tréguas e nada melhor que um chá gelado para matar a sede!
Os posts não se podem alongar porque tem sido bastante difícil estar à frente do computador com o calor e, para quem está a ler, convém que apareçam poucas palavras. Aproveitem esta bebida refrescante e saudável nestes dias de Verão intenso.

Ingredientes:
1 litro de água
2 colheres (sopa) de chá preto (usei uma mistura de chá preto com casca de laranja e sumo de laranja concentrado)
1 ramo de hortelã
80 g de açúcar
hortelã q.b.

1. Ferva a água, junte o chá e retire do lume. Deixe repousar durante dois minutos.
2. Filtre e junte o açúcar. Verta num tabuleiro e leve ao congelador, até ficar bem gelado e começar a cristalizar.
3. Retire do frio e mexa bem. Distribua por copos e sirva com a hortelã.


Agora um outro assunto:
Em breve espero ir a Lisboa por, pelo menos, 24 horas. Na altura dos encontros no Porto muitas meninas perguntaram para quando seria um encontro na capital. Pois então, está para muito breve.
Gostava muito que algumas pessoas que eu visito e que me visitam aparecessem por lá. Na verdade, ainda não tenho nada combinado com ninguém, não tenho planos. Compete às meninas daí organizarem algo porque, como sabem, eu não conheço bem Lisboa e não posso dizer que vou ali ou acolá.
Seria óptimo organizar um encontro onde todas pudessemos estar, conviver e conhecermo-nos... para ser mais chique, para minglar he he. Desde que venham com boa disposição e com vontade de conhecer gente nova, eu estou de braços abertos.
Sei que em Agosto muita gente está de férias mas, de certa forma, é uma altura em que me dá mais jeito a mim também.
Alguém está interessado? Qualquer coisa mandem mail, informações e detalhes serão dados apenas por mail para não encontrar mouros manhosos e indesejados :)

Notas:
- Substitua o chá preto por chá de menta.
- Não entendi onde entra o ramo de hortelã, não sei se era para juntar à água na mesma altura do chá preto, acho que sim. Por não referir, usei apenas na decoração.
- O açúcar pode ser diminuído, como gosto de coisas menos doces eu usei menos. Se for muito doce faz-me mais sede e, o que se pretende é diminuí-la :)
- Retirei esta sugestão do livro "Alimentos com história I" da Impala.
publicado por Ameixinha às 14:00 | link do post | comentar | ver comentários (59) | partilhar
Sexta-feira, 14.08.09

Sanduíche de frango à indiana

Hare baba (a sandes é à indiana ok?) tanto calor!
Estou meia morta e só me apetece comer sandes frias, saladas ou frutas! É impossível estar à frente do computador a escrever o que me vai na alma. Por isso, hoje não me vou alongar. Aproveito para dizer que também vou aliviar um bocadinho o aspecto do blog... está muito escuro e, com o calor, custa muito mais olhar para ele assim.

Esta ideia foi retirada daqui e as lamparinas do meu juízo ficaram viciadas na maionese com caril e mel... que delícia!
Podem usar sobras de frango de churrasco ou de panados de frango. De qualquer das maneiras fica muito bom. Como sempre, dispensei as passas!

Ingredientes para 1 sanduíche:

2 fatias de pão a gosto
1 folha grande de alface
100 g de sobras de frango assado sem peles nem ossos
1 colher (sopa) de maionese (ou de iogurte)
1 colher (café) de mel
1 colher (café) de caril em pó
1 colher (chá) de passas de uva

Preparação:
Numa tigela, misture bem a maionese com o mel, o caril e as passas.
Desfie o frango, adicione-o ao preparado anterior e envolva bem.
Coloque a folha de alface em cima de uma fatia de pão, cubra com o preparado de frango e feche com a fatia de pão restante. Corte em metades e sirva fresco.

Bom resto de sexta-feira, bom início de férias para muitos e bom fim de semana! Eu vou ali estender-me, ficar quietinha até que o calor decida passar. Mais loguinho, quando ficar mais fresco, volto para ver o que vocês publicaram nos blogs :)

publicado por Ameixinha às 13:20 | link do post | comentar | ver comentários (64) | partilhar
Terça-feira, 11.08.09

Apple Pie da Si


Chocolatria, quem não conhece? Chocolatria está mais para chocolate que para tarte de maçã, não acham? Mas eu sou mais de maçãs que de chocolates, embora não negue nenhum deles e até pode vir um seguido do outro.
Agora que tenho um avental Divas, eu ganhei ainda mais vontade de fazer algumas das receitas da Simone e, quando a minha mãe me disse que tinha maçãs na fruteira que precisavam de ser usadas, eu usei e abusei das maçãs para fazer a Apple Pie da Simone.
É um processo demorado, mas só porque tem que se deixar esfriar o recheio de maçãs. A massa e o creme são muito fáceis e rápidos de fazer.
Diminuí um pouco a quantidade de açúcar porque já sabia que seria demasiado para o meu gosto. Mesmo assim, apesar de não ter ficado enjoativa, confesso que uma pitada de sal iria equilibrar o doce, principalmente no creme que é uma espécie de leite-creme e que eu, quando faço, coloco sempre uma pitada de sal.
Tal como li há alguns dias, "Uma pitadinha de sal fino amplia os sabores de qualquer bolo." in O livro de Pantagruel

O pior de tudo é que começei a fazer esta tarte ao início da tarde e tinha ideias de a terminar à noitinha, dar tempo para o recheio arrefecer e terminar no sossego e tranquilidade que a noite proporciona.
Porém, visitas inesperadas apareceram e vieram atrapalhar. Eu juro que escrevi um post inteirinho acerca disso, tamanha era a minha fúria e indignação. Mas, eu passei o lápis da censura porque são familiares directos que, quem sabe, um dia destes descobrem o blog e deserdam-me he he
Então, vou só dizer que má educação e desobediência nas crianças é um assunto que me faz estalar o verniz e a minha solução foi oferecer um pontapé à criançinha - que passou o resto da noite sem olhar para mim - ir para a cozinha, pegar no rolo da massa e despejar as ondas negativas na tarte.

Não merecia, a tarte é demasiado boa para ser feita em fúria, mas ou era isso ou eu começava a bater naquela família toda... do avô, passando pelo pai e a terminar no neto!
Quero só avisar que quem cá vier a casa e insistir em dar pontapés ao meu gato, está sujeito a que eu lhes ofereça um pontapé. Comigo é assim... amor com amor se paga, sou má muito má :)

Toda a negatividade passada para a tarte, perdeu-se no forno e resultou nisto... uma perfeita maravilha! Olhem só para a foto do interior, o creme, o recheio de maçã, que sintonia veio do Chocolatria :)
Simone, sempre gentil e divertida, muito obrigada por tudo. Espero que gostes de ver a tua tarte por aqui. Foi aprovada por todos, unanimidade é sempre agradável!


Ingredientes da massa/shortcrust (da Donna Hay):

A Simone usou a shortcrust para a base e massa folhada comprada pronta para cobrir, eu optei por usar a shortcrust para tudo.

2 chávenas de farinha de trigo
3 colheres (sopa) açúcar refinado
150 g de manteiga em cubinhos
2-3 colheres (sopa) água gelada (usei 3)

Num processador (usei uma picadora), junte a farinha, o açúcar e a manteiga e bata até virar uma farofa. Enquanto ligado, adicione a água gelada até obter uma massa macia (eu tive que retirar da picadora e amassar à mão. Pobre é assim he he). Embale a massa em saco plástico ou película aderente e leve ao frigorífico por 30 minutos (a minha ficou mais e sem problemas).
Abra a massa com o auxílio de um rolo (se quiser fazer tampa com ela, abra apenas 2/3 da massa) até obter espessura de cerca de 3 mm, numa superfície ligeiramente enfarinhada. Acomode a massa numa tarteira de 24 cm de diâmetro e recorte as pontas com os dedos (eu foi mesmo de faca tamanha era a vontade de a espetar nalguma coisa he he Se algum dia eu for presa, prometem levar-me bolinho à prisão? Prometem?). Fure o fundo da massa com um garfo, evitando que infle.


Ingredientes do recheio:

6 maçãs descascadas e cortadas em pedaços (usei Golden mas pode ser Gala, Red, Granny Smith, acho que dá com qualquer uma)
1 chávena de açúcar (usei meia)
1/2 colher (sopa) de canela
cerca de 1 1/2 chávena de água (usei apenas 1)

Leve todos os ingredientes ao lume numa panela de fundo grosso (eu usei uma normal, desde que tenha fundo acho que já é bom) em fogo alto até ferver. Baixe o fogo e deixe cozinhar por 45 minutos, mexendo ocasionalmente até amolecer. Empregue frio.

Ingredientes do creme:

250 ml de leite
1 gema
1/2 chávena de açúcar (usei menos mas não me lembro quanto)
1 colher (sopa) amido de milho
1/2 fava de baunilha ou essência de baunilha (quem não tiver acho que pode substituir o açúcar normal pelo baunilhado)

Junte todos os ingredientes numa panela e leve ao lume por 15 minutos, até engrossar.

Montagem:

Leve a massa ao forno (180ºC) por cerca de 25 minutos ou até dourar.
Deixe amornar ou arrefecer. Verta o creme de baunilha já pronto e, por cima do creme, disponha o recheio de maçã. Tape com o resto da massa (1/3 reservado) ou com uma lâmine de massa folhada. Ambas devem ser abertas com o rolo e dispostas sobre a tarte. Dê o acabamento, recortando as bordas com os dedos (eu meti a massa das bordas para dentro e com um resto que me sobrou, usei um cortador de biscoitos em forma de folha e dispus sobre a massa). Fala cortes com uma faca para que o ar quente possa escapar, pincele com um ovo e polvilhe com açúcar (usei açúcar com canela). Leve ao forno até dourar, cerca de 20 minutos.
Sirva morno, polvilhado com açúcar de confeiteiro e sorvete de creme.


Notas:
- Aconselho a fazer primeiro o recheio, depois a massa e por fim o creme.
- Servi frio e estava muito bom.
- Para quem não gosta de doces muito doces, aconselho a diminuir a quantidade de açúcar e a colocar a pitadinha de sal no creme.
- O recheio de maçã, tal como a Simone refere, pode ser usado para colocar no pão. É uma espécie de compota.
- O Matias gostou tanto da tarte que, ao encontrá-la em cima do fogão, não resistiu e reclamou-a para ele, sentando-se em cima dela. Felizmente estava coberta com um pano e salvou-se, mas tivemos que comer os restos em forma amassada :) Gatos gordos é assim!

Continuação de boa semana!
tags: ,
publicado por Ameixinha às 17:00 | link do post | comentar | ver comentários (65) | partilhar
Quinta-feira, 06.08.09

Papeta Par Eeda

Alguém sabe o que aconteceu à Agdá? Fico sempre preocupada quando as pessoas desaparecem sem explicação. No fundo, é alguém que estamos habituados a ver todos os dias, a comentar/falar e a visitar! É sempre complicado, pelo menos para mim, não saber se estará tudo bem ou se está a passar por momentos difíceis.
Se alguém souber algo acerca dela e poder adiantar novidades, agradeço :)

Há uns tempos recebi uns presentes aromáticos que contagiaram a casa. Sou capaz de ter ficado abananada com o aroma, depois de andar no pó, nas sementes de papoila, ainda ando a snifar especiarias he he
Sim, é bem provável que eu faça isso, não me admirava nada :)

Ora, como para estes lados não se encontram grandes especiarias e, as que se encontram, são de muito má qualidade, eu vi-me com uma mina de ouro nas mãos e sem saber bem para que lado me virar! Eu até podia vender mas este ouro desvaloriza muito he he
Recorri a uns quantos blogs e o da Agdá apresenta umas quantas sugestões que me pareceram deliciosas e usava algumas das especiarias que eu recebi.

Esta que encontrei é uma espécie, atrevo-me a dizer, - e sei que estou sujeita a linchamento público mas que se lixe! - de tortilha. Tem batatas e ovos, as especiarias é que lhe dão o toque sublime!

Papeta Par Eeda quer dizer ovos com batatas, simples não? E é muito bom! A minha só não ficou tão bonita quanto a da Agdá mas o que importa é o conteúdo, o sabor, certo?

Ingredientes:

4 ou 5 batatas médias em cubos
1 colher (sopa) de óleo (usei azeite)
1/2 colher (chá) sementes de mostarda preta
1/4 colher (chá) asafétida
2 pimentas malaguetas picadas ou partidas ao meio (ou a gosto)
Folhas de curry (opcional, eu usei apenas uma)
1/4 colher (chá) de açafrão-da-terra/ cúrcuma (não tinha mas juntei alguns filamentos de açáfrão puro)
1/2 colher (chá) de gengibre ralado
sal a gosto
1/4 chávena de coentros frescos (não usei)
3 ovos inteiros e 3 claras (quem preferir pode usar 6 ovos inteiros)

Preparação:
Aqueça o azeite e coloque as sementes de mostarda. Depois de pipocarem (darem uns saltinhos), junte a asafétida. Logo em seguida, ponha as folhas de curry, a pimenta picada, o gengibre e o açafrão da terra. Coloque as batatas, sal e água suficiente para amaciarem sem ficar com caldo, cerca de 1/2 chávena ou menos (usei um pouco menos), depende do tipo de batatas usadas. Cubra e deixe em lume médio-baixo até que estejam no ponto desejado e o líquido tenha evaporado. Se usar coentros, espalhe por cima das batatas e cubra. Após alguns segundos, junte os ovos e cubra. Deixe cozinhar até ficar firme.

Apesar de ter muitas especiarias, não achei que tivesse ficado forte, fica muito agradável. Adorei as sementes de mostarda (eu e as sementes, pelo menos estas não são suspeitas, ou são?). Servi por cima de fatias de pão integral mas uma salada verde acompanhava muito bem.

Esta foi mais uma receita testada na companhia da minha mãe. Ela é tipo eu, uma betoneira, experimentamos tudo :) Os homens continuam os mesmos retrógrados de sempre!

Já agora peço a quem tiver ou souber de alguma receita boa que inclua algum dos seguintes ingredientes:

- Colorífico
- Fish masala
- Asafétida
- Curry madras
- Nigella (a especiaria, não a cozinheira he he)
- Zimbro

Tenho tudo em pó, excepto o zimbro, feno-grego e nigella que tenho em sementes. Portanto, apressem-se antes que eu começe a snifar tudo he he
Coliquei links em alguns, porque acho que a maioria das pessoas nunca ouvir falar de algumas destas especiarias :)

Bom resto de semana!
publicado por Ameixinha às 20:08 | link do post | comentar | ver comentários (57) | partilhar
Terça-feira, 04.08.09

Bolo de iogurte e limão com sementes de papoila

Têm estado uns dias de Verão bastante amenos e não há porque não ligar o forno. Tem-me apetecido cozer pães, biscoitos e bolos no forno. Até já fiz panquecas e nem é normal eu querer estar de volta do fogão e comer coisas quentes nos dias de Verão.

Vi esta receita no blog Butter & Sugar que, por sua vez, baseou-se numa receita que viu aqui. Uma usa o limão e outra usa a laranja. O que interessa é que usem uma fruta cítrica.
As sementes de papoila são opcionais, eu gosto do crocante. Para quem não sabe, podem ser encontradas em qualquer loja de produtos naturais ou ervanárias. Nos supermercados nunca encontrei. Não achei nada caras e duram bastante tempo. Não acrescentam sabor às receitas, na verdade não cheiram em sabem a nada, são apenas usadas pela crocância que atribuem à comida.
Este bolo fica denso e ligeiramente húmido, muito bom para ser servido com natas batidas ou com gelado. Eu apenas salpiquei açúcar em pó mas, acho que uma bola de gelado de baunilha ia ficar a matar. Quem quiser também pode fazer uma calda com sumo de limão ou laranja e açúcar. É só levar ao lume até derreter o açúcar e, depois deitar por cima do bolo saído do forno.

Infelizmente continuo a não ter uma arca frigorífica e gelados estão fora de questão.
Ontem sonhei que andei a correr para trás e para a frente, estou capaz de jurar que andei a correr atrás dos tios para eles me fornecerem a arca he he
Hoje parece que me passou um camião por cima... estou de rastos!
Aqui fica a receita.


Ingredientes:
1 chávena de farinha integral
1/2 chávena de farinha normal
2 colheres (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
1 chávena de iogurte natural
2/3 chávena de açúcar (usei baunilhado)
3 ovos grandes
2 colheres (chá) de zest de limão (2 limões) ou laranja
1/2 colher (chá) de extracto de baunilha (não usei)
1/2 chávena óleo vegetal
1/3 chávena de sumo de limão ou laranja
1 colher (sopa) de sementes de papoila

Medida da chávena de 240 ml

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma com manteiga e farinha e cubra o fundo com papel vegetal.
Peneire as farinhas com o fermento e o sal para uma bacia. Noutra bacia, junte o iogurte, o açúcar, os ovos e o zest de limão ou laranja. Vá adicionando os ingredientes secos aos poucos. Com uma espátula, junte o óleo vegetal até estar incorporado e as sementes de papoila. Coloque a massa na forma e leve ao forno por 50 minutos ou até a massa estar pronta e dourada.

Continuação de boa semana :)
tags:
publicado por Ameixinha às 14:00 | link do post | comentar | ver comentários (65) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...