Domingo, 28.09.08

Bolo de cenoura e nozes pecãs


Eu quando digo que gosto... gosto mesmo!

Neste caso eu adoro bolos de cenoura e, se forem enriquecidos com outros ingredientes, ainda adoro mais.

Andei muitos meses à procura de nozes pecãs e há uns tempos atrás encontrei-as e agarrei a oportunidade.
É um bolo bastante fácil de fazer e verdadeiramente delicioso... melhor do que todos os outros que eu comi. As nozes pecãs são diferentes das nozes que nós conhecemos. Achei-as menos fortes em relação ao óleo que têm, parecem-me mais leves mas igualmente deliciosas. Só tenho pena que tenha que passar meses e meses sem ter acesso a estes produtos.

Mas vamos à receita que já se faz tarde e daqui a bocadinho é hora de lanche :)

Ingredientes:
2 ovos ligeiramente batidos

2 chávenas de cenoura ralada (uso sempre 3 cenouras grandes)

2 colheres de chá de casca de laranja ralada

2/3 chávena de nozes pecãs fatiadas (cerca de 180 gr)

1/2 colher de chá de canela em pó (eu ponho sempre mais)

1/3 chávena de sumo de laranja

1/2 chávena de óleo

2/3 chávena de açúcar refinado

1 1/3 chávenas de farinha de trigo com fermento (coloco 1/3 de farinha integral)

Preparação:
1. Aqueça previamente o forno a 180ºC. Unte uma forma de bolo rasa de 20 cm, com manteiga derretida ou óleo. Forre com papel vegetal. Unte o papel.

2. Coloque os ovos, a cenoura, a canela, a casca de laranja, as nozes, o sumo, o óleo e o açúcar numa tigela grande. Mexa todos os ingredientes com uma colher de pau.

3. Peneire a farinha para a tigela. Bata com a colher de pau durante 1 minuto ou até a mistura ficar espessa e os ingredientes bem misturados.

4. Com a ajuda de uma colher, deite uniformemente a mistura na forma preparada. Alise a superfície (coloquei algumas nozes na superfície para decorar e salpiquei açúcar com canela por cima). Coza durante 45 minutos ou até que um palito saia limpo quando inserido no meio do bolo. Vire sobre uma rede de arame para arrefecer. Servir morno ou frio.


Estão a ver bem o interior deste bolo? Até eu fico ceguinha de gula ao olhar para ele :)

Bom Domingo e boa semana a todos!

Receita retirada do livro de Anne Wilson "Bolos rápidos e saborosos"
tags:
publicado por Ameixinha às 11:57 | link do post | comentar | ver comentários (61) | partilhar
Sexta-feira, 26.09.08

Cannelloni transformado em lasanha


As Quatro ragazze brasiliane nella cucina italiana lançaram um novo desafio. Depois da Polenta veio a Pasta. Como grande adepta de massas que sou, tinha que participar e convido desde já os visitantes a publicarem um prato de massa e enviarem a publicação para este e-mail.

Aproveitem que a crise económica ainda não chegou e contribuam com massa que, pelos vistos, até o Bush gosta... ai não que não gosta!!! No bolso todos gostamos... mas é mais o que sai do que o que entra!

Adiante... deixemo-nos de desgraças e vamos tirar a barriga de misérias com la bella pasta!

Ora, como me é normal, tive mais uma aventura culinária que envolveu muito palavrão com sotaque nortenho... porque eu não sou obrigada a engolir certas coisas sem retorquir e insultar! ;)

Estava eu tão contente para pôr a mão na massa que fui tentar fazer uma coisa nova que nunca tinha feito. Os cannelloni são muito lindinhos, todos enroladinhos como se estivessem tímidos. Pois, pois, o que eles querem é que lhes enfiem qualquer coisa no buraco... Perversa eu, já sei ;)

Que se lixe... pelo menos vou sorrindo :)

O que é certo é que ao invés de comprar cannelloni já prontinho, decidi comprar umas placas de lasanha e enrola-las eu mesma. Quem se enrolou fui eu...
Valham-me os santinhos!!! Eu enrolava e os rolos partiam-se todos. A massa era fresca e eu li que não era preciso cozer antes. Mas também não dizia que dava para fazer cannellonis.
Depois de uma sessão imprópria de insultos e de muita massa a voar para o chão e para a bancada... depois dos olhares reprovadores do Zézinho e do Matias... depois da minha mãe ter ouvido que, se calhar, não íamos ter almoço, eu resolvi refazer o meu plano e fazer das placas aquilo para que elas serviam: lasanha!

De cannelloni com frango e nozes passei para lasanha de frango com queijo-fresco. As nozes saíram de cena porque achei que não íamos mesmo ter almoço e não as quis gastar ;)

E saiu isto que podem ver a seguir...


Tem bom aspecto não tem? Mas será que ficou bom?

Primeiro vou contar como fiz, vai a receita original de cannelloni que pode ser transformado em lasanha caso a coisa corra mal. Encontrei-a num livro fantástico que se chama "Boas receitas para uma boa saúde".

Diga-se de passagem que a receita me deixou o sistema nervoso em frangalhos (qual boa receita para uma boa saúde, qual quê?) mas, a receita em si, só tem 465 calorias por pessoa. A receita que se segue é para 4 pessoas mas eu só fiz metade porque eramos duas.


Ingredientes:

75g de miolo de noz picado finamente

175 g de frango cozinhado, desossado, sem pele e picado (usei 175g de peito de frango cozido numa pitada de sal e achei muito pouco até para duas pessoas)

1/4 de colher de chá rasa de noz-moscada ralada

125 gr de requeijão (não usei porque não tinha no hipermercado)

125 gr de queijo fresco

12 cannelloni prontos a rechear (isto foi a minha desgraça!)

30 g de margarina poliinsaturada

30 g de farinha

pimenta-preta moída na altura

4,5 dl de leite magro

1 folha de louro

400 g de tomate pelado de lata picado

30 g de queijo parmesão ralado


Preparação:

1. Guarde uma colher de sopa de miolo de noz. Misture o resto com o frango, a noz-moscada, o requeijão e o queijo fresco e recheie os cannelloni. (Eu lá fiz tudo direitinho e dispus colheradas do recheio nas placas de lasanha, enrolei e coloquei numa travessa. Virei costas e quando olhei estavam os rolos todos quebrados e o recheio a olhar para mim, a pedir que o salvasse.)

2. Para fazer o molho, derreta a margarina em lume brando. Polvilhe com a farinha, tempere com pimenta e deixe cozer um minuto. Deite o leite a pouco e pouco, mexendo sempre, junte o louro e deixe engrossar, sem parar de mexer. Retire o louro (Este molho é o chamado molho béchamel na versão light).

3. Deite o tomate num pyrex e por cima distribua os cannelloni numa só camada. Cubra com o molho e polvilhe com o queijo e o miolo de noz. (Como já disse, cannelloni virou lasanha e, por isso, dispus o tomate e uma placa de lasanha, uma camada de recheio, duas placas de lasanha, uma camada de recheio, duas placas de lasanha e, por fim, o molho, o queijo e substituí as nozes por oregãos secos.)

4. Tape com papel de alumínio e leve ao forno aquecido durante 15 minutos. Destape e deixe alourar por cima durante cerca de 20 minutos.

Resultado: Eu devo dizer que, depois do que aconteceu ao enrolar as placas de lasanha, nunca mais acreditei que a coisa fosse dar certo. Meti a lasanha ao forno e pensei que não ia almoçar. Condenei a lasanha à partida. Aquilo parecia-me que não ia cozer, apesar de cheirar bem e ter bom aspecto. Quando saiu do forno olhamos para a travessa e dissemos: "Seja o que Deus quiser!"

E não é que o Homem estava do nosso lado. Ficou fantástico e a travessa ficou limpinha :)

Mas vou comprar cannellonis e tentar de novo. A lasanha ficou excelente ;)

Participem do desafio... o pior que pode acontecer é terem uma história manhosa como a minha para contar :)


Buona fine di settimana!!! Isto só me falta um Italiano à mesa eh eh

publicado por Ameixinha às 09:00 | link do post | comentar | ver comentários (44) | partilhar
Quarta-feira, 24.09.08

Muffins de bacon

Adoro comidinhas pequeninas... tudo que é pequenino é mais bonitinho! Eu só meço 1.57cm, nem preciso dizer mais nada, pois não? Eh eh

É a primeira vez que que participo do desafio do Chá da Tarde e, como comprei alguns livros da colecção Cordon Bleu (uma palavra para descrever: "Maravilhosa!"), e um deles é dedicado aos muffins, decidi fazer uma das receitas entre tantas outras que vou experimentar.


Se tiver uma festa com mesa de doces e salgados, encontram-me na mesa de salgados rodeada de queijos, azeitonas e enchidos... aiiii a gula!!!

Quando vi as receitas de muffins salgados decidi que tinha que fazer o mais rápido possível e a primeira a ser escolhida foram estes muffins de bacon.

Vou dar algumas informações que o livro apresenta.

Tempo de preparação: 25 minutos

Tempo de cozedura: 30 minutos

Para 12 muffins médios (deu-me para 16, mas depende das forminhas de cada um)

Ingredientes:

2 colheres de chá de óleo (usei azeite)

6 fatias de bacon finamente picadas

1 cebola grande finamente picada

300 g de farinha auto-levedante para bolos

75 g de farinha sem fermento (usei 55 g de farinha + 20 g de farelo de trigo)

1 pitada de sal

1 colher de sopa de salsa fresca finamente picada (como a minha salsa continua raquítica usei oregãos secos)

2 ovos

250 ml de leite

125 g de manteiga sem sal derretida (a minha foi com sal)

Preparação:

1. Pré- aqueça o forno a 210ºC (Gás 6-7). Unte formas para 12 muffins com manteiga derretida ou óleo (coloquei formas de papel).

2. Aqueça o óleo ou azeite numa frigideira e cozinhe o bacon até estar castanho e estaladiço. Retire da frigideira e escorra sobre papel absorvente de cozinha. Refogue a cebola na frigideira em que fritou o bacon até estar macia e ligeiramente dourada. Espere que arrefeça.

3. Peneire as farinhas e o sal para dentro de uma tigela grande. Misture com salsa e faça uma cova no centro. Bata os ovos com o leite e deite na cova que fez nos ingredientes secos. Adicione a manteiga, o bacon e a cebola e mexa com uma colher de metal até os ingredientes estarem combinados. Não mexa demasiado - a mistura deverá ficar com grumos.

4. Encha as forminhas até cerca de três quartos com a massa. Coza durante 20 minutos ou até que um palito introduzido no centro saia limpo. Deixe os muffins na forma durante 5 minutos, antes de os retirar e colocar sobre uma rede, para arrefecer.

Sugestão:

"Os muffins de bacon são perfeitos para um brunch de fim de semana, acompanhados de ovos escalfados ou mexidos ou, simplesmente, com manteiga."

Cá em casa marcharam mesmo assim, sem nada, ao lanche. Depois de estarem frios, gosto de os aquecer um bocadinho no microondas :)

publicado por Ameixinha às 10:00 | link do post | comentar | ver comentários (40) | partilhar
Segunda-feira, 22.09.08

Brincadeira

A Mari passou para mim uma brincadeira que reporta às recordações de infância. A verdade é que a infância é uma fase tão marcanta na vida de todos nós que, a minha, está bem acordada.
Costuma dizer-se que o Dia das Crianças é todos os dias, mas oficialmente, em Portugal é a 1 de Junho!

Mas as regras são estas:

Albúm de figurinha - Colocar o selinho da brincadeira no post;
Hora do Recreio - Contar qual era a melhor brincadeira de criança da sua infância;
Brincando de Casinha, ou melhor, de Cozinha - Escrever a receita que fazia o maior sucesso na sua infância;
Passa passa 3 vezes - Escolher 3 blogs e chamar as amigas (ou os amigos) para brincar;
Telefone sem fio - Informar para os blogs escolhidos sobre o desafio que mais parece uma brincadeira de criança...



Então eu vou falar um bocadinho da minha infância e já vão perceber porque é que eu não bato lá muito bem da pinha ;)

Hora do recreio:

Antigamente (cruzes credo, até pareço uma dinossáuria eh eh) as crianças da minha aldeia reuniam-se todas no largo que fica defronte da minha casa e uns tomavam conta dos outros. As emissões televisivas tinham hora de começar e acabar. O resto do tempo era ocupado com muitas brincadeiras.
Na minha aldeia, eramos todos familiares, irmãos e primos do primeiro ao quarto grau ;)
De maneira que as brincadeiras eram em grupo. Jogávamos muito ao esconde-esconde,à apanhada e ao jogo da macaca. Muitas vezes a brincadeira acabava mal e a picardia e os empurrões eram o ponto alto do dia! Boys will be boys!!!

Jogo da macaca


Os terrenos em volta eram montes e, muitas vezes, fazíamos casas nos pinheiros. Esta minha mania de subir às arvores valeu-me alguns arranhões :)
Muitos trambolhões demos de bicicleta e eu, que era um peso pluma, fiz muitas vezes de "saco de batatas" ao ombro dos meus amigos. Beijei tantas vezes o cimento que tenho consciência que as minhas ideias ficaram meias baralhadas :)

Brincando de Casinha, ou melhor, de Cozinha:

Ao fim do dia a fome apertava, mas os bolos que fazíamos em conjunto nunca saíam bem. Tal era a nossa fome que fazíamos tudo a olho e retiravamos do forno antes do tempo. Resultado: bolo ensebado ou "com pito" como costumavamos dizer.

Lembro-me das pipocas, das maças assadas, e das castanhas que roubavamos inocentemente a um lavrador mau eh eh
Lá íamos nós roubar castanhas e o coração pulava desalmadamente com medo de sermos apanhados. Alguém se lembrava de gritar que estava a ouvir passos e nós dávamos corda aos sapatos e "pernas para que vos quero!", fugiamos como foguetões dali para fora. A adrenalina batia no alto de cada um de nós e acabavamos às gargalhadas.

Há sobremesas que eu nunca vou esquecer, como os bolinhos de lama que eram deliciosos :) Ou os bolinhos de bagas selvagens que, na nossa imaginação, eram os melhores do mundo!

Passa passa 3 vezes:

Então agora vou passar para três pessoas de quem eu quero saber um bocadinho mais acerca da infância:

Saltapocinhas

Cenourita

Téia

Se as meninas quiserem podem fazer ou não. Vai ao critério de cada um. Eu acho as memórias muito divertidas.

Boa semana e um óptimo ínicio de Outono ou Primavera (depende do lado do oceano onde os leitores estão).

A enxurrada parece que veio para ficar e eu não sei nadar yooooo ;)

tags:
publicado por Ameixinha às 14:23 | link do post | comentar | ver comentários (16) | partilhar

Bolo cremoso de cenoura

Tenho muitas receitas que vou retirando dos blogues que visito. Afinal a minha saga de visitas diárias tem um objectivo :) Eu quero é fazer e provar as delícias que vou vendo por aí ;)


O sabor da minha infância é o bolo de cenoura. Não porque a minha mãe ou avó faziam. A minha mãe é uma excelente cozinheira mas não é doceira. Não sabe sequer fazer bolos :) A questão é que eu adoro bolo de cenoura com muita canela, claro!


E vou experimentando todas as versões que vejo.


Quando vi esta receita no Tachos de Ensaio, guardei-a e experimentei um dia destes. Fica um bolo delicioso, super húmido como eu tanto gosto!!! Como não sou chocólatra dispensei a calda de chocolate. Para mim o bolo de cenoura basta, mas coloquei uns bocadinhos de chocolate negro. A ser sincera, também dispenso o chocolate pelo meio do bolo. Acho que sou uma miúda com gostos simples no que toca a bolo de cenoura ;)


E a receita canta assim:


3 cenouras
3 ovos
½ chávena de óleo de girassol ou colza (usei óleo de soja)
1 iogurte natural
3 chávenas de açúcar amarelo
3 chávenas de farinha (usei 2 chávenas de farinha normal e 1 de farinha integral)
1 c chá de canela
1 c chá de fermento para bolos
1 embalagem de pepitas de chocolate amargo (opcional)
Chocolate meio amargo em barra fundido para cobrir (opcional)


Preparação:
Ralei as cenouras. Num recipiente alto coloquei a cenoura, os ovos, o óleo, e o iogurte. Triturei tudo com a varinha mágica até obter um preparado homogéneo.
Peneirei a farinha com o fermento e a canela para dentro de uma tigela e misturei o açúcar.
Deitei a mistura de cenoura e envolvi muito bem sem bater.
Misturei os bocadinhos de chocolate e deitei o preparado numa forma redonda de buraco, devidamente untada e polvilhada.
Levei ao forno pré aquecido a 180º durante +- 45 m ou até que o palito saia limpo.


Mais um bolinho de cenoura na minha lista para fazer sempre que me apeteça. Muito bom!


Boa semana para todos!!!

tags:
publicado por Ameixinha às 00:30 | link do post | comentar | ver comentários (28) | partilhar
Sexta-feira, 19.09.08

Prémio!!!



Eu ando numa maré de sorte, não acham?! É muito prémio e que bem que sabe.

No post abaixo recebi uns quantos e agora a queridíssima e divertida Téia ofereceu-me outro :)

Isto até é caso para dizer que "Quando mija um Português, mijam logo dois ou três" ;)

Adoro estes provérbios poéticos! Que hei-de fazer... bater-me é pouco e matar-me não podem!

Já tinha recebido o prémio bog de ouro 2008 mas este é diferente pois é o da mulherdiferente.blogspot.com.

Agora vou poder repassar a alguns blogues que eu acho que são de ouro. Segundo a Téia disse, tenho que escolher 15 mas vai ser uma tarefa muito difícil. Não sei quem já foi nomeado mas eu vou nomear honestamente...

Aí vai, por ordem alfabética:



Há muitos blogs que eu não nomeei que sabem que até já são de platina para mim :)

Apetecia-me nomear muitos mais e estou a ser muito sincera, mas acho que tenho que jogar pelas regras e deixo para outras pessoas as seguintes nomeações. Afinal, somos uma comunidade sólida e simpática :)

E meus queridos, se não quiserem não se sintam obrigados a fazerem um post com este assunto. Eu não me chateio com ninguém se não quiserem publicar o selinho :)

Só quero que saibam que foram nomeados!


Abraços e bom fim de semana :)
publicado por Ameixinha às 23:42 | link do post | comentar | ver comentários (27) | partilhar

Potas com camarão na cerveja


Depois da saga dos camarões aqui, ainda sobrou 1 kg de gigantones. 1 kg não, porque o meu irmão pegou em quatro e levou para a casa da faculdade. Veio perguntar como se fazia... ia levar para fazer ao jantar para a namorada. Quatro camarões para duas pessoas? É pouco e foi pouco! E o pior é que era jantar romântico. Mas o rapaz ficou a enviar mensagens e a telefonar o tempo todo a perguntar como se fazia, quanto era de alho, se esmagava junto com o sal, que manteiga era? E não perguntava tudo de uma vez... foram várias mensagens. Aii... o romantismo já não é o que era, agora mete tecnologia pelo meio :)

Mas acho que correu tudo bem. A sobremesa é que ninguem sabe qual foi ;)

Como somos grandes apreciadores de moluscos e camarão, decidimos juntar o útil ao agradável e casamos potas (sugestivo hein?) com camarões de Moçambique.

Um casamento perfeito que começou assim, tudo feito a olhómetro:

Primeiro cozi as potas para tirar-lhe a cor avermelhada. Cozi também os camarões e descasquei-os. Reservei.

Cortei alho e cebola aos bocadinhos e levei ao tacho com azeite. Juntei polpa de tomate, uma cerveja, uma ou duas folhas de louro, uma malagueta seca (sem sementes) e deixei refogar tudo até a cebola cozer.

Retirei o louro e coloquei as potas partidas e os camarões inteiros. Deixei cozer em lume brando. No final passei o molho pela varinha mágica para ficar mais cremoso.

Foi caso para dizer: "Pota que pariu! Ficou muito bom!" ;)
Sem ofender as potas...


E depois de tanto dia de ausência deparo-me com tantos miminhos que aproveito para publicar e agradecer a quem mos enviou.


Para começar recebi o prémio Dardos vindo da Carmencita, Janeca, Uma casa no Norte, Moonlight, Talula e Menos calorias mais vida. A todas o meu agradecimento pela lembrança :)

Este prémio tem como objectivo:

“Reconhecer os valores que cada blogueiro mostra a cada dia, seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras…”
E pede aos premiados que respeitem as seguintes regras:
1. Aceitar exibir a distinta imagem e cumprir as regras.2. Linkar o blog do qual recebeu o prémio.3. Escolher quinze (15) blogs para entregar o Prémio Dardos. Como estou super atrasada e já vi que muita gente recebeu... vou passar esta parte à frente. Peço desculpa!




Depois mais um mimo carinhoso enviado pela Carmencita, que diz "I love your blog" :) Que grande orgulho, saber que gostam do blog que criámos e mantemos com muito carinho. Adorei! E se eu fosse a dizer os blogs que eu adoro visitar nunca mais saía daqui. Como sabem tenho que fazer muita visita e pôr as coisitas em dia. Eu adoro todos os blogues que visito, senão não os visitava ;)



E a Janeca deixou-me um desafio. Quais são as minhas manias? Aiii agora vão saber que afinal uma Psicóloga também pode sofrer de POC eh eh...




Aqui vão 5 das minhas manias:


1- O exaustor tem que ser ligado enquanto cozinho porque odeio o cheiro a comida na roupa, no cabelo, em todo o lado.


2- Passo a vida a lavar as mãos, odeio as mãos sujas.


3- Os meus sapatos têm que estar alinhados, as gavetas fechadas, tudo no seu sítio. Se não estiver eu não adormeço.


4- Não gosto de provar comida enquanto cozinho.


5- Ir anotando o que me falta na cozinha para depois comprar. E muitas vezes levo as revistas e os livros comigo para não me esquecer de nada.






Agora outra coisinha que eu tenho que referir. Tinha falado no Desafio da Polenta e as votações abertas. Pois bem, tenho a dizer que foi a Polenta Doce que ganhou o desafio e, em breve, vou receber um presentinho vindo do outro lado do Atlântico ;)


Agradeço muito a todos quantos votaram na minha Polenta!

Grande abraço!


Um post longo mas tinha que ser!

Espero não me ter esquecido de nada nem de ninguém :)

publicado por Ameixinha às 12:20 | link do post | comentar | ver comentários (30) | partilhar
Quinta-feira, 18.09.08

Voltei!!!


Finalmente estou de volta!!!

Quero agradecer a todos os visitantes pelos comentários que deixaram no "fabuloso" Pudim Henriquecido!!! Vou responder às perguntinhas que me fizeram nos comentários.

Os cabos telefónicos ainda não foram mudados, estou com internet provisória.

Espero que os senhores técnicos mudem para General ou Tenente porque só com Cabo isto não vai lá ;)

Vou começar a saga das visitas aos meus bloguinhos favoritos :)

Abraços e até já!
tags:
publicado por Ameixinha às 18:58 | link do post | comentar | ver comentários (26) | partilhar
Domingo, 07.09.08

Pudim de chocolate Henriquecido



Podia ser um erro ortográfico como aquele muito conhecido: "Herrar é umano!".
Mas não é! É uma piadola ao marido da minha amiga Mónica :) Ele é um chocólatra assumido. Nunca vi ninguém gostar tanto de chocolate. Andei a planear o jantar durante uns meses.

Eles vêm cá jantar duas vezes por ano. Infelizmente estão a viver muito longe, na terra dos "avecs", a terra do Henrique. E tenho que caprichar duas vezes por ano porque eles merecem :)
Para o jantar pediram os maravilhosos rojões com "aquelas coisinhas que parecem flores" e que na nossa língua se chama de "redanho" ou "redenho".

Para sobremesa não pôde faltar algo com chocolate. Decidi que ia fazer este pudim de chocolate que é qualquer coisa de maravilhosa. Parece uma mousse de chocolate compacta que se vai derretendo delicadamente e envolvendo o palato de tal modo, que temos que repetir. O Henrique levou um tupperware para casa com um bocadinho para adoçar o bico :)

Também houve o pudim de café que, mais uma vez, estava fantástico!
Fiz este pudim de chocolate na noite anterior para ter tempo de solidificar e para eu "ir feirar" com a Mónica. Como já tinha dito, eu não sou fã de feiras e no Verão com tanto emigrante nesta terra é que não dá mesmo. Ora, a Mónica como boa emigrante que é, quis ir feirar e eu acompanhei-a. O Henrique foi mais fino e safou-se de fininho ;)

Mas foi muito divertido. Lá no meio dos ciganos, entre odores estranhos, Dvd's pirata e crianças ranhosas a chorar, estava uma senhora que dizia que a loja dela só fechava à 00:15 e que os ciganos iam todos para o Iraque e tínhamos que aproveitar. Afinal o cigano foi para Itália, mas isso é outra história :)

Uma tarde bem passada com muito boa disposição. Assim é que é!
Mas vamos ao pudim que foi o bijoux da noite ;)

Ingredientes:

6g de folhas de gelatina incolor

200g de chocolate em tablete

1 lata de leite condensado

2 c. (de sopa) de manteiga

4 dl de natas

2 claras

2 c. (de sopa) de açúcar
chantilly q.b. (não usei porque não sou fã, usei uns palitos deliciosos que encontrei no Lidl e usei chocolate granulado e folhas de hortelã, mas a decoração vai ao critério de cada um)

Preparação:

Demolhe as folhas de gelatina em água fria. Junte o chocolate, em pedaços, ao leite condensado e coloque em banho maria. Assim que o chocolate dissolver, adicione a manteiga e mexa de vez em quando. Retire e acrescente as folhas de gelatina espremidas. Separadamente, bata as natas bem firme e, depois, as claras em castelo com o açúcar. Envolva ambas no preparado de chocolate. Passe uma forma de pudim por água fria e encha-a com o creme. Leve ao frigorífico até ficar bem firme (deixei quase 24 horas e ficou tão firme que me vi quase grega para tirá-lo da forma, mas lá consegui). Desenforme, decore e sirva.


Acho que consegui estar ao nível da adoração que o Henrique tem pelo chocolate e todos repetimos porque, isto que podem ver, é o verdadeiro paraíso para quem é chocólatra!! Já estou a imaginar algumas colegas blogueiras que são "viciadas" a ficar deliciadas com esta visão :)
Façam que não se arrependem!

Notas:

Para desenformar, mergulhe a forma em água quente por uns minutos.

Como não tinha só claras para utilizar, tive que guardar as duas gemas e não sabia o que fazer com elas. Para não desperdiçar nada, pode perfeitamente integrar as duas gemas, passadas na peneira, no creme de chocolate. Odeio desperdícios na cozinha!

Receita retirada da revista "Segredos de Cozinha" Nº 864

E agora outro assunto mas não menos relevante. A Natércia, a Alice e a Kláudinha ofereceram-me este mimo especial. Estou-lhes muito agradecida pelo carinho que, elas sabem, é recíproco.

Neste momento tenho tantas pessoas na blogosfera que têm blogues de ouro, que me seria impossível nomear alguém. A maioria dos blogues que visito e comento são de pessoas extraordinárias que sempre me receberam bem e que fazem com que eu sinta que estou sentada à mesma mesa. A esses, os que eu conheço e tenho nos meus olhos, só posso agradecer e dizer que, se não fossem bons blogues e boas pessoas eu não os visitaria.

Um bem haja a todos/as e um bom Domingo, doce como o chocolate!


No blog Quattro ragazze brasiliane nella cucina italiana encontram uma votação aberta para decidir qual a melhor receita do desafio da Polenta. Passem por lá e votem na que gostarem mais :) A minha Polenta Doce está lá!

publicado por Ameixinha às 17:00 | link do post | comentar | ver comentários (86) | partilhar
Sexta-feira, 05.09.08

Douradas aromáticas



Eu adoro ervinhas - não, não é ganza embora às vezes pareça que sim - e nas minhas comidas tento sempre usar e abusar delas. Mas nunca abusei e tirei partido das aromáticas como nestas douradas. No meu pequeno canteiro tenho manjericão, hortelã, tomilho-limão, cidreira (roubada da beira da estrada) e alecrim. Faltam-me os oregãos e a sálvia que ainda não encontrei; a segurelha, a manjerona e o cebolinho que ainda não consegui que vingassem. Mas usa-se o que há e já não é mau ;)


Embora não tenha postado ainda receitas de peixe - bacalhau para mim não é peixe, é bacalhau! - não quer dizer que não coma peixe. Apenas quer dizer que só tenho feito coisitas básicas com peixe.
Infelizmente não há pescadores em casa, nem eu vivo perto de um rio - vivo mas o desgraçado já vai mais que morto - ou mar. Uma ida ao hipermercado já faz o jeito. Trouxe três douradinhas médias que, para três esfomeados não foi muito mas chegou. Tavam deliciosas e vamos repetir mais vezes!
Fiz uma recolha de várias receitas que vi na net, mas a fonte de inspiração veio mesmo daqui.

Ingredientes:
Douradas
Sumo de limão q.b.
Ervas aromáticas (usei alecrim, manjericão e tomilho-limão)
1 cebola
2 dentes de alho
Azeitonas pretas q.b.
Fohas de Louro q.b.
Azeite q.b.
Pimenta preta em grão q.b.
Paprika q.b.
Sal q.b.

Preparação:
Lave as douradas em água fria corrente e ponha o peixe num prato grande. Regue com o sumo de limão. Tempere com sal e pimenta por fora e por dentro e salpique com as ervas aromáticas. Descasque um dente de alho e a cebola e pique em pedaços pequenos.
Aqueça o forno a 200°C.
Disponha a cebola cortada e o alho numa travessa de ir ao forno e coloque por cima as douradas. Regue com azeite, acrescente as azeitonas pretas inteiras, a paprika e o alho, picado, e enfie a folha de louro, bem lavada, na cavidade da guelra do peixes.
Asse no forno por 20 minutos, retire do forno e sirva com arroz ou batatas fritas ou legumes cozidos ao vapor. Pode também juntar batatas que vão assar juntamente com o peixe.



Bom fim de semana ;)



Acho que o Luisínho vai viajar no fim de semana... já está numa de testar as asas e zarpar ;) O Matias está a arranjar maneira de ir com ele... só pode!
tags:
publicado por Ameixinha às 08:00 | link do post | comentar | ver comentários (46) | partilhar

mais sobre mim

a possuída moída

Sobrevivo numa selva de hipocrisia, burocracia e cegueira de quem não quer ver. Prefiro não me lembrar da crise de valores que vivemos, mesmo sendo quase impossível esquecer-me disso. Cozinho e como com prazer, mesmo que alguma culpa surja depois. Gosto de andar a pé sozinha, viajar de comboio com um livro na carteira, dizer "Bom dia" com convicção e a sorrir. Ajudar quem precisa é o que me permito fazer sem pensar duas vezes, embora haja muita gente mal-agradecida. Sou adepta da boa disposição, da humanidade e respeito nos serviços de saúde e educação, acredito na capacidade de generosidade e bondade das pessoas que me rodeiam. Entristece-me que, nem sempre, essas capacidades sejam canalizadas quando deveriam. Não gosto das vizinhas coscuvilheiras e de pessoas mal educadas, prepotentes e ocas. Os meus olhos transmitem tudo o resto de mim e são cor da canela. Amo a Fauna e a Flora. Adoro o Outono e as folhas que caem. Não vejo qualquer utilidade em peluches. E a única coisa que é afrodisíaca é o amor.

pesquisar neste blog

 

posts recentes

Posts mais comentados

aqui acontece

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

arquivos

tags

links

subscrever feeds

quantos por cá passaram...