Quarta-feira, 29.07.09

Pão custard com sementes de papoila



Há manhãs em que uma mulher à tarde não devia sair à noite. Confusos?
Pois, é assim que eu me sinto também depois de um dia que começou às 6 da manhã e que eu adoraria apagar da minha mente, caso me fosse possível!

Hoje foi a gota de água que faltava para transbordar um copo cheio, rodei completamente a baiana, desci dos saltos, perdi a cabeça, dei uma de barraqueira.
Pela primeira vez numa ida ao hospital tive que fazer uma reclamação por escrito no livrinho amarelo.

Depois de me levantar às 6 da madrugada e ir para o posto de saúde com a minha mãe, depois de não lhe ter sido dada consulta, depois de chegar ao hospital da nossa cidade, depois da triagem e uma pulseirinha verde, depois de 3 horas à espera e de ter percebido que, no máximo, a minha mãe deveria ser atendida em 120 minutos... eu dei uso ao direito à indignação.
Estava sem comer desde as 6.20 da manhã e eram 2 da tarde. Eu fico rabujenta se tiver fome, mais rabujenta quando tenho que que esperar e pioro quando tratam mal as pessoas.

Mais do que nunca, acho que quem tem medo de perder a classe também perde tudo e eu, que nem tenho nada a perder e, podendo perder a classe mas não a minha dignidade, passei-me por completo. Se o outro me visse diria: "Onde estão as lamparinas do seu juízo?" - apanhei esta na Tv noutro dia e agora não quero outra coisa! - e eu diria:
- Fundiram-se e o técnico não veio mudá-las :)

A minha mãe entrou novamente para a triagem para nova avaliação. O enfermeiro lá perguntou o que se passava e eu, possuída no máximo, lá disse:
-Passaram-se 3 horas, é o que se passa!
Depois de explicar o que se passava pediu uns minutinhos para falar com a médica.
Deve viver num universo paralelo onde o tempo passa muito devagar, porque os minutinhos transformaram-se em 1h15m e eu voltei a perder as lamparinas do meu juízo :)

Fiz uma reclamaçãozinha por escrito - não sei se vai para o caixote do lixo, mas sempre serviu para me aliviar um bocadinho o stress - e, passados 10 minutos, entramos.
Uma médica estrangeira (a minha mãe não entendia nada e ainda tive que fazer de intérprete!) viu a minha mãe e enviou-a para o Porto, perguntou se esperamos muito e eu fiz a minha reclamação oral. Indignada virou-se para mim e disse que não admitia reclamações.
- Ai não admite?! - disse eu. - É que eu já reclamei, está reclamado!

Desgraçada, em português pouco entendível, disse que os médicos não têm culpa!
- Então quem tem culpa, os doentes que estão cá para serem atendidos e diagnosticados? Eu tenho é que reclamar com quem cá está! - disse eu num ar mais desgraçado que o dela!

Lá se chegou à razão e concordou, diz que só estavam dois médicos num serviço de urgências e aquilo estava um caos, que também já reclamaram e que os doentes fazem bem em reclamar.

Hellooo!!! Dótora, onde estão as lamparinas do seu juízo também? Ou admite ou não admite reclamações, decida-se mulher!

Roteiro resumido:
Posto de saúde > Hospital João de Deus > Hospital de São João > Hospital João de Deus novamente = nada, a minha mãe afinal não tem nada!

Há coisas fantásticas não há? Queixas da perna com inchaço visível, dificuldade em andar e afinal não tem nada.

Eu ainda lhe disse:
- Ó mãe, dizias como a Florichoca: "Não tenho nada mas tenho tenho tudo. Sou rica em sonhos e pobre pobre em ouro!" :)
Afinal, fomos só dar umas voltinhas de ambulância com direiro a sirene e tudo ;)

De volta ao hospital cá da cidadezinha, com o relatório da alta nas mãos, dizem-nos que temos que passar novamente pela triagem e pela espera.
Ahhh? Como? Quem é que perdeu as lamparinas do juízo desta vez? Eu é não fui porque já não tinha mais lamparinas para perder mas, queimei o fusível e resmunguei que se fosse para esperar mais 5 horas que nem pensassem nisso.

Blá blá blá, se a sua mãe assume que não tem nada, então pode ir embora - dizia a recepcionista arrogante!

Mau mau mau mau, mais lamparinas perdidas? Quem diz que a minha mãe não tem nada são os médicos, se não tem nada, não fica cá a fazer nada! Adeus e até nunca mais que nós vamos neste.

Cheguei a casa às 18.30, mais de 12 horas para saber o que a minha mãe tem e o diagnóstico é nada! De facto tudo que incha, desincha e passa... nem sei dizer mais nada :)

Amanhã nova corrida para o posto de saúde para ver se encontramos alguém que tenha as lamparinas todas a funcionar e que saiba o que fazer :) Com sorte, amanhã tenho mais aventuras para contar!

Isto já vai muito longo mas aproveito também para responder ao desafio da Sta que está aqui. Resumindo, temos que escolher uma receita de um blog, fazer e publicar. Já tenho esta que tirei do blog da Sta e está feita há muito tempo. Ou seja, já foi comida e aprovada há bué :)

Tivesse eu um pão destes hoje e não teria passado tanta fome!



Ingredientes:
200 ml de leite morno
50 ml de água morna
50 g de margarina
120 g de açúcar (usei apenas 100)
2 colheres (sopa) de farinha custard (foto aqui)
500 g de farinha (usei 400 de farinha normal e 100 de farinha integral)

Preparação:
Colocar na cuba todos os ingredientes pela ordem, programar "pão doce". No final do 2º amassar adicionem as sementes e está pronto para ser devorado.


Continuação de boa semana, que seja bem melhor que a minha ;)

tags: , ,
publicado por Ameixinha às 22:00 | link do post | comentar | ver comentários (71) | partilhar
Sábado, 25.07.09

Bolo de cenoura e gengibre


Às vezes sinto-me como um burro atrás da cenoura, corro e corro para a alcançar e ela está cada vez mais longe. O burro, esse animal em vias de extinção e espécie protegida (basta ver pela quantidade de burros que encontramos no dia-a-dia, é aos pontapés!), que um dia me ia dar um coice tão bem dado no joelho que, se não fosse a minha sorte (apesar de tudo o que tem acontecido!!) eu agora andava como as galinhas, com os joelhos virados para trás :)
Eu, que sou defensora dos animais, que não me queria pôr em cima do burrinho nem dos cavalinhos, lembrei-me de correr atrás de um e ele, muito esperto (de burros não têm nada!) e já chateado com a melga (eu mesma!) que insistia em correr atrás dele... toma lá que aqui vai disto, dá um belo coice, parecia um truque de karaté, que me passou ao ladinho do joelho direito. Eu, incrédula pois tinha o burro como pacífico e amigo, baixei as orelhas (quando um burro fala o outro baixa as orelhas he he) e resignei-me às evidências. Ri-me de nervoso, escapei por um triz mas não voltei a incomodar os burrinhos, aprendi a lição e, agora, só lhes ponho a mão com uma cerca a dividir os espaços.
Agora, os outros burros, aqueles que dão verdadeiro sentido à palavra, a esses gostava de lhes deitar as unhas e fazer uns quantos estragos, até aprendia a dar coices de propósito. Ando a precisar de abanar alguém e uns quantos burros manhosos aliviavam-me o stress :)

Até lá, sou teimosa que nem um burro e continuo a comer cenouras para ganhar força e também para ter uns olhos bonitos ;) Mais uma sugestão de bolo feito com cenoura.
Queriam os burrinhos comer uma fatia destas, acompanhada de natas batidas com duas colheres de açúcar em pó e uma pitada de canela. Arre, burro! Uma delícia :)

Ingredientes:
1 colher (sopa) de manteiga, para untar
225 g de farinha
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de soda
2 colheres (chá) de gengibre em pó
1/2 colher (chá) de sal
175 g de açúcar mascavado (usei 150 g)
225 g de cenouras raladas
2 pedaços de gengibre picados (não usei)
25 g de raíz de gengibre, ralado no momento
60 g de passas sem sementes (não usei)
2 ovos batidos
3 colheres (sopa) de óleo de milho (usei de soja)
sumo de 1 laranja

Cobertura (não fiz, apenas polvilhei com açúcar em pó):
225 g de queijo-creme magro
4 colheres (sopa) de açúcar de pasteleiro
1 colher (chá) de essência de baunilha

Preparação:

1. Unte uma forma redonda e forre-a com papel vegetal.
2. Peneire para uma tigela a farinha, o fermento, o bicarbonato de soda, o gengibre em pó e o sal. Acrescente, mexendo, a açúcar, as cenouras, o caule, a raíz de gengibre e as passas. Noutra tigela, bata os ovos com o óleo e o sumo de laranja. Acrescente os ingredientes secos e misture.
3. Deite a mistura às colheradas na forma anteriormente preparada e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC, durante cerca de 1 h até que um palito, quando inserido no centro, saia limpo. Deixe-o arrefecer na forma.
4. Para preparar a cobertura, coloque o queijo-creme numa tigela e bata-o suavemente. Acrescente o açúcar de pasteleiro e a essência de baunilha. Misture bem.
5. Desenforme o bolo e barre a cobertura por cima. Decore com cenoura e gengibre ralados e sirva.

Receita retirada do livro "Tartes, tortas e biscoitos" da Parragon Books.

Há umas semanas falei do livro do Alessander, hoje é a sugestão literária da Academia, está aqui. Passem para conhecer e, caso se interessem, encomendem o livro. Vale a pena :)
Bom fim de semana!!!
tags:
publicado por Ameixinha às 14:40 | link do post | comentar | ver comentários (74) | partilhar
Quarta-feira, 22.07.09

Pão recheado

Hoje esmerei-me e trouxe a receita e uma sugestão para usarem depois da receita estar pronta.

Hoje estou de mau humor e dá-me para uma certa divagação de assuntos: as pessoas são como os pães, são melhores quando têm recheio e quando o recheio é bom encontra-se a perfeição. Não desatem é a morder o pessoal que passa para lhes ficar a conhecer o recheio, ok? Podem habilitar-se a uma má resposta ou a uma galheta na focinheta :)

É que o aspecto exterior, muitas vezes, não corresponde ao interior mas, algumas vezes, até corresponde. Hoje eu sou um verdadeiro papo-seco*, uma carcaça* e só muito bem barradinha de compota é que fico mais docinha - sem segundos sentidos ok? É que eu já me lembrei daquele filme em que amarram a gaja a um tranqueiro, besuntam-na de mel ou compota e depois as formigas dão com ela e é uma desgraça he he.

Com sorte, devo estar a precisar de chocolate. Com sorte resolvo isso agora de tarde :)

Este pão recheado veio daqui e, apesar de não ter ficado tão bonito, aposto que ficou igualmente delicioso.

Ingredientes:
250 g de leite
50 g de margarina
25 g de açúcar
2 colheres de chá de sal fino
1 saqueta de fermento de padeiro
500 g de farinha tipo 65
Margarina mole para besuntar
1 ovo batido para pincelar (não usei)
Recheio a gosto, que neste caso foi chourição
Sementes de sésamo (opcional, eu gosto e coloquei)

Coloque os ingredientes ma máquina do pão e ligue o ciclo "massa".
Depois de terminar, estenda a massa numa superfície enfarinhada, pincele com a margarina mole e espalhe as fatias de chourição. Enrole como se fosse uma torta, esconda as pontas do rolo para baixo do mesmo e coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal ou folha de silicone. Pincele com ovo batido. Deixe repousar mais um pouco (15-20 minutos), pincele novamente e, se quiser, salpique com sementes de sésamo. Leve ao forno até ficar dourado.
Sirva quente ou frio.

No dia seguinte peguei no pão recheado, cortei-o em fatias. Coloquei tomate de lata cortado por cima, uma fatia de paio, queijo mozzarella, oregãos e levei ao forno para gratinar. Uma autêntica pizza :) Serve-se com salada a acompanhar e é sucesso total!

Continuação de boa semana a todos. Eu vou ver se me passa a nuvem negra. Isto hoje está a combinar com o tempo que está lá fora: nublado, chuvoso, ventoso e negro... muito negro :)


*Pão pequeno de farinha de trigo fina. Sou pequena e fina... querem melhor?

Nota: Já fiz há algum tempo e pode ser necessário ajustar a quantidade de farinha e de leite. Na MFP é importante ter em atenção as quantidades.

tags: ,
publicado por Ameixinha às 16:35 | link do post | comentar | ver comentários (78) | partilhar
Domingo, 19.07.09

Bolo de iogurte com recheio



Eu ando muito poupadinha nas palavras e, mais uma vez, não vou apresentar receita. Vou apenas deixar uma sugestão que muito me agradou e, como estamos no tempo de aproveitar o excesso de frutas para fazer compotas, sugiro que as aproveitem para enriquecer um bolinho simples, poderá ser de iogurte ou outro qualquer ao vosso gosto. Garanto que não se vão arrepender com o resultado. Digam lá se não fica um bolo bem mais bonito?

Tirei-a daquele sítio que não vou dizer, mas que pertence a um dos tios que perdeu o GPS e não entregou a arca cá em casa. Rima com soalheiro, fazendeiro, frangueiro, toalheiro, fumeiro, solteiro (deve ser solteiro e ainda não me viu, senão ja cá tinha vindo entregar a arca e ainda fazia o favor de a rechear com coisinhas boas he he), Roque Santeiro (em homenagem aos leitores brasileiros) e com dinheiro :)

Neste caso, poderia ter usado a compota de ameixas mas fiz com uma compota de mirtilos vermelhos que a TitiSu me ofereceu há já algum tempo. Excelente, um bolo com sabor a Verão :)
Depois de colocarem a massa na forma, deitem colheradas da compota por cima. Se quiserem que a compota fique no meio do bolo, levem-no ao forno por 10-15 minutos e só depois deitem a compota por cima.

De certa forma, é uma espécie de férias que me dou a mim e a quem lê o que cá escrevo. Poupo-vos os olhinhos e as minhas nails de tanto escrever :)
Se alguém quiser a receita de bolo de iogurte podem encontrar uma aqui.

Espero que gostem!
Bom início de semana a todos ;)

Nota: Como as desgraças cá em casa continuam, a travessa que se vê na foto já não existe. A minha mãe partiu-a e, no mesmo dia, foi-se a fruteira que estava em cima da mesa. Isto continua a desbunda total :)
tags:
publicado por Ameixinha às 22:11 | link do post | comentar | ver comentários (66) | partilhar
Quinta-feira, 16.07.09

Lombo recheado de ameixas e legumes

Digam lá se não fica fantástico? Super colorido :)
As coisas têm andado muitos cinzentas pela blogosfera e na vida das bloguistas, então toca a colorir um bocado o panorama, senão a coisa vai descambar por completo.
Não é exactamente uma sugestão de receita, é mais uma sugestão de recheio e podem usar lombo de porco, vaca ou vitela. Convém é que a carne não seja muito seca, mesmo usando bastante marinada, correm o risco de não ficar suculenta.

Então, usem a vossa receita de lombo assado favorita e recheem-no com o que mais gostarem. Pedi no talho que me cortassem um lombo de porco e o abrissem de forma a ficar num rectângulo, mas sem o separar. Depois, é só rechear e enrolar como se fosse uma torta. Usei pimento vermelho, courgette, cenoura e ameixas secas. Podem também usar alho-francês ou outros.
Convém que o recheio seja cozinhado para que não leve mais tempo a assar do que a própria carne, uma vez que fica no seu interior (é só dar uma "entaladela aos legumes", também não queremos que eles se desfaçam). Como é óbvio, as ameixas não precisam ser pré-cozinhadas :)

Depois amarrem com uma corda própria ou uma "rede". Como sou uma pessoa muito bem relacionada, usei umas bandas de silicone fantásticas. Podem ver um bocadinho delas na parte superior esquerda da foto :)

Como o tempo está muito cinzento e hoje até já choveu, não é má ideia ligar o forno no fim de semana e saborear um belo lombo!

O post é pequeno que é para desenjoar das minhas histórias mirambolantes e, por vezes, muito compridas.

Aproveito para desejar a todos uma boa sexta-feira e um bom fim de semana :)
tags:
publicado por Ameixinha às 20:00 | link do post | comentar | ver comentários (67) | partilhar
Segunda-feira, 13.07.09

Sobremesa de ameixas


Ainda na onda das ameixas, encontrei esta receita simplesmente magnífica no livro "Boas receitas para uma boa saúde". Infelizmente, não resultou, a saúde anda a deixar-nos ficar mal :) Pelo menos soube-nos muito bem. Para quem tem abundância de ameixas, aconselho a fazer. Fica com um "caldo" de sumo de ameixas que é assimilado pela cobertura feita de massa de baixo índice de gordura. É para ser servida quente ou morna, pois é uma sobremesa de Outono mas, as ameixas abundam no Verão e foi feita naqueles dias nublados que parecem querer voltar.

Aproveito também para agradecer os desejos de melhoras que me deixaram. Estou muito melhor mas espero não estar pronta para outra. Por agora chega, tá?


Para 6 pessoas
Tempo de Preparação:30 minutos
Tempo de cozedura: 45 minutos
Forno: Pré-aquecido a 200ºC

Por pessoa
Calorias: 280
Total de gordura: 8 g
Hidratos de carbono: 48 g
Açúcar adicionado: 8 g
Fibras: 4 g

Ingredientes:
700 g de ameixas frescas maduras, cortadas ao meio e descaroçadas
45 g de açúcar amarelo
30 g de amêndoas raladas (não usei)
6 colheres de sopa de água

Para a cobertura:
175 g de farinha com fermento
60 g de farinha integral
1 colher de chá rasa de fermento em pó
30 g de margarina poliinsaturada
1 ovo ligeiramente batido
7 colheres de sopa de leite magro
1 colher de chá de açúcar amarelo

- Misture as ameixas com o açúcar amarelo, as amêndoas e a água. Disponha o preparado num prato de 20 cm de comprimento, que possa ir ao forno e à mesa.

- Prepare a cobertura. Numa tigela, misture as farinhas com o fermento e seguidamente com a margarina, trabalhando bem. Junte o ovo e 6 colheres de sopa de leite e misture até obter uma massa macia. Trabalhe a massa sobre uma superfície ligeiramente polvilhada com farinha até ficar homegénea.

- Numa superfície ligeiramente polvilhada com farinha estenda a massa até ficar com 1,5 cm de espessura. Com um corta-bolachas ondulado de 6,5 cm de diâmetro, corte círculos da massa. Trabalhe as aparas e volte a estender e a cortar círculos até obter 12 ao todo. Disponha-os em círculo no tabuleiro, sobrepondo-os ligeiramente, e pincele-os com o resto do leite.

- Leve ao forno pré-aquecido a 200º C, durante 45 minutos ou até os círculos de massa começarem a alourar e as ameixas ficarem macias. Cerca de 30 minutos depois de os levar ao forno, cubra com papel- manteiga para a massa não queimar. Polvilhe com açúcar e sirva.


Nota: Tal como esta massa de tarte retirada do mesmo livro, é simples e muito fácil de fazer. Muito fácil de moldar e esticar, sem ser necessário juntar carradas e carradas de farinha.
Acho que é capaz de resultar com outras frutas, tais como maçãs, pêras, pêssegos e morangos, mas ainda não testei.

Boa semana a todos!
publicado por Ameixinha às 17:35 | link do post | comentar | ver comentários (70) | partilhar
Sexta-feira, 10.07.09

Compota de Ameixa com bolinha vermelha

Há cerca de 1 ano estava assim e, como continuo a ser bafejada pela sorte e devo ter sido muito filha da mãe na minha vida anterior, estou nesse lindo estado outra vez.
Os senhores entendidos no assunto dizem que a Gripe H1N1 vai atingir 1 em 4 pessoas no próximo Outono. Aqui em casa já somos 4 em 5 manhosos, espero que a gripe passe e ande sempre, até porque nem tenho campaínha na porta :)
Andei a aguentar uma semana e ontem, quando me amarrei ao toalheiro da casa de banho achei que tinha atingido o limite e, aquelas ceninhas tristes, não podiam continuar. Passei a noite a mentalizar-me que tinha que ir ao hospital e, com sorte (não sei para quem!) ainda tinha que abrir as perninhas para ser devidamente examinada por uma equipa que entra e sai como se o consultório fosse uma tasca. Pior, tinha que responder às perguntas tolas (mas necessárias e essenciais ao diagnóstico!) acerca da minha vida íntima. Mas o mais desagradável é ter que fazer xixi para um copinho, fazer pontaria para acertar é traumatizante :)
Ainda não entendi porque raio estou assim. Já sei que tendo a primeira vez depois é mais fácil de ficar doente outra vez. Mas eu também não entendo porque tive da primeira vez. É como tenho vindo a dizer, fazer tudo certinho e direitinho não adianta nada. É como fazer desporto, acabamos por morrer mais saudáveis.
A modos que estou assim, feita compota de ameixa! Não, não é docinha nem cheirosa... é como se me tivessem levado a cozer em lume brando, estou mole e nem sequer sirvo para ser apreciada.
Adiante antes que a coisa piore!
Compota de ameixa para quem tem muitas ameixas e não sabe o que lhes fazer. Em abono da verdade, ficar com ameixinhas enfrascadas também me parece bem. Façam isto em memória de mim, ámen!
Um vizinho teve alta produção este ano e andou a distribuir pela aldeia toda - mesmo toda!.
Como algumas estavam bem madurinhas e, nesse mesmo dia vi este post da Moira, corri para a cozinha e fiz. Depois foi repetir a dose e ainda não me faltou compota de ameixa. Fica verdadeiramente deliciosa, uso-a para barrar e nos iogurtes.
Ingredientes:
400 gramas de ameixa descascadas e descaroçadas (já fiz com 500 e com casca e resultou bem)
250 de açúcar
1 pau de canela (opcional, já fiz com e sem)
Preparação:
Misturar a fruta com o açúcar e levar ao lume mexendo até dissolver todo o açúcar.
Deixar ferver em lume brando, mexendo de vez em quando e retirando a espuma que se forma à superfície, até ter a consistência certa. Para saber se está na consistência certa ponha uma colher de doce num prato, deixe arrefecer e passe o dedo, se o doce enrugar está no ponto certo.
Coloque num frasco escaldado e seco, tape e vire de "pernas para o ar" para criar vácuo, mas não os deixe arrefecer assim (10-15 minutos está bom).



Agora com licença, vou fazer uma visita ao hospital para ver como lá anda o ambiente :)

Boa sexta-feira e bom fim de semana a todos!
publicado por Ameixinha às 12:10 | link do post | comentar | ver comentários (77) | partilhar
Terça-feira, 07.07.09

Charlotte de Tiramisu

Preciso urgentemente de dizer "Tiramisu daqui, que estou farta de desgraças! Tira-me-isso-como-quiseres: faz defumadouro, fala com os santinhos, desfaz esta má onda, desampara-me a loja, faz trinta por uma linha, mas faz alguma coisinha por esta luz que me ilumina!".
E no fim, só no fim, é que podes comer uma fatia desta charlotte. Sim, agora só na base da chantagem para ver se resulta. Estou cansada de ser boazinha, afinal os maus safam-se sempre, nada lhes pega, por isso não custa tentar :)
Ó Deus, ahhh pois é, agora se quiseres vir aqui comer, só em troca de favores, está na hora de começar a usar as minhas cunhas e, como só te tenho a ti, toma que lá vai disto ;) Só não vendas a alma ao Diabo senão está tudo lixado e só vamos conseguir comer o pão que o Satanás amassou!
Vi esta receita aqui e decidi que tinha que ser feita o mais breve possível, dado o encantamento que estou a passar com o queijo mascarpone. Depois do bolo, a charlotte e veremos o que se seguirá :)
Ingredientes:

Xarope de Café:
1 colher de sopa de café em pó
0,5 colher de sopa de açúcar
125ml de água a ferver
1 colher de sopa de licor de café (usei brandy)
Recheio:
250 g de queijo mascarpone
1,5 colher de chá de extracto de baunilha
3 colheres de sopa de açúcar em pó
2 colheres de sopa de licor de café (usei brandy)
250 ml de natas
Palitos de champanhe q.b.
Chocolate preto q.b.
1. Misture o café em pó com o açúcar e dissolva ambos na água a ferver. Deixe arrefecer. Adicione, depois, o licor de café e reserve.
2. Numa tigela misture o queijo mascarpone, o açúcar em pó, a baunilha, o licor de café e 3 colheres de sopa do xarope de café.
3. Bata as natas e misture-as ao preparado do mascarpone.
4. Forre, lateralmente, uma forma de fundo amovível com palitos de champanhe. Para tal é necessário que corte uma das pontas do palito, com alguma inclinação para que se mantenham em pé. Reserve as pontas cortadas.
5. Mergulhe, sem encharcar, mais alguns palitos de champanhe no xarope de café, um de cada vez, e forre o fundo da forma. Vai ter de cortar alguns de forma a que a base fique bem forrada. Com os pedaços pequenos reservados preencha as falhas.
6. Encha a forma com mais de metade do recheio e espalhe uniformemente. Distribua uma camada de raspas de chocolate preto e logo de seguida uma camada de palitos de champanhe cortados a meio no sentido do comprimento (aqui pode aproveitar as pontas reservadas). Encha o resto com o recheio, suavemente.
7. Leve ao frigorífico pelo menos 4 horas. O ideal é ficar no frigorífico durante a noite.
8. Imediatamente antes de servir decore com raspas de chocolate preto.
Aprovadíssimo, uma sobremesa leve e irresístivel para saborear lentamente - se conseguirem!
Quero agradecer a todos que deixaram comentário no post anterior a desejar que tudo corra bem e a dar força para esta fase passar. Essencialmente prende-se com pessoas doentes cá em casa e, para piorar, o Matias é epileptico. Tive que ir com ele ao veterinário e está medicado. Não voltou a ter ataques desde sexta-feira passada. Creio que é uma boa notícia, agora vamos ver se ele se aguenta bem. É muito raro epilepsia nos gatos mas, como sou uma gaja cheia de sorte, ele veio parar-me às mãos :) Só mesmo a mim!
Obrigada a todos e continuação de boa semana :)
publicado por Ameixinha às 20:00 | link do post | comentar | ver comentários (71) | partilhar
Domingo, 05.07.09

Lentilhas com lascas de bacalhau num dia castanho



Castanho é a cor dos meus olhos e da canela... uma cor que combina perfeitamente com este blog!

Apesar de estar a viver uma altura complicada na minha vida, em que as más notícias se sucedem em catadupa, eu continuo a sentir-me uma pessoa cheia de sorte. Este último mês tem sido traumatizante e infeliz mas também foi um mês em que recebi muitas coisas boas e, quero acreditar, que esta onda de maus agoiros está a passar. Devagarinho e com esperança a coisa vai :)

Há algum tempo atrás recebi um presente inesperado que veio do outro lado do Atlântico. Como muitos de vocês sabem - e outros tantos vão ficar a saber agora - o Alessander publicou um livro em que compilou algumas das receitas já publicadas no seu blog Cuecas na Cozinha. O livro chama-se Cuecas na Cozinha - Escola de Maridos & Afins.
É escrito no mesmo estilo do blog, com muito boa disposição, tudo explicado de forma clara e exacta, lê-se como se estivessemos à mesa numa conversa leve e amigável com o Alessander e a esposa Cris, que dá imagem às receitas do blog e, consequentemente, do livro.

Não me vou alongar acerca deste assunto pois creio que merecerá um post só para ele, talvez publicado na Academia dos Livros, já que é uma excelente sugestão de leitura :)

Para primeira receita escolhi algo que nunca tinha provado, com algo que faz parte do meu dia a dia: lentilhas e o já popular bacalhau.
Porque escolhi esta para primeira receita a ser testada?
Primeiro porque acredita-se que as lentilhas atraem boa sorte a nível financeiro e, sinceramente, estou a precisar muitíssimo! Depois porque tinha um saco de lentilhas à espera de ser usado desde o Verão de 2008 e já quase a terminar o prazo de validade. Por último, era uma receita cujo resultado fica em tons de castanho, tornando-se apropriada ao Desafio das Cores que tem colorido a blogosfera.

Juntou-se a fome com a vontade de comer e saiu uma agradável surpresa que todos comeram com prazer. Até o meu pai que é avesso a novas experiências, não deixou num uma lentilhinha de lado :)
Alessander, mais uma vez obrigada pelo carinho e pela generosidade. Espero não te ter deixado ficar mal com esta receita!


Lista de compras para 2 pessoas (eu dobrei a quantidade):
100 g de lentilhas
100 g de lascas de bacalhau
azeite
alho-francês/alho-poró
Salsa picada
Leite

Faça antes:
Dia anterior - cubra as lascas de bacalhau com água. Deixe no frigorífico. Troque de água umas três vezes. Quando coar o bacalhau pela terceira vez, cubra-o com leite e volte ao frigorífico.

Na hora:
Siga as instruções do pacote. Para 100 g de lentilhas, utilizei 200 ml de água (seguindo a proporção peso x quantidade de água). Cozinhe em fogo baixo, com a panela quase tapada, até a água secar.
Hora de refogar o bacalhau - cubra o fundo da panela com o azeite, corte 6 rodelas de alho-poró (solte todos os anéis de cada rodela). Aqueça o azeite e refogue os anéis até amolecerem. Coe o leite e acrescente as lascas de bacalhau. Misture e deixe cozinhar por uns 3 minutos. Acrescente salsa picada (uma colher de sopa) e refogue mais uns 2 minutos. Desligue o fogo. Reserve algumas lascas de bacalhau para decorar.
Depois, despeje na própria panela do refogado, as lentilhas cozidas. Misture e sirva.

Notas:
- Não tinha salsa e não usei, decorei com azeitonas pretas que acho que combina muito bem com bacalhau.
- Pode comprar já o bacalhau em lascas ou fazer como eu e cozer uma posta, fazendo-a em lascas depois de fria.
- Se a água da cozedura secar e as lentilhas ainda não estiverem prontas, desligue o lume. Noutra panela ponha água a ferver, temperada da mesma forma como temperou a outra que estava a cozinhar. Assim que ferver, despeje um pouco do líquido na panela, acenda o lume novamente e continue a cozinhar. Acrescente a água aos poucos, para não passar do ponto do cozimento.
Esta técnica deve ser usada para todos os grãos.
Acho que a cozedura também depende da qualidade de lentilha que for usada.

Espero que gostem! Bom Domingo a todos :)

publicado por Ameixinha às 13:18 | link do post | comentar | ver comentários (70) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...